O novo reabastecedor estratégico da FAB

FAB escolheu seu novo reabastecedor estratégico

O CECOMSAER emitiu hoje comunicado referente a licitação KCX-2, na qual concorriam a Airbus, Boeing e IAI , sendo escolhida a proposta da empresa israelense (IAI), através de sua divisão BEDEK Aeronautics, especializada na transformação de aeronaves usadas, modelos Boeing 767 (200ER ou 300ER) em reabastecedores/transportadores estratégicos.

Serão substituidos os KC-137 (Boeing 707), já com mais de 40 anos de uso (Varig + FAB).

A versão escolhida pela FAB, em numero de 2 (duas) unidades no modelo 767-300ER, com configuração interna tipo “combi” (carga e passageiros) flexivel (eromédica, só carga ou só passageiros), e três pontos de reabastecimento – caso se deseje pode-se adquirir um kit para versão VIP, e incrementando as comunicações um kit para versão Posto de Comando.

A IAI/BEDEK responsabiliza-se em adquirir e revitalizar as células de 767-300ER, no mercado internacional, e transforma-las na versão adquirida, quanto ao valor do contrato, a Colombia adquiriu em 2010 um 767-200ER na mesma configuração, avaliado em US$ 60 milhões, da mesma IAI/BEDEK.

Preço de um novo 767-300ER MRTT ou um A-330 MRTT – (estimados): US$ 150 milhões

Parceiro estratégico da IAI no Brasil: Synergy Segurança e Defesa ( Grupo Avianca – Efromovich), fornecedora e mantenedora dos Vants do DPF/MJustiça

——

Da FAB

Nota Oficial – FAB encerra processo de seleção de aeronaves reabastecedoras

O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica informa que o Comando da Aeronáutica encerrou o processo de seleção das duas aeronaves de grande porte que substituirão os KC-137 operados pelo 2° Esquadrão do 2º Grupo de Transporte (2°/2°GT). 

A proposta escolhida foi a da empresa Israel Aerospace Industries – IAI, que converterá aeronaves comerciais Boeing 767-300ER em plataformas capazes de realizar reabastecimento em voo, transporte estratégico de carga e tropa e evacuação aeromédica, de acordo com os requisitos formulados pela Força Aérea Brasileira.

O Projeto KC-X2, como foi chamado o processo de substituição dos aviões, foi instituído pelo Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER) em 2008 e conduzido pela Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), que buscou as melhores soluções existentes no mercado, considerando requisitos técnico-operacionais, logísticos, industriais e de compensação comercial e tecnológica para o estado brasileiro. 

Os antigos KC-137 foram fabricados na década de 1960 e incorporados à FAB em 1986, tendo sido empregados, desde então, em diversas missões operacionais e humanitárias de grande relevância para a Força Aérea Brasileira e para o Brasil.

Brasília, 14 de março de 2013

Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno
Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

Fonte: CECOMSAER


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome