As entidades do governo francês e os softwares livres

Do LibreOffice Brasil Blog

As boas vindas da Document Foundation para a MIMO ao seu Conselho Consultivo

MIMO (Mutualisation Interministérielle pour une Bureautique Ouverte) representa várias entidades do Governo da França, e contribuirá para a diversidade do Conselho Consultivo da Document Foundation ao acrescentar a voz de 500.000 profissionais usuários. 

Berlim, 17 de junho de 2013 – A Document Foundation (TDF) anuncia que o MIMO – o grupo de trabalho do Governo da França que inclui vários ministérios e autarquias [1] totalizando 500.000 computadores, é agora um membro oficial do Conselho Consultivo da Fundação. O principal objetivo da MIMO é dar aos executivos de informática (CIO’s) e suas equipes um caminho para compartilhar experiências nas suítes de produtividade de escritório e sistemas operacionais, de forma a acelerar a modernização de seus desktops.

A MIMO trata dos desktops livres, e é um dos vários grupos de trabalho focados cada um em áreas específicas dos sistemas de informação do DISIC (Direction Interministérielle des Systèmes d’Information et de Communication). Juntos, os grupos de trabalho estão criando um conjunto de softwares livres para os ministérios, com aplicações específicas para cada tarefa.

A MIMO padronizou a adoção do LibreOffice, desenvolvida pela Document Foundation, e está contribuindo no desenvolvimento da suíte de produtividade através de contratos comerciais de suporte fornecido por desenvolvedores certificados. O papel da MIMO é validar as versões sucessivas do LibreOffice e torna-las compatíveis com a infraestrutura de TI e com os processos de cada ministério membro. Uma única versão do LibreOffice é validada anualmente, de acordo com o planejamento dos membros da MIMO.

Para ser aprovada, uma versão do LibreOffice é submetida a um processo de homologação:  o software é testado para verificar sua compatibilidade com outras aplicações de negócios, e torna-se certificado pela MIMO só depois de passar por todos os testes de qualidade. O Ministério do Interior – por exemplo – tem um processo de dez etapas de homologação, com testes que incluem compatibilidade com aplicações de negócios, macros e ferramentas de distribuição. A decisão é tomada por todos os membros representantes dos ministérios.

A MIMO se juntará aos 8 membros do Conselho Consultivo da The Document Foundation – Google, Intel, Lanedo, Red Hat, SUSE, Freies Office Deutchland e.V., Software for the Public Interest (SPI) e a Free Software Foundation – e será representada pela Sra. Laure Patas d’Illiers, do Departamento do Tesouro e Finanças do Governo da França.

[1] Ministérios: Agricultura, Cultura, Defesa, Economia, Educação, Meio Ambiente, Finanças, Interior, Justiça. Administrações: CAF (Fundo de Alocações Familiais), DILA (Diretoria de Informações Legais e Administrativas), ENA (Escola Nacional de Administração), Assembleia Nacional.

Fonte: Blog da Document Foundation

http://blog.pt-br.libreoffice.org/

Sobre a MIMO

O grupo de trabalho MIMO foi criado pela Agencia para o Desenvolvimento da Administração Digital (ADAE) em 2005, sob responsabilidade e governança do Exmo. Sr. Primeiro Ministro. Desde 2011, a MIMO foi controlada pela DISIC (Direction Interministérielle des Systèmes d’Information et de Communication), cuja missão é coordenar a política de TI na administração pública francesa. O DISIC lançou grupos de trabalho para computação em nuvem, planejamento e organização dos sistemas de TI e software de código aberto. A MIMO e os grupo de trabalho de software livre são gerenciados pelo Ministério da Cultura.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome