Amazon testa drone para entregas domésticas

Da Carta Capital

 
A Amazon testa o uso do equipamento militar para entregas domésticas.
 
Por Felipe Marra Mendonça

O assunto da semana no mundo da tecnologia seria a explosão de vendas na chamada Cyber Monday, a segunda-feira após o feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos, quando as pessoas fazem compras online na pressa de tentar resolver todas as compras de Natal. Foram mais de 2 bilhões de dólares em vendas, volume considerável, mas a Amazon conseguiu monopolizar as atenções ao anunciar na noite anterior que pretendia começar a testar o uso de drones na entrega de encomendas com peso de até 2 quilos.

Segundo o CEO da empresa, Jeff ­Bezos, o serviço deve se chamar Amazon ­Prime Air e o produto deve chegar até meia ­hora depois de a compra ser fechada. “Você ­pede alguma coisa e dentro de meia ­hora um drone pode pousar na frente de sua casa, deixar uma caixa e ir embora”, ­disse ele ao programa noticioso 60 Minutes. O ­sistema funcionaria num raio de até 6 quilômetros de qualquer armazém da Amazon e já foi testado no estado da Virgínia.

Agora o desafio é convencer as autoridades americanas de que o sistema é seguro. “Não quero que ninguém imagine que isso deve acontecer rapidamente. Temos anos de trabalho ainda por vir, sou otimista, talvez demore quatro ou cinco anos”, explicou Bezos, que apontou 2015 como a data para entregas experimentais mais amplas.
A data mencionada pelo CEO da Amazon coincide com a que a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) acredita que seria possível aprovar o uso mais amplo de drones nos céus do país. Em documento publicado em novembro, a FAA disse que o seu principal desafio seria incorporar o tráfego de drones ao tráfego aéreo já existente “sem reduzir a capacidade existente, ou diminuir a segurança, atrapalhar as operadoras atuais ou aumentar os riscos para os usuários no ar ou as pessoas e construções em solo”.

Mais do que tirar a atenção dos números das vendas durante o Cyber Monday, o que Bezos fez ao mostrar que a Amazon já trabalha com drones é mandar uma mensagem muito clara às autoridades da FAA e do Congresso americano que estudam o uso comercial dos drones: já estamos aqui e vocês não podem nos segurar.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. jns, dom, 08/12/2013

    DRONES INVADEM O COTIDIANO

    A Amazon realiza testes de entrega de encomendas por meio de drones.

    Com informações e fotos da Internet

    O objetivo da empresa é tornar o procedimento o mais rápido possível, usando um pequeno avião não tripulado, através do serviço que a Amazon batizou de Prime Air.

       Jeff Bezos

    O CEO da Amazon.com, Jeff Bezos, no programa 60 minutes da CBS, afirmou que a sua empresa está testando o  uso de drones para realizar a entregas das compras aos clientes.

    Bezos apresentou um vídeo para demonstrar como o avião, também conhecido como Octocopters, irá transportar os pacotes em recipientes reduzidos (vasilhames de cor amarela), que são receptados nos centros de atendimento da Amazon e distribuidos aos clientes depois que eles confirmarem as compras online no site Amazon.com.

    A maior rede varejista do mundo, na Internet, informa que o objetivo do novo sistema de entrega é disponibilizar os pacotes para os seus clientes em 30 minutos ou menos.

    A Amazon acrescentou que a serão necessários alguns anos para desenvolver a tecnologia adequadamente e aguardar a liberação da Federal Aviation Administration – FAA para colocar oPrime Air em uso comercial dentro das normas e regulamentos.

    Bezos – um otimista quando se trata de fazer previsões comerciais – disse, no 60 minutes, que o serviço poderá funcionar, na sua plenitude, em apenas quatro anos.

    “Um dia, o uso dos veículos aéreos Prime Air será tão normal quanto uso dos caminhões de correio nas rodovias, hoje”, disse a Amazon.

    Este é o mais recente esforço futurista projetado por Bezos, que foi o pioneiro no e-commerce, na década de 90, e, mais recentemente, popularizou o e-reader, e persegue projetos pessoais, como o voo espacial privado e um relógio de 10 mil anos construído dentro de uma montanha.

    Como o custo dos drones não tripulados – usados, ​​principalmente, por militares dos EUA para disparar mísseis contra combatentes inimigos em países como o Afeganistão e o Paquistão – caiu, vertiginosamente, nos últimos anos, eles ficaram mais acessíveis aos usuários comerciais, tais como pequenas empresas e empreendedores privados.

    A FAA, no entanto, limita o uso de drones nos EUA por entidades públicas, impedindo que os dispositivos não podem ser usados ​​em troca de pagamento. Por outro lado, a FAA confirmou, recentemente, que planeja regulamentar o uso comercial de drones até 2015.

    “A FAA não deixaria a Amazon fazer isso agora, mas este é, justamente, o tipo de aplicação que o Congresso buscava quando determinou, em 2012, que ela estabelecesse as regras de uso para aviões comerciais não tripulados”, disse Ryan Calo, especialista em Robótica, Privacidade e Direito da Universidade de Washington.

    “A Amazon deverá fazer uma petição a FAA para mostrar o nível de desenvolvimento da sua tecnologia de entrega por aviões não tripulados e, assim, obter a certificação para permitir que a empresa também possa colocar os seus drones em operaçao, de forma confiável”, acrescentou.

    “A Amazon não deverá ser capaz de escurecer o céu de Seattle com drones… eles vão precisar de um plano para a segurança, mas não vejo nenhuma razão, pela qual, esta aplicação não seja concedida”, disse Calo.

    A decolagem do sistema de entregas por drones, poderia representar uma ameaça para a FedEx e o UPS (United Parcel Service of America, Inc.), que são utilizados para o transporte das encomendas da Amazon, atualmente. 

       

    Na verdade, Fred Smith, o fundador da FedEx, revelou, na revista Wired, em 2009, que a empresa pretendia mudar a sua frota para drones, logo que possível, mas que teria de esperar a regulamentação de tal atividade pela FAA.

    “Estaremos prontos para entrar em operação comercial, logo que os regulamentos estejam definidos”, disse a Amazon. “A segurança será a nossa principal prioridade e os nossos veículos serão construídos com múltiplos sistemas de backup para casos de mau funcionamento, projetados de acordo com os padrões da aviação comercial”.

    VÍDEO MOSTRA DRONE TRANSPORTANDO COMPRAS ONLINE NA AMAZON.COM

    [video:http://youtu.be/98BIu9dpwHU%5D

     

  2. já, já, haverá avião sem piloto voando por aí…

    Do jeito que as coisas têm andado, não demora muito aviões sem tripulação e sem piloto estarão zanzando pelos céus em busca de (mais) grana.

    Dirão, obviamente, que é super-seguro, ora pois!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome