Recado do Nassif: O pote de ouro no fim do arco iris da reforma da Previdência

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Prossegue o desmonte

4 comentários

  1. Este Bolsonaro é burro, vai entrar nesta enrascada com a Venezuela no meio das “Reformas” no Congresso. Não há nem necessidade de oposição ele mesmo “chuta o pau da barraca”. Que bom!

  2. Nassif meu receio maior é que tudo isto seja apenas o bode na sala. Me parece que esta ofensiva pela reforma, tem além de alguns interesses de estados falidos, o interesse de criar o fundo de capitalização o que equivale a deixar todo o montante de contribuições na mão do mercado. Guedes é o homem do mercado e seu mantra é sempre contrário a produção e a todas as políticas sociais. Sua influ^encia na educação vai com certeza pavimentar os ganhos de sua BR Educacional. E a reforma da previdência vai alimentar a água dos fundos de pensão. Dois campos onde ele é especialista. O restante é com o arrocho inclusive do capital produtivo, Guedes vai finalmente transformar este país num país de serviços, e commodities. As privatizações e as compras de indústrias nacionais, universidades particulares, grupos de saude estão acontecendo em larga escala. Todo o discurso deste governo é ideológico. Onde o termo ideologia tem aqui o significado, daquilo que encobre a realidade.
    PS: Nassif continuo tendo problemas para entrar na minha conta e em acompanhar os comentários dos colegas Na minha conta estou como um vagalume, as vêzes tenho luz e as vêzes não.

  3. O Bolsonaro armou mais uma ratoeira para pegar os pobres: baixou a alíquota de contribuição de quem ganha um salário mínimo de 8 para 7,5%. Com essa isca, muita gente pobre vai ser favorável à reforma, achando que vai sair ganhando e não perdendo.

    O PIG já está fazendo a sua parte para imbecilizar a população:

    “O desconto mensal aplicado sobre quem recebe salário mínimo cairá de 8% para 7,5% (de R$ 80 para R$ 75). A alíquota efetiva sobre as menores faixas salariais, até o teto de contribuição previdenciária, também será reduzida. Perto de quem ganha o teto de R$ 5,8 mil, o desconto será reajustado de 11% para 11,7%. Os funcionários públicos que recebem mais de R$ 10 mil, esses sim, sofrerão desconto superior a 19% sobre a parcela que exceder esse valor, indo a até 22%. Quem ganha R$ 30 mil, e paga hoje R$ 3.500 à Previdência, pagará R$ 4,8 mil. O pobre ganha um pouco, o rico perde muito”.

    https://g1.globo.com/mundo/blog/helio-gurovitz/post/2019/02/22/reforma-e-favoravel-aos-pobres.ghtml

    Se o rico perde muito e o pobre só ganha um pouco, tem alguém além dos pobres que vai ganhar muito do que vier a ser “perdido” pelos ricos. Quem será?

  4. Não creio em debate na Câmara sobre a reforma da previdência. Os votos necessários para a aprovação deverá ter um preço a ser pago pelo interessado. Como o interessado tem muita grana vai ser fácil aprovar o texto.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome