Revista GGN

Assine

Aécio Neves

Marco Aurélio tira irmã e primo de Aécio da prisão domiciliar e tornozeleira

Foto: Agência MG

Jornal GGN - O ministro Marco Aurélio Melo, do Supremo Tribunal Federal, tirou da prisão domiciliar e também a tornozeleira de Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves (PSDB), e do primo Frederico Pacheco. O magistrado acolheu um pedido de "Fred" que argumentou que a medida cautelar perdurou por tempo demais sem que houvesse formalização de denúncia à Justiça.

A decisão de Marco Aurélio também beneficiou o ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrela (PMDB), Mendherson Souza Lima. De acordo com as investigações, ele recebeu recursos de Fred e há suspeita de que repassou a uma empresa de Perrela para lavagem de dinheiro. 

Leia mais »

Média: 1.8 (5 votos)

O desespero analítico dos derrotados morais, por Aldo Fornazieri

O desespero analítico dos derrotados morais

por Aldo Fornazieri

O fracasso moral do golpe se assemelha a um grande depósito de lodo e lixo acumulado ali por uma imensa enxurrada que devastou as praças, ruas e avenidas de uma grande cidade. Neste depósito não estão apenas os líderes do golpe, hoje os políticos mais rejeitados do país, mas também os seus escudeiros intelectuais, dentre eles jornalistas, economistas e cientistas sociais, que aberta ou envergonhadamente apoiaram um impeachment sem crime de responsabilidade. Junto com a Constituição, políticos e analistas, rasgaram os preceitos da democracia e produziram o governo mais corrupto e mais impopular da história do país, com um presidente denunciado duas vezes.

A certeza de que não houve crime de responsabilidade e o resultado monstruoso que foi produzido pelo movimento da moralidade, que se traduziu num governo ilegítimo, corrupto e rejeitado, são os dois pontos cardeais da derrota moral do ajuntamento inescrupuloso que se formou e que agora se estilhaça, desorientado e dividido. Mas, como resultado, o golpe produziu também uma devastação institucional, social, material, cultural, nacional e econômica. Tivesse a Dilma permanecido no governo, a economia teria, provavelmente, se recuperado de forma mais rápida, pois o ciclo recessivo e a redução da inflação já se anunciavam no horizonte. O seu retardo ocorreu por conta da exasperação artificial e criminosa da crise política.  

Leia mais »

Média: 4.2 (25 votos)

Xadrez do PSDB, um partido à procura de rumo, por Luis Nassif

Peça 1 – O fim da era dos economistas tucanos

A tentativa do Instituto Teotônio Vilela, do PSDB, de produzir uma atualização dos princípios do partido, provocou revolta no grupo dos financistas que empalmou o discurso do partido desde o plano Real.

A saída de Tasso Jereissatti da direção do partido havia tirado o último elo de ligação com a Casa das Garças.

Presidido por José Aníbal, o ITV deu satisfações a Edmar Bacha e ignorou as críticas de Elena Landau, por irrelevantes, entendendo que ela apenas queria valorizar sua saída do PSDB.

A saída dos economistas preenche uma lacuna. Agora, haverá espaço para o partido pensar o país sistemicamente.

A questão é o que será colocado no lugar. Não será tarefa fácil. 15 anos fora do poder, sob o comando de lideranças sem capacidade de formulação – como Alckmin, Serra, FHC e Aécio – o partido murchou intelectual e programaticamente.

A tentativa de montar um programa, em todo caso, ajudará a dar um pouco mais de consistência às discussões e ao discurso monotemático, preso a um antipetismo tosco.

Leia mais »

Média: 4.1 (21 votos)

PF apreende planilhas de Aécio de indicações federais e em MG


Foto: Reprodução
 
Jornal GGN - A influência do senador Aécio Neves (PSDB-MG) no atual governo de Michel Temer e em posições de grande interesse político em cargos da administração pública federal em Minas Gerais foram encontrados pela Polícia Federal, que apreendeu 14 planilhas que detalham as indicações do tucano.
 
Média: 5 (4 votos)

PF encontra celulares de "laranjas" em apartamento de Aécio

Foto: George Gianni/PSDB
 
 
Jornal GGN - A Polícia Federal encontrou no apartamento de Aécio Neves, no Rio de Janeiro, celulares que possivelmente foram registrados em nome de laranjas. A suspeita é de que Aécio usufruiu dos aparelhos sem o conhecimento das pessoas que são responsáveis oficialmente pelas linhas.
 
De acordo com o Estadão desta terça (29), a PF produziu um relatório registrando o encontro de dois "aparelhos celulares cujas linhas telefônicas estavam habilitadas em nomes de supostos laranjas, razão pela qual, oportunamente, podem apresentar relevância maior para a investigação."
Média: 4.6 (11 votos)

Carmem Lúcia vai explicar o que só vale para Aécio e Delcídio não?, por Armando Coelho Neto

Carmem Lúcia vai explicar o que só vale para Aécio e Delcídio não?

por Armando Rodrigues Coelho Neto

 “Pegue e não pague” é o título de uma peça de autoria de Dario Fo, encenada pela primeira vez em 1981. O saque de um supermercado faz parte do enredo e uma das cenas mais hilárias é quando uma dona de casa se dá conta de coisas que levou pra casa um amontoado de supérfluos, até sabonete para cão, menos o que precisava: comida. Tudo fruto da irracionalidade com que se envolveu no ato, assim como ocorreu nos saques realizados em lojas do Rio de Janeiro e Pernambuco, durante os protestos do pré-golpe em 2013. À época, o depoimento de uma cidadão às emissoras de TV foi simbólico. Estava confusa por não saber explicar seu desatino, devolvendo no dia seguinte, uma televisão com tela de cristal liquido, que levou de uma loja.

O que houve? Crime de turba, efeito manada. Crime de turba e efeito manada são quase sinônimos. O fenômeno ocorre quando pessoas reagem da mesma forma sem qualquer planejamento. Se, por exemplo, numa convulsão social alguém atira uma pedra, é o suficiente para disso derivar ações violentas em conjunto. O fenômeno também pode ser observado como conseqüência da manipulação de massas, com efeitos imediatos imprevisíveis, mas que com o resultado final atendem a conveniência dos manipuladores. Valem as regras do fogo amigo e dos danos previsíveis e ou calculados.

Leia mais »

Média: 4.4 (17 votos)

Pitaco na amizade

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

Temer desiste de empossar Marun após articular com Aécio


Foto: Lula Marques/Agência PT
 
Jornal GGN - O presidente Michel Temer desistiu de empossar o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) no posto do então ministro Antônio Imbassahy (PSDB-BA) na Secretaria de Governo. A decisão ocorreu após Temer ter se encontrado com Imbassahy e com o senador Aécio Neves (PSDB-MG). A estratégia é fazer a troca ministerial após a aprovação da Reforma da Previdência.
 
Na manhã de hoje, Temer conversou com Aécio, segundo informações divulgadas por auxiliares do mandatário peemedebista ao blog de Andreia Sadi. Sob pressões do PSDB e do PMDB, o presidente decidiu adiar a troca de Imbassahy, ao passo que os tucanos definem o desembarque do governo.
 
Temer pediu que Aécio articulasse junto ao partido e com o atual Secretáriod e Governo a melhor data para que o PSDB abandone a base do governo. Enquanto isso, o tucano permanece no posto. 
Média: 1 (1 voto)

O lugar do caos, por Janio de Freitas

Jornal GGN – A cada ação, várias reações. A cada fato novo, confrontos, confusão, agressões às regras vigentes. E aquele que se importa caminha entre a perplexidade e o desalento, opina Janio de Freitas sobre um país que se perdeu de qualquer rumo. O articulista da Folha vai mais longe. Indaga sobre o que resta quando uma decisão sem firmeza do Supremo dá um novo poder ao Senado. E essa decisão fere de morte um partido e cria a possibilidade de salvamentos semelhantes pelo país, a saber o Rio.

O governo utiliza-se das reformas para amealhar quem tem dinheiro. Um presidente não eleito e com 3% de aprovação fere de morte a legislação do trabalho e vai fazendo dela um Frankenstein aprovado sem um pingo de discussão pelo Congresso. A grita vai ser grande e vai abocanhar os que estão se lixando para o povo.

Leia mais »

Média: 4.9 (12 votos)

Irmã de Aécio será julgada em foro privilegiado, define Supremo

Foto: Paulo Fonseca/EFE

Jornal GGN - Os ministros da primeira turma do Supremo Tribunal Federal derrubaram nesta terça (14) a decisão individual de Marco Aurélio Melo, que havia enviado para a primeira instância o processo contra Andréa Neves, irmã do senador Aécio Neves, e seu primo Frederico Pacheco. Ambos aparecem no escândalo da JBS, após empresários delatores terem entregados provas de que Aécio pediu R$ 2 milhões a Joesley Batista. A Polícia Federal suspeita que Aécio usou empresa do senador Zezé Perrella para lavar parte dos recursos.

Segundo a Agência Brasil, a turma do STF entendeu que Andréa e Pacheco devem ser julgados na instância que proporciona foro privilegiado a Aécio.

Leia mais »

Média: 1 (4 votos)

Racha no PSDB aumenta com destituição de presidente interino por Aécio


Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
 
Jornal GGN - Em meio a uma forte crise entre as diferentes alas do PSDB, com vistas ao nome do partido para se postular ao Planalto em 2018, e também a briga para definir o comando da sigla, o senador Aécio Neves (MG) tomou uma decisão polêmica: destituiu o senador Tasso Jereissati (CE), então interino na presidência do PSDB e o substituiu pelo ex-governador Alberto Goldman. O gesto acirrou o racha interno.
 
Aécio, absolvido pelo Senado e voltando às atividades parlamentares, poderia voltar a ocupar o posto da Presidência do partido, mas o PSDB definiu conjuntamente que essa não era uma boa opção. Em plena mira de acusações da Operação Lava Jato, colocá-lo no comando do partido oficialmente seria aumentar o desgaste para todos os tucanos.
 
Média: 5 (2 votos)

Os negócios de Huck com o sócio Accioly, apontado como laranja de Aécio na Lava Jato, por Kiko Nogueira

https://i2.wp.com/www.diariodocentrodomundo.com.br/wp-content/uploads/20... 300w" style="border: 0px; margin-bottom: 0px; width: 650px; height: 400px;">

Accioly e Huck: sócios

do Diário do Centro do Mundo

Os negócios de Huck com o sócio Accioly, apontado como laranja de Aécio na Lava Jato

por Kiko Nogueira

Uma das histórias de Luciano Huck que a mídia vai fazer o impossível para abafar é a de sua sociedade com o empresário carioca Alexandre Accioly, tido como laranja de Aécio Neves.

Accioly é da turma de Huck desde, pelo menos, 2003, quando faziam parte de um grupo de “jovens empresários brasileiros” que estavam investindo, principalmente, na indústria de entretenimento.

Leia mais »
Média: 4 (8 votos)

Com vistas a 2018, PSDB vai desembarcar do governo que ajudou a formar

Foto: Reuters
 
Jornal GGN - Até hoje um dos principais apoios e estruturas para a gestão peemedebista, desde que Michel Temer assumiu com a derrubada de Dilma Rousseff, o PSDB prepara a sua saída da base do governo, visando as eleições 2018.
 
Diante das principais crises do governo Temer, após as acusações e delações que miraram ministros e cúpula, o PSDB vem tentando distanciar sua imagem da gestão no qual a sigla ajudou a formar. Ao longo das acusações e denúncias, poucas figuras tucanas mantiveram o apoio irrestrito a Temer, como o próprio senador Aécio Neves, também alvo da Operação Lava Jato.
 
Mas faltando alguns meses para o lançamento das candidaturas, o partido avança com o distanciamento e discute fazer a ruptura com o PMDB de Temer o quanto antes. Se antes a visão era de apenas uma ala dos tucanos, agora os líderes e diferentes vertentes do PSDB concordam que o desembarque é inevitável. 

Leia mais »

Média: 4.4 (5 votos)

Alvo de 9 inquéritos, Aécio cogita candidatura a deputado federal

Foto: George Gianni/PSDB

Jornal GGN - Com uma bagagem de 9 inquéritos e uma denúncia no Supremo Tribunal Federal, Aécio Neves (PSDB) vai se dedicar a reestruturar sua imagem em Minas Gerais na tentativa de lançar uma candidatura a deputado federal em 2018. As informações são da Folha de S. Paulo desta segunda (30).

De acordo com o jornal, aliados de Aécio admitem que ele foi "fragilizado" pelas investigações da Lava Jato e não tem condições de "arriscar" e perder o foro privilegiado com o fim do mandato de senador.

Leia mais »

Média: 1.3 (8 votos)

Impunidade de Temer e Aécio é a cara do Brasil pós-golpe, por Henrique Fontana

Foto O Globo

Impunidade de Temer e Aécio é a cara do Brasil pós-golpe

por Henrique Fontana

No estado de exceção do Brasil pós-golpe de 2016, naturaliza-se a injustiça, e normaliza-se a incoerência das decisões judiciais e políticas. Os casos recentes de Temer e Aécio são a síntese e a vergonha suprema para um país que acompanha a cada dia a dissolução dos princípios do Estado democrático de direito. 

No entendimento dos supremos juízes, um senador gravado cometendo crime pode ser preso, outro, em situação análoga, apenas suspenso com recolhimento noturno. Remetido ao Senado Federal a decisão, o primeiro perde o mandato, o segundo, tem a denúncia arquivada. Os dois claramente cometeram crime, diga-se, mas os destinos foram diferentes.

Leia mais »

Média: 4.5 (8 votos)