Pequenas empresas e inovação

O empresário José Ripper, da ASGA, apresentou uma visão bastante crítica dos sistemas de inovação no país.

Primeiro, questionou as estatísticas sobre gastos de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) no setor privado. Muitas vezes interessa ao empresário lançar os investimento como despesas.

Discorda também da relevância das patentes depositadas nos EUA pelo Brasil. A patente patente interessa apenas à grande empresa, diz ele. Se invento algo patenteável, tenho que patentear em todos os lugares do mundo onde produto pode ser utilizado. Tenho que ter estrutura para patentear em todos os países e outra para fiscalizar. É impossível para pequenos.

Questionar o desenvolvimento em P&D das multinacionais no país, com incentivos fiscais, mas sem que os resultados sejam apropriados pelo país.

A última Lei de Informática dá um pequeno incentivo para produtos desenvolvidos no país, mas não foi regulamentada. Não adianta P&D genérico nem incentivos à microeletrônica, diz ele, se não houver o principal: mercado.

Ele fabrica produtos de microeletrônica. Tornou-se importador.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora