Maconha no avião causa tumulto em Guarulhos

Jornal GGN – Reeditaram o causo do bagulho no bumba. A confusão dessa vez foi no aeroporto, dentro do avião, em vôo da TAM de Porto Alegre pra São Paulo. Encontraram no banheiro um maço com cigarros de maconha. Todos os passageiros ficaram detidos dentro do avião até a chegada da Polícia Federal.

Cigarro de maconha causa tumulto durante voo do RS para São Paulo

Natália Cancian

Da Folha de S. Paulo

“Senhores passageiros, pedimos a todos que permaneçam sentados após o pouso. Teremos um procedimento de segurança.” A frase, ouvida na manhã de sexta-feira (7) pelo sistema de som do voo JJ 3297, da TAM, mal anunciava o cenário que estava por vir.

Eram 7h32 quando o avião, vindo de Porto Alegre, pousara em Guarulhos. Passaram cinco minutos. Dez. Vinte…

De repente, o comandante: “A Polícia Federal virá em poucos minutos. Um passageiro será detido por fato ocorrido com uma comissária.”

Assédio? Abuso? Das últimas fileiras, perto de onde estava a reportagem daFolha, veio a resposta: uma comissária encontrara maconha no banheiro da aeronave e apontara um passageiro de 19 anos como o suposto “dono”.

Foi o pontapé para que o movimento do “quero sair” virasse uma “minimarcha” da maconha à bordo.

“Toma uma atitude aí, tchê!”, gritava um passageiro idoso, não sem um colega deixar de emendar, aos risos: “Mas é só um ‘baseadinho!'”

De repente, um famoso “maconha é remédio!” vindo do escritor e apresentador Eduardo Bueno, o Peninha. “Tem que prender quem não fuma!”, gritou, na tentativa de “liberar” se não a legalização, pelo menos os passageiros.

Leia também:  Bolsonaro trata PF como Ministério e diz "quem manda sou eu"

Antes que a polícia viesse, o relógio já contava 8h55 -uma hora e 20 minutos trancados no “voo do baseado”.

Foi aí que um grupo de passageiros quis sair. “A escada está aqui, vamos abrir a porta e sair!” Os comissários tentavam bloquear a saída. Minutos depois, chegava a PF.

Com a espera total de uma hora e 50 minutos (mais do que o tempo de voo) ao menos 90 passageiros perderam conexões, segundo funcionários. O suspeito, que iria (e ainda vai) passar férias em Alagoas, foi conduzido pela PF. Ouvido, negou tudo.

Segundo a PF, a comissária relatou que havia 18 “baseados” em um maço de cigarros. A polícia não informou a quantia (a bordo, o zum-zum-zum dava conta que era menos e foi parar na privada).

Ao final da confusão, o jovem assinou um termo circunstanciado e foi liberado.

“É fácil acusar. Ele tem 19 anos. Queria saber se eu que tivesse ido ao banheiro, se ela ia me acusar”, defendeu a mãe, que pediu anonimato.

“Ele colocou a vida de todo mundo em risco”, justificou um funcionário da TAM, sobre o risco de incêndio para quem fuma dentro do avião.

Com a demora para a chegada da PF, que alegou estar atribulada com a demanda pela manhã, quem acabou “preso” foram outros passageiros.

“Vou perder 12 horas nessa brincadeira. Me ferrei por meio baseado que eu nem vi”, disse a estudante Anelise Wätcher, 20, que perdeu um voo para Lima, e ainda esperava por outro na noite de sexta.

Leia também:  Queria ver a cara do DD e da procuradora fraquinha. Só deles?, por Armando Coelho Neto

Em nota, a TAM diz que o atraso ocorreu devido ao “passageiro indisciplinado” -nome técnico dado a passageiros que descumprem regras-, diz que seguiu as normas e que “prestou a assistência” aos que perderam conexões”. 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

42 comentários

  1. Putis, esse garoto não


    Putis, esse garoto não conhece “vou apertar, mas não vou acender agora”? ahahahahah

  2. Se a maconha não era sua,
    Se a maconha não era sua, acho que a tam merecia um processo.

    Deteu 200 pessoas a toa?

    E não existe risco de incêndio por cigarros. Todo o material a bordo é resistente o suficiente para não inflamar. Isso se chama projeto!

  3. A matéria não deixa claro se

    A matéria não deixa claro se o suposto maconheiro fumou no banheiro, ou se largou lá o tal maço de baseados. Por que faria isso, aliás? História estranha.

  4. Se a tripulação da TAM tinha

    Se a tripulação da TAM tinha um suspeito, o pobre bobinho de 19 anos, porque o cárcere privado dos demais passageiros que não tinham feito nenhum recreio à bordo? Foram todos punidos porque ninguém se acusou na sala de aula da TAM? Era só botar a comissária de bordo na porta e deixar a galera descer, se o suspeito passasse ela teria de aponta-lo e daí, seria uma novela à parte. 

     

  5. Abordagem policial no “estilo periferia” para os mimadinhos.

    O pessoal do “apito, quando “sujar”” na Praia do Leblon, mas “traficante tem que levar bala mesmo” no Morro do Jacarézinho poderia levar um “enquadro” no “estilo periferia” para sentir na pele o que o povão sofre nas mãos da polícia.

    De cara, todo mundo para fora do avião, encostado nas viaturas, mãos na cabeça e pernas abertas, serem tratados com “mimos” verbais no “estilo periferia” tais como: “cê tem cara de bandido! O “bagulho” é seu, “ladrão”? Puxa a “capivara” dele! Cê vai ter uma conversinha com “dotô” delegado!”, e tapa na orelha e “borrachada” nas pernas ao menor sinal de contrariedade do abordado.

    Ser igual ao povão por um dia seria didático para quem se acha melhor do que os outros e fica incomodado com a ascensão social de muitos brasileiros nos últimos anos. Ascensão esta que tem como exemplo a freqüência heterogênea que existem nos aeroportos brasileiros nos dias de hoje.

     

  6. Uma grande palhaçada

    Em resumo, uma grande palhaçada por causa de nada…

    Prejudicaram várias pessoas sem nenhum propósito ou sentido. Depois ficaram inventando essa historinha mentirosoa de “risco de incêndio”.

    E a Polícia Federal sendo acionada à toa.

    Ridículo.

  7. Dulce

    hahaha , essa foi ótima.. me lembrou uma banda que chamava Morrão Fumegante..rs  em buzus interestaduais isso é comum, já presenciei várias vezes o motorista encostar no posto de Polícia Rodoviária por sentir o cheiro lá na cabine dele ( com ar condiconado ele vai todo para a cabine do motorista..) essa TAM realmente tá cada vez pior desde que Rolim faleceu..e a PF? demorar tanto tempo por causa de alguns baseados prejudicou um monte de gente..ah esse Brasil maravilhoso..verdadeiro ” samba do avião” esse ocorrido..sugiro aos coxinhas assistirem ao filme Bye Bye Brasil antes de decidirem zarpar para miami..

  8. Bagulho do PT?

    Cara, temos de dar graças que a imprensa não descobriu a “verdade”: rapaz novo, causando tumulto, vindo da terra da Dilma (pelo menos a carreira profissional) e do Brizola, num avião com corres vermelhas, só pode ser petista.

    Amanhã é capa da VEJA.

      • Até onde eu sei ler não vi

        Até onde eu sei ler não vi nenhuma linha onde se lê que alguem havia fumado maconha; os baseados foram deixados/esquecidos no banheiro.

         

        • O maconheiro esqueceu a

          O maconheiro esqueceu a trouxinha no banheiro? Ou deixou lá para fumar ? Uma das coisas que doidões NÃO ESQUECEM é o baseado, podem esquecer até as calças, não o fumo.

    • Fumar cigarro de tabaco NÃO É

      Fumar cigarro de tabaco NÃO É CRIME e mesmo assim não se pode fumar em avião, muito menos no banheiro.

      Não tem nada a ver descriminilização da maconha com esse caso.

  9. O pessoal reclama da TAM e
    O pessoal reclama da TAM e tem até certa razão mas a PF demorou só 80 minutos para chegar. ..

    Só 80 minutos? Chegar de onde? De onde a PF veio?
    A PF é boa ou não é?

  10. Aviação é um SISTEMA complexo

    Aviação é um SISTEMA complexo que exige REGRAS. Não funciona sem regras por mais que os brasileiros detestem regras de qualquer tipo. A comissaria de bordo TINHA TOTAL RAZÃO e o molequinho deveria ficar detido por colocar em risco o voo e não liberado depois de causar mega transtornos a 200 passageiros. Nos EUA pegaria no minimo 90 dias. 

    O dieito dele fumar maconha acaba quando atinge o direito de outros voarem com segurança.

    Tem aqui um comentario que diz que não tem problema algum fumar maconha no banheiro, mesmo porque o avião não pega fogo.  Se assim porque o fumo é proibidissimo nos banheiros de avião? ULTRA PROIBIDO no mundo inteiro.

    O sujeito trancar o banheiro, fumar maconha lá dentro e sair doidão NÃO TEM PROBLEMA ALGUM? É joia?

    Não dá para acreditar que alguem escreva isso. Não vi um comentario de apoio à ação da aeromoça. É bem Brasil.

    Parabens dez vezes para a corajosa e eficiente COMISSARIA DE BORDO, nota dez.

    • E os detetores de fumaça?

      Há risco de incêndio, sim, quando se acende fogo em avião. Em passado não tão remoto aviões tiveram problemas por causa de fumantes a bordo. 

      http://es.wikipedia.org/wiki/Vuelo_797_de_Air_Canada

      Como consequência, muitos regulamentos foram implementados no mundo para tornar os aviões mais seguros, inclusive com instalacões de detectores de fumaça, (…)

      Se houvesse detetores de fumaça nos banheiros de bordo, os comissários teriam tido condição de saber exatamente qual passageiro pôs em risco a vida dos demais, e poderiam fazer (legalmente) sua contenção até à chegada da polícia – liberando os demais passageiros assim que o avião pousasse. 

       

       

  11. A PF do Zé já apurou que a culpa é do PT

    Sobre o voo JJ 3297 da Tam, a informação mais confiável vem de Higienópolis, onde se comenta a boca pequena, naquela panificadora famosa, que a raiz do problema está nessa gente diferenciada que, na última década, tem cometido o displante de trocar a rodoviária pelo aeroporto.

    Quando perguntado sobre gente famosa do bairro que já confessou também ter fumado, desconversaram.

    Conclusão do IPF (Inquérito Policial Federal): a culpa é do PT.

    Saudações!

  12. O procedimento da aeromoça

    O procedimento da aeromoça esta correto.

    Se havia maconha ( algo proibido por lei ) e contra as medidas de segurança no setor aereo, ela apenas cumpriu seu dever.

    O choro é livre…

  13. Este post é DEPRIMENTE. Um

    Este post é DEPRIMENTE. Um fato GRAVE em qualquer Pais, aqui é tratado na galhofa e dão razão ao maconheiro e não à aeromoça que cumpriu seu dever. Lamentavel, explica muita coisa sobre o Brasil de 2014. Depois reclamam quando o Brasil é pintado como pais gafieira.

    • Olhe pelo lado bom

      Aqui, nós defendemos os fracos e oprimidos.

      Se o dono da maconha levantasse uma carteira de juiz, estaríamos todos fechados com a aeromoça.

    • Discordo, cavalheiro: o

      Discordo, cavalheiro: o incidente foi engraçado (ao menos pra nós, que não estávamos no avião) e a matéria ficou melhor ainda com essa charge. O problema é não ter informado se o baseado foi aceso. Se não foi, não representava risco, correto?

      ***

      Somos o país da gafieira, sim, mas a de dança. Em matéria de drogas não passamos de principiantes. A gafieirona fica ao norte do Rio Grande. Chegaremos lá algum dia se a polícia federal, por exemplo, começar a traficar drogas pesadas para financiar a derrubada de algum governo em país vizinho.

      ***

      Esse filme nós já vimos, não é?

       

      • Quer dizer que a aeromoça

        Quer dizer que a aeromoça DEVERIA ESPERAR O SUJEITO ACENDER O BASEADO  para então agir? Genial.

        E se vc fizer isso nos EUA a cana é CERTA E LONGA.

  14. Com maconha no avião, todo mundo briga e ninguém tem razão!

    Êita, hehê, acho que era huh alguma coisa ahah relacionada com pão, mas ihih deixa prá lá, hehe … passaí!

    Seguinte, seus maconheiros da zorra (*), tôcocês, mas até o Motta tem razão: num vôo brazuca, chegando a Orly, morreram quase todos, inclusive a gost., digo saudosa Leila Diniz e o grande Agostinho dos Santos, porque um imbec., digo descuidado, foi fumar no banheiro (onde tipicamente, sempre foi proibido) e deu-se a famosa tragédia.

    Para os tecnológicos: eu que não fumo (e já não fumava há anos), num vôeco de conexão nos EEUU, fui interrompido, sentado em santa concentração, por vigorosas batidas na porta por uma comissária completamente descontrolada, me acusando de fumar, porque o “detetor havia disparado”. Com a agressividade dela, o bate boca só terminou quando eu disse que me submeteria a um exame de nicotina e se não desse nada eu a processaria, junto com a empreseca que ela trabalhava. O que não evitou que eu fosse massacrado pelos olhares da patuléia que dividia a jatodiligência voadora comigo.

    Finalmente, é de se considerar que embora não veja problemas em liberar drogas leves (não porque seja favorável a seu uso, acho uma babaquice*, mas porque é uma realidade e talvez o tráfico criminoso diminua, piorar não vai).

    1) Fumar em avião em geral é proibido. No banheiro mais ainda!

    2) A lei pode estar errada, mas ainda é a lei.

    3) A polícia (que existe no aeroporto) levar 80 min. para chegar é um absurdo! Talvez estivessem muito ocupados com “facilidades” aduaneiras…

    4) a comissária (ou tripulação) cumpriu seu papel. Quem não cumpriu foi (a) o recreativo distraído, que podia  ter assumido e liberado os demais imediatamente. (b) a polícia em sua inaceitável demora.

    Pronto, podem voltar ao charo. Boa fumaça!

    Seus maconheiros da zorra! Hehe.

     

     

    (*) a meia dúzia de 3 ou 4 que fumei na vida não me convenceu, sou caretão, mas vivi cercado de fumaça sem censuras, vaiquemqué.

    • Besterão, você é muito

      Besterão, você é muito engraçado! Só pra corrigir uma coisinha: Leila Diniz morreu na Índia e não nas proximidades de Paris.

      ***

      Muita gente perdeu a vida nesse desastre. Inclusive Felinto Muller – uma das figuras mais podres de nossa história.

  15. É uma situação

    É uma situação desconfortável. Lembro, em Brasília, num voo que ia sair pra São Paulo, depois dos procedimento de embarque e fechadas as portas, o avião ficou parado por mais de 40 minutos e com o sistema de ar condicionado desligado. Pessoas começaram a passar mal e as portas não podiam ser abertas. Foi uma coisa esquisita e preocupante ja que muitos passageiros sofrem, principalmente os mais velhos, os idosos.

  16. Morro e não vejo tudo…….

    Morro e não vejo tudo……. Na realidade a comissaria reportou uma “anormalidade” de segurança a bordo. Então, a mesma encontrou um maço de cigarros da famosa erva. Pelo que li e nada foi descrito o contrario, foi encontrado e “ele” passageiro nem tentava acender o dito no interior do lavatório. Encontrou, tinha que reportar ao Comandante e este acionar as autoridades e fazer o registro da ocorrência. Simples. Qual é a prova que o dito passageiro portava a maconha? Tanto é verdade que foi detido e prestou esclarecimentos e foi liberado….Sabem o que é isso, falta de CRM para a tripulação. Nos primórdios da aviação da década de 70/80, o Comandante perderia o emprego com toda a facilidade. Sugiro que demais passageiros prejudicados acionem a empresa áerea. Essa é fácil……..

  17. Recado do Bezerra

    Nassif: a TAM não captou o recado de Bezerra da Silva —“vou apertar, mas não vou acender agora. / Se segura malandro, pra fazer a cabeça tem hora”. O menino queria voar durante o voo. Foi só isso.

  18. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome