Reforma política e mandatos

Do Leitor Gutenberg Guarabira

..política é mais política do que reforma.

De toda forma, creio que alguma mudança terá que ser feita na próxima gestão. Pelo menos a questão da reeleição, acho que tem de ser decidida.

Aí, veio-me uma idéia:

Penso que, sempre que algum governante está acertando, é uma pena (num país de tão parcos bons candidatos) que não seja mantido no cargo por mais tempo.

Sendo assim, seria legal conceder um prazo adicional para quem estivesse fazendo um bom governo. Só que, este segundo mandato teria a duração de apenas mais dois anos e seria decidido em eleição restrita às cãmaras estaduais (no caso dos governadores) e ao Congresso Federal (no caso do presidente).

Explico: um ano antes da data oficial da eleição popular, uma votação nas câmaras estaduais aprovaria (ou não) mais dois anos de mandato aos governadores, enquanto, no Congresso.Federal, a mesma decisão se daria em respeito à presidência. Os candidatos (governadores e o presidente no cargo) que não fossem aprovados nesta votação, terminariam o mandato na data prevista – e as eleições aconteceriam normalmente, na data normalmente prevista.

Creio que, manter um governante no cargo por um período suplementar, só vale a pena se o cujo tiver aprovação e apoio do legislativo.

Nesse exato momento, inclusive, há o risco de problemas caso Lula se reeleja. Pois, ainda que seja reconduzido pelo voto popular, é mais do que provável que governe com falta de apoio no Congresso – e, ainda por cima, por mais 4 anos.

Isso não aconteceria se fosse reeleito pelo próprio Congresso para mais dois anos. Ganharia fôlego e moral. E teria grande chance de cumprí-los bem, para felicidade geral da nação.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora