Vale compra condomínio de luxo por um terço do valor das indenizações às vítimas de Brumadinho

Empresa pagou mais de R$ 100 milhões para adquirir mansões ameaçadas, embora considere “absurdo” o valor das indenizações às vítimas da barragem que matou 270 pessoas em 2019

Google Earth

Jornal GGN – O Condomínio Jardim Monte Verde, localizado em Nova Lima, na região da Grande Belo Horizonte, teve todas as suas 30 mansões e 51 lotes comprados recentemente pela mineradora Vale.

Se trata de um condomínio de luxo, que teria sido adquirido por um valor de mais de 100 milhões de reais, segundo levantamento da Rádio Itatiaia, em matéria dos jornalistas Lucas Pavanelli e Lucas Ragazzi.

Nesta mesma terça-feira (25/1), dia em que a compra do condomínio de luxo foi revelada pela imprensa, a tragédia de Brumadinho completa três anos. Naquela ocasião, o rompimento de uma barragem da Mina Córrego do Feijão causou uma gigantesca tragédia ambiental, que resultou na morte de 270 pessoas, além de 6 desaparecidos.

Os dois casos mostram uma grande contradição na postura da empresa. Quando o Tribunal Regional do Trabalho em Betim, em junho de 2021, determinou que a Vale indenizasse as famílias com o valor de 1 milhão de reais para cada uma das famílias das vítimas da tragédia, a empresa entrou com um recurso para evitar o pagamento. No texto do recurso, a equipe jurídica qualificando o valor da indenização como “um absurdo”.

Desta vez, as vítimas em potencial são pessoas de alto poder aquisitivo, e a atuação da Vale foi bem diferente: se antecipou às eventuais consequências e comprou as propriedades que estão localizadas às margens da BR-040, próximas à mina Mar Azul e das barragens B6 e B7. Do outro lado da rodovia há outra mina, Capão Xavier, outro projeto mineiro que foi adquirido pela Vale em 2007.

Segundo a matéria da Rádio Itatiaia, a decisão de comprar todo o empreendimento imobiliário foi tomada após uma perícia que constatou trincas e rachaduras causadas pelas atividades nas minas.

A Vale teria se feito uma proposta aos proprietários das mansões já em 2020, “incluindo a aquisição dos imóveis e indenização às famílias”. Embora a empresa não tenha confirmado o valor pago pelas casas, mas o levantamento feito pela reportagem, baseado nos anúncios de venda do condomínio desde a sua inauguração, supõe que o valor total deve ser superior a 100 milhões de reais.

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

João Ferreira Bastos

- 2022-01-26 15:16:06

Ja fazem alguns anos que a Vale entregava ao condominio diariamente varios caminhões pipa, pois as atividades das minas ao redor havia destruido as caixs dágua

João Ferreira Bastos

- 2022-01-26 15:14:03

Eu morava num condomínio muito próximo deste e conhecia alguns moradores deste que me relataram terem vendido suas casas por valores bem acima do mercado Todos os 30 moradores são de altíssimas posses.

Heloisa

- 2022-01-26 05:52:07

Privatizar = desumanizar. Simples assim.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador