O Governo TEMER precisa ser responsabilizado e o 41o. batalhão profundamente investigado

do Psicanalistas pela Democracia

“O Governo TEMER precisa ser responsabilizado e o 41o. batalhão profundamente investigado”

“Precisamos gritar para que todos saibam o está acontecendo em Acari nesse momento. O 41° Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro está aterrorizando e violentando moradores de Acari. Nessa semana dois jovens foram mortos e jogados em um valão. Hoje a polícia andou pelas ruas ameaçando os moradores. Acontece desde sempre e com a intervenção ficou ainda pior”   Marielle Franco

O 41o. batalhão de assassinos segue a risca o modelo interventivo do governo Temer. Temer é o maior responsável sim, pela morte de Marielle. É responsável por ignorar todas as críticas feitas pelos estudiosos em segurança pública do país a respeito da truculenta e despreparada intervenção militar no Rio; é responsável por adotar um padrão interventivo, autoritário e arbitrário que já é contumaz entre as policias brasileiras e que deveriam ser severamente controladas, e não incentivadas, em seu modus operandi assassino e ineficaz que grassa pelo país; é responsável por utilizar o uso e a exibição da força para se manter no poder em todas as ocasiões em que tem oportunidade; é responsável e indigno por se manter no poder sem qualquer apoio significativo, dentro e fora do país, e será o responsável por cada morte que ocorrer no Rio de Janeiro e por cada vida ameaçada numa cidade e num país que merecia bem mais do que facínoras sem valores e tiranos no poder, hoje nos lugares mais altos de mando da nação.

Leia também:  Serra escalou Paulo Preto em negociação de propinas

Nesse instante o governo Temer prepara uma estratégia para usar a morte de Marielle para justificar a intervenção militar no Rio (https://www.cartacapital.com.br/politica/morte-de-marielle-nao-pode-ser-usada-por-temer-para-justificar-intervencao-diz-psol). Trabalha no nível mais sórdido para convencer os que hoje são vitimados pela violência policial de que a violência é um bem, um mal necessário, o remédio amargo para uma doença de difícil tratamento. Assim fez com o ataque sistemático aos direitos dos trabalhadores; assim fará em sua persistência cega rumo à reforma da previdência. Todos mal necessários.

Raul Jungmann se opõe à federalização da investigação sobre o assassinato de Marielle já proposta por Raquel Dodge. Desde 2001 o relator especial da ONU em visita ao Brasil recomendou que crimes investigados sobre a polícia jamais deveriam ser investigados por policiais. Óbvio não? No Brasil nada é óbvio. Não só hoje é praticamente impossível que crimes praticados por policiais sejam investigados por civis, como querem manter a investigação no âmbito do mesmo estado da federação, impedindo algum distanciamento das investigações para a esfera federal. É puro e absoluto escárnio.

Mais mortes vem ocorrendo. Outras ocorrerão. A ideologia do golpe carrega em suas costas a disposição para violentar, matar e machucar pessoas com o único e principal propósito de manter-se usufruindo de privilégios de modo ilegítimo, nas barbas da população de eleitores usurpados.

O medo não gera apenas reclusão e paralisia. O medo também recrudesce como ódio, como reação intempestiva e desesperada e, se houver pensamento, como ação necessária e urgente em busca de solução e salvaguarda física e psíquica.

Enquanto não houver contundência e oposição inconteste e massiva, mortes, prisões, torturas e abusos continuarão sua escalada no Brasil dos generais num governo que lhes é subalterno. Eles apostam tudo no medo que, obviamente, eles tanto cultivam como têm.

Leia também:  PGR abre investigação preliminar sobre fala de Eduardo Bolsonaro sobre ruptura democrática

Se só a morte nos une, então de que mais precisaremos?

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. qual será a solução a ser fabricada?

    Nassif,

    É justamente nos “blogs de fake news”, aqueles que passam pela cabeça do tal Ortellado, que as versões mais prováveis a respeito da ação profissional de extermínio que ganhou o mundo tal qual um rastilho de pólvora vêm sendo discutidas.

    Da mídia de direita, a mídia do golpe cretino, fica patente o objetivo de livrar a cara dos responsáveis diretos e indiretos pela barbárie cometida contra Marielle e seu motorista. RJungman, um dos gaiatos fantasiados de ministro, propõe que a PM investigue o caso ????, e até poucas horas nenhum jornalista global tinha entrevistado o general interventor, persona que, não por acaso, já tinha sugerido uma “operação interna” na PM. A melhor de todas as asneiras é este palerma deste temer exigir solução deste caso, que ficará sem solução, no prazo de 48 horas.

    Há alguns anos, uma família, casal e dois filhos pequenos, foi brutalmente assassinada em sua casa na Barra da Tijuca, no dia seguinte um grupo do FBI chegou ao RJ para retornar algumas horas depois, periciou toda a casa e não encontrou nenhuma pista, nadica de nada, ou seja, ação criminosa praticada por grupo profissional de alta qualidade. E como foi a solução encontrada para o massacre? Foi responsabilizado pelo crime que não deixou nenhum rastro um rapaz  sem qualquer preparo, quase analfabeto e pronto, discubriram o culpado.

    Agora não bastará um fulano, mas uns tres ou quatro, pois eram dois carros, e um dos fulanos ainda terá que ser atirador de elite, ou seja, a patranha ficou complicada.

    E o mundo segue acompanhando a destruição que um bando de pilantras vem impondo de forma bastante perversa ao país que não é de nenhum deles- nasceram no brasilsil, mas nunca foram brasileiros. Esta verdadeira jornada da morte já esfacelou diversos setores do país ( até o domínio do espaço aéreo foi pro espaço, mais adiante será a vez da base de Alcântara), que não conseguirá voltar ao que era, país soberano. Este foi um grande erro do grande Lula, não permitir que seu pessoal tirasse os sapatos nas aduanas deste mundo.

  2. “Porém, se a Pátria amada
    For
    “Porém, se a Pátria amada
    For um dia ultrajada
    Lutaremos sem temor”

    A pátria foi ultrajada em virtude de uma autoridade municipal ser executada com tiros na cabeça. Porque o Exércitorcito não para de humilhar crianças pobres nas escolas do Rio e vai detonar a Polícia Federal que forneceu a munição para os assassinos?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome