O banquete das abelhas, por Luciano Hortencio

Notei que quando a água da mangueira batia ao solo, vários seres voavam e voltavam ao solo. Voavam e voltavam...

O banquete das abelhas, por Luciano Hortencio

Ontem à tarde, quando estava aguando minhas palmeiras e outras plantinhas de estimação, notei que quando a água da mangueira batia ao solo, vários seres voavam e voltavam ao solo. Voavam e voltavam…

Botei meus óculos pra ver de perto e fui examinar o que era aquela marmota. Eram milhares de abelhas que aproveitavam o néctar das flores do buritizeiro que estavam ao solo. Quando a água nelas batia, se assustavam… Mesmo com medo não desistiam do seu alimento. A força da natureza falava mais forte.

Resolvi filmá-las, porém não sabia como fazê-lo. Se deitasse ao solo, com meus mais de 100 quilos, poderia ser ferroado e teria grande dificuldade para soerguer-me, de celular na mão e tudo o mais.

Resolvi enfrentar e empreitada de cócoras, apesar das articulações “um pouquinho” gastas. O resultado foi esse. Espero que seja considerado razoável meu esforço.

O GGN prepara uma série de vídeos que explica a influência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto? Clique aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O jornal é demasiado factível, a nossa diferença é a fantasia, por Maíra Vasconcelos