O projeto One Laptop Per Child

Do OLPC

A One Laptop per Child é um projeto sem fins lucrativos que desenvolve um laptop de baixo custo, o “XO Laptop” para revolucionar a forma como educamos as crianças do mundo. Nossamissão é oferecer oportunidades educacionais para as crianças mais pobres do mundo, dando a cada criança um robusto e de baixo custo, baixa potência, laptop conectado, e ferramentas de software e de conteúdo projetado para colaboração, auto-aprendizagem com poderes alegre. 

Videoconferência Brasil Ruanda

Dia 17 e 18 junho de 2010 dois grupos de crianças da escola Kagugu de Ruanda (P3 e P4) encontraram-se com crianças da 3a série da escola Otávio de Souza de Porto Alegre/Brasil por video-conferência no Skype. Os alunos de Ruanda começaram falando em Português: Bom dia! Oi! Tudo Bem! Os alunos brasileiros falaram em inglês: Good afternoon! How are you?

Os alunos de Ruanda se apresentaram em Português: Oi! Meu Nome É … Muito Prazer! Os alunos brasileiros apresentaram-se em Inglês: Hi! My name is … Nice to meet you! ? Esta atividade fez parte do início de uma pequena parceria entre uma turma de uma escola brasileira e duas turmas de uma escola em Ruanda. ?? Como isso começou? Os alunos da 3a série (8 e 9 anos) da professora Rosa San Pedro de Porto Alegre estavam curiosos sobre a África, em função da Copa do Mundo.

Motivados pela professora, eles escreveram uma carta e me enviaram por e-mail para ser entregue a uma turma de uma escola em Ruanda. Nesta carta eles pediram para saber mais sobre Ruanda e disseram que gostariam de conhecer crianças de Ruanda através da Internet. ?Eu entreguei a carta a duas turmas da escola Kagugu, P3 e P4. As crianças ficaram muito animadas ao receberem a carta. Os olhinhos brilhavam! Sobre o Brasil eles sabiam informações apenas sobre os jogadores do futebol: Kaka, Robinho, Ronaldinho.?

Para comunicar-se com os estudantes brasileiros, os ruandeses aprenderam um pouquinho de Português através da atividade Speak no laptop. Antes do encontro eles também buscaram informações e mapas do Brasil em seus laptops. Os alunos brasileiros também aprenderam Inglês com a professora Rosa para iniciar a comunicação.

O encontro aconteceu através de video-conferência pelo Skype. No Brasil era 11h da manhã e em Ruanda era 4h da tarde. Depois dos cumprimentos e da apresentação de cada grupo na língua estrangeira, os alunos de ambos os países tiveram tempo de expressar as suas curiosidades sobre a cultura estrangeira. ??Os estudantes brasileiros estavam curiosos sobre: ?? Se há cobras no pátio da escola em Ruanda; ?Se as crianças em Ruanda já fugiram de leões; ?Por que não há meninas na escola (isso porque todas as crianças usam cabelos curtos);? Por que os alunos usam uniforme em Ruanda;?Se os alunos de Ruanda são bem comportados? O que os professores em Ruanda fazer para manter a ordem; ?Como é ser Africano;? Por que os alunos de Ruanda estava usando camiseta (isso significa que está quente) e as pessoas da África do Sul estão usando jaqueta, luvas, tocas, mantas (está frio) se eles estão no mesmo continente; Há presidente em Ruanda;Os alunos em Ruanda estavam curiosos sobre: ?? Se em Ruanda é 4 horas da tarde, que horas é no Brasil;?Se há gorilas no Brasil;?Por que os estudantes brasileiros não usam uniforme; ?Por que os estudantes brasileiros têm cabelos longos (e os piolhos); ?Qual é a história do Brasil;?Se os estudantes brasileiros estão satisfeitos com o resultado do último jogo do Brasil na Copa do Mundo;?Onde está o Brasil no mapa; Qual é o nome do presidente do Brasil;? Qual é o melhor jogador de futebol brasileiro;

A video-conferência terminou com estudantes de Ruanda cantando uma canção em Kinyarwanda para os estudantes brasileiros. Foi muitos emocionante! Houve aplausos, beijos e palavras como: I loved to meet you! I love you! Tchau, Tchau! Bye, Bye! Beijos! ????Os professores de Ruanda: Mediatrice, Abdul Morenge e, também o diretor da escola, o Eduard, conversaram com a professora no Brasil. Diretor da escola Kagugu falando com a professora Rosa no BrasilOs próximos passos serão continuar a correspondência (pen pal) através de e-mail (carta criada com alunos) pelos professores de ambos os países e a criação de uma conta no Twitter para continuar a comunicação.??Logo após terminarmos a videoconferência as crianças em Ruanda, por conta própria, começaram a procurar informações sobre o Brasil na Internet. Achei bárbaro!!!Correspondência entre crianças de diferentes países não é totalmente novo. No entanto, é sempre emocionante para as crianças conhecerem os alunos de outros lugares.

O encontro cara-a-cara permite que a comunicação torne-se mais real para as crianças e até mesmo para os professores. Esse tipo de experiência de aprendizagem abre novas possibilidades para as crianças. Antes da vídeo-conferência, a idéia de falar com crianças de outro continente era abstrata para ambas as partes. A partir do momento em que se viram, as perguntas e curiosidades começaram a brotar.?Além disso, este tipo de atividade cria a necessidade e significado para os alunos aprenderem uma língua estrangeira e conhecer uma cultura estrangeira, o que muitas vezes em uma aula convencional não tem sentido. ??

***Esta atividade foi criada e coordenada por Silvia Kist, OLPC Learning Team, ?com assessoria de Jimmy Parfait, Rwagaju Desire, Wang Tiffany, Jean Claude Tuyishimire, Munyeshuri Evode e Agnes. 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome