Obama contra o crime

Por Índio Tupi

Aqui do Alto Xingu, os índios informam o que de mais importante que ocorreu na reunião de hoje dos líderes europeus: (1) necessidade de que todos os mercados financeiros, produtos e participantes devem estar sujeitos a mais estrita supervisão ou regulação, sem exceção, não importando o país de domicílio, em especial para os fundos privados de capital, inclusive hedge funds, que apresentem riscos sistêmicos;

(2) seria preparada o mais breve possível uma lista de jurisdições não-cooperativas, ou paraísos fiscais, e uma “caixa de ferramentas” de sanções seria preparada para ser usada contra eles. A Alemanha liderou iniciativas para quebrar países como Liechtenstein e a Suíça, em seguida a escândalos fiscais ocorridos no ano passado, que atingiu alemães proeminentes. Vamos ver o que as autoridades, aqui, farão em termos do aperto das regulações e contra os paraísos fiscais. Ou se tudo continuará como dàntes no Quartel de Abrantes…

Comentário

Complica a situação de bancos brasileiros que entraram na aventura Madoff e esquemas de offshore que permitiram a entrada e saída de recursos do país sem pagamento de tributos.

Clique aqui para acessar matéria do Yahoo Finance sobre o assunto.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora