Manifestantes jogam pedra em loja do Carrefour em protesto pela morte de João Alberto

As análises iniciais do Instituo Geral de Perícias do RS (IGP-RS) apontam para a possibilidade de asfixia como causa da morte de João Alberto.

Jornal GGN – Na tarde desta sexta, dia 20, o hipermercado do Carrefour, em São Paulo, foi o cenário de um protesto contra a morte de João Alberto Silveira Freitas, homem negro de 40 anos, espancado e assassinado por seguranças de uma loja da rede em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

As redes sociais foram inundadas com o vídeo da cruel agressão e morte de João Alberto, na véspera do Dia da Consciência Negra. Hoje, novos vídeos foram parar nas redes, mas de manifestantes que jogaram pedras contra o Carrefour localizado nos Jardins, zona nobre de São Paulo.

As análises iniciais do Instituo Geral de Perícias do RS (IGP-RS) apontam para a possibilidade de asfixia como causa da morte de João Alberto.

​Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva, seguranças flagrados pelas imagens das câmeras, foram presos em flagrante e tiveram a prisão preventiva decretada.

Veja imagens a seguir de São Paulo e, ao final, as imagens de Porto Alegre.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora