Xenofobia e complexo

A discussão sobre o acidente Legacy-Gol traz a tona dois pontos relevantes.

O primeiro, a importância do conhecimento difuso que está espalhado por aí, esperando um local para ser colocado. Temos aqui, em alguns comentários, mais informação do que em toda a cobertura da mídia. Esse leitor anônimo, que se diz operador do Cindacta, trouxe informações valiosíssimas, assim como o Jorge Piloto e outros mais. O que confirma a importância de sistemas de construção do conhecimento proporcionados pela Internet, e que fogem do padrão convencional e limitado da mídia — em que o repórter tem que ir atrás de uma ou duas fontes oficiais, com as quais ele nunca falou, para perguntar sobre temas sobre os quais ele nunca ouviu falar, sem ter como checar com mais ninguém. Parabéns aos leitores pela riqueza e variedade de análises e informações.

O segundo ponto é essa xenofobia tremenda que perpassa muitos dos comentários postados abaixo. Tenha-se a santa paciência! Vamos enfrentar os Estados Unidos onde conta, nos embates comerciais, na ONU. Condenar a priori os pilotos por serem americanos demonstra um complexo de inferioridade tão grande quanto julgar que tudo o que vem dos EUA é superior.

Os dois lados – a xenofobia ululante e a subserviência escancarada – são filhos do mesmo complexo de inferioridade.

O que queremos, aqui, é contribuir para apurar a verdade. Se as informações e análises apontarem para a culpa dos pilotos, que sejam condenados, independentemente de sua nacionalidade. Se pela inocência, que sejam liberados, independentemente de sua nacionalidade.

Inacreditável que nesse país que tem na migração um de seus maiores valores, ainda persistam esses dois tipos de comportamento.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora