Empresa de segurança denuncia curso de cibercrime no Brasil

Por Paulo F.

DO dinheirovivo.pt

Empresa de segurança Kaspersky emitiu alerta sobre “escola” de cibercriminosos

Hackers brasileiros criam cursos de formação para novos piratas

Os cursos têm atendimento online
D.R.23/01/2012 | 17:00 | Dinheiro Vivo

Aproveitando a falta de enquadramento legal para o cibercrime, os hackers brasileiros estão a lançar cursos destinados a formar novos piratas. De acordo com um alerta emitido pela empresa de segurança Kaspersky, estão a ser vendidos cursos de formação profissional para hackers em formato online e presencial. 

A criação de uma “escola de cibercrime” no Brasil, como lhe chama a Kaspersky, tem como propósito oferecer conhecimentos e capacidades técnicas para o início de “uma carreira de sucesso no mundo do cibercrime”. 

Fabio Assolini, analista da Kaspersky Lab, denuncia a existência de páginas na internet dedicadas à venda destes cursos. Entre as ofertas que aparecem nos sites, destacam-se algumas como “How to be a Banker”, “Kit Spammer” ou “How to be a Defacer”.

Os cursos são desenhados e apresentados de forma profissional, semelhante aos cursos legítimos, e têm as sessões de formação bem detalhadas. “Este curso destina-se a pessoas que fazem transacções online. Saiba como os crackers tomam o controlo de equipamentos de empresas ou particulares, de perfis de redes sociais, o uso de fontes (de Trojans), a forma de manipular os plugins de segurança instalados nos navegadores Internet Explorer, Firefox, Chrome, Avant, Opera. Como o spam ajuda a capturar novas vítimas… “, lê-se num dos sites. 

Existe ainda um curso específico para spammers que até oferece um presente de boas-vindas: uma lista que contém 60 milhões de endereços de correio electrónico para começar a enviar spam de imediato:

“O mundo virtual está cada vez mais competitivo, o que torna difícil para os novos utilizadores conseguirem competir num mercado em constante crescimento. Pensando nisto, criámos o SPAM KIT, onde se incluem mais de 60 milhões de endereços de correio, divididos por diferentes categorias: profissionais, particulares e empresas, executivos, empresários, políticos… Tudo por apenas 75 dólares”, explica a organização do curso. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador