ANARRIÊ, nada como olhar para trás, ALAVANTÚ, à frente para o quê? – XXIII, por Rui Daher

Poderiam olhar pra frente, repetirem tudo o que fizeram no passado e de nada se arrependessem e mais repetissem tudo