Seguro-desemprego tem reajuste de 9%

Jornal GGN – O Ministério do Trabalho e Emprego confirmou hoje, dia 23, a nova correção do seguro-desemprego para trabalhadores que têm direito ao benefício com valor acima de um salário mínimo, ou R$ 678,00. Assim que a medida for aprovada, o percentual passará de 6,2% para 9%, antiga base de cálculo do seguro e usada para o reajuste do salário mínimo.

O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) precisa aprovar a medida em reunião a ser realizada no próximo dia 31. O presidente do conselho e secretário de Políticas Públicas do ministério, Sérgio Vidigal, acredita que a aprovação irá acontecer sem problemas.

Segundo estimativas do Ministério do Trablho, cerca de R$ 30 bilhões serão gastos com o pagamento de seguro-desemprego neste ano. O reajuste acarretará em aumento da despesa na faixa de R$ 250 milhões, caso seja aprovado para o início de agosto. Dos que têm direito ao benefício, cerca de 50% se enquadra nesta medida. Segundo o ministério, o aumento com a mudança já está previsto no aporte de R$ 7 bilhões pelo Tesouro para a desoneração do recolhimento do PIS/Pasep (Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público), nas folhas de pagamento.

Segundo Vidigal, a medida veio com aval da Casa Civil e do Ministério da Fazenda, conforme declarou à Agência Brasil, “apesar da preocupação com os gastos adicionais no contexto dos cortes atuais de despesa”. Diante desta ressalva, o Ministério do Trabalho deverá renegociar as aplicações do Codefat no próximo ano.

Leia também:  41 trabalhadores mortos em Taguaí: foi acidente?, por Miguel Torres

Com informações da Agência Brasil

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome