Revista GGN

Assine

Existe uma "nova direita" que rejeita Bolsonaro e não traz novidade alguma, por Pedro Zambarda de Araújo

do Storia

Existe uma "nova direita" que rejeita Bolsonaro e não traz novidade alguma

por Pedro Zambarda de Araújo

Sobre Partido NOVO, Spotniks e uma nova onda de liberais que não traz novidade alguma, mas que tentam se vender por textões de Facebook e mensagens travestidas de isentas no debate político.

Filho do economista Eduardo Giannetti, ex-guru de Marina Silva nas eleições, o filósofo Joel Pinheiro da Fonseca deu uma entrevista à revista Época em 10 de junho de 2016 se vendendo como uma novidade dentro da direita política brasileira. De fato ele é representante de um grupo político novato, mas as ideias que defende são liberais e clássicas.

Bacharel em Ciências Econômicas pelo INSPER (antigo Ibmec-SP), ele também se graduou e fez mestrado em Filosofia na FFLCH-USP. Com 31 anos, sua formação acadêmica mistura-se com a militância política. Criou, em 2008, a revista Dicta & Contradicta, de debate de alto nível no espectro liberal de direita, semelhante à Serrote, com publicação semestral. Embora tenha recebido financiamento da Febratel (Federação Brasileira de Telecomunicações), o projeto não foi pra frente. A publicação inclusive tentou se promover com ajuda de Olavo de Carvalho e não deu certo.

Joel então se envolveu com um projeto novo e sem a participação de ideólogos mais radicais como o Olavão. Em 2014 criou o site Spotniks com Rafael da Silva (que nunca mostra seu rosto na internet) e Felippe Hermes, que apesar do design arejado e bonito, se mantém defendendo as ideias de sempre: Estado mínimo (se possível zero), antiesquerdismo, antipetismo e liberalismo. Os textos na sua maioria são em formatos de listas, para fácil leitura, e o grupo inclusive já abriu propostas de financiamento coletivo para manter suas atividades.

No dia 21 de maio de 2017, o Spotniks lançou um post afirmando que não é apoiado por legendas políticas no Facebook. O que ele não conta é que a carreira de Joel Pinheiro, um dos seus fundadores, decolou para além do site e chegou, sim, aos partidos.

O NOVO

Quando deu entrevista à revista Época, Joel Pinheiro da Fonseca já estava participando da cúpula e das reuniões do Partido NOVO, a novidade liberal da política tradicional brasileira. Em protestos pelo impeachment de Dilma, a legenda angariava assinaturas para se lançar oficialmente. Duas fontes confirmaram a esta coluna que estiveram em reuniões do grupo e viram que, apesar de nomes novatos como o de Joel, a grande maioria das reuniões era composta por ex-tucanos desiludidos e por cidadãos mais velhos com altas expectativas baseadas na queda da ex-presidente.

Mas a novidade de Joel não ficaria restrita na militância partidária, enquanto ele ainda tinha funções no Spotniks e em grupos de Facebook como o Liberzone. Ele ganharia uma coluna no jornal Folha de S.Paulo e no site da revista EXAME, além de organizar TED Talks. Em um dos textos, Joel Pinheiro atacaria diretamente o pré-candidato do PEN (antigo PSC): "Eu considero Bolsonaro, em termos pessoais, uma das piores opções imagináveis para ocupar a presidência. Não tem nenhum conhecimento relevante, seus discursos são pura demagogia, ele apela a desejos violentos do eleitorado, é leniente com violência contra homossexuais, seu jeito errático não inspira nenhuma confiança, sua carreira na Câmara (26 anos) é – desconsiderados os showzinhos de boçalidade – desprovida de qualquer realização".

O discurso polido e bem montado de Joel o faz passar, para muitos desavisados, como alguém de centro. A realidade é que ele é e sempre foi de direita. O site de seus amigos Spotniks, por exemplo, defendeu o vergonhoso filme chamado "Real – O plano por trás da história" do cineasta Rodrigo Bittencourt, que tenta transformar a história do plano monetário do ex-presidente FHC e de economistas como Gustavo Franco numa enredo de "super-heróis nacionais" com um trailer patético.

Por todos estes fatores, a "nova direita" é vazia, tenta se montar apenas em ataques contra a esquerda e não monta nenhum projeto novo. E há óbvias contrariedades na história de Joel Pinheiro, que ora apoiou Olavo de Carvalho e ora tornou-se um dos seus críticos ao tentar se afastar do radicalismo de extrema-direita de gente como o Bolsonaro, que ganhou força graças ao antipetismo.

Com a palavra, Joel Pinheiro da Fonseca

A coluna procurou Joel Pinheiro para tirar algumas dúvidas sobre sua atuação em diferentes organizações de direita. Ele respondeu todas as perguntas, negando alguns dados apurados por esta coluna e esclarecendo outras informações.

--

Pedro Zambarda: Você é ou era administrador da fanpage do Spotniks? Você saiu de lá depois que se tornou colunista da Folha e depois da EXAME?

Joel Pinheiro da Fonseca: Nunca tive função administrativa no Spotniks e nem fui admin da fanpage. Tive uma relação mais próxima com Rodrigo da Silva e Felippe Hermes de meados para fins de 2014. Acompanhava e discutia o projeto, embora não tivesse um cargo nele além de escrever, produzir conteúdo, fazer algumas entrevistas. Na primeira metade de 2015 (posso procurar a data), nos afastamos. Desde então, às vezes faço textos pontuais para eles.

O convite para escrever na EXAME Hoje (aplicativo da Revista EXAME) foi feito em abril de 2016. Na Folha, tive uma coluna temporária durante as eleições de 2016 e, já em 2017, recebi o convite para ter uma coluna fixa. Ou seja, nenhuma relação entre ter saído do Spotniks e ter entrado no Exame Hoje ou na Folha.

PZ: Você era administrador da fanpage do Liberzone?

JPF: Fui colunista do Liberzone, um site que juntava articulistas libertários antes da existência do Spotniks. Não lembro qual era o esquema da fanpage; tenho quase certeza que nunca fui admin. Seja como for, nunca exerci de fato papel de administrador do grupo ou de porta-voz da página, nem nada do tipo.

PZ: Numa entrevista à Época, você disse que é ou era administrador da página do Partido NOVO. No dia 21 de maio, o Spotniks postou que não recebe ajuda de nenhum partido. Não é contraditório o site afirmar isso, se já teve você entre os fundadores?

JPF: Comecei a trabalhar no NOVO em junho de 2015, quando não tinha mais relação alguma com o Spotniks. Até onde eu saiba, a afirmação do Spotniks é verdadeira. Da parte do NOVO, no qual fiquei de junho/2015 até dezembro/2016, não havia apoio nenhum para o Spotniks.

 
Média: 2 (8 votos)
17 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Octavio Pires 1
Octavio Pires 1

caiu a ficha

Sinceramente, agora é que me caiu a ficha sobre uma entrevista que li com o Armínio Fraga, na qual ele se lança candidato a presidente (mais um !!!!!). De repente, não mais que de repente, Armínio faz alguma menção a esse tal "Partido Novo", que segundo todos os experts, não é mais que um desdobamento do PSDB, que se se espatifou no golpe mal dado que deu. Pior é que agora eles nem falam mais : " menos Marx, mais Missses!!". Agora falam> "menos Keynes e mais Misses" . Vamos tentar combater essaa polarização que tomou conta do Brasil : "Mais George Soros; menos Armínio Fraga". Ora bolas, se podemos falar com o ventriloquo, porque vamos nos dirigir ao boneco? De qualquer forma,alguém poderia me citar três atitudes boas que de fato o PSDB tomou em favor do Brasil? ( o real foi do Itamar) Ou do povo brasileiro? E mais uma curiosidade que de fato tenho: afinal, quem é esse tal de "Misses"?

Seu voto: Nenhum

Não dá pra desprezar o

Não dá pra desprezar o potencial de crescimento na sociedade brasileira dessa "nova direita"...... Nossa classe média está enferma de preconceitos e fanatismo contra Lula e o PT, e no imaginário popular "todas as lideranças políticas estão contaminadas" - ainda mais agora, que Aécio "ficou nu"...... A Globo é a Globo.... menosprezar seu poder de fogo já nos trouxe derrotas e perplexidades demais....
.
Uma sociedade exausta, meio catatônica e perdida diante do que veio no pós-golpe pode estar exatamente ávida por qualquer ilusão que seja bem apresentada. Não duvido, que um Bernardinho da vida, carismático e bem falante, com seu jeitão de "homem decidido" possa falar os clichês que essa classe média deseja ardentemente ouvir....
.
Já fomos surpreendidos por Collor. A sociedade hoje é mais doente, mais cansada..... O processo pode se repetir....

Seu voto: Nenhum

Como é que é?! "Alto

Como é que é?! "Alto nível"... com "ajuda de Olavo de carvalho"?!

Só rindo.

Aliás, é de chorar!  No futebol chama-se isso de "respeitar demais o adversário": enquanto são desqualifiicados a todo instante, ficam tratando essas baixarias como "direita bem pensante"...

Já era!.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

PJ não VOTA!

O Jornalismo acabou e a eleição não tem fim!

Os esquerdistas

Os esquerdistas piram!!!!!!

Piram no unico partido que não usa fundo partidário.

Piram no unico partido que quer redução de impostos.

Piram no unico partido que quer redução do estado.

Piram no unico partido que quer devolver o dinheiro e o poder para o cidadão.

Piram no unico partido que quer acabar com o foro priviliegiado.

Piram no unico partido que quer instaurar a meritocracia.

Piram no unico partido que irá governar sem fazer concessões politicas.

Piram no unico partido que refuta Keynes e adora Mises.

Piram no partido que quer ajudar a qualquer um a empreender e ter sucesso na vida empresarial, gerando empregos e produtividade.

Piram no unico partido que prega livre mercado.

Piram no unico partido que exige ficha limpa para candidatos.

Piram  no unico partido que limita o "carreirismo politico".

Piram no unico partido que tem a gestão do partido não pode ser feita por candidato ou ocupante de cargo eletivo.

 

A ESQUERDA ACABOU NO BRASIL !!!!!

Seu voto: Nenhum

Véio, ou você é um dos fdps

Véio, ou você é um dos fdps mamadores de tetas do estado que fazem parte da cúpula desse partideco ou é um tremendo dum otário. Vai pregar pras bestas que acessam aquele fasciburro com curtidas compradas. 

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Atenção Para o Refrão: É Preciso Estar Atento e Forte

Incrível, de novo, o "Novo" retorna ao terreno da politica, como se os fatos não escancarassem tratar-se de um partido velho de prateleira, gestado há seis anos, na Casa das Garças, por banqueiros e fiéis escudeiros, executivos e acadêmicos, com Arminio e Bacha à frente desses meritocratas de mercado, para no momento oportuno, em que o PSDB por conta de fadiga do material desmanchasse, substitui-lo para não correr-se risco de descontinuidade do projeto, 'Brazil - Entreposto Financeiro & Comercial'.

Em 2015, aos primeiros sinais de desmanche do velho PSDB, sacaram-no da prateleira e registraram o "Novo PSDB" junto a justiça eleitoral, para experimentalmente participarem das eleições de 2016, o que foi feito, concorrendo em algumas capitais e elegendo 5 ou 6 vereadores.

Em 2017, o fiel ex-executivo do Itaú-BBA, João Dionísio, escalado para presidi-lo desde o criadouro, deixou a presidência, para, dado a 'semelhança física e ideológica' com Macron, ser uma das possibilidades de 'Novo Collor', a ser gestado candidato a presidência, com concurso e expertise globais.

Ativos do velho PSDB, como Luciano Huck e Bernardinho, foram transferidos para o "Novo" e o último "Roda Morta" da Cultura, com um 'Luminar' do instituto Millenium & Convidados, dedicou-se a iniciar o preparo do campo à semeadura da velha e manjada novidade.

Aguardemos a global iniciar o projeto, com entrevistas no Bilau, Brega, etc., e preparemo-nos dessa vez, não para o que não sabíamos ou que só percebemos tarde, mas que a novidade a ser vendida é o "Novo", com seu "meritocrático Macron tupiniquim", por ora o João, Dionísio, já que o Doria é novo fake e Geraldinho, lata velha.

Mas se não der liga, 'o Novo', virão com o velho parlamentarismo. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Novo = Neo

Neoliberal
Neofascista
Neoescravocrata

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Jackson da Viola
Jackson da Viola

Gilmar e o "semi-presidencialismo".........

Qual será a pauta de seu jantar neste domingo, 6, com o presidente Michel Temer?

A reforma política. Temos feito sugestões às comissões do Congresso e batido muito na necessidade da cláusula de barreira e proibição de coligação. Tenho batido muito na necessidade de pensar um semi-presidencialismo

Seu voto: Nenhum
imagem de Justiniano
Justiniano

Nova velhacaria

Tão novo quanto a República Velha

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Anônimo
Anônimo

Se então está sendo criticada

Se então está sendo criticada por vocês e pela extrema-direita é porquê é excelente.

Seu voto: Nenhum (11 votos)

Um dia entrei no fasciburro

Um dia entrei no fasciburro deles e alguns de seus seguidores estavam reclamando por eles apoiarem a reforma trabalhista. Esse é o nível dos eleitores desse partideco, mal sabem que estão apoiando quem só quer lhes foder. 

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Subsídios

Para quem quiser se informar mais sobre o fenômeno, os métodos e a discursividade dessa "nova" direita (que de "nova", em conteúdo, não tem nada), sugiro dar uma olhada nas seguintes matérias:

http://apublica.org/2015/06/a-nova-roupa-da-direita/
http://apublica.org/2015/06/a-direita-abraca-a-rede/
http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,a-maquina-barulhenta-da-direita-na-internet,70001714254
http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2017/05/ate-onde-vai-a-nova-direita
http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/128/as-bases-e-o-habitat-da-nova-direita

Recomendo, em especial, as reportagens da Agência Pública (dois primeiros links).

Sobre a principal matriz de financiamento desses movimentos, sugiro (para quem lê inglês):

http://www.rollingstone.com/politics/news/inside-the-koch-brothers-toxic-empire-20140924
https://www.nytimes.com/2016/01/24/books/review/dark-money-by-jane-mayer.html

Para além, tão simplesmente, da aversão sumária e da crítica ligeira ao conteúdo dessa discursividade, é bom prestar atenção ao notável trabalho de validação e conquista de legitimidade que realizam aqueles que encampam esse discurso.

Perceber isso significa também ter de reconhecer o quanto a esquerda brasileira (capitaneada mais que tudo pelo PT) abandonou o trabalho de base e a formação de militância.

Se essa última já foi a responsável por sustentar a ascenção eleitoral do PT ao longo de 20 anos. A opção do PT-no-poder pela máquina do financiamento acabou esvaziando e reduzindo à quase insignificância a possíbilidade de recurso à militância, coisa da qual hoje é a direita que lança mão maciçamente, fazendo uso, em especial, de um novo espaço de militância: o mundo digital. Não vê quem não quer.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Nesse ponto voce tem razão. A

Nesse ponto voce tem razão.

A meu ver, o principal erro da esquerda é ficar apenas defendendo minorias - ou dar muita enfase a esta defesa. Foi por isso que tipos nefastos como Bolsonaro tanto cresceu, combatendo esse discurso excessivamente sobre minorias e mais minorias. Sem discutir políticas públicas que abarquem toda a população.

Um exemplo, que nem é da esquerda, mas passou no programa da Fátima Bernardes outro dia. Uma reportagem de uma hora falando sobre a confecção de bonecas negras e coisa e tal que é bom para ajudar a aumentar a auto estima das crianças negras e tudo mais. Sem dúvida, sou a favor das bonecas negras, sem problema nenhum. A questão é o foco: Como um programa fica uma hora falando nisso e não fala absolutamente nada da crise em que estamos passando, a qual afeta praticamente TODA a população ? Não falar nada do desemprego em massa ?

Outro ponto em que a esquerda erra é não "meter o pau" nos altos funcionários públicos, nos marajás da República, que ganham Super -Salários, acima do TETO constitucional. Porque a esquerda não propoe aliquota de 100% no IR para a faixo em que servidor receber acima do TETO ?

Enquanto a esquerda ficar se fiando APENAS em minorias, lgbt, negros, mulheres, mais a direnta boçal vai crescer, pois o pobre e burro da direita não vai se sentir representado.

Outro ponto é a esquerda falar mal da classe média. Ora, se quer o mel, não se pode espantar a colméia.

Seu voto: Nenhum
imagem de João de Paiva
João de Paiva

Mentiroso, em cima do muro, como todo tucano

Muito boa a reportagem e o trecho da entrevista publicado. O discurso do velho, travestido de falso-novo, só convence os tolos, os ingênuos, os incautos e as viúvas de um PSDB, que ostentou no nome a expressão social-democracia sem jamais colocá-la em prática. 

Luís Nassif, assim como outros jornalistas experientes e qualificados, ainda fazem concessões e dão colher de chá a figuras pregressas - já falecidas - do PSDB, tais como Mário Covas, Franco Montoro, Sérgio Motta e os irmãos Mendonça de Barros. Chega a dar pena de Nassif a ilusão que ele ainda mantém em relação a esses figurões falecidos do PSDB, especialmente Sérgio Motta, a quem ele chama de "generoso". Quanto a Mário Covas, ninguém desconhece sua coragem e integridade (embora o mesmo não possa ser dito em relação aos descendentes e familiares dele e aos auxiliares que nomeou, quando governou SP); mas quem pode avaliá-lo como gestor público é o funcionário de carreira do estado, que viu o desmonte e a privataria que serviram de exemplo para FHC em âmbito nacional. Covas só se reelegeu governador porque teve apoio do PT e da Esquerda, para impedir que o nefasto e corrupto-mor, Paulo Maluf, fosse eleito governador; Maluf quase se elegeu em primeiro turno; e sem o apoio do PT e da Esquerda ele se elegeria com folga no 2º turno. Franco Montoro deu vida e cargo importante a José Serra, por meio do qual ele consolidou sua carreira de corrupto profissional, como bem sabe o Jornalista que coordena a edição deste portal de notícias. Sérgio Motta é o trator e operador da privataria tucana e da compra da PEC que garantiu a FHC o direito de se candidatar à reeleição - fato comprovado por provas cabais, como demonstram as fitas gravadas com Narciso Mendes, o Sr. X, que gravou deputados do Acre que receberam para votar favoravelmente à PEC da reeleição. Luiz Carlos Mendonça de Barros é aquele que foi grampeado em tefonema com outro tucano de alto escalão do governo FHC, em que revela estar no "limite da (ir)responsabilidade, ao pressionar fundos de pensão (como PREVI, PETROS, dentre outros) a injetar dinheiro na privataria das TELES.

O  filósofo Joel Pinheiro da Fonseca é mais do mesmo: um velho tucano na pele de uma pessoa com pouca idade, alguns títulos e falso verniz acadêmicos. O PSDB jamais foi social-democrata; na verdade esse apêndice do PMDB sempre representou a direita que tomou 'banho de loja', que fala francês e sabe usar talheres. Nada mais velho que a direita liberal e neoliberal que se vale de rostos jovens e de discursos pseudo-modernos, para se perpetuar no poder.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

João, perfeito o seu comentário.

Você resumiu bem a mistificação existente em torno de algumas das vacas sagradas do PSDB.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

DILMA DE VOLTA E ELEIÇÕES GERAIS PARA ESSE CONGRESSO GOLPISTA!

DIRETAS JÁ É CHANCELAR O GOLPE!

A propósito das propostas dessa direita de sempre...

Há uma entrevista brilhante da Heloísa Villela com a professora Mildred Warner, da Universidade de Cornell, sobre serviços públicos e privados nos EUA. Há a ilusão de que tudo ou quase tudo por lá seria privado. Isso ocorre por pura falta de divulgação de informações. No nível municipal, cerca de 85% dos serviços públicos estão nas mãos do Estado. E há um forte pragmatismo até por parte de (alguns) republicanos que não pestanejam em trocar um por outro se o custo final para os cofres públicos for menor.

A entrevista está no viomundo:

Fonte: http://www.viomundo.com.br/denuncias/ideias-modernas-sobre-gestao-de-dor...

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

DILMA DE VOLTA E ELEIÇÕES GERAIS PARA ESSE CONGRESSO GOLPISTA!

DIRETAS JÁ É CHANCELAR O GOLPE!

Ui, que fofinho ele

Ui, que fofinho ele hein....

E não gosta do Bolsonaro. Sei não hein, por que será que não gosta ?

kkkkkkkk

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

É o famoso "novo" que já nasce carcomido de velho.

Se pelo menos fossem sinceros e dissessem NPD (Novo Partido de Direita) ou PND (Partido Novo de Direita), mas essa lenga-lenga de que "não temos nada a ver com isso" enche os pacová.

Vão enganar os "incautos" de sempre, a classe média pseudo-meritocrática que está "desiludida" com os políticos.

Que vão pros quintos dos infernos!

Seu voto: Nenhum (9 votos)

DILMA DE VOLTA E ELEIÇÕES GERAIS PARA ESSE CONGRESSO GOLPISTA!

DIRETAS JÁ É CHANCELAR O GOLPE!

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.