Proximidade para entrega das obras da Copa preocupa trabalhadores da construção civil

São Paulo – Na reta final para entrega dos estádios que serão usados na Copa do Mundo, trabalhadores do setor de construção civil cobram de governos e empresas mais diálogo para evitar acidentes nas obras. Documento nesse sentido foi elaborado pela Internacional de Trabalhadores da Construção e da Madeira (ICM), ao lado de sindicatos brasileiros integrantes da Campanha por Trabalho Decente no setor.

Segundo a ICM, o documento será entregue às empresas responsáveis pelas obras e representantes de governos locais (estadual e municipal), e encaminhado ao Ministério do Esporte, ao Comitê Brasileiro da Copa e à Secretaria-Geral da Presidência da República. Ao todo, seis trabalhadores já morreram em obras de estádios, sendo três na construção da Arena Amazônia, duas vítimas na Arena Corinthians, em São Paulo, e uma no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

“A correria na construção é sempre um fator perigoso. Nosso temor é que a pressa para a entrega das obras acabe causando mais acidentes. Precisamos comprometer as autoridades em todos os níveis, porque todos têm responsabilidade nisso, seja no setor público ou privado. O que não pode acontecer é colocar em risco a segurança dos trabalhadores neste período”, afirma o representante regional da América Latina e Caribe da ICM, Nilton Freitas. A campanha pelo trabalho decente antes e depois da Copa foi lançada em março de 2011, com o objetivo de garantir que o cumprimento, no Brasil, da agenda do trabalho decente da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

As medidas referem-se a condições adequadas de trabalho, como respeito pela jornada e período de descanso, cursos para qualificação, treinamento e seleção de trabalhadores. Os sindicalistas também destacam a importância de um acordo coletivo nacional para o setor. “Também é uma condição necessária para a diminuição dos acidentes”, afirma Freitas.

Segundo a entidade, a preocupação é impedir que aconteça no Brasil o mesmo que ocorre em países como a Rússia, que registrou a morte de mais de 60 trabalhadores na preparação para os Jogos Olímpicos de Inverno (Sochi 2014). Os trabalhadores destacam as conquistas da campanha para os Jogos Olímpicos, daqui a dois anos. “Já tivemos uma grande conquista para 2016, que é o uso de madeira certificada. Isso significa trabalho decente em toda a cadeia. Vamos planejar outras ações que façam com que grandes eventos tenham um legado social para os trabalhadores.”

A ICM é uma federação com 350 sindicatos filiados, dos setores de construção, materiais de construção, madeira e silvicultura. Informa representar cerca de 12 milhões de trabalhadores em 134 países.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome