Tiro no pé

Nos últimos anos, a Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) abriu bastante espaço para economistas-planilheiros que superestimavam o déficit da Previdência.

Não se deram conta de que, quando se consideram como da Previdência outros tipos de gasto, superestimando o déficit, a conta recai direto sobre as contribuições de empregados e empregadores.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora