Revista GGN

Assine

Atrasado, Censo Agropecuário corta questões relacionadas à agricultura familiar

Instituto afirma que orçamento liberado para pesquisa corresponde à metade do necessário / Agência Brasil

do Brasil de Fato

Atrasado, Censo Agropecuário corta questões relacionadas à agricultura familiar

Diretor do Sindicato Nacional dos Trabalhadores do IBGE afirma que perguntas sobre agrotóxicos foram retiradas

Rafael Tatemoto

O questionário do Censo Agropecuário 2017, que deve ser realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em outubro deste ano, cortará questões relacionadas à agricultura familiar. O Sindicato Nacional dos Trabalhadores do instituto (ASSIBGE) afirma que a modificação prejudicará séries históricas de dados. A pesquisa estava originalmente prevista para 2015.

“Nós tivemos acesso ao questionário. Há uma redução brutal do tamanho do questionário em relação ao feito em 2007, com referência a 2006”, diz o diretor da ASSIBGE Cassius de Brito.

Brito diz que questões de outras áreas também foram cortadas, mas que o redimensionamento da pesquisa “afeta principalmente as informações à respeito da agricultura familiar”. Segundo ele, perguntas sobre “agrotóxicos, valor e quantidade da produção” foram eliminadas.

Cassius defende que as mudanças prejudicam a sistematização de dados em relação ao setor primário: “Tem um impacto claro. Quebra a série histórica de algumas informações importantes".

“O pessoal está chamando de ‘censo cadastro’. Reduziu o questionário, o número de recenseadores a serem contratados. Cortou muita coisa", resume ele. De acordo com a assessoria de imprensa do IBGE, 80 mil recenseadores temporários foram originalmente pensados para a pesquisa. Apenas 26 mil devem ser contratados.

Segundo outras fontes do sindicato que não se identificaram, a versão preliminar do questionário teria dez páginas. Em 2007, tinha 24. O IBGE não respondeu às perguntas da reportagem em relação ao tamanho do questionário.

Cortes

De acordo com o instituto, os cortes no questionário primaram pela “exequibilidade” da pesquisa. Além da redução do questionário, outras adequações foram realizadas, como a ampliação de três para cinco meses de levantamento. A assessoria do IBGE afirma ainda que as alterações ocorrem devido ao montante do orçamento liberado para a pesquisa: R$ 505 milhões, abaixo da metade do que seria necessário.

O estabelecido para a exclusão de perguntas que está sendo seguido, segundo o instituto, é o de garantir informações básicas, de acordo com recomendações internacionais e, devido ao prazo da pesquisa, eliminar a necessidade de mais de uma visita ao mesmo estabelecimento e estabelecer a média de três locais/dia por recenseador.

Questionada se a versão preliminar do questionário prejudicava alguma área de forma especial, a assessoria de imprensa do IBGE não respondeu diretamente, afirmando que as perguntas ainda estão em discussão, em um debate que envolve outras instituições.

Assine

Média: 3.5 (2 votos)
1 comentário

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

ATENÇÃO!!!

Publicado em meu blog neste GGN em 08/03

http://jornalggn.com.br/blog/rui-daher/o-golpe-no-ibge-e-no-censo-agrope...

 

 

 

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.