TV GGN: Com rebelião das polícias, bolsonarismo tenta a grande cartada antidemocrática, por Luis Nassif

Cenário de golpe estava desenhado desde o inicio

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Coronavírus precipitou o fim do bolsonarismo, por Gustavo Conde

6 comentários

  1. Comendo pelas beiradinhas, o bronco mas nada bobo adolinquente (vide STM safar o terrorista e sindicalista militar) vai aparelhando as instituições de repressão (que deveriam ser de defesa da sociedade), inclusive as sociais (cultura, midia pública, artes, educação, ciência e tecnologia, etc.), naturalizando a truculência e nos levando perigosamente para uma situação de NÃO RETORNO, quando não tivermos mais a quem recorrer.
    Difícil entender como um “impeachment pedalado” sem crime de responsabilidade (ou qualquer outro) tem sucesso, celebrado por zumbis e intoxicados, e um delinquente na presidência não é sequer ameaçado por coisas muito piores.
    De onde vem tanta “marra”? Quem lhe dá tão infame e bizarra “autoridade”?
    Algo percebido no mundo inteiro, até por seus raros aliados!
    Por outro lado, pergunta-se: De quem ou de quê a sociedade consciente tem medo? Por que a paralisia?
    A parte o ridículo e cego comportamento de torcida que o defende, será que estamos todos cegos, amordaçados e algemados?
    Até onde vai esta destruição? Esta demolição do pouco que estava sendo (re)construído?
    Até o nível do irreparável?

  2. Para alguém como Bolsonaro o conflito mais favorável é o de imagens…
    como já deve ter sido alertado de que não pode colar a imagem do Exército no seu governo, teima colar a das milícias para o dia em que o EME gritar BASTA

    fiquem atentos à movimentação de armas pesadas no país

  3. A economia real no cenário de ruptura

    Precisamos considerar os impactos na economia real, principalmente do investimento estrangeiro.
    No mercado de títulos da dívida já está havendo uma saída gradual dos investidores, que está sendo financiada pelo BC com a venda de parte das Reservas Cambiais, mais de US$ 30 bilhões nos últimos meses.

    Já está ocorrendo um movimento antecipação do câmbio por parte dos importadores, e de quitação de parte da dívida externa em dólares.

    A ruptura pela base e tomado do poder pela “área cinzenta da economia” provocaria uma fuga em massa do investimento estrangeiro com impactos direto na base(funcionários públicos que recebem em reais) e na “área cinzenta da economia”, principalmente dos importadores.

  4. Creio que o caráter do brasileiro é determinante e claro que dividido, pois, os protestos indicam que milhoes de nós já sabe reconhecer o inimigo, porém, outros possuem um caráter subalterno, subjugado,autoritário onde , quando há liberdade e tolerância de governos como foi o do PT , não reconhece, não se identifica e não valoriza, mas, quando o governo vem de um caráter autoritário e militar, ficam acuados , apáticos, sem reação, justamente por se identificarem. Wilhem Reich já dizia em seu livro ‘ Escuta, Zé Ninguém ! e Psicologia de Massas do Fascismo ‘ que os indivíduos com o carater de recalque autoritário, elogiam ,se identificam e fazem festa para seus inimigos, e matam seus amigos, ou seja, como se deu com Hitler, e com Jesus, onde, ao invés de escolherem aquele amigo verdadeiro que veio para libertá-los de si mesmos, optaram pelo bandido Barrabás e mataram o Cristo .

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome