D’Artagnan D’Ourinol, Episódio 1, por Rui Daher 

Queremos convidá-lo para uma série de entrevistas, como no passado fizemos com candidatos em eleições, o “Estrelas em Desfile”, os “Dominós de Botequim”, na Terra e no Céu, mesmo a sua própria série, Harmônica.

D’Artagnan D’Ourinol, Episódio 1, por Rui Daher 

Redação, noite de São João, quentão e fogão (não, não me refiro a excessos etílicos).

Presentes: Nestor, Pestana, o segurança Everaldo, eu e o Harmônica, recém-chegado do monastério de Steve Bannon, na Itália, totalmente destruído pelo instinto selvagem do serial killer e de seu bando de meninos formados enquanto esteve internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para se tratar de fictício câncer.

Quanto ao fogão, o termo não pauta o apelido do time de futebol do Rio de Janeiro, nem o equipamento que mantemos nas cozinhas, mas sim à maluca ideia de Nestor festejar a data fazendo uma fogueirinha no local. Nossa carbonização só foi evitada graças à força de Everaldo que segurou o braço do facínora, caixa de fósforos na mão e prestes a jogar um litro de álcool na mesa de nosso editor-geral.

Ao mesmo tempo em que Nestor tenta parar de beber se torna mais irascível com o país e seus atuais governantes. A Redação implora para que ele volte a beber e assim se acalme.

A certa altura da conversa, Harmônica perguntou:

– D’Artagnan D’Ourinol (favor usarem pronúncia francesa), por que tanto trabalho? Não seria melhor eu ir até lá e degolá-lo?

– Não o queremos vitimizado. E nem ao marreco.

– O que pretendem?

– Convidá-lo para uma série de entrevistas, como no passado fizemos com candidatos em eleições, o “Estrelas em Desfile”, os “Dominós de Botequim”, na Terra e no Céu, mesmo a sua própria série, Harmônica.

Leia também:  Cuidado! Vírus ApB se espalha por todo o país, por Victor Saavedra

– E o que o Conselho Consultivo está pensando de tudo isso? Concordam?

– Deu empate. Darcy, Ariano e Alfredinho mandaram-nos ir rápido ao fígado.

– O que falei? Minha faca pontiaguda está afiadíssima!

– Harmônica, não nesse sentido. Dr. Walther, Melô e Beth, preferem conceder um certo tempo antes do ataque. Diante do empate, e em não havendo o detestável VAR, deixaram a decisão para a Redação.

Sábios dissemos todos, à exceção de Harmônica que tirava agudos lancinantes de ódio, enquanto afiava o punhal, aliás muito parecido com o de Corisco na hora do encontro com Antônio das Mortes.

– Pessoal, vamos discutir a primeira abordagem. Missiva escrita com letrinha bem feminina. Everaldo?

– Vão tomar no cu!

Gargalhadas gerais.

– E-mail, WhatsApp, Messenger, convite de quermesse, pombo-correio, telefone-sem-fio?

– Deixem a responsabilidade comigo:

De: BRD, Blog do Rui Daher. Para: @D’Artagnan D’Ourinol

“Excelentíssimo Jurista, temos acompanhado a sua luta para acabar com a corrupção no Brasil, em missões curitibanas e sempre ao som da maviosa “Maringá”, de Joubert de Carvalho (1900-1977).

Até aqui seus argumentos e Powerpoints têm sido apoiados por publicações de direita, não evangelizadas e ridicularizadas por blogs de esquerda.

Não achamos justo que a esquerda não lhe dê voz (mesmo que fina). Daí o BRD, declaradamente de esquerda, mas democrático, gostaria de ouvi-lo e, dentro da maior precisão e honestidade jornalística, publicar suas ideias, pensamentos e missão para nós, os brasileiros.

Colocamo-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos, assim como os senhores fizeram com o ex-presidente Lula, e esperamos, com gratidão, uma resposta positiva.

Assinado: Rui Daher, um servo do Senhor”

Leia também:  A culpa é de quem? É claro que é do Ali!

– Por que essa cara, Nestor?

– Cervo cairia melhor, babaca.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora