Os investimentos da Telebras em Defesa

Por Diego Duarte

Heh meus caros, parece que esse governo está mesmo decidido em investir ao menos um pouco na defesa nacional. Muito bom ver isso…

Da Teletime

Telebrás terá participação em cabo submarino e satélite de comunicação

Segunda-feira, 25 de julho de 2011, 19h25

O governo indica ter planos promissores para a Telebrás. A estatal será o veículo do investimentos públicos e privados em telecomunicações estimados agora em R$ 10 bilhões até 2015 pelo ministro Paulo Bernardo. Desse montante, R$ 7 bilhões serão investidos em rede e os R$ 3 bilhões restantes serão aportados em novos projetos de um satélite geoestacionário e um cabo submarino.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, revelou em entrevista exclusiva à Revista TELETIME de agosto, que circula na próxima semana, que a orientação da presidenta Dilma Rousseff é que o Estado brasileiro tenha presença em alguma infraestrutura de cabos submarinos. Bernardo disse ainda que representantes do governo Argentino manifestaram a disposição de compatilhar os investimentos, em um projeto que seria binacional, mas que poderia ter a presença de companhias privadas. “Já estamos estudando as alternativas. Conversei com a presidenta Dilma e ela disse que nós podemos até fazer parceria com empresas privadas que queiram participar, mas nós temos que estar no meio. E tem essa alternativa de fazermos em conjunto com os argentinos”, disse ele, ressaltando que esse é um aspecto que ainda será discutido com a presidenta.

Em relação ao satélite geoestacionário, a ideia é que projeto seja compartilhado com o Ministério da Defesa. “Existem duas vertentes: o satélite puramente comercial, esse que está sendo licitado pela Anatel, e que não vai ter necessariamente investimento público. Mas nós estamos discutindo com a Defesa para fazermos um satélite geoestacionário, evidentemente a parte da Defesa seria controlada pela Defesa e a parte comercial, na nossa visão, é que seria coordenada pela Telebrás”.

O ministro ainda estimou em R$ 200 milhões a necessidade de investimento em telecom para suportar a demanda de infraestrutura da Copa. Mais uma vez, o desenvolvimento dessa infraestrutura poderá ser compartilhado com empresas privadas.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome