R$ 800: o valor da execução de Pasqualin, líder do MST, por Marcelo Auler

Este foi o valor acertado pelo vigilante Ademar Trocki para assassinarem Ênio Neudi Pasqualin, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) no assentamento Ireno Alves dos Santos, em Rio Bonito de Iguaçu

Ademar Trocki perdoou a dívida de R$ 800,00 em troca do assassinato de Pasqualin, líder do MST (Foto: reprodução Facebook)

Foi por conta destes R$ 800,00 que um dos executores, cujo nome ainda não foi revelado pela polícia, ceifou a vida de um pai de família de apenas 48 anos de idade. Casado, desde 1995 com Adriana Pasqualin, construíram uma família de três filhos que lhes deram uma neta, ainda pequena. Todos ficaram órfãos. Já as 972 famílias que se distribuem pelos 16.852 hectares do Assentamento Ireno Alves dos Santos, perderam um importante aliado.

O local é um antigo latifúndio que em 17 de abril de 1996 foi ocupado por 12 mil pessoas – Pasqualin e seus familiares entre eles. Por decreto assinado em 1998 no governo de Fernando Henrique Cardoso, foi oficialmente legalizado.Uma dívida de R$ 800,00. Menos do que um salário mínimo. Este foi o valor acertado pelo vigilante Ademar Trocki para assassinarem Ênio Neudi Pasqualin, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) no assentamento Ireno Alves dos Santos, em Rio Bonito de Iguaçu, região central do Paraná. Trocki sequer desembolsou esse dinheiro. Apenas perdoou a dívida antiga contraída com ele por um dos executores do assassinato.

O assassinato, como noticiamos em Pasqualin do MST: execução anunciada por WhatsApp, ocorreu por volta de 20H00 do sábado, 24 de outubro, na porta da sua casa. Ao abri-la, atraído pelos latidos dos cachorros provocados pela presença de estranhos, ele foi atingido por um tiro no ombro. Ainda tentou refugiar-se em casa, junto aos familiares que estavam reunidos naquela noite. Mas a porta foi arrombada pelos dois homens – ao contrário da versão inicial, que falava em três – contratados por Trocki. A execução do crime, como narramos na reportagem anterior, deu-se longe dali.

O primeiro pistoleiro preso foi o que devia o dinheiro a Trocki. A equipe do delegado Marcelo Trevisan, da 2ª Subdivisão Policial de Laranjeiras do Sul, cidade distante 25 quilômetros de Rio Bonito do Iguaçu, o identificou e o localizou, na sexta-feira, dia 20 de novembro. Estava no município de Chopinzinho, onde reside.

Executores desconheciam a vítima 

O corpo foi achado a 12 quilometros do assentamento; o carro há 120 quilômetros (Foto: reprodução redes sociais)

Logo admitiu sua participação no crime e entregou o nome do parceiro na execução e do mandante do crime. A polícia mantém a identificação dos presos sob sigilo, mas o blog Olho Aberto Paraná identificou Trocki em reportagem veiculada quinta-feira (26/11). Este Blog confirmou a identificação com autoridades do Paraná.

Levado de casa na noite daquele sábado, Pasqualin foi encontrado na manhã de domingo, morto, caído às margens de uma estrada vicinal de Rio Bonito de Iguaçu, a 12 quilômetros de distância do assentamento.

A camionete S-10, cor grafite escuro, placa BBE 8493, de propriedade de Gilson de Oliveira, genro de Pasqualin, foi achada depois, em Mangueirinha, município distante 120 quilômetros de onde ela foi roubada na noite anterior. Os dois executores do crime ainda roubaram dos familiares do líder do MST celulares e alguns pertences. Mas não estavam ali para cometerem um latrocínio (assalto que resulta em homicídio). Era um crime por encomenda.

A partir da primeira prisão, o delegado. Trevisan soube que os executores do assassinato sequer conheciam Pasqualin. Receberam uma foto dele no dia do crime, por parte do contratante. Que também emprestou as armas usadas no assassinato e ainda deu carona para os pistoleiros chegarem ao assentamento Ireno Alves dos Santos. Depois os encontrou em Mangueirinha, a 120 quilômetros de Rio Bonito de Iguaçu, onde abandonaram a camionete roubada.

Continue lendo aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora