Início Memória

Memória

Prefeito licenciado de Goiânia, Maguito Vilela morre aos 71 anos

Maguito estava em São Paulo, internado desde o dia 27 de outubro, com diagnóstico de Covid-19.

Morre o cantor Genival Lacerda, o ‘medalhão do forró’

O artista nasceu em 1931, em Campina Grande, na Paraíba e, desde que o forró entrou forte no cenário musical, ele se dizia um ‘medalhão do forró’, por ser o mais velho representante do ritmo.

Um ano sem Ana Primavesi, pioneira da agroecologia

O MST, que tanto deve aos ensinamentos de Primavesi, seguirá seu legado em homenagem à mãe da agroecologia!

Morre Padre Ticão, aos 68 anos, em São Paulo

Líder de movimentos sociais na zona leste da capital paulista, ele chegou à capital nos anos 1970, após apoiar greves de bóias-frias

Armando Manzanero, influente baladeiro mexicano, está morto

Ele era conhecido como um dos grandes compositores românticos. Suas canções foram executadas por Elvis Presley, Andrea Bocelli, Christina Aguilera e muitos outros.

12 anos depois, meu direito de resposta na Veja, por Luis Nassif

Hoje a revista Veja publicou um direito de resposta que solicitei há 12 anos. Foi para responder a ataques de Diogo Mainardi, me acusando...
POlo aquatico

Memória: Pincirolli, campeão de polo, da informatização da mídia, por Luis Nassif

Com a ascensão de Luiz Frias, Pedro saiu. Nunca mais o vi. Mas ficou na memória o exemplo extraordinário de caráter, em um ambiente, em geral, dominado pelas pequenas intrigas.

Em 1979, 1ª reportagem brasileira sobre Maradona

O site da ABI reproduz  a matéria da época e traz artigo de Mainenti, em homenagem ao craque, morto na quarta-feira, 25.

Don Diego: o mito próximo do ser humano, por Alfeu

Mais cedo ou mais tarde a consagração viria, e nada melhor do que uma Copa do Mundo, e a dele foi a de 86. Pode-se resumir numa expressão: Foi a Copa de Maradona.

Maradona conheceu o sucesso e a ruína, nunca o fracasso, por Ricardo Mezavila

Sempre comparado a Pelé pelo futebol que jogaram, foi superior no comprometimento político e social. Para os argentinos, Maradona extrapolou a relação entre jogador e torcida, virou religião.  

‘Sentimo-nos invencíveis naquela época’: Nápoles presta homenagem a Maradona

A praça no bairro espanhol da cidade se enche de fumaça vermelha, lágrimas e exibições gigantes dos melhores momentos do futebolista

Maradona – O Deus e a Mão, por Arnobio Rocha

Os arroubos exageros fazem parte do contexto do herói, que superam a questão do bem e do mal, pois ele vai além do maniqueísmo.

Maradona foi encontrar o seu amigo Fidel, por Atilio A. Boron

Diego era puro povo, até as entranhas, e, como Fidel, o seu desejo de justiça, bem como a sua rejeição a todas as formas de opressão e exploração, eram insaciáveis.

Jornais pelo mundo celebram vida de Diego Maradona

A arte de Maradona, sua vida intensa, seus posicionamentos pessoais e políticos, tudo foi abordado. Mas sua competência com a bola, sua mágica atuação em campo, ah, esta foi exaltada.

1, 2, 3, 4 y 5 Maradonas, por Romério Rômulo

La noche de Maradona / es una calle / y subvierte el arte / - gruesa y cruda –

Lá se vai Don Diego Maradona jogar em outra dimensão

Maradona foi internado no começo do mês de novembro. Antes da cirurgia, fez uma última aparição pública em 30 de outubro, quando completou 60 anos.

Jornalista e comentarista esportivo Fernando Vanucci morre aos 69 anos

O jornalista teve sua trajetória profissional marcada por passagens em grandes emissoras e se destacava quando o assunto era esporte. A causa da morte não foi divulgada

Pasquim: 50 anos da prisão de uma redação de craques, por Rogério Marques

O Pasquim era submetido à censura prévia, teve algumas edições apreendidas e a pressão só aumentava.

A morte e frei Josaphat, o criador do Brasil Urgente, por Luis Nassif

Nos anos seguinte, Josaphat continuou sendo um farol, com seu jornal Brasil Urgente, que tinha como secretária a Cida Nassif, querida prima do meu pai. Foi uma espécie de pré-Pasquim sem humor.

Estou 5 x arrasado de tanta tristeza e indignação, por Álvaro Maciel

Por Cadu Barcellos e outros artistas que partiram não vamos deixar os sonhos serem assassinados. A criação é um campo da resistência.

Leia também

Últimas notícias

GGN