Governo Bolsonaro corta orçamento do meio ambiente após Cúpula do Clima

Presidente não sustenta promessa de dobrar recursos; programas do Ibama e ICMBio são diretamente comprometidos

Foto: Divulgação

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro realizou novos cortes nas verbas voltadas para o meio ambiente, um dia após o presidente prometer em discurso na Cúpula do Clima que os recursos para a fiscalização ambiental seriam dobrados.

O orçamento geral para o Ministério do Meio Ambiente foi reduzido em R$ 240 milhões, e tem efeito direto sobre programas mantidos pelo Ibama e pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio).

Os vetos no Ibama atingem R$ 19,4 milhões, e as ações mais afetadas foram as voltadas para controle e fiscalização ambiental, que terão R$ 11,6 milhões a menos, enquanto os planos de prevenção e controle de incêndios florestais terão R$ 6 milhões a menos – bem no início do período de seca.

O ICMBio terá R$ 7 milhões a menos no orçamento previsto para criação, gestão e implementação das unidades de conservação – até mesmo o Fundo Nacional sobre Mudança do Clima foi reduzido em R$ 4,5 milhões. Contudo, o maior corte ocorreu no programa para melhoria da qualidade ambiental urbana, mantido pelo próprio ministério, que teve uma redução de R$ 203 milhões.

Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, desconversou e disse que irá tratar do assunto com o Ministério da Economia. “Essa parte de adequação dos valores precisaremos ver com o ministro Paulo Guedes”, declarou.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora