O populismo dos juros

Está havendo o velho terrorismo de sempre com a decisao de Lula de aumentar o salário mínimo. Pergunta-se de onde vai tirar (irrisórios) R$ 850 milhões adicionais.

A grita contra a decisão de Lula tem sua razão de ser, e espera-se que aumente mais. Lula foi eleito para cumprir um programa político. Ontem, tomou a decisão política legítima de aumentar o mínimo.

Foi uma medida populista ou socialmente irresponsável? A diferença entre ambas as definições está na sustentabilidade fiscal da medida. Lula. Se não houver cobertura fiscal, é populismo irresponsável; se houver, é responsabilidade social.

Ora, é muito fácil saber onde buscar os recursos: nos juros. A meta de inflação do próximo ano está dada. O próprio Diretor de Política Monetária do Banco Central, Afonso Bevilacque, diz que redução de juros não afeta a meta de 2007 mas…. afetará a de 2008. Trata-se de argumentação rasteira visando manter no BC a usurpação da política econômica. Mas foi graças a esse primarismo reiterado que, parece, caiu a ficha de Lula contra o ferramental retórico do terrorismo brandido pelo BC.

Mas falta o passo seguinte. Se não alterar a direção do BC, Lula vai ser engolido pela esfinge. Não dá para praticar a política social dos sonhos de Lula, se não se enquadrar o BC nas regras de responsabilidade fiscal. Se Lula não mexer nos juros, será populista, porque a conta não fechará. Não é uma beleza como, a partir de uma definição política, mudam os conceitos? Para não tomar a pecha de populista, Lula terá que reduzir os juros, enquadrar o BC nas regras de responsabilidade fiscal, responsabilidade social e responsabilidade nacional.

Se Lula não conseguir romper esse nó, será devorado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora