Clone de TIM mira internet residencial

Com Atimus, TIM mira internet residencial

São Paulo – A compra da Atimus, empresa de telecomunicações da AES Brasil, pela TIM por 1,6 bilhão de reais, divulgada nesta sexta-feira, tem como principal objetivo expandir a presença da operadora no mercado residencial de Internet através de rede fixa, com potencial de abranger mais de 7,5 milhões de domicílios.

A aquisição deve ser concluída no quarto trimestre e a expectativa é que gere economias de 1 bilhão de reais ao longo de três anos para a TIM, pela menor necessidade de compra de capacidade de rede de terceiros e de novos investimentos. Em 2012, as sinergias colhidas devem ser de 250 milhões de reais, disse o presidente da TIM no Brasil, Luca Luciani.

A TIM –terceira maior operadora celular do país– oferece Internet para clientes residenciais através da Intelig, adquirida em 2009, mas seu foco principal é o mercado corporativo. Para pessoas físicas, a TIM fornece pacotes de acesso à web principalmente por meio da rede móvel 3G.

“Agora seremos um player mais dinâmico no mercado de dados”, disse Luciani a jornalistas, acrescentando que a companhia vai continuar atenta a possíveis aquisições de ativos de redes no Brasil.

Às 15h57, as ações preferenciais da TIM Participações subiam 2,42 por cento, a 7,62 reais, enquanto os papéis das demais empresas de telefonia no Ibovespa caíam. No mesmo horário, o principal índice da bolsa paulista caía 1,1 por cento.A Atimus tem operações em 21 cidades nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, oferecendo serviços de Internet e banda larga por meio de uma rede de fibra óptica de 5,5 mil quilômetros com capacidade de 0,6 terabyte. O faturamento da empresa foi de 211 milhões de reais em 2010.

O raio de atuação da Atimus é estimado em 7,5 milhões de domicílios e 500 mil empresas.

Segundo o presidente da TIM no Brasil, a compra da Atimus é adicional ao plano de investimento de 14 bilhões de reais que a empresa projeta para o país de 2009 a 2013.

Trata-se da maior aquisição da Telecom Italia, controladora da TIM, em uma década. A transação será financiada com recursos próprios, sem novas dívidas, disse em Milão o presidente-executivo do grupo italiano, Franco Barnabé.

MAIS INTERESSADOS

O processo de venda Atimus –subsidiária da Brasiliana, holding formada por AES Brasil e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)– foi iniciado no começo do ano, e contou com “cerca de meia dúzia” de participantes, disse o presidente da AES Brasil, Britaldo Soares, sem citar nomes.

Luciani, da TIM, prevê uma rápida aprovação do negócio pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). “Ainda somos novos em rede fixa… Acreditamos não ter problemas (com órgãos reguladores)”, disse.

imagem
fonte Info/Abril

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador