Petroleiros: terceiro dia de greve com mais adesões pelo país

Nesta manhã, ocorrem atos e acampamentos em várias unidades da Petrobras e também na sede administrativa da empresa, no Rio.

Jornal GGN – Nesta segunda-feira, 3, a greve dos petroleiros alcançou 11 estados e 20 bases operacionais. A Federação Única dos Petroleiros espera ainda mais adesões ao longo do dia, avançando o movimento que alcança seu terceiro dia de paralisação.

Nesta manhã, ocorrem atos e acampamentos em várias unidades da Petrobras e também na sede administrativa da empresa, no Rio. A Comissão de Negociação Permanente da FUP completa 72 horas ocupa o prédio do Rio, cobrando interlocução com a empresa para suspender as demissões na Fafen-PR e outras medidas que descumprem o Acordo Coletivo de Trabalho.

Quadro nacional nesta segunda – 03/02

Amazonas

Refinaria de Manaus (Reman) – sem rendição no turno desde às 23h30 de 31/01

Rio Grande do Norte

Petroleiros do Polo Guamaré aprovaram indicativo de suspensão de PT’s a partir das 00:00h do dia 04/02. A decisão foi tomada em assembleia deliberativa realizada no domingo, 02, às 17h30.

Ceará

Termelétrica TermoCeará – sem rendição no turno desde às 15h de 02/02

Fábrica de Lubrificantes do Nordeste (Lubnor) – sem rendição no turno desde às 23h de 31/01

5 plataformas marítimas somente com liberação de serviços necessários para a segurança e habitabilidade.

Pernambuco

Refinaria Abreu e Lima (Rnest) – sem rendição no turno desde a zero hora de 01/02 com 100% de adesão dos trabalhadores

Terminal Aquaviário de Suape – sem rendição no turno desde a zero hora de 01/02 com 100% de adesão dos trabalhadores

Bahia

Leia também:  Sem direito a quarentena, entregadores seguem se arriscando nas ruas

Refinaria Landulpho Alves (Rlam) – sem rendição no turno desde às 23h de 31/01

Terminal Madre de Deus – sem rendição no turno desde as 07h de 01/02

Nos campos de produção, estão sendo realizados piquetes permanentes até às 15h, com adesão dos trabalhadores próprios e terceirizados

Espírito Santo

Sede administrativa da Base 61, polo de produção terrestre em São Mateus – 100% de participação dos trabalhadores terceirizados e próprios

Minas Gerais

Termelétrica de Ibirité (UTE-Ibirité) – sem rendição no turno desde a zero hora de 01/02

Refinaria Gabriel Passos (Regap) – sem rendição no turno desde às 23h30 de 31/01

Rio de Janeiro

Refinaria Duque de Caxias (Reduc) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02

Norte Fluminense – atrasos de 2 horas em todas as bases de terra, em Macaé; 18 plataformas seguindo a orientação do Sindicato de realizar levantamento de pendências de segurança, efetivo e se houve embarque de equipes de contingência a bordo

São Paulo

Terminal de Barueri – adesão dos trabalhadores na manhã do dia 03/02

Refinaria de Paulínia (Replan) – sem rendição no turno desde às 23h30 de 31/01

Refinaria de Capuava, em Mauá (Recap) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02

Refinaria Henrique Lages, em São José dos Campos (Revap) – cortes alternados nos turnos

Presidente Bernardes, em Cubatão (RPBC) – cortes alternados nos turnos

Paraná

Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02

Leia também:  Erros da administração fazem da Petrobras campeã em desvalorização, por Jager e Costa

Fábrica de Xisto (SIX) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02

Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (FafenPR/Ansa) – sem trabalhadores da operação e da manutenção no interior da unidade. Acampamento na porta da fábrica prossegue desde o dia 21/01

Terminal de Paranaguá (Tepar) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02

Rio Grande do Sul

Terminal de Niterói (Tenit) – adesão à greve na manhã de 03/02

Refinaria Alberto Pasqualini (Refap) – sem rendição no turno desde as 07h de 01/02

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome