Revista GGN

Assine

O xadrez da batalha de Stalingrado do impeachment

Os alemães montaram uma blitzkrieg contra Stalingrado. Precisavam vencer rapidamente, caso contrário o inverno rigoroso jogaria contra a ocupação. Houve uma resistência heróica que segurou as tropas alemãs, expondo-as ao inverno russo. O fator tempo decidiu a batalha.

É um quadro muito similar ao brasileiro.

O inverno rigoroso é o aprofundamento da crise, podendo chegar a um ponto crítico em meados do próximo semestre. Os grandes grupos econômicos apoiarão qualquer acordo que coloque fim à guerra política. Poderá ser saída com Michel Temer, novas eleições ou mesmo saída com Dilma.

Instalada a Comissão do Impeachment, no início a saída de Dilma afigura-se a solução mais rápida. Serão 15 sessões, 48 horas de Congresso e o desfecho da votação na Câmara no final de abril.

Nesse período, o consórcio Lava Jato-mídia jogará com tudo.

Por outro lado, o governo Dilma contará agora com Lula na articulação política. Serão necessários 171 votos para matar o impeachment. Passando, ainda haverá disputa no Senado.

No Congresso há dois grupos definidos, contra e a favor do governo. E um meio campo indefinido. Com Lula entrando no jogo, aumentam as possibilidades de ampliar o número de parlamentares contrários ao impeachment.

Se o governo conseguir os 171 votos, mata o impeachment. Aí, como em Stalingrado, o inverno passa a jogar contra as tropas nazistas. Vencido o desafio do impeachment, haverá condições de um novo pacto político estabilizando a crise política, para começar a atacar a crise econômica.

A grande ópera da Lava Jato

Desde o ano passado, a Lava Jato segue um roteiro profissional, de casar seu tempo com o tempo político.

O governo Dilma entrou 2016 mais animado.

De 16 a 20 de dezembro do ano passado, uma sucessão de fatos abriu algum espaço para respirar. O STF derrotou o surpreendente voto do Ministro Luiz Fachin sobre o rito do impeachment. Eduardo Cunha foi responsabilizado no Conselho de Ética da Câmara e o PGR entrou com uma ação contra ele. Finalmente, houve a queda do Ministro Joaquim Levy e a chegada de Ricardo Berzoini e Jacques Wagner, abrindo espaço para uma agenda de recomposição política.

Dilma se abriu finalmente para a sociedade civil, em uma reunião exitosa do CDES (Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social) com pronunciamentos importantes de Roberto Setúbal, presidente do Itaú-Unibanco, e Luiz Trabuco, presidente do Bradesco. Os movimentos de rua pareciam esgotados.

Pensava-se que a Lava Jato tivesse esbanjado todo seu estoque de fatos e factoides e o governo ganhasse algum fôlego para enfrentar a crise.

Mal abriu o ano, antes do Congresso começar a atuar, a Lava Jato apertou o passo visando recriar o clima de catarse que sensibilizasse novamente as ruas.

A corrida contra o tempo fez com que rapidamente se despisse do manto da isenção. Começou com Sérgio Moro oferecendo seus delatores para instruir as ações no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) contra Dilma. Depois a ofensiva sobre o tríplex, rapidamente voltando-se para o sítio em Atibaia quando apareceu a offshore que poderia ter ligações com a Globo. Alimentou por semanas o noticiário com pedalinhos, barquinhos de alumínio, estátuas de Cristo Redentor.

Finalmente, entrou no jogo pesado da condução coercitiva de Lula, culminando com a divulgação de todos os grampos coletados de pessoas no entorno de Lula. E chegou ao ápice com a divulgação de um grampo ilegal na própria presidente da República.

Um rescaldo do nosso xadrez

No dia 13 de março tracei o cenário possível no dia da grande manifestação pró-impeachment, “O xadrez da política no dia D” (http://migre.me/thPrk).

Nele, juntávamos as seguintes peças e hipóteses:

1.     Os três grupos protagonistas da crise eram os Lulistas, os Parlamentaristas (Renan à frente) e o Alto Comando (a Procuradoria Geral da República).

2.     Só há duas saídas negociadas possíveis: o semiparlamentarismo de direito com Dilma ou semiparlamentarismo de fato com Lula assumindo a articulação do lado do governo.

3.     Há duas forças conflitantes: forças moderadoras percebendo o risco de uma guerra selvagem, entre Lulistas e Parlamentaristas; e o Alto Comando apostando tudo no confronto.

4.     Por enquanto, o cenário mais provável é o do pacto PMDB-PSDB visando apoiar ao impeachment.

De lá para cá ocorreram novos lances, uma montanha russa fantástica, na qual os dois lados jogam suas peças no tabuleiro visando controlar o estado de ânimo das suas respectivas tropas.

A guerra de nervos

Ponto importante é a guerra de informações, com um componente psicológico dos mais relevantes. Daqui até a votação do impeachment haverá uma sucessão de fatos, de lado a lado, visando derrubar o ânimo dos adversários e animar as próprias hostes.

Não se trata de uma mera briga de torcidas, mas da criação de um clima psicológico que influenciará os parlamentares na hora de se colocarem ante o impeachment e o próprio ânimo do STF para atuar como moderador e legalista.

É um caso clássico em que o clima do “já ganhou” pode influir na vitória. Portanto, os que sugerem asilo político para Lula ou entram em pânico, sugere-se escalda-pés, chá de limão e remédios naturebas contra a ansiedade.

Esse ping pong começou lá atrás e ganhou ímpeto a partir do dia 13. É uma verdadeira montanha russa de alternativas políticas, de ataques e contra-ataques.

Lance 0 – Oposição

A super-manifestação do dia 13, pró-impeachment,

Lance 1 – Governo

Lula aceitando o Ministério e reanimando as forças anti-impeachment, um reforço considerável, a última chance do governo Dilma.

Lance 2 – Oposição

Com autorização da PGR, a Lava Jato torna públicos todos os grampos, conseguindo abafar as repercussões positivas da decisão de Lula, mas avançando perigosamente nos limites de atuação, incorrendo em suspeita de crime, tanto os policiais federais (por terem aceito um grampo efetuado fora do prazo legal), quanto o juiz Sérgio Moro (que admitiu a divulgação do grampo).

Lance 3 – Governo.

Assim que a poeira assentou, os abusos da Lava Jato provocaram uma série de manifestações indignadas, inclusive de jornais. E uma série de manifestações públicas de advogados, intelectuais, estudantes e militantes. A presunção de crime abriu espaço, de um lado, para enquadramento da Polícia Federal – o que foi feito rapidamente pelo novo Ministro da Justiça, subprocurador Eugênio Aragão, em seu primeiro pronunciamento – e para enquadramento da própria Lava Jato.

Segundo o jurista Luiz Flávio Gomes, houve crime no vazamento

(...) As críticas duras também dizem respeito a ter divulgado tudo, sem “selecionar” o que era pertinente para a investigação (conversas que não têm nada a ver com a investigação não podem ser publicadas – é crime essa divulgação);

(...) Por força do direito vigente não pode ser quebrado o sigilo telefônico de advogado, enquanto advogado (havendo suspeita contra ele, sim, pode haver interceptação);

(...) Ponto que será discutido é o seguinte: na hora da interceptação que captou a fala da Dilma (13:32h) a autorização do Moro já não existia; nesse caso a prova pode ser considerada ilegal pelo STF (por ter sido colhida no “diley”);

(...) Moro não apontou em sua decisão os artigos legais e constitucionais do seu ato de divulgação de “tudo” (há déficit de fundamentação); invocar o interesse público não vale quando o conteúdo, por lei, não pode ser divulgado (somente o STF poderia ter divulgado, por razões de segurança nacional, diz Dilma).

Ouvidos pela Folha em Curitiba, investigadores informaram ter obtido autorização do PGR.

Lance 4 – Oposição

Da Europa, Janot confirmou a autorização, embora ressalvando não saber sobre a última gravação. Mas sabia obviamente que a divulgação do conteúdo das demais visaria meramente espalhar intrigas e fortalecer o clima favorável ao impeachment.

Para reforçar a estratégia, o PGR e o decano do STF, Ministro Celso de Mello, inverteram o crime: não mais a divulgação de um grampo na própria presidente da República, mas as frases proferidas por Lula em conversas informais que, em um país sob o comando das leis, jamais poderiam ter sido divulgadas.

Lance 4 – Governo.

A super-manifestação do dia 19, contra o impeachment repõe a bola com o governo, aumentando substancialmente o cacife político de Lula.

Lance 5 - Oposição

A decisão do Ministro Gilmar Mendes, assim que confirmado o sucesso das manifestações, de anular a posse de Lula e devolver o inquérito para Curitiba.

Nos próximos dias o governo terá que agir rapidamente para reverter o voto de Gilmar.

Próximos lances

Daqui até o fim de abril a disputa será atrás dos votos do Parlamento.

A divulgação dos grampos pela Lava Jato teve dois efeitos:

1.     Criou álibis para Gilmar Mendes atuar no STF e criar amarras jurídicas para a movimentação de Lula.

2.     Intimidou os críticos e o grupo de Lula. Todos passaram a fugir dos telefones – em um momento que exige muito contato e muita conversa.

Por outro lado, é possível que o enquadramento dos policiais federais pelo novo Ministro da Justiça Eugênio Aragão reduza os vazamentos da operação.

Mas os dois campos de disputa serão efetivamente o STF e o Congresso. Tem jogo ainda pela frente.

Média: 4.6 (45 votos)

Recomendamos para você

169 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Renato Ferreira Lima
Renato Ferreira Lima

Nada aqui faz muito sentido

Vamos lá, a comparação histórica é sem pé nem cabeça, pois aqui não se trata de uma guerra, mas da leitura das leis pelos mais importantes tribunais do Brasil - não há uma única sentença ou ação que não esteja sendo escrutinada pelo STF. Ao contrário do que os simpatizantes da Presidente querem não se trata de uma guerra. Dizem que toda vez que alguém faz uma analogia ao nazismo é porque está sem argumentos. Cada vez mais essa afirmação vai se mostrando verdadeira.

Dizer que o tempo está a favor do governo é outra afirmativa sem pé nem cabeça. Se Dilma fizer o milagre de sobreviver até 2018, o PT, como força política estará reduzido ao que era nos anos 80, capaz de se articular com sindicatos e associações mais radicais e só. O preço dessa "resistência", defendendo o indefensável, vai causar muitos danos ao Partido - um deles será o de o Ministro da Justiça ser preso por obstruir a Justiça. Esse novo cara parece ser uma autêntica cavalgadura...

Se os russos aguardavam pelo general inverno, o governo aguarda pelo quê? Por surgir algo contra o PSDB? Então vocês não entenderam nada MESMO sobre o que as ruas estão dizendo. Alguém aí acha que as ruas vão defender o Aécio? O senador de Minas Gerais que mora no Leblon? Cara, as pessoas estão é de saco cheio do palavrório vazio dessa esquerda. Há uma "nova" esquerda surgindo... dizem que é a Marina, mas, pra mim, aquilo é mais do mesmo e com voz mais desagradável. Imagine aguentar aquele timbre num discurso de uma hora! Socorro...

Seu voto: Nenhum
imagem de marilamar
marilamar

A Presidente Dima, deveria

A Presidente Dima, deveria acionar as FFAAs, dissolver e prender e executar todos golpistas do Congresso, Judiciario, PF, MPF, PGR, Midia Corrupta e etcs POR CRIME DE TRAIÇAO A PATRIA, previsto no Codigo Militar!!! Pronto, acabou o GOLPE BRANCO DO EUA!!! E evitaremos uma GUERRA CIVIL sem precedente, pois a super-quadrilha do Golpe(assalto as nossas riquezas), tomaram a LEI e a ORDEM??? Vamos Dilma, nao tem outra soluçao ou prender todos eles e executa por TRAIÇAO A PATRIA ou teremos uma GUERRA CIVIL, chega de ser republicana com BANDIDOS e CORRUPTOS!!! E o Lula vai ter que pedir asilo politico na embaixada da China ou Russia pela perseguiçao implacavel, criminosa, doentia, ditadorial e totalmente injusta feita pela super-quadrilha formada MPF, PF, PGR, STJ, STF, CNJ, REDE GLOBO, BANDTV, RECORD, GAZETA, SBT, elite imunda e etcs!!! Ele nao pode ser preso pela PF, vao assassina-lo? ACORDE BRASIL, ACORDE BRASIL, É GUERRA!!! E o POVO BRASILEIRO, tem que se preparar para ir as ARMAS!!! Isto não é mais GOLPE, é um assalto ao cofres publicos e a soberania do Brasil e ao nosso humilde e pobre POVO , feito por uma super-quadrilha da elite imunda!!! VAMOS AS RUAS, VAMOS AS RUAS, VAMOS AS RUAS, VAMOS A GUERRA, VAMOS A GUERRA......

Seu voto: Nenhum
imagem de ingrid muller xavier
ingrid muller xavier

Cautela!!!

Prezad@ companheir@, não perder as estribeiras é fundamental neste momento crucial. Incitar à guerra, à violência e demais ilegalidades só nos levará a um caos maior! Lutar, resistir e persistir sem agredir. É exatamente isso que a camarilha deseja, enquadrar @s resistentes por "desacato à lei e à ordem". Por mais irritados que estejamos com tanta manipulação e armação, mais que nunca é hora de caçar luvas de pelica e manter a cabeça fria e o espírito elevado, pois sabemos que a verdade está do nosso lado e não podemos alçar falas de truculência sob pena de nos medirmos pelos covardes sem razão que querem atear fogo ao circo.

Seu voto: Nenhum
imagem de geraldo keisel
geraldo keisel

governo sem norte

vc anda vendo muito seriado americano

 

alucina

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Aliosio Sergio Barroso
Aliosio Sergio Barroso

Bom artigo, Nassif.

Bom artigo, Nassif. Abraço,

Barroso

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Sei que não é exatamente a

Sei que não é exatamente a hora de falar nisso, mas eis alguns erros crassos que Dilma e o governo cometeram e que agora culminaram nessa panela de pressão:

1 - Manter o José Cardoso como ministro da Justiça. A ingenuidade e a falta de comando do MJ provam que ele e DIlma apostaram infantilmente no republicanismo e na lisura da Lava Jato, dando terreno para os justiceiros do Paraná deitarem e rolarem. Sei que isso não impediria Moro e os procuradores, mas não deixaria que a PF cometesse os excessos que cometeu;

2 - Ter nomeado Lula ministro há muito tempo. Todos aqui cantamos a bola: Lula deveria ser ministro para se blindar da Lava Jato. Será que ninguém percebeu que o alvo era ele desde o começo? Mas o timing foi totalmente equivocado. A nomeação dele deveria ter sido feita há meses, e não agora, no calor dos acontecimentos.

E não, não é loucura: todos os eventos que se sucedem (condução coercitiva de Lula, Moro vazar grampos, manifestações, etc) não são fortuitos. Embora aparentem ser coincidentes, eles são disparados com a cronometragem e o sincronismo previamente definido.

A mídia (vamos nos focar na Globo aqui) age em conjunto com outros agentes que têm interesse único: procuradores, Gilmar Mendes, oposição (na figura principal do PSDB), Moro e os delegados da PF que conspiram contra o governo.

Não é possível que Dilma não tenha percebido esses movimentos e o sentido em que eles se encaminhavam.

Seu voto: Nenhum

"O jornal de ontem mentiu. O de hoje está mentindo. O de amanhã não será mais verossímil."

Cuidado

"Todos passaram a fugir dos telefones – em um momento que exige muito contato e muita conversa."

Simples: conversem cara a cara.

Na Guerra Fria os espiões não usavam telefone, cartas ou qualquer tipo de comunicação que pudesse ser interceptada. Os encontros eram feitos pessoalmente, especialmente os mais sensíveis, que tivessem um grau de impacto elevado.

O governo tem que passar a tomar um cuidado (coisa que dificilmente fez até agora, pois apostou num republicanismo bobo) que beire as raias da insanidade. Isso porque é guerra. E na guerra não há ato de loucura que não possa ser justificado.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

"O jornal de ontem mentiu. O de hoje está mentindo. O de amanhã não será mais verossímil."

imagem de Paulo Gracino Junior
Paulo Gracino Junior

Os melhores e mais sensatos

Os melhores e mais sensatos comentários que li até agora.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

EXCLUSIVO: Como Funciona a Rede Globo de Manipulação.

Caros(as), convido-lhes a ler uma análise, ISENTA E IMPARCIAL, sobre como a Globo age para MANIPULAR as pessoas em nosso país, a partir da observação de “uma série de reportagens” sobre a Fome no Brasil na Era FHC, como gosta de jactar-se a Globo, uma das séries mais premiadas da emissora .

 

Caso gostem da análise, deixem comentários, compartilhem e divulguem. Abraços, Fábio Brito.

 

DO QUE A GLOBO TEM FOME??? A narrativa construída que faz você odiar os oprimidos e amar os opressores.

 

OS 50 TONS DE GOLPE DA GLOBO E PORQUE SUA CONCESSÃO DE TRANSMISSÃO TEM QUE SER CASSADA JÁ!!!

 

“A proposta era apresentar aos brasileiros que se alimentam, quem são os brasileiros que não tem o que comer e como “os famintos” podem ser ajudados.” Wiliam Bonner.

 

https://rebeldesilente.wordpress.com/2016/03/20/os-50-tons-de-golpe-da-g...

Seu voto: Nenhum
imagem de J
J

Mídia

Quando se diz mídia, diga-se pesadamente Rede Record. Neste momento, reportagem do Domingo Espetacular praticamente deifica Deltan Dallangnol e Sérgio Moro. O demônio, neste escript, é o presidente Lula. E a Record hoje tem muita audiência. Edir Macedo é tão extrema direita quanto os Marinho. A aliança dele com Lula no passado foi meramente tática. Agora ele não precisa mais do PT pra nada. A Record está forte no Delenda PT, Lula, Dilma. Delenda progressismo.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de carlos alberto rodrigues de carvalho filhoc
carlos alberto rodrigues de carvalho filhoc

BASTILHA

 Estamos caminhando não pela batalha de Stalingrado, mas para uma batalha de Bastilha, Revolução Francesa,se Moro prender o Lula, uma multidão irá até Curitiba, irá até a PF e vai tirar o Lula à força, muitas vidas se perderam, haverá desordem geral pelo país, quem tem ouvidos que me ouça...

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Carlos P.
Carlos P.

E se alguém não gostar que

E se alguém não gostar que reclame pro BISPO, não pro judiciário

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de João Ferreira
João Ferreira

Firmes contra o golpe

Mais uma vez brilhante em seu xadrez, Nassif expõe com a serenidade que se deve esperar de analistas lúcidos e argutos o cenário, as perspectivas e a condição das diferentes forças (peças) no jogo do golpe. Ainda temos tempo para evitá-lo. É desespero sem causa essas soluções malucas como busca do Lula por abrigo  em embaixada estrangeira. Nossa tarefa é lutar pela normalidade democrática, retomada do crescimento, término do mandato da presidenta Dilma e eleição do ex-presidente Lula em 2018.

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de foo
foo

DILMA PRETENDE DENUNCIAR O GOLPE AO MUNDO

KENNEDY ALENCAR - BRASÍLIA A presidente Dilma Rousseff deverá dar início na próxima semana a uma agenda de entrevistas à imprensa internacional. Dilma afirmará que está sendo vítima de uma tentativa de golpe, argumento que tem usado em seus discursos domésticos mais recentes. 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Em outras palavras

Os golpistas são os nazistas.
Gostei.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

1964 e 2016: diferentes brasis. Não há golpe possível hoje.

Pensei nas diferenças do Brasil de 1964 e do Brasil de hoje e acredito que a tentativa de golpe hoje, que não prosperará, é para duas coisas: impedir Lula em 2018 e para, até lá, tentar mudar o Regime do Pré-Sal. 

 

1964 e 2016: diferentes brasis. Não há golpe possível hoje.

Precisamos entender que o Brasil de 2016 não é o mesmo do Golpe Militar de 1964 e nem é o mesmo do Impeachment de Fernando Collor em 1989.

Existem dados geográficos bem distintos: número de habitantes, população urbana e rural, inclusão social, possibilidade de ascensão social. A rede de transportes e de comunicação é diversa e ampliada. O acesso à escolaridade e a informação são diferenciados.

Vamos fazer comparações básicas, alguns temas que me parecem relevantes.

População urbana e rural:

1964 - 35 milhões de viviam em cidades. 40 milhões no campo. Totalizando 75 milhões de brasileiros.

2016 - cerca de 30 milhões vivem no campo. 175 milhões em cidades. Totalizando quase 3 vezes mais população do que em 1964: 205 milhões de brasileiros.

Estradas e acesso aos meios de transporte:

Em 1964 - a sociedade era, ainda, com predominância rural. E tínhamos meios de transporte, o automóvel, só para uma pequena elite.  A malha rodoviária era bem menor e a locomoção individual pelo País se dava por transporte coletivo, quase que exclusivamente, via ferrovias ou ônibus, em viagens muito mais demoradas e inseguras do que hoje. 

2016 - a sociedade é majoritariamente urbana. E o acesso ao meio de transporte individual, o automóvel: difundido entre diferentes estratos sociais e temos uma malha rodoviária, aeroportos, que permitem a locomoção individual ou coletiva para todos os lugares do País e de imediato da quase totalidade do povo brasileiro.  

Inclusão e ascensão social e nível de escolaridade dos brasileiros:

1964 - Havia uma sociedade de castas, pouca mobilidade social existia, estávamos na sociedade dos 30% de incluídos e dos 70% de brasileiros abandonados à própria sorte.

Escolaridade - cerca de 40% da população com mais de 15 anos não sabia sequer ler e escrever (assinar) o próprio nome.

2016 - Há um País que eliminou a pobreza. Houve durante os governos petistas a inclusão de quase todos os brasileiros na sociedade com, ao menos, algum poder de consumo, e ascensão social para classe C de mais de 40 milhões de pessoas. Todos com expectativas de melhoria continuada das suas condições de vida e com autoestima em dia.

A sociedade dos 30% foi implodida. Alguém acredita que os 70% de novos partícipes da sociedade brasileira vão aceitar calados o retorno à condição de excluídos do banquete social?

Escolaridade - Hoje, o analfabetismo se concentra nas faixas etárias de mais de 50 anos e está na casa dos 7%.

Há programas sociais de transferência de renda, vencedores, como o Bolsa Família, e de qualificação técnica dos brasileiros, como o Pronatec, além do programa de cotas, facilitador do acesso ao ensino público gratuito.

Comunicações e acesso à Internet e produção de mídias independentes:

1964 - Havia a televisão, rádios, revistas e jornais como disseminadoras das notícias em nível nacional e eram por estes meios que a população se informava sobre o Brasil e o Mundo. O tempo da disseminação da informação era lento.  Não havia a Internet nem transmissões ao vivo de locais remotos do país e muito menos do planeta. As pessoas assistiam jogos da Copa do Mundo por vídeo-tape.

2016 - Apesar da concentração absurda dos meios de comunicação clássicos em pouco menos de 10 famílias há a Internet que diversificou os mecanismos de obtenção da informação da população brasileira, para além da Era Collor e do Golpe de 1964.

Internet que está sendo universalizada via aparelhos móveis e banda larga.

Hoje temos uma pluralidade de ideologias sendo disseminadas pela rede mundial de computadores e não existe mais o monopólio de toda informação nas mãos das não mais que 10 famílias que controlam as mídias tradicionais: TV, rádio, jornal e revistas semanais de circulação nacional.

Afora toda a tecnologia encontrada hoje, capaz de produzir e difundir conteúdos informacionais, para além, dos meios de comunicação tradicionais e de forma instantânea.

Nacionalistas e desenvolvimentistas X antinacionalistas e neoliberais e capitalismo industrial X capitalismo financeiro:

1964 - estávamos em plena Guerra Fria. Não havia se instalado mundo afora o neoliberalismo e havia a predominância do Capitalismo Industrial e a busca de um Estado de Bem Estar Social para fazer frente ao Socialismo.

Os militares no Poder foram nacionalistas e não foram privatistas. As empresas públicas e os bancos públicos não corriam o risco da sanha neoliberal.

2016 - predominância do neoliberalismo. As classes favoráveis ao Golpe estão diretamente associadas ao Capitalismo Financeiro (o mercado), são privatistas e antinacionais. Desejam privatizar todas as empresas e todos os bancos, que ainda estiverem no controle do Estado.

----------------------------------------------------------------------------------------------

Pensemos, a partir dos dados acima.

É possível um Golpe de Estado como houve em 1964 no ano de 2016?

Eu afirmo que não!

O que os dados elencados podem ajudar na compreensão do que viria a partir da consumação do Impeachment da Presidenta Dilma?

Não se precisaria ampliar, em muito, um Estado Policial para coibir as manifestações das pessoas contrárias ao Governo golpista? Como poderia vingar o golpismo nesta tentativa de tomada do Poder na marra em 2016?

E, onde, se encontrariam forças para impedimento da organização dos brasileiros, dos movimentos sociais, dos que se sentiriam lesados, para lutar contra o “Estado Policial”, numa sociedade 3 vezes maior e com 205 milhões de habitantes, urbana, alfabetizada, com acesso total a meios alternativos de comunicação como é a Internet, aos equipamentos de filmagens portáteis, aos smartphones, computadores portáteis, com malha de transportes diversificada e acesso ao transporte individual, etc.?

Seríamos vigiados e impedidos de acessar a INTERNET, as redes sociais, de utilizar o Whatsapp, Instagran, Twitter, de ter um smartphone com Internet 4 G, de fazer ligações de celular, de compartilhar fotos e vídeos da violência praticada pelo Estado Policial, etc.?

Iriam vigiar todas as idas e vindas de brasileiros por estradas, portos e aeroportos do País? Iriam impedir o direito de manifestação na Internet? Calariam todos os blogs progressistas e todas as pessoas que divergirem do Estado Policial?

Todo Brasil aceitaria ver o Estado Policial em ação e em plena era digital?

E quando a população perceber que parentes e amigos estão sendo calados, até na Internet, por divergirem, denunciarem, o mínimo que seja, as ações ilícitas do Governo golpista?

Seria possível blindar o Governo golpista e seu Estado Policial por quanto tempo?

Hoje, um Golpe de Estado é muito mais imprevisível do que parece e, creio eu, em um País de dimensões continentais e integrado logisticamente e com mais de 205 milhões de brasileiros difícil de prosperar.

E, dentro da lógica, dos golpistas, a lógica de acabar com toda a chance de combaterem as suas próprias corrupções e de término progressivo de todos os programas sociais do atual Governo, além das privatizações do setor público, do término do Mais Médicos e do SUS, da entrega do Pré-Sal as petroleiras internacionais, de internacionalização total de nossa economia, da presença mínima do Estado e de perseguição aos que não aceitarem os golpistas no Poder tudo se torna para mim, apenas uma grande paranoia, uma grande fantasia.

Vão conseguir privatizar as universidades públicas e escolas técnicas federais, também?

Dariam o Golpe e vão apresentar apenas medidas neoliberais extremadas para reativar a Economia? Duraria quanto tempo a popularidade de um golpismo deste naipe?

O Golpe de Estado custaria caro, em um primeiro momento, porém, poderia haver uma grande Revolução Social em seguida, vinda das periferias deste imenso e rico País. E, esses golpistas sairiam escorraçados do Poder, penso eu.

Vocês acreditam que eles vão arriscar e/ ou saber controlar a convulsão social?

Brincar com o povo trabalhador e com os mais pobres em 2016, após a Era LULA e DILMA não dá mais. Quem já experimentou nutella não vai se contentar a voltar a comer jiló.

1964 não existe mais.

Na Era Collor foi mais consensual a necessidade de retirada dele do Poder, não havia um divisionismo social pró e contra o Governo, como agora: Lembra o confisco das poupanças? Ainda se mostrava a predominância da sociedade de castas, não tínhamos a Internet, as redes sociais e o smartphone e o Plano Collor de estabilização da economia e término da inflação fracassou.

2016 é outro tempo, a população mais pobre criou o hábito de participar do banquete social, já se sente incluída socialmente, e criou a autoestima do “eu tenho direitos e posso crescer profissionalmente” e quer continuar ascendendo socialmente e melhorando de vida.

E há direitos sociais conquistados que nenhum golpista estará preparado para retirar sem que tenhamos uma grande resistência da sociedade.

Imaginemos se vamos nos calar numa tentativa definitiva de flexibilização da CLT ou de revogação da Lei dos empregados domésticos? A população ficaria furiosa.

Mexer nos direitos sociais e trabalhista adquiridos? Se o ajuste na forma de recebimento do seguro desemprego custou caro para a Presidenta Dilma, imaginemos flexibilização da CLT.

É um tiro no escuro, hoje, o que fazem Aécio, Temer, Cunha, FHC, Serra, Gilmar Mendes, Moro, Janot e Rede Globo de Televisão contra o País, a Democracia, o Estado Democrático de Direito, à Presidenta Dilma, ao LULA e a soberania do voto popular.

Por tudo que ponderei acima afirmo:

O Golpe não vai acontecer!

18 de março deu mostras de que a sociedade organizada vai frear a loucura, a insanidade dos golpistas e o efeito manada da classe média e médio-alta tradicionais telespectadoras de carteirinha da Globonews, JN e leitoras da revista Veja. E a ausência de limites da oposição acordou muita gente para a defesa da soberania do voto popular e da Democracia.

Em 2015, uma segunda manifestação da turma anti DILMA, foi bem menor que a primeira.

Não podemos esquecer que a Avenida Paulista é circundada pelos bairros onde moram os manifestantes “midiotizados”. Eles chegam lá em três tempos.

Tudo pesado e se tem como meta da oposição impedir a candidatura LULA em 2018. E, no máximo, até lá, mudar o Regime do Pré-Sal. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Tais
Tais

Legal a sua análise,

Legal a sua análise, Alexandre! Mas (e isso é a minha opinião) achei muito otimista em relação à postura da população diante das ameaças que o "golpe" poderia trazer. Em todo esse processo, não vejo e não sinto nenhuma disposição das pessoas que seriam duramente afetadas de ir para as ruas em defesa dos direitos conquistados. Vejo as pessoas completamente convencidas pela mídia de que, apesar de haver corruptos em ambos os lados, o principal vilão é Lula e o PT. 

Acho que a chance dessas pessoas se insurgirem contra tudo isso seria no caso de já ter ocorrido o pior e começarmos a sentir na pele o que é, de fato, ser prejudicado de forma profunda. Até agora, as pessoas sofreram com os cortes nos empregos, fruto da crise política e econômica. Efeito com certeza planejado e desejado pelos que se opõem ao governo atual. Já é um grande golpe nos trabalhadores, classes C e D, mas acredito que eles achem que isso é o pior que poderia ocorrer, quando não parece ser (embora eu entenda o quão sério isso é para qualquer família). Não quero tirar o peso do problema do desemprego, mas há problemas muito sérios também e de efeito muito mais duradouro que viriam com os "golpistas".

"A sociedade dos 30% foi implodida. Alguém acredita que os 70% de novos partícipes da sociedade brasileira vão aceitar calados o retorno à condição de excluídos do banquete social?" Aí eu penso: será que esses 70% têm consciência de que o "golpe" atinge diretamente a boca do estômago deles? Porque eu vejo um monte deles se juntando cegamente ao clamor das elites. Será que a maioria da população tem noção do impacto que causam as privatizações generalizadas e a entrega dos nossos recursos valiosos para empresas estrangeiras? Eu gostaria muito que tivesse, mas vejo as pessoas completamente alienadas a isso.  Em vez de exigirem do governo a boa administração do que é público, embarcam de cabeça no principal objetivo do sucatemanto, que é fazer a sociedade acreditar que a solução é privatizar. Cara, isso é assustador. Não conseguem perceber que isso só favorece as classes e grupos que têm o poder, os privilégios, o dinheiro... 

Seu voto: Nenhum
imagem de altamiro souza
altamiro souza

ótima pesquisa, excelente

ótima pesquisa,

excelente análise....

a racionalidade responde ao golpe...

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de zuleica jorgensen malta nascimento
zuleica jorgensen malta nascimento

Quando o Collor foi impichado

Quando o Collor foi impichado havia uma unanimidade nacional em torno da ideia. Collor não tinha base popular alguma, foi eleito por um partido obscuro, sem qualquer significado na vida nacional e tinha como vice um político muito estimado e considerado pelo seu inegável nacionalismo. E o golpe colocou Itamar no poder e ele o levou com dignidade até a eleição seguinte.

A situação hoje é muito diferente. Um eventual impeachment de Dilma, que se acontecer não terá qualquer fundamento válido, já que tudo que se imputa a ela são argumentos falaciosos e sem base real, não será aceito por parcela significativa da população. E não somente de petistas, mas de todos os que tem apreço à democracia. Os governos Lula/Dilma se assentam em larga base social de apoio, e o PT um dos maiores partidos do país. O Temer, por seu turno, não é exatamente um político acima de qualquer suspeita.

E a reação, eu temo, será nas ruas, nos sindicatos, nos movimentos sociais, nas entidades da sociedade civil. Será uma reação difusa mas poderosa, de um povo indignado de ver uma presidente honesta ser deposta por uma camarilha de corruptos comandada por Eduardo Cunha, sob o beneplácito do Ministério Público e do Poder Judiciário. A maioria das cabeças pensantes no Brasil, hoje, se coloca irrestritamente a favor da legalidade.

Podemos até não impedir o golpe,mas a reação será forte e imediata. Os golpistas não terão vida fácil.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de WOLFF GADELHA
WOLFF GADELHA

O XADREZ DA BATALHA DE STALININGRADO DO IMPEACHMENT

Governo Federal - DILMA e LULA, tem que RETIRAR A PROPAGANDA OFICIAL da GLOBO. A CAIXA está financiando a GLOBO.Vamos abrir uma campanha para forçar o governo federal a retirar a propaganda oficial da GLOBO, VEJA, FOLHA DE SÃO PAULO. BASTA de ser republicano com essa direita golpista, reacionária e entreguista.  GOVERNO tem que colocar MAIS ESTUDANTES POBRES NOS CURSOS DE DIREITO para parte deles virar PROMOTOR e JUIZ. Só assim os ÓRGÃOS DA JUSTIÇA no Brasil MUDARÃO para melhor. Hoje a grande maioria dos PROMOTORES e JUÍZES é de famílias burguesas e até MAÇONS.CIRCULEM a proposta pelo seus contatos nas redes sociais. VAMOS APOIAR O GOVERNO MAS PRESSIONAR TAMBÉM pra ele sair da defensiva

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Isto que é espantoso...

O Governo e suas empresas ainda continuam a dar dinheiro para os canalhas.  Só Freud explica.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Centelha, o retorno
Centelha, o retorno

O objetivo do jogo é...

Alguém ainda se ilude pensando que a Lava Jato tem como objetivo combater a corrupção?

Nada. O objetivo sempre foi, desde o início, derrubar o Governo Dilma e inviabilizar Lula 2018, abrindo caminho para uma virada na política econômica e social.

É um projeto que com certeza conta com financiamento estrangeiro, além do que recebe dos interessados no Brasil.

Todo o resto da Lava Jato foi jogo de cena (e/ou estratégia visando paralisar setores estratégicos da economia nacional).

Os lavajateiros fazem circular essas notícias sobre denúncias envolvendo Cunha, Aécio, Renan, Temer etc., para tapear a opinião pública. Para que os ingênuos pensem: "Olha só! Estão investigando os ladrões de todos os partidos! Depois do Impíxim, a Justiça vai cassar e prender todos os políticos envolvidos em corrupção".

Nah! Passado o Impíxim, vai ter chegado a hora de estuprar a Constituição, implantar o programa neoliberal modelito Macri, arreganhar o Pré-Sal, cancelar a política de valorização do salário mínimo, congelar salários do funcionalismo público, cancelar os programas sociais (sempre culpando o governo Dilma por ter "quebrado o país"). Isso tudo vai precisar de votos na Câmara e no Senado. E por que afastar os políticos mais confiáveis na votação desse projeto?

Passado o Imíxim, a Lava Jato vai ser suavemente abortada; é facílimo fazer isso, qualquer pretexto serve. A Globo vai deixar de tocar no assunto e a corrupção dos políticos aliados do projeto neoliberal simplesmente será acobertada, como sempre foi.

Os salafrários do PSDB, PMDB, DEM, etc. recuperarão sua licença-roubalheira, que é o que sempre desejaram. E sem a concorrência do PT; talvez consigam até jogar o PT na ilegalidade...

Os que insistirem em denunciar essa patifaria serão ameaçados de processo e/ou presos "para investigação". O Estado Democrático de Direito será um mero simulacro, uma fachada para tapear os trouxas.


 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

De novo um juiz,de novo Marco Aurélio Mello.

carado”, diz ministro do STF sobre vazamentos  Nelson Jr ./SCO/STF)http://sul21.cdnfacil.com.br/wp-content/uploads/2016/03/20160316-6-768x5... 768w, http://sul21.cdnfacil.com.br/wp-content/uploads/2016/03/20160316-6-1024x... 1024w, http://sul21.cdnfacil.com.br/wp-content/uploads/2016/03/20160316-6.jpg 1200w" style="outline: 0px; border: 1px solid rgb(224, 224, 224); height: auto; max-width: 100%; vertical-align: middle; margin: 0px; padding: 0px; font-style: inherit; font-variant: inherit; font-weight: inherit; font-stretch: inherit; font-size: inherit; line-height: inherit; font-family: inherit;" width="900">

Marco Aurélio: “Não se avança culturalmente, atropelando a ordem jurídica, principalmente a constitucional”. (Foto: Nelson Jr ./SCO/STF)

Marco Weissheimer

Nas últimas semanas, Marco Aurélio Mello, ministro do Supremo Tribunal Federal, tem erguido a voz contra o que considera ser um perigoso movimento de atropelo da ordem jurídica no país. Em recentes manifestações, Marco Aurélio criticou a flexibilização do princípio da não culpabilidade, e a liberação para a Receita Federal do acesso direto aos dados bancários de qualquer cidadão brasileiro. Na semana passada, o ministro criticou a conduta do juiz Sérgio Moro, no episódio do vazamento do conteúdo das interceptações telefônicas, envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidenta Dilma Rousseff.

Em entrevista concedida por telefone ao Sul21, Marco Aurélio fala sobre esses episódios e critica a conduta de Sérgio Moro: “Ele não é o único juiz do país e deve atuar como todo juiz. Agora, houve essa divulgação por terceiro de sigilo telefônico. Isso é crime, está na lei. Ele simplesmente deixou de lado a lei. Isso está escancarado. Não se avança culturalmente, atropelando a ordem jurídica, principalmente a constitucional”, adverte.

Sul21: Considerando os acontecimentos dos últimos dias, como o senhor definiria a atual situação política do Brasil? Na sua avaliação, há uma ameaça de ruptura constitucional ou de ruptura social?

Marco Aurélio Mello: A situação chegou a um patamar inimaginável. Eu penso que nós precisamos deixar as instituições funcionarem segundo o figurino legal, porque fora da lei não há salvação. Aí vigora o critério de plantão e teremos só insegurança jurídica. As instituições vêm funcionando, com alguns pecadilhos, mas vêm funcionando. Não vejo uma ameaça de ruptura. O que eu receio é o problema das manifestações de rua. Mas aí nós contamos com uma polícia repressiva, que é a polícia militar, no caso de conflitos entre os segmentos que defendem o impeachment e os segmentos que apoiam o governo. Só receio a eclosão de conflitos de rua.

 Carlos Humberto/SCO/STFhttp://sul21.cdnfacil.com.br/wp-content/uploads/2016/03/20160316-5-768x4... 768w, http://sul21.cdnfacil.com.br/wp-content/uploads/2016/03/20160316-5-1024x... 1024w, http://sul21.cdnfacil.com.br/wp-content/uploads/2016/03/20160316-5.jpg 1200w" style="outline: 0px; border: 1px solid rgb(224, 224, 224); height: auto; max-width: 100%; vertical-align: middle; margin: 0px; padding: 0px; font-style: inherit; font-variant: inherit; font-weight: inherit; font-stretch: inherit; font-size: inherit; line-height: inherit; font-family: inherit;" width="450">

Ministro Marco Aurélio durante sessão plenária do STF. Foto: Carlos Humberto/SCO/STF

 Sul21: Algumas decisões do juiz Sérgio Moro vêm sendo objeto de polêmica, como esta mais recente das interceptações telefônicas envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidenta Dilma Rousseff. Como o senhor avalia estas decisões?

Marco Aurélio Mello: Ele não é o único juiz do país e deve atuar como todo juiz. Agora, houve essa divulgação por terceiros de sigilo telefônico. Isso é crime, está na lei. Ele simplesmente deixou de lado a lei. Isso está escancarado e foi objeto, inclusive, de reportagem no exterior. Não se avança culturalmente, atropelando a ordem jurídica, principalmente a constitucional. O avanço pressupõe a observância irrestrita do que está escrito na lei de regência da matéria. Dizer que interessa ao público em geral conhecer o teor de gravações sigilosas não se sustenta. O público também está submetido à legislação.

Sul21: Na sua opinião, essas pressões midiáticas e de setores da chamada opinião pública vêm de certo modo contaminando algumas decisões judiciais?

Marco Aurélio Mello: Os fatos foram se acumulando. Nós tivemos a divulgação, para mim imprópria, do objeto da delação do senador Delcídio Amaral e agora, por último, tivemos a divulgação também da interceptação telefônica, com vários diálogos da presidente, do ex-presidente Lula, do presidente do Partido dos Trabalhadores com o ministro Jacques Wagner. Isso é muito ruim pois implica colocar lenha na fogueira e não se avança assim, de cambulhada.

Sul21: Os ministros do Supremo, para além do que é debatido durante as sessões no plenário, têm conversado entre si sobre a situação política do país?

Marco Aurélio Mello: Não. Nós temos uma tradição de não comentar sobre processos, nem de processos que está sob a relatoria de um dos integrantes nem a situação política do país. Cada qual tem a sua concepção e aguarda o momento de seu pronunciar, se houver um conflito de posições. Já se disse que o Supremo é composto por onze ilhas. Acho bom que seja assim, que guardemos no nosso convívio uma certa cerimônia. O sistema americano é diferente. Lá, quando chega uma controvérsia, os juízes trocam memorandos entre si. Aqui nós atuamos em sessão pública, que inclusive é veiculada pela TV Justiça, de uma forma totalmente diferente.

Sul21: A Constituição de 1988 incorporou um espírito garantista de direitos. Na sua avaliação, esse espírito estaria sob ameaça no Brasil?

 Carlos Humberto/SCO/STF)http://sul21.cdnfacil.com.br/wp-content/uploads/2016/03/20160316-4-768x5... 768w, http://sul21.cdnfacil.com.br/wp-content/uploads/2016/03/20160316-4-1024x... 1024w, http://sul21.cdnfacil.com.br/wp-content/uploads/2016/03/20160316-4.jpg 1200w" style="outline: 0px; border: 1px solid rgb(224, 224, 224); height: auto; max-width: 100%; vertical-align: middle; margin: 0px; padding: 0px; font-style: inherit; font-variant: inherit; font-weight: inherit; font-stretch: inherit; font-size: inherit; line-height: inherit; font-family: inherit;" width="450">

“Se o que vale é o critério subjetivo do julgador, isso gera uma insegurança muito grande”. (Foto: Carlos Humberto/SCO/STF)

 Marco Aurélio Mello: Toda vez que se atropela o que está previsto em uma norma, nós temos a colocação em plano secundário de liberdades constitucionais. Isso ocorreu, continuo dizendo, com a flexibilização do princípio da não culpabilidade e ocorreu também quando se admitiu, depois de decisão tomada há cerca de cinco antes, que a Receita Federal, que é parte na relação jurídica tributária, pode ter acesso direto aos dados bancários.

Sul21: A expressão “ativismo jurídico” vem circulando muito na mídia brasileira e nos debates sobre a conjuntura atual. Qual sua opinião sobre essa expressão?

Marco Aurélio Mello: A atuação do Judiciário brasileiro é vinculada ao direito positivo, que é o direito aprovado pela casa legislativa ou pelas casas legislativas. Não cabe atuar à margem da lei. À margem da lei não há salvação. Se for assim, vinga que critério? Não o critério normativo, da norma a qual estamos submetidos pelo princípio da legalidade. Ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei. Se o que vale é o critério subjetivo do julgador, isso gera uma insegurança muito grande.

Sul21: Esse ativismo jurídico vem acontecendo em um nível preocupante, na sua opinião?

Marco Aurélio Mello: Há um afã muito grande de se buscar correção de rumos. Mas a correção de rumos pressupõe a observância das regras jurídicas. Eu, por exemplo, nunca vi tanta delação premiada, essa postura de co-réu querendo colaborar com o Judiciário. Eu nunca vi tanta prisão preventiva como nós temos no Brasil em geral. A população carcerária provisória chegou praticamente ao mesmo patamar da definitiva, em que pese a existência do princípio da não culpabilidade. Tem alguma coisa errada. Não é por aí que nós avançaremos e chegaremos ao Brasil sonhado.

Sul21: Como deve ser o encaminhamento da série de ações enviadas ao Supremo contestando a posse do ex-presidente Lula como ministro?

Marco Aurélio Mello: Eu recebi uma ação cautelar e neguei seguimento, pois havia um defeito instrumental. Nem cheguei a entrar no mérito. Nós temos agora pendentes no Supremo seis mandados de segurança com o ministro Gilmar Mendes e duas ações de descumprimento de preceito fundamental com o ministro Teori Zavaski, além de outras ações que tem se veiculado que existem e que estariam aguardando distribuição. Como também temos cerca de 20 ações populares em andamento.

No tocante aos mandados de segurança, a competência quanto à medida de urgência liminar é do relator. Não é julgamento definitivo. Quanto à arguição de descumprimento de preceito fundamental, muito embora a atribuição seja do pleno, este não estando reunido – só teremos sessão agora no dia 28 de março – o relator é quem atua ad referendum do plenário.

Temos que esperar as próximas horas. A situação se agravou muito com os últimos episódios envolvendo a delação do senador Delcídio e a divulgação das interceptações telefônicas. Não podemos incendiar o país.

Sul21: O STF deverá ter um papel fundamental para que isso não ocorra…

Marco Aurélio Mello: Sim. É a última trincheira da cidadania. Quando o Supremo falha, você não tem a quem recorrer. Por isso é que precisamos ter uma compenetração maior, recebendo não só a legislação e as regras da Constituição Federal, que precisam ser um pouco mais amadas pelos brasileiros, como também os fatos envolvidos.

Tags: 



 

Cupons de desconto: Lojas ColomboLojas TaqiCDiscountEmpório da CervejaExtraPosthaus,Lojas Pompéia,

 Recomendados para você

Recomendado por
 
 
 
ver todosOpinião Pública

ver todosColunistasPaulo Muzell

Caiu a máscara

Montserrat Martins

As instituições republicanas

Selvino Heck

Não se destroem símbolos

Raul Pont

Perguntas aos manifestantes

Tarso Genro

Moro comanda o direito

Benedito Tadeu César

Pela Conciliação e pelo Estado Democrático de Direito

ver todosTá na Rede

ver todosAgenda

BlogsBlog de GramadoBlog de Gramado

Direção do hospital reclama da falta de reajuste no convênio com prefeitura

Milton RibeiroMilton Ribeiro

Porque hoje é sábado, só italianas

Caminhando por foraCaminhando por fora

Esse viver ninguém me tira

F21F21

Estreia documentário “Abaixando a Máquina 2 – No Limite da Linha”

Saúde Publica(da) ou nãoSaúde Publica(da) ou não

O neuropsiquiatra e o ditador

Blog do Flávio DamianiBlog do Flávio Damiani

“O gênio do fascismo saiu da garrafa e agora não conseguem colocá-lo de volta”

ImpromptuImpromptu

Pelo partido se conhece o tamanho do ladrão ?

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

chico da dilma

imagem de Carlos Cesar Duarte
Carlos Cesar Duarte

Plebiscito.

O jogo no Congresso e STF já está jogado e o governo Dilma perdeu. Os deputados já anteciparam seus votos antes mesmo de analisar o processo, e o impeachment passa com folga. A única esperança era o bom senso do Senado mas Renan já passou pro outro lado.
A única solução agora é o governo fazer uma consulta direta ao povo sobre sua continuidade, tal como proposto no Viomundo. Venezuela e Bolívia tem esse sistema, o recall. O governo pergunta ao povo se deseja sua permanência. Isso poderia ser feito por Medida Provisória. A oposição e a mídia golpista não esperam uma manobra dessas, seriam pegos de surpresa. E uma vitória simples asseguraria a legitimidade a Dilma. Mesmo com a Câmara tomada pelos golpistas o Senado e o STF não ousariam contrariar a vontade do povo. É a única saída hoje. Mas deve ser feito o quanto antes, enquanto o governo ainda tem apoio popular. Esperar pelo trâmite do impeachment no Congresso é a receita do desastre, será igual Collor pois só os ingênuos acreditam que foram os caras pintadas que o derrubaram.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de paul.silvert
paul.silvert

Fascia Comum

No lado totalitário da sociedade urge um fim que dizem justificará os meios - mesmo que para isso, no final , todos os meios precisem ser encobertos por serem injustificáveis.

As jogadas todas visam abrir espaço para que as ferramentas de chantagem tenham tempo de funcionar tanto de um lado quanto de outro.

Se sairem amanhã em caçada para prender Lula - e se Dilma isolar o acesso a ele até que o plenário do STF se manifeste.
Pode ser muito arriscado, pois tanto o governo poderá ter uma vitória rápida e com efeitos de longo prazo, quanto as mancomunações golpistas podem dar um xeque-mate. É uma aposta muito alta visando uma resolução sumária, sendo que como está sendo debatido, o tempo está a favor do governo desde que a contagem tenha sido iniciada por ele.

Mas, se Lula buscar abrigo em alguma embaixada amiga, as chances aumentam e o risco diminui, além de chamar instantaneamente a atenção de instituições em todo o Mundo, alterando o simbolismo da ação perpetrada pelos golpista.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de JNA
JNA

A HISTÓRIA DA HUMANIDADE - ESSÊNCIA DOS CONFLITOS DE CLASSES

A CONTAMINAÇÃO POLÍTICA DO JUDICIÁRIO, A ALIANÇA COM A IMPRENSA CONSERVADORA LEGITIMAM O GOLPE!

A ILAGALIDADE VIROU REGRA. AS INSTITUIÇÕES FRAGMENTARAM-SE. O CAUS É A REFERENCIA PARA O FUTURO.

MOBILIZAÇÃO JÁ.

SEM MARCHA NÃO EXISTEM CONQUISTAS

A HISTÓRIA  DA HUMANIDADE  NÓS DEMONSTRAM TAIS FATOS.

AO MST, ENXADA E FACÃO  NAS MÃOS, NÃO MAIS GARANTIRÃO O PÃO SAGRADO DE CADA DIA.

SUA EDUCAÇÃO POLÍTICA OS CONFERE RÉGUA E COMPASSO.

SEU HISTÓRICO ESPÍRITO DE LUTA JÁ OS TORNAM  NATURALMENTE GUERREIROS.

AFASTARÁS MOMENTANEAMENTE DOS SEUS INSTRUMENTOS DE TRABALHO.

E NÃO FALTARÁS  A MISSÕES MAIS NOBRES.

OCUPARÁS SUAS  MÃOS COM FUZIS E GRANADAS.

SE O SONHO POR TERRAS, COMIDA E LIBERDADE ESTAVAS  DISTANTES, PODERÁS TORNA-LOS REALIDADE.

A HISTÓRIA DA HUMANIDADE - ESSÊNCIA DOS  CONFLITOS ENTRE CLASSES SOCIAIS.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de arkx
arkx

contra quem lutamos: estratégia e tática

'Não acho que o fascismo vai vir, ele já está aqui' diz Laymert Garcia dos Santos

“A pessoa que fez a melhor leitura do que está acontecendo é o Luis Nassif, que mostra no blog dele qual é o sentido de produção de caos como uma estratégia. A esquerda insiste que o problema é Moro, mas Moro é apenas o operador da estratégia, ele nem tem preparo para pensar essa estratégia, não tem vocabulário, nem pensamento para fazer uma estratégia como essa. O foco não está onde deveria estar, que é onde o Nassif chamou de “alto comando”, que é a procuradoria, Janot, a equipe dos procuradores, o nível de articulação do alto judiciário, que é a cabeça dessa estratégia de desestabilização.”

“Por outro lado, você vê que a militância está acordando, e existe energia para resistir. Mas só existe energia pra resistir se houver rumo, e só há rumo se houver clareza com relação a saber em que jogo se está.”

http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2016/03/nao-acho-que-o-fascismo-vai-vir-ele-ja-esta-ai-diz-laymert-garcia-dos-santos-4017.html

CNJ Conselho Nacional de Justiça: Destituição do cargo de Juiz Federal do Dr. Sérgio Moro

https://secure.avaaz.org/po/petition/CNJ_Conselho_Nacional_de_Justica_Destituicao_do_cargo_de_Juiz_Federal_do_Dr_Sergio_Moro/?knAyFcb

.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Carlos S. P.
Carlos S. P.

Pra quem ouviu o audio das

Pra quem ouviu o audio das gravações sabe que em uma delas os Lula fala que os parlamentares estão esperando um milagre para escaparem da prisão , na verdade  o que eles estão esperando é uma liderança que aponte uma saida. 

Quem soube captar corretamente este momento foi Jose Serra que se apresentou como sendo esta liderança e esta propondo uma saida para estes parlamentares. 

Ma a mediocridade deste zé arruela não percebe que esta saida vai criar um poder soberano no Brasil que é o judiciario pois vai se consolidar acima dos demais poderes dando sempre a ultima palavra no que pode ou não pode os outros poderes fazererem  sem nenhum compromisso com o povo e praticamente seremos governados por uma casta .

Uma democracia de mentirinha com politicos preocupados principalmente com os seus negocios e o povo relegado apenas a caradade de sua elite , muito pior que uma republica de bananas . 

Dilma tem que deixar de ser teimosa e entender que ela perdeu a batalha contra a corrupção e se conformar que talvez o unico legado dela é ter tentado onde outros em situação  melhor se acovardaram .

Se esta classe politica mediocre que nos temos hoje quiser realmente que o povo brasileiro governe seu destino atraves das eleições e do voto precisará ter coragem para enquadrar o judicionario . 

O judiciario esta acometido de arrogancia e soberba ao ponto de cometerem erros que em uma situação destas chegam a ser ingenuos , revelando que a mediocridade tambem esta ali com uma certa abundancia , haja vistos a confusão de filosofos e mensão do caso watergate .   

Vajamos : 

- Com a divulgação dos grampos  Moro pode e deveria ser enquadrado na lei de seguranção nacional e passaria a  ser        julgado por um tribunal militar fora do controle dos seus pares , inclusive os proprios militares devem estar muito felizes  com ele por mandar prender um Almirante.

- Gilmar Mendez usou uma ação proposta por uma funcionaria sua para cassar a posse do Lula , é uma situação muito polemica e acredito que oferece aos politicos a oportunidade de no minimo dar um recado duro ao judiciario abrindo pelo menos um processo de impecheament contra ele , esperar que seus pares o enquadrem é acreditar em duendes . 

Claro que estas atitudes radicalizariam mais o quadro , mas a radicalização vai ocorrer de qualquer jeito deum um lado ou de outro , esperar que esse pessoal aceite  um resultado favoravel ao governo no processo de impechament é acreditar que esta com o bolso cheio de notas de 3 reais . 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Marco A M
Marco A M

Muito boas suas sugestoes

Muito boas suas sugestoes Carlos, o governo precisa sair da defesa e atacar.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de JNA
JNA

A HISTÓRIA DA HUMANIDADE RESUME-SE MERAMENTE EM REGISTROS DE CON

 

 

A CONTAMINAÇÃO POLÍTICA DO JUDICIÁRIO, A ALIANÇA COM A IMPRENSA CONSERVADORA LEGITIMAM O GOLPE!

A ILAGALIDADE VIROU REGRA. AS INSTITUIÇÕES FRAGMENTARAM-SE. O CAUS É A REFERENCIA DO FUTURO.

MOBILIZAÃO JÁ.

SEM MARCHA NÃO EXISTEM CONQUISTAS

A HISTÓRIA NÓS DEMONSTRAM TAIS FATOS.

 AO MST, ENXADA E FACÃO NÃO MAIS GARANTIRÃO O PÃO SAGRADO DE CADA DIA.

SEU HISTÓRICO ESPÍRITO DE LUTA JÁ OS TORNAM GUERREIROS.

AFASTARÁS MOMENTANEAMENTE DOS SEUS INSTRUMENTOS DE TRABALHO. OCUPARÁS SUAS MÃOS COM FUZIS E GRANADAS. SE O SONHO POR TERRAS, COMIDA E LIBERDADE ESTAVAS DISTANTES PODERÁS TORNA-LOS REALIDADE

A HISTÓRIA DA HUMANIDADE RESUME-SE MERAMENTE EM REGISTROS DE CONFLITOS ENTRE CLASSES SOCIAIS

 

Seu voto: Nenhum
imagem de JNA
JNA

A HISTÓRIA DA HUMANIDADE RESUME-SE MERAMENTE EM REGISTROS DE CON

 

 

A CONTAMINAÇÃO POLÍTICA DO JUDICIÁRIO, A ALIANÇA COM A IMPRENSA CONSERVADORA LEGITIMAM O GOLPE!

A ILAGALIDADE VIROU REGRA. AS INSTITUIÇÕES FRAGMENTARAM-SE. O CAUS É A REFERENCIA DO FUTURO.

MOBILIZAÃO JÁ.

SEM MARCHA NÃO EXISTEM CONQUISTAS

A HISTÓRIA NÓS DEMONSTRAM TAIS FATOS.

 AO MST, ENXADA E FACÃO NÃO MAIS GARANTIRÃO O PÃO SAGRADO DE CADA DIA.

SEU HISTÓRICO ESPÍRITO DE LUTA JÁ OS TORNAM GUERREIROS.

AFASTARÁS MOMENTANEAMENTE DOS SEUS INSTRUMENTOS DE TRABALHO. OCUPARÁS SUAS MÃOS COM FUZIS E GRANADAS. SE O SONHO POR TERRAS, COMIDA E LIBERDADE ESTAVAS DISTANTES PODERÁS TORNA-LOS REALIDADE

A HISTÓRIA DA HUMANIDADE RESUME-SE MERAMENTE EM REGISTROS DE CONFLITOS ENTRE CLASSES SOCIAIS

 

Seu voto: Nenhum
imagem de JNA
JNA

A HISTÓRIA DA HUMANIDADE RESUME-SE MERAMENTE EM CONFLITOS DE CLA

A CONTAMINAÇÃO POLÍTICA DO JUDICIÁRIO, A ALIANÇA COM A IMPRENSA CONSERVADORA  JUDICIONADA LEGITIMAM O GOLPE!

A ILAGALIDADE VIROU REGRA. AS INSTITUIÇÕES FRAGMENTARAM-SE. O CAUS É A REFERENCIA DO FUTURO.

MOBILIZAÃO JÁ.

SEM MARCHA NÃO EXISTEM CONQUISTAS

A HISTÓRIA NÓS DEMONSTRAM TAIS FATOS.

 AO MST, ENXADA E FACÃO NÃO MAIS GARANTIRÃO O PÃO SAGRADO DE CADA DIA.

SEU HISTÓRICO ESPÍRITO DE LUTA JÁ OS TORNAM GUERREIROS.

AFASTARÁS MOMENTANEAMENTE DOS SEUS INSTRUMENTOS DE TRABALHO. OCUPARÁS SUAS MÃOS COM FUZIS E

GRANADAS. SE O SONHO POR TERRAS, COMIDA E LIBERDADE ESTAVAS DISTANTES PODERÁS TORNA-LOS

REALIDADE.

A HISTÓRIA DA HUMANIDADE RESUME-SE MERAMENTE EM CONFLITOS DE CLASSES SOCIAIS

Seu voto: Nenhum

Guerra de Nervos.

A melhor maneira de enfrenta-la é com bom humor e cabeça fria: E para uma tarde de domingo eu sugiro.https://youtu.be/lTaLMkwgem4

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Num é?

Seu voto: Nenhum (4 votos)

♦ Xô golpistas ♦

imagem de Wandeeley Kuruzu Rossi Jr.
Wandeeley Kuruzu Rossi Jr.

Nobel da Paz sugere Lula cair fora

Essa notícia é verdadeira?

http://webjuslegal.blogspot.com.br/2016/03/premio-nobel-da-paz-em-carta-...

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de altamiro souza
altamiro souza

stalingrado, guerra,

stalingrado, guerra, veríssimo dizendo qyue haverá um morto...

o artigo do veríssimo mereceria ser reproduzido aqui...

pelo jieto a tensaõ podera resultar em enfrentamentos surreais...

haverá quinta frota, operação brother sam, a que apoiou os folpístas em 64?

quem é o lincoln gordom da vez?

no filme o dia que durou 21 anos fica claro os interesses em jogo na época...

oeembaixador estadunidense lincoln gordon chefiando o golpe e

influenciado kennedy e depois lindon johnson...

resta saber o que obama dirá disso....

Seu voto: Nenhum (1 voto)

ótimo e otimista

Nassif, ler suas análises é sempre um alento. Lógica perfeita, ótima!

Ai vem o MAS...

Mas você parece ser muito otimista quando diz que estamos no meio do jogo (hangout de ontem). No meio de qual jogo do campeonato? Ainda que com muito pesar, devemos reconhecer que este campeonato já está quase no fim. Há quantos anos está rolando esse campeonato? Se for contar a partir de 2002, quando Lula assumiu seu primeiro mandato, lá se vão quase 14 anos. Se for contar a partir das últimas rodadas (pós reeleição de Dilma) já dá quase um ano e meio. De qualquer modo, o "nosso" time está por um triz de ser rebaixado. Se perdermos esse último jogo, já era!

Além do mais, os últimos jogos, particularmente o jogo que está sendo jogado agora, está muito mais para jogo de azar do que para jogo de xadrez. Infelizmente, não eixste lógica nesse tipo de jogo.

PS: Jogo de azar amplamente fraudado, claro.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

♦ Xô golpistas ♦

imagem de Severino Januário
Severino Januário

Existe uma lógica, aliás bem

Existe uma lógica, aliás bem simples. E uma organização e planejamento muito bem detalhado. Infelizmente para nós, tanto uma como outro foram muito bem escondidos, o que faz parte da guerra, não permitir o inimigo conhecer as estratégias. E só agora estamos vendo o tamanho do formigueiro.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

A minha grande apreensão é

A minha grande apreensão é sobre a extrema ilegalidade e gravidade da divulgação do grampo emcima da presidenta. É, pode ser, e tomara que o Janot não soubesse dessa parte. Mas uma vez ocorrido ele precisa se pronuncia contra a gigante legalidade. Não pode ignorar fato tão grave.

Já o Celso de Mello, que ele tenha ficado contrariado com o Lula ter dito que o STF está acovardado, ok, mas não pode também simplesmente ignorar a divulgação no grampo da presidenta. Tudo muito estranho, e toda hipótese é válida, tipo grampos com ministros do STF 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Juliano Santos

A prisão de Lula

Alguém duvida que o condomínio irá prender Lula nesta semana ? A resistência deve tomar uma forma concreta e organizada. Se os golpistas não respeitam a decisão de dos 54.000.000 de brasileiros que votaram na Dilma, porque respeitariam a opinião dos manifestantes do dia 18 ? O condomínio quebrou o estado de direito democrático e as demais instituições, paralisadas de medo, apenas assistem o avanço do autoritarismo. Se não barrarmos fisicamente a prisão de Lula, o jogo acabou. É direito de qualquer cidadão resistir a uma ordem ilegal, seja ela qual for.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de José CB ( aguardando aprovação )
José CB ( aguardando aprovação )

Só lembrando

É pertinente lembrar àqueles que defendem que tudo deve ser resolvido no âmbito político e acusam que o judiciário agindo numa suposta judicialização da política levará a criminalização da política e que o cenário futuro seria o caos de um autoritarismo que o inverso também é verdadeiro.
Há dezenas de casos na história que comprovam que uma decisão política num ambiente totalmente corrompido também não nos reserva nenhum futuro brilhante.
Só para lembrar o mais emblemático de todos, em 1933, num ambiente totalmente corrompido da República de Weimar que se formou na Alemanha entre 1919 e 1933, citada por historiadores como a república sem republicanos, tamanho o nível de corrupção moral dos políticos, a solução política pela "governabilidade" foi um acordo entre von Papen , Bruning, von Schleicher e um tal de Adolf Hitler. Todos líderes de partidos políticos.
O Judiciário alemão se calou, apesar das evidências denunciadas pelos sociais-democratas dos interesses de tal acordo.
Deu no que deu.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de gabi_lisboa
gabi_lisboa

Nassif, uma coisa que chama a minha

atenção é o papel do Serra nessa história. É muito estranho que na delação do delcídio ninguém perguntou sobre o Preciato. Todos os outros golpistas principais, Temer, Cunha, Aécio, têm sido envolvidos constantemente em denúncias. Será que o Serra é que é o grande mentor por trás e está usando vazamentos seletivos para manter todo mundo chantageado? O Serra e o Armínio Fraga tem fortes vínculos com os EUA.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Enfim Moro cometeu um erro, e os seus poderão pagar por isso ...

Do meu ponto de vista, o juiz-carrasco cometeu um erro político muito grande, ao divulgar de maneira estabanada as gravações da Presidência da República. Se verificarmos bem, o conteúdo delas não tem nada de diferente do que os "blogs progressistas" falavam até agora - que há uma conspiração para retirar um governo legítimo do poder.

Importam muito menos os fatos do que a versão: para a esquerda, há golpe. Ponto.

O que não contavam os defensores do impeachment é que, para os grandes juristas e intelectuais, a forma é tão ou mais importante que o conteúdo. Um procedimento de destituição da Presidente, sem uma prova 100% concreta de crime de responsabilidade, sempré será questionado - ainda que a intenção dos pró-impeachment não seja essa.

Pessoalmente o fato mais relevante da semana não foram as manifestações do dia 13, sem líderes e com muita festa, nem as do dia 18, que a esquerda sempre mobiliza. Foram os atos pela defesa da democracia, nos dias 16 e 17. Estes mostraram que as cabeças pensantes deste país não estarão com os pró-impeachment se o processo for feito do jeito errado.

De que adianta para os grandes baluartes do PSDB e da oposição conseguirem seu intento e não terem apoio além dos pitbulls da extrema direita? Como vão conseguir tomar medidas difíceis, contra a grande massa da população que, até agora, nem se interessou pelo que está acontecendo? Como governarão sem apoio, somente porque um honesto está no poder?

Afinal de contas, Lula pode não ser honesto, mas fez muito pelo povo. E, tal e qual no discurso de Marco Antônio, não haverá outro alguém como César, que a plebe respeite como se fosse seu próprio pai.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Ermame
Ermame

Complica

A comparação em si traz esperança, mas não vejo como algo concreto. No caso da crise política não podemos esquecer de movimentos sociais em 2013, que ocorreram em momento conveniente com a interceptação de mensagens da Petrobrás. Os movimentos sociais se posicionaram no momento de fragilidade política, em que o Governo precisava de apoio diante de conduta de governo internacional. Não podemos esquecer que toda construção de crise é resultado de eventos que tiveram como ponto de partida: redução de investimentos na exploração de petróleo; redução de recursos em estados e municípios por redução na atividade da Petrobrás; as investigações de corrupção na Petrobrás. Não podemos esquecer que a guerra na Síria é resultado da expectativa de grandes produtores de petróleo internacionais no local. E a guerra mundial marcada para o final deste mês entre Rússia e Otan tem como questão subjacente interesse de produtores no petróleo do Iraque. Lamentavelmente o inimigo real muitos sabem quem é, mas transita sem ser percebido, inclusive com financiamento poderoso e indireto de grande parte de todos os nossos representantes. Gosto da sua expectativa, mas lamento acreditar que o interesse geopolítico é poderoso demais. Sem falar nas nossas instituições aparentemente instrumentalizadas. Significa que morreremos duas vezes: acompanhando os fatos,sabendo o que está por traz; e depois sabendo o que Virá. Espero que a integridade do poder judiciário assim como do poder legislativo não tenha se perdido completamente na confirmação deste modelo de Estado patrimonialista e liberal do inferno. E que Deus ajude os nossos reais representantes e as pessoas verdadeiramente comprometidas como projeto Brasil, em permanente construção, ainda que com divergência de ideais, ou seja,  queremos apenas que as nossas instituições neste momento se manifestem em sentido contrário ao interesse geopolítico que trabalha pela derrubada do governo.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

A analogia com a Batalha de

A analogia com a Batalha de Stalingrado é pertinente porém não faria a associação com o inverno russo, os alemães foram pegos desprevenido por esse na batalha de Moscou que esperavam ganhar antes de sua chegada  mas por diversos motivos que não cabem aqui comentar não conseguiram, na batalha de Stalingrado o maior problema foi a extensão da linha de suprimentos, ou seja os alemães foram longe demais, os russos perceberam e apesar de estarem fortemente inferiorizados construíram novas unidades impuseram um feroz resistência na cidade e deram o bote cercando as tropas alemãs distendidas em um ataque de pinça, aí é que acho que cabe a analogia com a nossa situação, os artífices do golpe estenderam demais as linhas, no caso com as ilegalidades que pululam no processo das quais a última e mais descarada foi a divulgação da conversa do Lula com a Dilma, o governo apesar de debilitado constitui novas forças ao agregar Lula no ministério da Casa Civil, o ataque de pinças pode ter começado com a mobilização popular, não podemos esquecer do inverno, crise econômica, porem ele atinge aos dois lados.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Srªs Senadoras e Srs. Senadores, a Transparência Internacional divulgou, nesta terça-feira, a classificação anual dos países mais corruptos do mundo, e a situação do Brasil, sob o império do “lulismo”, só piorou. Demóstenes Torres 08/10/2003

imagem de Sérgio Rodrigues
Sérgio Rodrigues

Contra-ofensiva!...

É isso aí!...

Pra cima dos golpistas liderados pela Globo!...

Todas as forças progressistas contra o golpe!...

"Também haverá alegria em nossas ruas!"

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Carmen Lúcia deu uma ótima entrevista na TV Brasil...

Estou otimista quanto ao papel que a Ministra Carmen Lúcia desempenhará na presidência do Supremo

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de gsouto
gsouto

Essa é muito boa!

Por estar o processo sob judici, 10:20 do vídeo, que a senhora deveria, tem a obrigação como ministra do STF?, criticar, pois, após terminar a licença para o grampo, continuou-se a gravar. Como não se bastasse, e mesmo estando sob judici, o impoluto juiz vazou para a Vênus Platinada, o conteúdo da gravação. Um techo, pois se fosse tudo, ficaria claro que não tem nada ali para se escandalizar.

Esse país é uma esculhamabção. Piada ainda maior, é essa senhora querer pagar de membro da corte inglesa. Omita opinião, dona ministra. É pedir demais, não é? Saco! 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Essa questão dos grampos e dos vazamentos serão enfrentados mais

Essa questão dos grampos e dos vazamentos serão enfrentados mais cedo ou mais tarde pelo supremo. E acredito que a ministra terá bom senso na hora de julgar, pois juiz só deve se pronunciar nos autos sobre questões jurisdicionais. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de gsouto
gsouto

Exemplos abundam nesse brasilão...

É que ando de saco cheio de gente como esse mulher. Ocupam postos importantíssimos, mas na hora h, arregam para ante poder do status quo. É claro que não deve ser fácil enfrentá-lo, o que eleva essa gente à condição de fantoches.

Mas como vivem bem...!?

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.