Os arrimos de família

O “Estadão” matou a charada na questão da pesquisa do IBGE sobre os idosos. O ponto mais relevante é o dado de que 64% dos idosos são arrimo de família. Quando se fala em reduzir a aposentadoria, em estabelecer idades mínimas mais elevadas, sem levar em conta o valor da aposentadoria ou da faixa social do aposentado, o que se está fazendo é mirar no coração de uma política social das mais relevantes. Significaria jogar essas famílias na rua.

Como diria meu amigo José Paulo Kupffer, depois disso o caminho seria estimular os viadutos. Isto é, tratar de colocar cortinas e portas, para abrigar a população que seria despejada para lá. E providenciar mais gastos com segurança, porque seria uma baba para o crime organizado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora