Alta do ovo pode levar brasileiros a ficarem sem proteína no prato

Em entrevista, ministra da Agricultura diz que existe pressão pelo aumento de preços no horizonte devido a alta dos custos

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornal GGN – O ovo tem sido a única opção de proteína para muitos brasileiros por conta da queda de renda em meio à pandemia de covid-19, mas até mesmo ele pode ficar de fora do prato em breve devido ao aumento de preços sinalizado pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

“Não é nem com eles, os produtores, porque esse reajuste deles vai acontecer. A minha preocupação é com os consumidores, porque o preço vai aumentar. O custo está subindo no mundo inteiro e vai aumentar no Brasil. Não tem muito jeito. Temos que produzir mais, plantar mais milho e programar uma safra maior para setembro”, pontua a ministra, em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo.

“O setor já vinha crescendo e é verdade que vive um boom na pandemia. Houve um impulso fenomenal na demanda. Agora, esses produtores estão com problemas, mas esses problemas não são só deles, mas de todos os setores que ainda não têm uma comercialização mais sólida com os insumos, que são o farelo de soja e o milho, para ração”, disse a ministra, ressaltando que soja e milho são commodities internacionais, com preço de mercado listado em bolsa no exterior.

A ministra diz não saber se o Brasil registrará uma nova supersafra de milho e de soja, e aponta uma tendência de aumento de consumo na China e nos Estados Unidos com a retomada da economia, além de problemas climáticos em algumas regiões produtoras de grãos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora