Com dança e música brasileiros dizem: “Não vai ter golpe”

Jornal GGN – O dia da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados chegou e por todo o Brasil surgem manifestações criativas contra o golpe.  A música, hoje, mais do que uma forma de expressão, é uma arma de resistência. A alegria e a esperança falam mais alto do que o medo no coração do povo brasileiro.

O samba e o funk são dois dos gêneros mais utilizados pelos manifestantes para dizer “Não vai ter golpe”, “Fora Cunha”, “Fora Temer” e “Viva a democracia”.

O sambista Roulian dedicou ao presidente da Câmara dos Deputados uma composição exclusiva:

“Fora Cunha, sai pra lá, o dinheiro sujo é que vai te derrubar.
Fora Cunha, sai pra lá, o dinheiro sujo é que vai te derrubar.
Agora o Brasil já te conhece, tu és covarde e por isso vai pagar
Tentou derrubar a Dilma e como pipoca vais pular
O Brasil inteiro te conhece, é o Brasil quem vai te derrubar
Seu dinheiro na Suíça, já virou foi caso de polícia”.

No Rio de Janeiro, o “Funk contra o golpe” tomou as ruas de Copacabana. Em cima das bases musicais do funk, manifestantes cantam: “Não vai ter golpe. E vai ter luta”.

Os organizadores disseram que o ato foi realizado de última hora, tendo sido concebido há apenas cinco dias. Eles estimam que 60 mil pessoas estejam presentes, dançando e cantando contra o golpe. 

No Vale do Anhangabaú, em São Paulo, o rap de Luana Hansen dá o tom do protesto contra o golpe.

Leia também:  Maia não abre impeachment sem votos necessários, por Matheus Leone

O secretário de Direitos Humanos, Eduardo Suplicy, discursou em um megafone e se recordou do movimento Diretas Já.

A funkeira mirim MC Sofia, famosa por suas letras conscientes e engajadas, que empoderam as mulheres negras, esteve presente no ato. “Menina pretinha, exótica não é linda, você não é bonitinha, você é uma rainha!”, canta em uma de suas músicas.

Em Brasília, no Acampamento Nacional pela Democracia e Contra o Golpe, o Levante Popular da Juventude se manifesta e quem fala mais alto é a bateria.

Em Belo Horizonte os blocos de rua Tchanzinho da Zona Norte, Santa Teresa, Corte Devassa, Bruta Flor, Cuequinha do Papai também reforçam o coro de brasileiros e brasileiras pela democracia.

Outras manifestações semelhantes acontecem em todo o Brasil. Mande suas fotos e vídeos para o Jornal GGN nos comentários.

Todos os vídeos e fotos são da Mídia Ninja, via Facebook

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Outra música (versao) contra o Cunha

    Com música de “As águas vao rolar”: O Cunha vai ganhar/ uma passagem para sair desse lugar/ nao é de trem nem de metrô nem de aviao/ é algemado num camburao/ Eta Cunha ladrao”. Estava sendo cantada na praia de Copacabana.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome