Painel do dia

Alcoa tem primeiro prejuízo em 15 anos

Inaugurando a temporada de divulgação de balanços corporativos do primeiro trimestre nos EUA, a mineradora Alcoa reportou o primeiro prejuízo em 15 anos, US$ 497 milhões. Para voltar aos lucros, a mineradora conta com o aumento de produtividade para baixar custos e o plano de estímulo fiscal chinês que deve favorecer o consumo de commodities. O diretor-presidente de Alcoa, Klaus Kleinfeld, disse que a redução de custos da empresa vai economizar US$ 400 milhões por ano, e que a China deve ser o único mercado onde a demanda por alumínio não deve cair.

Clique aqui


Reino Unido só se recupera em 2012

A economia britânica pode se retrair mais um ano e levar outros dois para recuperar, de acordo com o Instituto Nacional de Investigação Econômica e Social (NIESR, na sigla em inglês). Em um estudo, a entidade disse que o atual declínio econômico é “muito semelhante” à desaceleração no início da década de 1980. A economia contraiu 4,2% desde maio de 2008, de acordo com NIESR. O ministro das Finanças, Alistair Darling, já admitiu que o Tesouro se enganou em relação à duração e profundidade da recessão.
“A desaceleração desde o último outono (setembro a dezembro), foi muito mais profundo do que as pessoas esperaram em qualquer parte do mundo”, disse Darling.

Clique aqui


Desemprego nos EUA pode chegar a 10%

O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) de Dallas, Richard Fisher, disse que a taxa de desemprego norte-americana pode atingir os 10%, em função dos cortes promovidos pelas empresas e aumento dos custos trabalhistas. Atualmente, o risco é de destruição do emprego, comentou. Fisher também afirmou que o BC tem “o dever de aplicar todas as ferramentas” para limpar o sistema financeiro e clarear o caminho para o retorno de um crescimento sustentável. A política monetária por si só não seria suficiente para reanimar a economia, continuou, mas o reforço no orçamento foi fundamental para proporcionar uma “faísca” de crescimento.

Clique aqui


Exportações alemãs despencam 23%

O declínio da demanda mundial freou as exportações alemãs. No período de um ano encerrado em fevereiro, o volume de vendas externas da maior economia da Zona do Euro caiu 23,1%, segundo dados oficiais. O total de bens importados diminuiu 16,4% no mesmo período.
Clique aqui


Japão tem superávit , mas economia piora

O saldo de contas correntes do Japão registrou superávit em fevereiro, após dois meses deficitária. De acordo com o governo, a receita foi de 1,12 trilhão de ienes (US$ 11,2 bilhões), mas apesar do saldo positivo, o panorama geral permanece desolador. Isso porque as exportações caíram 50,4% em relação a fevereiro de 2008, mantendo-se em queda pelo quinto mês seguido. As importações caem há quatro meses, e o saldo é 44,9% inferior ao de 2008. A conta de transações correntes é o formato mais amplo de registro de operações econômico-financeiras entre países, sendo formado pela balança comercial, de serviços e transferências unilaterais.

Clique aqui


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome