A era dos tontos e de seus Tonton Macoutes

Além de absolutamente ilegais, as conversas que ocorreram foram dos autos do processo do Triplex entre Deltan Dellagnol e Sérgio Moro revelaram um aspecto pitoresco do maquiavelismo jurídico vulgar empregado por ambos para condenar e prender Lula de maneira fraudulenta. Refiro-me obviamente à maneira depreciativa usada por Sérgio Moro para se referir aos meninos do MBL. Referindo-se às manifestações deles contra seu inimigo Teori Zavascki ele os chamou de tontos.

Ao que tudo indica, os meninos do MBL não são tontos. Usando a Lava Jato como trampolim político e espalhando Fake News para ferir mortalmente o PT, dois deles conseguiram entrar na vida política sem precisar fazer muito esforço. O fato de eles não terem feito nada de proveitoso até o presente momento é irrelevante, pois a vitória e posse de Jair Bolsonaro é paradigmática.

O lento processo de construção partidária de lideranças com expressão local, estadual e nacional se tornou uma coisa do passado. A internet substituiu os partidos políticos e sobrepujou a imprensa tradicional. Tanto que um dos meninos do MBL foi contratado pela Folha de São Paulo em razão de seu ativismo virtual. Alguém é capaz de lembrar algo realmente importante que ele tenha escrito no jornal do clã Frias?

Revelada ao respeitável público pela parceria The Intercept/Folha, a ingratidão de Sérgio Moro para com o MPB teria motivado um pedido de desculpas https://tvuol.uol.com.br/video/em-audio-moro-pede-desculpas-a-integrantes-do-mbl-por-chamalos-de-tontos-04028C19386AD8B16326. Além de reconhecer a autenticidade da mensagem que foi vazada, o Ministro da Justiça demonstrou um temor reverencial inaudito pelo MBL.

Num mundo em que a política e os políticos são construídos e/ou destruídos por Fake News (especialidade do MBL) e em que o TSE se limita a homologar eleições fraudulentas (que foram ganhas com mentiras repetidas à exaustão no WhatsApp, Twitter e Facebook pelo exército de robôs controlados por Carlos Bolsonaro), o apoio do MBL é mais importante do que as homenagens e comendas que Sérgio Moro recebeu das Forças Armadas? O pedido de desculpas sugere que a resposta do juiz/ministro lavajateiro a essa pergunta é sim. Curiosamente, assim que o escândalo foi amplificado pela Folha de São Paulo alguns generais aposentados voltaram fazer ameaças à sociedade brasileira para impedir o STF de soltar Lula.

Os militares que insistem em poluiu o campo político e o campo jurídico com ameaças tolas e criminosas não tem vergonha na cara? Eles são incapazes de perceber que estão se transformando em Tonton Macoutes dos meninos tontos do MBL? O Exército está realmente disposto a estraçalhar o Brasil para preservar uma fraude processual? Os autores dessas ameaças são incapazes de perceber que ao encurralar o STF eles apenas e tão somente amplificam a suspeita de que Lula não teve e não terá um julgamento isento e justo no Brasil?

Ao que parece o maquiavelismo jurídico vulgar que levou Lula injustamente à prisão está fadado a morrer justamente em razão do clima de “vale tudo” que fez os referidos generais se colocarem na algibeira do MBL. Nenhum deles é capaz de fazer jus à advertência de Virgílio mencionada por Maquiavel

“ ‘Tum, pietate gravem ac merities si forte virum quem Conspexere, silent, arrectisque auribus adstant.’
O que quer dizer: ‘Quando defrontam um homem sério, respeitado pelos seus méritos, calam-se, passando a ouvi-lo com toda atenção.’ ”
(Comentários Sobre a Primeira Década de Tito Lívio, Maquiavel, Capítulo Qüinquagésimo Quarto, editora UnB, Brasília, 1994, p. 170)

A falta de seriedade do MBL, do jornalismo e da Lava Jato se expandiu para dentro do Exército. Ninguém mais é capaz de ouvir com atenção os homens sérios e respeitados encarregados de guardar a Constituição Federal?

Se a maioria dos ministros do STF não reconhecer a fraude e libertar Lula, o maquiavelismo jurídico vulgar empregado por Deltan Dellagnol e Sérgio Moro deformará de maneira permanente o funcionamento do Sistema de Justiça. Se eles se curvarem às pressões dos Tonton Macoutes do MBL o STF pode ser dissolvido, pois os meninos tontos se transformarão nos únicos guardiões da constituição que eles desejam impor ao país. O artigo primeiro dela foi enunciado por um deles nas ruas de São Paulo: “Não tem que fazer o PT sangrar, tem que dar um tiro na cabeça do PT”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora