Painel internacional

Reino Unido pretende aportar US$ 11 bilhões no FMI

Financial Times

O Reino Unido está pronto para fornecer um adicional de US$ 11 bilhões como parte do esforço de fortalecer as finanças do Fundo Monetário Internacional (FMI), prometeu na segunda-feira o ministro britânico das Finanças, Alistair Darling. O ministro, conforme escrito no jornal britânico The Guardian antes da reunião de ministros das Finanças do G20 neste fim de semana, disse que a Grã-Bretanha continua a liderar a ação internacional tanto em resposta à crise financeira como para ajudar a garantir a recuperação. Em abril, a cúpula do G20 em Londres, os líderes mundiais concordou em triplicar os recursos do FMI para US$ 750 bilhões para ajudar os mercados emergentes e países de baixa renda a lidar com a crise financeira.

Clique aqui

Preços ao consumidor recuam na Europa

Os preços ao consumidor europeu caíram menos do que os economistas previram em agosto, ao passo em que a economia se recupera da recessão mais profunda em seis décadas. Os preços nos 16 países-membros da zona do euro caíram 0,2% em relação ao mesmo mês do ano anterior, após uma queda recorde de 0,7% em julho, disse hoje o gabinete de estatísticas da União Europeia, em Luxemburgo. Economistas previam uma diminuição de 0,3%, de acordo com a mediana de 36 estimativas de uma pesquisa da Bloomberg News. A inflação pode se acelerar enquanto a economia global emerge da pior recessão desde a Segunda Guerra Mundial, alimentando a demanda e elevando o custo do petróleo bruto e outras commodities. O Banco Central Europeu tem advertido que a recuperação pode enfrentar obstáculos como o aumento do desemprego, que afetaria os gastos do consumidor, mas ajudaria a manter um freio sobre os preços.

Clique aqui


Economia da Índia cresce no segundo trimestre

BBC NEWS

A economia da Índia cresceu 6,1% no segundo trimestre do ano, comparado ao mesmo período do ano passado, o que foi um pouco melhor do que se esperava. O número oficial do produto interno bruto ficou abaixo do crescimento de 7,8% verificado no segundo trimestre de 2008. Embora o crescimento tenha abrandado em relação ao ano passado, a economia ainda está se expandindo mais rápido do que a maioria dos outros países. Economistas indianos disseram que a fraqueza na agricultura pode ser compensado pelo crescimento na produção no final do ano. O Ministro das Finanças, Pranab Mukherjee, prevê um crescimento de “mais seis por cento” para o exercício financeiro que se encerra em março de 2010. Que está abaixo dos 6,7% registrados no ano anterior.

Clique aqui


Atividade industrial no Japão sobe em julho

New York Times

A produção das fábricas no Japão subiu pelo quinto mês consecutivo em julho, com os fabricantes ganhando confiança na nascente recuperação do país. A atividade industrial na segunda maior economia do mundo subiu 1,9% ante o mês anterior e “continua a mostrar um movimento ascendente“, disse o Ministério da Economia, Comércio e Indústria na segunda-feira, em um relatório de circulação restrita. Os resultados bateram a previsão de alta de 1,6% na pesquisa com economistas da agência de notícias Kyodo. Os fortes ganhos das empresas que fazem transporte de equipamento e produtos de aço estimulou a expansão. A economia do Japão emergiu da recessão de mais de um ano no segundo trimestre, levantada por uma recuperação nas exportações, ao mesmo tempo em que os governos ao redor do mundo estimulavam suas economias com recursos monetários. Embora o resultado mais recente seja encorajador, os níveis de produção permanecem nitidamente inferiores aos que era antes do início da crise financeira e consequente queda na demanda global. A produção está mais de 22% abaixo do ano anterior.

Clique aqui


Partido oposicionista vence eleições no Japão

Financial Times

O Partido Democrático do Japão (PDJ), de oposição e centro-esquerda, conquistou no domingo uma vitória esmagadora sobre o longevo e conservador Partido Liberal Democrata (PLD), redesenhando o panorama político da segunda maior economia do mundo. O resultado é a primeira vez desde a fundação do PLD em 1955 que um outro partido ganha a maioria eleitoral na Câmara Baixa (Deputados) da Dieta – deu ao PDJ de um mandato para prosseguir as políticas de campanha, de domar burocratas poderosos e conceder generosos abonos para as famílias e pagamentos de previdência social. O PDJ também vai assumir a tarefa de relançar a economia que, conforme dados divulgados nesta segunda-feira, permanece extremamente frágil.

Clique aqui


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome