newsletter

Assinar

Ciclistas atropelam promotora que interrompeu ciclovias

Jornal GGN - Ontem, quinta-feira (19), a promotora de Justiça, Habitação e Urbanismo do Ministério Público de São Paulo, Camila Mansour Magalhães da Silveira, se reuniu com ciclistas e jornalistas para falar sobre a ação civil pública que pediu a paralisação da implementação de novas ciclovias na cidade de São Paulo. O debate esquentou e ela foi confrontada e até desmentida por eles.

O argumento principal da promotora, que ela repetiu inúmeras vezes ao longo da reunião, é que o Ministério Público não é contra a implantação das ciclofaixas e ciclovias, mas que precisa haver estudo de viabilidade e participação popular no planejamento.

No entanto, os ciclistas que estavam presentes fizeram a lição de casa, leram a ação e não hesitaram em apontar para a doutora as incoerências dos seus argumentos.

“O Ministério Público afirma que não é contra a implantação das ciclovias, mas a senhora cita aqui num trecho da ação que a bicicleta não é um meio de transporte em massa e que a eficiência é questionável porque a capacidade é ínfima. Não tem um juízo de valor nisso?”, perguntou uma moça.

“Doutora, como fica a questão da segurança do ciclista nessa ação? Porque parece que vocês estão desconsiderando a existência de ciclistas na cidade de São Paulo”, questionou um rapaz.

“Doutora, sobre a Avenida Paulista, no seu documento, em vários momentos, a senhora se coloca em defesa do ciclista, pela segurança dele. Eu como ciclista posso falar em nome de muitos, nós estranhamos isso. A Avenida Paulista é a avenida mais perigosa para os ciclistas, pensando na largura dela e na quantidade de ciclistas já mortos naquele local, nossos amigos que morreram nos últimos anos. Quando você diz que o transporte coletivo já é suficiente para atender aquela via, eu posso estender isso para os carros, por exemplo?”, desafiou um terceiro e iniciou um debate, transcrito abaixo:

Promotora Camila Mansour Magalhães da Silveira – Eu não afirmo que é suficiente. Eu acho que o estudo é que vai indicar.

Participante da coletiva – A senhora colocou como argumentação...

Promotora – Sim, porque são meus argumentos fáticos para embasar o meu pedido.

Participante – Para voltar a Avenida Paulista ao formato original. Quer dizer, mantém o ciclista exposto...

Promotora – Sabe por quê? Porque a gente não tem ainda a certeza, como ele falou, já houve um gasto, e por conta da falta de participação popular, por conta da falta de planejamento urbano...

Participante – A senhora sabia que todo ano a Associação de Ciclistas de São Paulo faz uma contagem na Avenida Paulista para mostrar a demanda real que já existe ali?

Promotora – Então o senhor veja, pelo menos pra nós não foi encaminhado nenhuma estatística...

Participante – Mas a senhora dialogou com as associações?

Promotora – O senhor espera um minutinho. Não foi encaminhado nenhuma estatística de acidente envolvendo ciclista no município.

Participante – Mas é um dado que é publicado todo ano.

Promotora – Veja, tudo aquilo que teria embasado a implementação pelo Município, isso não veio. Não só em relação à Avenida Paulista. O que eu quero deixar claro é que eu não sou contra... o Ministério Público não está pedindo aqui que não implante, não é isso. A implantação tem que ser feita de forma que o administrador, utilizando a liberdade relativa, esse valor que a lei concede a ele, que ele faça a melhor opção, que ele prime pela eficiência.

Participante – Na sua ação, doutora, a senhora não questiona somente o método empregado pela Prefeitura, a senhora questiona a política pública em si. A senhora questiona a importância das bicicletas na cidade, a senhora advoga em favor do carro inúmeras vezes, dizendo que é o veículo que mais movimenta a economia e diz que é o principal veículo da cidade de São Paulo, de maior viagens, o que é um equívoco.

Promotora – Você está errado, o que se coloca aqui é que a política pública foi desprovida de estudo e de participação popular.

Participante – Desprovida? A gente consegue provar para a senhora que não foi desprovida. A gente, por exemplo, criou uma câmara temática de bicicletas para acompanhar a implementação com 22 membros, ciclistas da sociedade civil.

Promotora – Veja, o que se coloca aqui é que as oitivas têm que ser feitas não só com os ciclistas, mas com a população como um todo.

Participante – Isso é feito com o carro também? Obra viária é feito isso também? A senhora pede pra obra viária isso?

Nesse ponto a discussão aumenta, muitas pessoas começam a falar ao mesmo tempo, uma voz feminina, provavelmente uma assessora, corta o rapaz, diz que outras pessoas também têm que fazer perguntas, e a coletiva prossegue. A íntegra do debate está disponível aqui.

Mas esse trecho já ilustra bem as intenções da promotora e do Ministério Público Paulista. Desfazer o trabalho que foi feito até agora, e devolver os ciclistas à marginalidade, em favor da circulação dos carros e disponibilidade de vagas de estacionamento no viário urbano.

Sua tese está sim, cheia de juízo de valor, recheada de adjetivos e críticas à administração pública. Abaixo, alguns trechos da ação, que pode ser lida na íntegra aqui.

“Paralelamente ao desenvolvimento exacerbado do sistema cicloviário neste Município nos últimos meses, esta Promotoria de Justiça especializada recebeu e continua recebendo um número considerável de reclamações de munícipes sobre irregularidades e problemas que têm agravado o já caótico sistema de mobilidade urbana da Cidade de São Paulo”.

“A implementação do sistema cicloviário nesta Cidade, da forma como está sendo realizada (sem prévio estudo técnico detalhado e sem participação popular), trará consideráveis prejuízos ao modal que ainda é o mais importante para a economia de São Paulo (registrando-se, mais uma vez, que o transporte público de massa é deficiente e, por ora, não há alternativa para esse modal)".

“Lamentavelmente, a Cidade de São Paulo, ao contrário do que ocorre em Nova Iorque e em Amsterdã, não possui um transporte público de excelência e, por ora, não há alternativa de transporte público coletivo. A bicicleta não é um meio de transporte de massa, de modo que sua eficiência é questionável, pois sua capacidade é ínfima”.

“Infere-se, pois, que a implementação do sistema cicloviário no Município de São Paulo decorre, exclusivamente, da vontade política do administrador que, no caso em exame, não se coaduna com o interesse público”.

“Não se concebe que a sorte das cidades fique a reboque da conveniência do administrador público”, finaliza a peça.

Pois agora a sorte da cidade está a reboque da conveniência do judiciário. A implementação de novas ciclovias e ciclofaixas está suspensa por decisão do juiz Luiz Fernando Rodrigues Guerra, da 5ª Vara da Fazenda Pública, que aceitou parte dos argumentos da promotora.

A seguir, a Prefeitura vai enviar os estudos citados na ação para só então poder retomar os trabalhos.

Atualizado: o participante do debate citado no texto é Daniel Guth, diretor da Ciclocidade.

Média: 4.7 (37 votos)

Recomendamos para você

104 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

imagem de observador1
observador1

Ministério Público ou Automobilístico?

Nassif, a reivindicação de maior espaço para os ciclistas consta de todos planos diretores municipais e metropolitano de São Paulo, assim como era um benefício indireto do metrô deixar a superfície viária livre para os pedestres e ciclistas, como celebramos à época em que o metrô começou a ser construído. E desde o início dos anos 70, quando a CET, DTP e DSV passaram a gerir o trânsito e transporte no lugar do Detran, a criação de ciclofaixas foi reivindicada e debatida por todos os setores da sociedade - como reivindica a desinformada promotora e coonesta o desinformado capa preta - no âmbito do atual Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, que reúne mais de 40 representantes do poder público, iniciativa privada e movimentos sociais representando ciclistas, idosos, jovens, trabalhadores, deficientes, estudantes e demais instâncias não governamentais. Ou seja, maior participação popular lastreando a criação dessas faixas é impossível, razão pela qual o principal argumento do MP é irrazoável, a oitiva popular respalda o burgomestre - só falta ele e seus assessores descobrirem isso; assim como falta à ilustre promotora de Justiça, Habitação e Urbanismo apoiar os interesses difusos e coletivos como o dos ciclistas, pedestres e demais usuários dos transportes alternativos à demanda dos carros próprios. Em síntese, a simples existência desse colegiado municipal aonde o tema vem sendo debatido nos últimos 40 anos desmente o MP, caindo por terra seu principal argumento, que vem a ser a falta de participação popular na valorização do ciclismo como meio de deslocamento viário na capital. Ou será que a promotora quer desqualificar o ciclismo que ousa desbancar o automóvel nas ruas da Paulicéia?

Seu voto: Nenhum (1 voto)

O cúmulo do absurdo

Prezados,

 

prestem atenção nesta frase da promotora Camila Mansour Magalhães da Silveira:

 

"O senhor espera um minutinho. Não foi encaminhado nenhuma estatística de acidente envolvendo ciclista no município."

 

Como assim?

Quer dizer que os levantamentos de dados dela são passivos? Fica esperando alguém mandar para ela?

Estes dados são públicos e estão disponíveis.

Porque não procurou? Porque não quiz? Preguiça? Excesso de trabalho? Porque não servia para seus objetivos? Descuido? Porque? É preciso que ela responda?

Por estas e outras é que é preciso responsabilizar estes agentes públicos pelas suas ações. Outros funcionários públicos colocam seu patrimônio pessoal em risco com suas ações, os promotores também precisam responder financeiramente por suas ações.

O prejuízo aos cofres públicos com a paralização de obras é MILIONÁRIO. São empresas que tem que pagasr fiuncionários, maquinários, fornecedores, etc.

Lógico que será a prefeitura que terá que arcar com estes custos enquanto esta liminar estiver vigente.

O custo das licitações públicas acabam ficando mais caras. Se existe risco, isto se transforma em custo.

É preciso mudar as regras do Ministério Público, para fortalecê-lo e evitar que ações como estas destruam este órgão.

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Tem que ter mais cuidado na engenharia!

Comecei a ler o tal documento técnico do MP, e vejo que se deferia fazer um questionamento exatamente sobre o laudo pretensamente técnico deste documento. Não indo muito longe, verifiquei que o documento além de não ser técnico tem falhas que demostram quanto político 

As críticas totalmente impertinentes da Promotora vão desde a necessidade de engenheiro responsável com registro de anotação de responsabilidade técnica, coisa que não é feita geralmente em obras públicas e por mais incrível que pareça pela própria promotoria, pois a citação dos assistentes judiciários (dois engenheiros) que dão apoio ao MP, também não é apresentado nenhum LAUDO TÉCNICO ou pelo menos PARECER TÉCNICO com a ART dos profissionais.

A promotora usa além de termos carregados de juízo de valor como "o desenvolvimento exacerbado do sistema cicloviário", como ela inventa uma nova definição matemática, "AGRAVAMENTO DE UM SISTEMA CAÓTICO", ou seja, seu documento baseia-se numa premissa errada que com a introdução das ciclovias um sistema caótico, algo definido perfeitamente na matemática e não provado em local nenhum, prevê algo que não existe!

Por outro lado ela questiona a não existência de um projeto executivo, coisa que não é previsto em lei, pois se há um projeto básico, que geralmente é feito definindo os trajetos, definindo os gabaritos das ciclovias, a única coisa que não vi em local nenhum é a definição das intersecções, que talvez já tenham sido feitas na Prefeitura.

Quanto ao estudo de viabilidade os próprios levantamentos do aumento de tráfego de bicicletas com a implantação das ciclovias, mostram que há uma imensa demanda reprimida pelas mesmas, e que a maioria dos usuários atuais nem pensavam na bicicleta como modal de transporte.

Não fui adiante pois me daria muito trabalho, mas se alguém com ânimo para tanto lesse com cuidado o documento derrubaria por completo os falhos argumentos do documento, mas para tanto não é suficiente berros e gritos dos ciclistas que apesar de estarem totalmente com a razão precisariam utilizar uma boa engenharia para desmanchar por completo este documento do MP que pretende ser científico.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de ARTCHELLA CHIAPETTA
ARTCHELLA CHIAPETTA

Circo

O Poder Judiciario neste ultimos tempos é a esfera que mais se omite no Brasil...Quando resolve fazer alguma coisa, bem inutil por sinal, ainda faz porcaria. 

Seu voto: Nenhum
imagem de Renato Riguetti
Renato Riguetti

Ciclismo é hobby

Ciclismo sempre foi, desde que eu me entendo por gente, um hobby, um esporte. Paulista tá achando que bicicleta é transporte de massa? querem transformar a força, forçar a barra para que se tenha privilégios de via com finalidades para locomoção profissional? isso é um absurdo, veiculos quando se tornaram meio de locomoção para fins economicos não existiam outros meios concorrentes, por isso que não se deve equiparar ou ter uma igualdade de direitos de vias automotivas com ciclovias, que querem andar de bicicleta, vão pedalar na praia em finais de semana ou proximo às suas casas depois do trabalho.  Uma meia dúzia de pessoas, pelo visto com pontos de vistas destorcidos ou que não possuem discernimento quanto à necessidade de transportes automotivos para deslocamento de milhoes de indivíduos para manterem a economia e seus empregos, querem ser beneficiadas, prejudicando assim a economia do Estado, aumentando a insegurança no transito e colocando suas próprias vidas em risco. Querem fazer exercícios, vão para uma academia ou façam o que eu sugeri acima, se acham que estão contribuindo para o meio ambiente, devo lembrar que o monitoramento de emissão de gases e a inserção de veiculos eletricos já estão resolvendo esse assunto sem colocar em cheque o deslocamento de milhoes de cidadãos aos seus postos de trabalho e sem afetar e colocar em risco a economia do Estados. Ciclistas idiotas, só em São Paulo mesmo.

Seu voto: Nenhum
imagem de Jesus Marx Guevara
Jesus Marx Guevara

Madame volante

A madame não quer ciclovia?

Deve ter sido indicada para o cargo, nem toda pessoa inteligente se sente 'paulista provilegiado'.

Ahhh, vai caçar serviço como MP. Tem tanta coisa para consertar, o povo vive à deriva de justiça e urbanismo. Está fazendo alguma coisa pela água em SP? 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Ciclovias

Este assunto seria pertinente ao ministério público se houvesse algo ilícito que caracterizasse algum tipo de desrespeito às  leis, não vejo isto. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Antonio Prado
Antonio Prado

Nem precisa...

Nem seria necessário laudo para saber que o MP está coberto de razão! É só olhar perto de sua casa ou ver as centenas de fotos publicadas na internet! Essas ciclovias sao obras tao acintosamente MAL FEITAS que nosso simpatico prefeito mereceria uma belo processo nas costas. É o jeitinho PT de governar, sempre imprimindo sua marca!

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Vagalume do Brejo
Vagalume do Brejo

Os outros não deram valor, o

Os outros não deram valor, o Hadade abraçou e agora vocês estão correndo para tentar parar esta demanada aprovada por mais de 80 da cidade!

PS: o assunto aqui é mobilidade, meio ambiente, qualidade de vida, não trololó.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Vera oliveira
Vera oliveira

Atuação do MP e cidadãos

É evidente a intenção do MP dos que apoiam o apoiam. Os que defendem argumentam sem falar em partido. Os que atacam sempre citam o partido atualmente na Prefeitura.

Quando a gestão Kassab fez e desfez as faixas p motos ninguém, ninguém reclamou, apoiou ou pediu explicações e sustificativas! 

Silêncio total......  Por quê?

Será que estão mesmo preocupados com alguma coisa?

 

E a gestão  perdulária feita pela SABESP? Aonde está o estudo???

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Vagalume do Brejo
Vagalume do Brejo

Vamos na casa desta senhora

Vamos na casa desta senhora levar ela para um passeio de bicicletas na cidade. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Vagalume do Brejo
Vagalume do Brejo

Essa senhora deveria estudar

Essa senhora deveria estudar sobre mobilidade.

De duas uma, ou ela é burra ou esta de ma fé.

Sera que em miami não tem ciclovia?

Qual é a linha de transporte publico que ela anda?

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Burra ela não é

O concurso pra ingresso no MP é difícil, não é qualquer um que passa, mesmo estudando muito.

Logo...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

No Brasil a única proposta política da oposição é o golpe.

Quando a Justiça só pune de um lado, os bandidos já sabem qual lado escolher.

Ciclistas atropelam promotora que interrompeu ciclovias

Plenamente de acordo. Os membros do Judiciário brasileiro não podem ficar impunes diante de tanto desserviço à sociedade! E, diga-se de passagem, um desserviço caro, pago com nossos impostos.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Jorge Jaba
Jorge Jaba

Juiz X para presidente

A julgar pelo rumo que as coisas no Brasil estão tomando , daqui a 3 anos e meio teremos a indicação (pois a justiça terá este poder) de um juiz para Presidente do Brasil . Chuto alguém entre Segio Moro , Gilmar Mendes e Rodrigo Janot . Joaquim Barbosa correndo por fora.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de jairocabral
jairocabral

juiz para presidente

Concordo com Jorge Jaba: o próximo presidente da República será Dias Toffoli. Vice-presidente: SIBÁ MACHADO. A coisa está muito feia mesmo! Também, depois de Lula e Dilma.....

Seu voto: Nenhum
imagem de Zé Mané
Zé Mané

enriuqecimento ilícito

E ninguém move ação para averiguar se tem enriquecimento ilícito nisso ai... tem que abrir conta bancária.....registro de telefone e etc... ai vai aparecer o porque desta ação. Agora ..gritar em reunião [e justamente o que ela quer.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Adilson...
Adilson...

Se São Paulo não possui

Se São Paulo não possui transporte público de excelência porque a justiça paulista até hoje não prendeu nenhum tucano pelos desvios de bilhões no metrô de São Paulo que é um transporte de massa e que anda a passos de tartaruga nesses 20 anos de PSDB. Será que se o prefeito fosse tucano o MP se incomodaria com as ciclovias, duvido.

Seu voto: Nenhum (10 votos)
imagem de Adilson...
Adilson...

Se São Paulo não possui

Se São Paulo não possui transporte público de excelência porque a justiça paulista até hoje não prendeu nenhum tucano pelos desvios de bilhões no metrô de São Paulo que é um transporte de massa e que anda a passos de tartaruga nesses 20 anos de PSDB. Será que se o prefeito fosse tucano o MP se incomodaria com as ciclovias, duvido.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

O metrô de São Paulo é a vanguarda do atraso...

Fundado em 1974, o metrô de São Paulo atende 12 milhões de pessoas e tem 79 km em 6 linhas e 67 estações. O da Cidade do México, fundado em 1969, atende 9 milhões de pessoas e tem 226 km em 12 linhas e 195 estações.

O metrô de Santiago, no Chile, fundado em 1975, atende menos da metade da população de Sampa e tem 103 km em 5 linhas e 108 estações. O metrô de Caracas, dez anos mais novo que o de Sampa, atende 1/3 da população de Sampa com 67 km em 4 linhas e 45 estações.

O metrô de São Paulo é a vanguarda do atraso... 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

No Brasil a única proposta política da oposição é o golpe.

Quando a Justiça só pune de um lado, os bandidos já sabem qual lado escolher.

imagem de Edinho Carlos
Edinho Carlos

Realmente, a elite paulistana

Realmente, a elite paulistana representa a vanguarda brasileira. A vanguarda brasileira do atraso...

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Rogerio Bezerra
Rogerio Bezerra

Judiciário e o PT

O Judiciário é o último bastião da elite mais burra e exploradora do Planeta continuar  a nos atrasando. O Legislativo e a Mídia foram atropelados pelos Progressistas que, como digo, tiraram o Brasil da nulidade histórico mundial ao mostar que o país poderia se desenvolver e caminhar para ser um lugar digno para TODO o seu povo. É no Judiciário que estão as últimas fichas dos traidores locais e dos países que temem , e como temem, nossa plena soberania. Ou alguém ainda acredita que os países não competem entre si? 

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Octavio
Octavio

A inJustiça brasileira

Concordo plenamente com vc. Enquanto não colocarmos o judiciário e este mp na parede, eles continuarão a fazer e desfazer. Precisamos nos mobilizar e lutar junto ao congresso para que o nosso (nosso ou deles?) mp e judiciário atuem como promotores e juízes da liberdade, e não como políticos de oposição. Já está vergonhoso. No começo eles usaram os religiosos, depois os militares, agora usam o sistema judiciário.

Seu voto: Nenhum
imagem de Octavio
Octavio

A inJustiça brasileira

Concordo plenamente com vc. Enquanto não colocarmos o judiciário e este mp na parede, eles continuarão a fazer e desfazer. Precisamos nos mobilizar e lutar junto ao congresso para que o nosso (nosso ou deles?) mp e judiciário atuem como promotores e juízes da liberdade, e não como políticos de oposição. Já está vergonhoso. No começo eles usaram os religiosos, depois os militares, agora usam o sistema judiciário.

Seu voto: Nenhum
imagem de Luís Henrique Donadio
Luís Henrique Donadio

3, 2, 1... coxinhas

3, 2, 1...

coxinhas comentando a tentativa de assassinato de uma promotora por ciclistas ensandecidos que tentaram atropelá-la.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de nilo
nilo

O "monstro" MP (Sepulveda)

O "monstro" MP (Sepulveda) que só tem espaço pela leniência de Juízes fracos

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Cesar Rocha
Cesar Rocha

Rosto tucano

A senhora promotora tem um rosto bem tucano, né! E o debate transcrito acima demostra que o raciocínio também o é. É a lógica: sem tem PT no poder, sou contra.

Seu voto: Nenhum (11 votos)
imagem de Luís Henrique Donadio
Luís Henrique Donadio

Que diabos vem a ser um

Que diabos vem a ser um "rosto tucano"?

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Cesar Rocha
Cesar Rocha

Rosto tucano

A senhora promotora tem um rosto bem tucano, né! E o debate transcrito acima demostra que o raciocínio também o é. É a lógica: sem tem PT no poder, sou contra.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Julio Martins
Julio Martins

Neca

Tenho certeza que a Neca Setúbal responderia para a promotora: "isso muda o mundo"...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Tem que ter mais cuidado na engenharia!

Comecei a ler o tal documento técnico do MP, e vejo que se deferia fazer um questionamento exatamente sobre o laudo pretensamente técnico deste documento. Não indo muito longe, verifiquei que o documento além de não ser técnico tem falhas que demostram quanto político 

As críticas totalmente impertinentes da Promotora vão desde a necessidade de engenheiro responsável com registro de anotação de responsabilidade técnica, coisa que não é feita geralmente em obras públicas e por mais incrível que pareça pela própria promotoria, pois a citação dos assistentes judiciários (dois engenheiros) que dão apoio ao MP, também não é apresentado nenhum LAUDO TÉCNICO ou pelo menos PARECER TÉCNICO com a ART dos profissionais.

A promotora usa além de termos carregados de juízo de valor como "o desenvolvimento exacerbado do sistema cicloviário", como ela inventa uma nova definição matemática, "AGRAVAMENTO DE UM SISTEMA CAÓTICO", ou seja, seu documento baseia-se numa premissa errada que com a introdução das ciclovias um sistema caótico, algo definido perfeitamente na matemática e não provado em local nenhum, prevê algo que não existe!

Por outro lado ela questiona a não existência de um projeto executivo, coisa que não é previsto em lei, pois se há um projeto básico, que geralmente é feito definindo os trajetos, definindo os gabaritos das ciclovias, a única coisa que não vi em local nenhum é a definição das intersecções, que talvez já tenham sido feitas na Prefeitura.

Quanto ao estudo de viabilidade os próprios levantamentos do aumento de tráfego de bicicletas com a implantação das ciclovias, mostram que há uma imensa demanda reprimida pelas mesmas, e que a maioria dos usuários atuais nem pensavam na bicicleta como modal de transporte.

Não fui adiante pois me daria muito trabalho, mas se alguém com ânimo para tanto lesse com cuidado o documento derrubaria por completo os falhos argumentos do documento, mas para tanto não é suficiente berros e gritos dos ciclistas que apesar de estarem totalmente com a razão precisariam utilizar uma boa engenharia para desmanchar por completo este documento do MP que pretende ser científico.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

SP tá me assustando. e olha

SP tá me assustando.

e olha que sou da terra do Eduardo Cunha, bolsonaro ( a quem tive o desprazer de cruzar ontem no centro do rio), etc.

mas vejamos:

-ipanema está ganhando a segunda estação de metro e não houve aqui o "carnaval" de SP por construir estação em bairro rico;

- moro em bairro de classe média alta em niterói e a prefeitura construiu ciclofaixa na minha rua eliminando vagas de estacionamento e não vi nenhum desses ataques por parte de moradores que, se fizeram, foi dentro de suas casas.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Aqui em BH, cidade cheia de

Aqui em BH, cidade cheia de morro, o prefeito faz (e não faz) o que quer. Recapeamento de vias só onde não precisa, aliás é algo incompreensível porque o cara só asfalta ruas que estão em estado bom. Na maior parte da cidade o asfalto está um lixo, mas nos seus 6 anos de Prefeito nada foi feito.

Por outro lado ele andou implantando faixas exclusivas para ônibus, ciclovias em vários lugares da zona sul (BH é uma cidade cheia de morros) e ninguém deu um pio pra reclamar, aliás, quando vamos criticar a prefeitura o pessoal aqui da classe média faz cara de paisagem e desvia do assunto, mesmo que a rua na porta da casa do sujeito tenha uma cratera.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

O cúmulo do absurdo

Prezados,

 

prestem atenção nesta frase da promotora Camila Mansour Magalhães da Silveira:

 

"O senhor espera um minutinho. Não foi encaminhado nenhuma estatística de acidente envolvendo ciclista no município."

 

Como assim?

Quer dizer que os levantamentos de dados dela são passivos? Fica esperando alguém mandar para ela?

Estes dados são públicos e estão disponíveis.

Porque não procurou? Porque não quiz? Preguiça? Excesso de trabalho? Porque não servia para seus objetivos? Descuido? Porque? É preciso que ela responda?

Por estas e outras é que é preciso responsabilizar estes agentes públicos pelas suas ações. Outros funcionários públicos colocam seu patrimônio pessoal em risco com suas ações, os promotores também precisam responder financeiramente por suas ações.

O prejuízo aos cofres públicos com a paralização de obras é MILIONÁRIO. São empresas que tem que pagasr fiuncionários, maquinários, fornecedores, etc.

Lógico que será a prefeitura que terá que arcar com estes custos enquanto esta liminar estiver vigente.

O custo das licitações públicas acabam ficando mais caras. Se existe risco, isto se transforma em custo.

É preciso mudar as regras do Ministério Público, para fortalecê-lo e evitar que ações como estas destruam este órgão.

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Carlos Palhares
Carlos Palhares

Eu digo mais: Como um estudo

Eu digo mais: Como um estudo - com ambição de ser considerado respeitável - sobre viabilidade de ciclovias não considera a segurança dos ciclicstas em nenhum momento?

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Realmente
Realmente

Esse é o

Esse é o comentário/observação mais importante. Foi inacreditável ler essa declaração.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

A dondoca não foi votada

A patricinha não recebeu sequer um voto para fazer papel de poder executivo...ah esses jovens concurseiros que tem merda na cabeça e só pensam em lamber as botas dos senhores da Casa Grande...essa molecada do MP teve todo o tempo para focar a atenção nas apostilas, o que não seria possivel ao filho de um trabalhador, com raras excessões, claro.

Seu voto: Nenhum (8 votos)

 

...spin

 

 

imagem de Sandro Paper
Sandro Paper

Temos que falar de Reforma Política

Reforma política tem q ser feita por plebiscito. O povo tem q se organizar e ir pra cima de Cunha e do Congresso para impedir que eles venham a se beneficiar das regras que querem criar.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de justo
justo

Não é Ministério Público

Não é Ministério Público Estadual, não é Ministério Público Federal...

é Ministério Público Global.

Plim Plim!!!

Seu voto: Nenhum (3 votos)

E se o Serra tivesse ganho e

E se o Serra tivesse ganho e o projeto fosse da Soninha que é uma ciclista militante, porém tucana? Aha, aí faria toda a diferença né Doutora? O MP de São Paulo é muito previsível. Será que essa moça não estava no ato domingo?

Seu voto: Nenhum (7 votos)

Juliano Santos

imagem de Rodrigo Hídrico
Rodrigo Hídrico

Extra Extra! Promotora

Extra Extra! Promotora Bloqueia ciclovias na justiça exigindo Estudo de impacto!!!!

 

Qual é o nome do Filme?

 

"_ Eu sei o que vc fez no dia 15 _ "

Seu voto: Nenhum (7 votos)

Esperar o quê do MP de São Paulo ?

Nada. É um dos piores do país !

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Thal Caló

nada, não. espere o pior!

nada, não. espere o pior!

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Brasil, há muito pra temer!

A vida é curta demais para se beber cerveja barata!!

A folha é contra a corrupção no pt, no psdb não!!!

 Frede69

imagem de Ricardo castro cardoso
Ricardo castro cardoso

Que absurdo!! Que judiciário

Que absurdo!! Que judiciário é esse?   Todo judiciário quer ser amiguinho da Globo? Todos querem ganhar o tal prêmio que mouro ganhou?

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de SMELEITE
SMELEITE

ciclovia

O judiciário não tem nada com isso. Ela é promotora. Ela promoveu uma ação civil pública. A promotora é do PODER EXECUTIVO E NÃO DO JUDICIÁRIO!!!.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de beto
beto

Imbecil....estude antes de

Imbecil....estude antes de bfalar besteira. O MP é órgão independente do Executivo, Judiciário....Babaca....

 

Seu voto: Nenhum
imagem de Giuseppe duo
Giuseppe duo

Não sei por que as pessoas

Não sei por que as pessoas chamam a promotora de doutora, deve ser resquício da nossa herança colonial.

Doutor ou doutora é somente aquele que defendeu e aprovou uma tese de doutorado perante uma banca examinadora.

O Brasil ainda deve se livrar desta maldita herança colonial se quiser ser um país decente.

Seu voto: Nenhum (9 votos)

Mais um procurador do MP

Mais um procurador do MP fazendo média pra goebbels. É só pra isso que serve essa corja. Nós pagamos eles para fazerem macaquices na tela da goebbels. A concorrência tá tão grande que já dá pra criar um BBB só com membros do judiciário. 

Seu voto: Nenhum (12 votos)
imagem de anac
anac

Disse TUDO. Fazendo média com

Disse TUDO. Fazendo média com a Goebbels para aparecer no jornal antinacional. Politicagem contra o povo. O PT hoje está no pdoer amanhã pode não mais está. É como funciona a  democracia.

Não terá jeito é o prejuizo a sociedade  que essa snehora causará por agir politicamente para agradar a mídia e receber preminho como o torquemada da república do Paraná. O povo que se exploda. Bicicleta e´ESSENCIAL. Meio de transporte saudável adotado hoje em todo o mundo. Essencial   a sobrevivencia da humanidade. O planeta  está a beira do colapso e muito por culpa da  industria automobilistica poluidora e essa senhora está interessada em fazer politicagem.

No andar dessa insanidade, o planeta Terra como sempre permanecerá, o ser humano é  que será extinto, como foram os dinossauros.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Roberto Amaral
Roberto Amaral

UM MINUTO DE SUA ATENÇÃO, POR FAVOR:

Entendo que as Associações de Ciclistas podem (e devem) entrar com petição na ação como Terceiro Interessado.

Não será difícil encontrar bons advogados que concordem em patrocinar a causa, inclusive sem cobrança de honorários.

O Ministério Público deveria ter levantado os problemas específicos e pontuais das ciclovias, poderia ter chamado a Prefeitura para negociar sobre eles, finalizando em acordo, no qual seria assinado um Termo de Ajustamento de Conduta, para as correções pontuais, sem necessidade desse recurso ridículo ao Judiciário.

Quantos ciclistas já morreram atropelados nas ruas e avenidas em que foram implantadas as ciclovias?

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de mauro silva 1
mauro silva 1

nababos

como são caros esses funcionários públicos! ... juízes e promotores, os néo-nababos brasileiros.

essa aí nunca arrumou a própria cama.

nunca pegou ônibus e só andou de bicicleta "na fazenda da dona zuleica, avó da mercedes, amiguinha da pré-escola no sacre-coeur", ou que o valha.

depois, direito em alguma "católica", preparatório para concurso para o m.p. ($5mil a mensalidade) sem precisar ler, nem mesmo os resumos, de os sertões; casa-grande e senzala, formação econômica do brasil, raízes do brasil ... livros que explicam a nação mas que ...  "não caem em concursos", seja da magistratura, seja do m.p.

nunca!

quem é essa 'entidade' que determina o perfil do candidato ideal à promotoria e à magistratura?

enquanto essa tal "entidade" não for decidida em eleição direta, o brasil continuará sendo a plutocracia que é, e com ranços medievais: a república não chegou ao judiciário.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

aqui em São Paulo,...

O ministério público não defende os interesses da população, ....  defende os interesses do psdb....

 

 

Judiciário, ... o poder mais corrupto da República !

Seu voto: Nenhum (15 votos)

pacoandrade

imagem de observador1
observador1

Ministério Público ou Automobilístico?

Nassif, a reivindicação de maior espaço para os ciclistas consta de todos planos diretores municipais e metropolitano de São Paulo, assim como era um benefício indireto do metrô deixar a superfície viária livre para os pedestres e ciclistas, como celebramos à época em que o metrô começou a ser construído. E desde o início dos anos 70, quando a CET, DTP e DSV passaram a gerir o trânsito e transporte no lugar do Detran, a criação de ciclofaixas foi reivindicada e debatida por todos os setores da sociedade - como reivindica a desinformada promotora e coonesta o desinformado capa preta - no âmbito do atual Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, que reúne mais de 40 representantes do poder público, iniciativa privada e movimentos sociais representando ciclistas, idosos, jovens, trabalhadores, deficientes, estudantes e demais instâncias não governamentais. Ou seja, maior participação popular lastreando a criação dessas faixas é impossível, razão pela qual o principal argumento do MP é irrazoável, a oitiva popular respalda o burgomestre - só falta ele e seus assessores descobrirem isso; assim como falta à ilustre promotora de Justiça, Habitação e Urbanismo apoiar os interesses difusos e coletivos como o dos ciclistas, pedestres e demais usuários dos transportes alternativos à demanda dos carros próprios. Em síntese, a simples existência desse colegiado municipal aonde o tema vem sendo debatido nos últimos 40 anos desmente o MP, caindo por terra seu principal argumento, que vem a ser a falta de participação popular na valorização do ciclismo como meio de deslocamento viário na capital. Ou será que a promotora quer desqualificar o ciclismo que ousa desbancar o automóvel nas ruas da Paulicéia?

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.