Bar ligado à questão dos refugiados, Al Janiah é atacado em São Paulo

Apesar do incidente, direção promete manter a programação cultural

Vídeo que circula nas redes sociais mostra ataque a bar árabe na Bela Vista, região central de São Paulo. Crédito: Reprodução
do Migramundo

Bar ligado à questão dos refugiados, Al Janiah é atacado em São Paulo

por Rodrigo Borges Delfim

Tradicional ponto cultural de São Paulo ligado à temática do refúgio, o bar e restaurante Al Janiah, no bairro da Bela Vista, foi atacado por volta das 3h30 deste domingo (1º).

Vídeo de câmera de segurança mostra o momento do ataque. A gravação mostra algumas pessoas na porta do restaurante quando três homens se aproximam. Um deles, de boné e camiseta estampada com a bandeira do Estado de São Paulo, tira um objeto do bolso de trás da calça, lança-o dentro do restaurante e bate a porta.

Em seguida, as pessoas que estavam na frente do local saem de perto, e um dos homens lança um jato de spray no ar. Logo depois, alguém abre a porta pelo lado de dentro e os três homens parecem tentar impedir que as pessoas saiam do restaurante.

Nas imagens, é possível ver uma fumaça vindo de dentro do local. Um dos homens atira uma bomba de gás, e o grupo vai embora. Só então as pessoas conseguem sair de dentro do restaurante. A gravação mostra o momento em que um homem carrega uma cadeira como se fosse um escudo.

Por meio de nota, o Al Janiah afirmou que cinco pessoas participaram do ataque. Os administradores acreditam que a intolerância e a xenofobia sejam as motivadoras da ação. O local emprega refugiados de diferentes origens e, entre outras atrações culturais, promove debates sobre a situação no Oriente Médio.

“Não podemos nos calar diante da motivação deste ato, num contexto de crescente discurso de intolerância e ódio que acomete este pais”.

Também por meio das redes sociais, frequentadores e admiradores do Al Janiah de diferentes tendências políticas manifestaram solidariedade.

Guilherme Boulos

@GuilhermeBoulos

Minha solidariedade ao amigo Hasan Zarif e toda a equipe do Al Janiah, atacado ontem por uma horda de fascistas. Nenhum passo atrás. Apesar deles, o Al Janiah seguirá como um belo espaço de resistência cultural e servindo uma das melhores comidas árabes de São Paulo. Força!

655 pessoas estão falando sobre isso

Sâmia Bomfim

@samiabomfim

Inaceitável e horrendo o atentado de teor fascista cometido no Al Janiah, bar em SP que dá apoio a refugiados da Palestina. No Brasil de Bolsonaro, xenofobia e violência são políticas de Estado. É possível ver o uso de coquetéis molotov. Onde isso vai parar?

Vídeo incorporado

1.137 pessoas estão falando sobre isso

Leandro Beguoci

@leandrobeguoci

O ataque ao Al Janiah é um daqueles episódios que definem uma época. Em que momento algumas pessoas se sentiriam tão confortáveis pra fazer algo desse jeito? E com essa tranquilidade, com essa certeza de impunidade? https://twitter.com/vtorresfreire/status/1168279244331462658 

vtorresfreire@vtorresfreire

Atacaram o Al Janiah, empreendimento de refugiados palestinos, em geral frequentado por jovens de esquerda.
Hum.https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2019/09/grupo-atira-bomba-de-gas-lacrimogeneo-em-restaurante-palestino-em-sp.shtml?utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=comptw 

147 pessoas estão falando sobre isso

LIVRES@EuSouLivres

Restaurante Al Janiah, que emprega refugiados da Palestina, Síria, Cuba e Argélia, foi covardemente atacado na última madrugada.

Um atentado xenófobo, ao que tudo indica.

Nossa solidariedade. A intolerância com imigrantes é anti-brasileira.https://vejasp.abril.com.br/cidades/grupo-ataca-restaurante-arabe-no-centro-de-sao-paulo/ 

Grupo ataca restaurante árabe no centro de São Paulo

Inaugurado em janeiro de 2016, o Al Janiah emprega refugiados da Palestina, Síria, Cuba e Argélia; estabelecimento atribui ataque a “fascistas”

vejasp.abril.com.br

135 pessoas estão falando sobre isso

Ainda de acordo com a nota, o estabelecimento informa que está tomando as devidas providências por meio de advogados e que vai manter sua programação cultural.

“Nos mantemos firmes na luta, tão necessária nesse contexto de ataque à democracia. Nossa resistência continua e nossa programação cultural segue normalmente, em defesa da Cultura e celebração da diversidade.”

Horas antes do ataque, o Al Janiah havia recebido o lançamento do livro da escritora chilena Lina Meruane, “Tornar-se Palestina”. Depois, às 23h, aconteceu um show com a banda Graziela Medori e Os Brazucálias, em homenagem à Rita Lee.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora