TV GGN: Começa a nascer a oposição ao comando da FIESP e da FIRJAN, por Luis Nassif

Lideranças velhas, sem pique, e com ambições puramente politicas, deixaram de defender os interesses da indústria

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Ritmo de recuperação econômica é o mais lento da história

3 comentários

  1. Em tempos de globalização financeira, mundo afora rompeu-se o tradicional pacto keynesiano entre empresários e trabalhadores. Cita-se o exemplo da Grécia, onde as elites simplesmente tiraram o dinheiro -quebrando o país – queimaram todas as pontes, praticando uma política da terra arrasada. Por aqui, como os muito ricos sempre tiveram seu patrimônio rendendo dentro e fora do país, independente do andar da economia local, a política da terra arrasada é regra desde sempre. Mas é gigantesco o número de pequenos e médios empresários em todos os setores, inclusive no campo, que dependem do mercado interno e não tem patrimônio ou aplicações. O problema é que eles não tem representação de nenhuma espécie: nem classista, nem política. Talvez a exacerbação do ultra-liberalismo, anti-nação e anti-povo, tenha um bom efeito colateral: despertar um movimento por parte desses setores.

  2. Nassif, bela retrospectiva! A FIESP é o retrato dos longos anos de Paulo Skaf à sua frente. Um retrato sem cor, vazio de tudo,infelizmente o retrato de um defunto! Os industriais paulistas sabiam que o país tinha rumos, tinha políticas industriais, tinha programas de incentivo, tinha novos segmentos industriais aflorando e eram confiantes nas políticas e no governo. A FIESP corria atrás do BrasilTalvez porisso Skaf tenha sido eleito e reeleito tanto tempo. Incompreensível, mas golpearam antidemocraticamente o governo eleito, pela ação de bandidos lotados nopode legislativo, pela covardia e omissão e medo do poder judiciário e pelo apoio imoral da grande mídia brasileira. Aproveitador, golpista e espertalhão esperando a vítima , lá estava o dissimulado e oportunista Paulo Skaf. Fraquíssimo e inoperante na FIESP, quiz ser presidente e governador! Agora, com desgoverno no Brasil, a FIESP precisará de um comando decente e inteligente.

  3. TALVEZ ESSES “EMPRESÁRIOS” , sustentados pelo tal “sistema S”(o chefe disse que iria abrir também essa caixa preta), que estão há décadas se “encostando” nessas “federações e associações” , SEJAM FINALMENTE JOGADOS FORA DE LÁ. Talvez alguém entre os REAIS empresários, grande, médios e pequenos, resolva tomar providências a respeito e transformem essas “entidades”(?) em REAIS promotoras de avanços empresariais no Brasil. DE UMA VEZ POR TODAS, esses comandantes empresariais tem que entender que: SEM CONSUMIDORES, não há CRESCIMENTO da ECONOMIA. Salário Mínimo reduzido já a menos de 230 DÓLARES, o menor do MUNDO, fim de muitos benefícios SOCIAIS, fim de garantias TRABALHISTAS, tudo isso que transformou o Povo Brasileiro (mais de 180 milhões)em ESCRAVOS E QUASE ESCRAVOS com a desculpa de reduzir O TAL CUSTO BRASIL que, comparado com os concorrentes reais, EUA, EUROPA, etc. é de DEZ A VINTE VEZES mais baixo e também já MUITO ABAIXO DE CHINA E ÍNDIA. Alguém tem que fazer alguma coisa. Se não tiver ninguém , me chamem, estou aposentado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome