Os leitores e a Corus

Enviado por: Patrícia

Muito interessante ler a compra da Corus pela CSN,

Eu moro a poucos quilômetros do que foi um dia uma grande siderúrgica da Corus, acredito que tinha outro nome naquela época. Corby era uma vila no começo do século XX quando construíram a siderúrgica. Quando a Margareth Tatcher resolveu fechar todas as siderúrgicas deficitárias na década de 70/ 80 a siderúrgica tinha 15000 funcionários (do tamanho da Cosipa. Eu sou de Santos) e, como contava meu sogro, ele e quase toda a população da cidade se viram desempregados do dia para noite. Hoje só sobrou a área da laminação, que sei que há algum tempo esta numa produção maluca. Tenho vizinhos que trabalham lá, e falam que toda a produção dos próximos dois anos já esta vendida.

Essa cidade, Corby, hoje e um pólo industrial. O que eles fizeram foi nos anos seguintes darem isenção de impostos por alguns anos, e assim atraíram muitas indústrias para se fixarem aqui. Hoje, devida a grande necessidade de mão obra a cidade tem uma comunidade imensa de portugueses e poloneses e estrangeiros que vieram para a Inglaterra nesses últimos anos a procura de uma vida melhor. Sou testemunha, pois sou interprete do governo daqui para essa comunidade que mesmo vivendo já algum tempo, não sabe falar a língua…

E ai eu me pergunto, a Dama de Ferro privatizou TUDO na Inglaterra a quase 30 anos atrás e é aqui para onde os imigrantes vêem melhora de vida, vêem futuro. No Brasil de hoje ainda não enxergam os benefícios que é privatizar empresas. mesmo tendo uma Ingaterra para contar a historia…e pessoas, como eu, para testemunhar o impacto que isso causou na economia de uma comunidade..

A Inglaterra hoje e um pais aonde a grande maioria dos imigrantes querem vir morar devido a imensa demanda de mão de obra…Como tenho vontade de poder EU vivvenciar o Brasil ter esse mesmo mercado de trabalho para seus/nossos filhos.

Patrícia

Enviado por: Jorge

A analisa da Sra Patricia eh muito simplista. A Inglaterra eh um dos melhores paises para se morar na Europa nao pela Dama de Ferro. Ela ate esqueceu de colocar os Italianos.. na minha cidade tem bastante deles. A Italia esta um desemprego so. Mas o que aconteceu aqui foi mais devido a Tony Blair. A privatizacao so piorou o transporte, por exemplo. Nao vivi a faze anterior, mas segundo relatos daqui o ransporte ferroviario era bem melhor. Logico que teve muito pontos positivos. Mas ao contrario de nossa privatizacao, as empresas foram vendidas nao somente pela maior oferta em dinheiro. O suceso da Inglaterra e a privatizacao merecem uma analise sistemica e nao simplistica levando-se em conta so um fator.

Enviado por: Silvio H. Imafuku

Luis Nassif e comentaristas,

Um pequeno adendo para complementar estas linhas de discussão. Acabo de ver um documentário sobre um japonês com um cargo para a defesa do Japão no OIC Organismo Internacional do Comércio, dizendo que (visto do Japão, que é altamente protecionista!) a Inglaterra é o governo mais duro nas negociações (leia-se protecionista) porque o seu setor produtivo é mais ineficiente e improdutivo dentre as potências. Mas que é preciso aprender com eles, que detêm esta “sabedoria” (modus operandi imperial). A função dele, além de defender o Japão, é ensinar também aos técnicos de outros países menos favorecidos a defenderem os seus interesses. (Notas em parêntese é a minha conclusão. O que quer dizer também que a Inglaterra não está com esta bola toda não.)

Comentário

É interessante notar que, segundo o relato da leitora Patrícia, foi um trabalho de proteção controlada que permitiu a recuperação da Corus. Quanto ao relato do leitor Sïlvio, a Inglaterra tem um know how de séculos na defesa de seus interesses. Só esse neoliberalismo tupininquim é que acredita que defender seus ativos (empresas e empregos) é politicamente incorreto.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora