Revista GGN

Assine

Professor diz que formação de Moro deve ser investigada

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - Marcos César Danhoni Neves, professor e pesquisador da Universidade Estadual de Maringá, publicou artigo na Revista Fórum alertando para a formação do juiz Sergio Moro. Segundo Neves, Moro teria concluído mestrado e doutorado em prazo inferior ao padrão. Além disso, critica as teorias de Deltan Dallagnol no caso triplex.
 
Neste sábado, Veja publicou reportagem com Rosângelo Moro, esposa do juiz de Curitiba, contando que conheceu a estrela da Lava Jato quando ele tinha "20 e poucos anos", mas já era juiz e dava aulas de Direito em uma universidade.
 
Por Marcos César Danhoni Neves
 
 
Sou professor titular de Física numa universidade pública (Universidade Estadual de Maringá-UEM) desde 2001 e docente e pesquisador há quase 30 anos. Sou especialista em história e epistemologia da ciência, educação científica, além de processos de ensino-aprendizagem e análise de discursos.
 
Orientei mais de 250 alunos de graduação, especialização, mestrado, doutorado e pós-doutorado, além de professores in-service. Conto tudo isso, como preâmbulo, não para me gabar, mas para salientar que li milhares de páginas de alunos brilhantes, medianos e regulares em suas argumentações de pesquisa.
 
Dito isso, passo a analisar duas pessoas que compõem o imaginário mítico-heróico de nossa contemporaneidade nacional: Sérgio Moro e Deltan Dallagnol.
 
Em relação ao primeiro, Moro, trabalhei ativamente para impedir, junto com um coletivo de outros colegas, para que não recebesse o título de Doutor honoris causa pela Universidade Estadual de Maringá.
 
Moro tem um currículo péssimo: uma página no sistema Lattes (do CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico ligado ao extinto MCT – Ministério da Ciência e Tecnologia). Lista somente 4 livros e 5 artigos publicados.
 
Mesmo sua formação acadêmica é estranha: mestrado e doutorado obtidos em três anos. Isso precisaria ser investigado, pois a formação mínima regulada pela CAPES-MEC (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Ministério da Educação) é de 24 meses para Mestrado e 48 meses para o Doutorado.
 
Significa que “algo” ocorreu nessa formação apressada.. Que “algo” é esse, é necessário apurar com rigor jurídico.
 
Além de analisar a vida acadêmica de Moro para impedir que ele recebesse um título que não merecia, analisei também um trabalho seminal que ele traduziu: “O uso de um criminoso como testemunha: um problema especial”, de Stephen S. Trott.
 
Mostrei que Moro não entendeu nada do que traduziu sobre delação premiada e não seguiu nada das cautelas apresentadas pelos casos daquele artigo.
 
Se seguirmos o texto de mais de 200 páginas da condenação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e guiando-me pela minha experiência em pesquisa qualitativa, análise de discurso e fenomenologia, notamos claramente que parte significativa do texto consiste em Moro tentar apagar suas digitais, sem sucesso, ao desdizer que agiu com imparcialidade.
 
Nestas páginas robustas lemos uma declaração clara de culpa: Moro considera a parte da defesa de Lula em menos de 1% do texto total! E dos mais de 900 parágrafos, somente nos cinco finais alinhava sua denúncia e sentença sem provas baseada num misto frankensteiniano de “explanacionismo” (uma “doutrina” jurídica personalíssima criada por Deltan Dallagnol) e “teoria do domínio do fato”, ou seja, sentença exarada sobre ilações, somente.
 
Aqui uso a minha experiência como professor e pesquisador: quando um estudante escreve um texto (TCC, monografia, dissertação, tese, capítulo de livro, livro, ensaio, artigo), considero o trabalho muito bom quando a conclusão é robusta e costura de forma clara e argumentativa as premissas, a metodologia e as limitações do modelo adotado de investigação.
 
Dissertações e teses que finalizam com duas ou três páginas demonstram uma análise rápida, superficial e incompetente. Estas reprovo imediatamente. Não quero investigadores apressados, superficiais!
 
Se Moro fosse meu aluno, eu o teria reprovado com esta sentença ridícula e persecutória. Mal disfarçou sua pressa em liquidar sua vítima.
 
Em relação a outro personagem, o também vendedor de palestras Deltan Dallagnol, há muito o que se dizer. Angariou um título de doutor honoris causanuma faculdade privada cujo dono está sendo processado por falcatruas que o MP deveria investigar.
 
O promotor Dallagnol não seguiu uma única oitiva das testemunhas de defesa e acusação de Lula, além daquela do próprio ex-presidente.
 
Eu trabalho em pós-graduações stricto sensu de duas universidades públicas: uma em Maringá e outra em Ponta Grossa. Graças a isso fui contactado por meio de um coletivo para averiguar a dúvida sobre a compra por parte de Dallagnol de apartamentos do Programa Minha Casa Minha Vida em condomínio próximo à UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa).
 
Visitei os imóveis guiado por uma corretora e me dirigi ao Cartório de Registro de Imóveis da cidade. Após algumas semanas, a resposta: os dois apartamentos modestíssimos, destinados a gente pobre, tinham sido adquiridos pelo Promotor e estavam à venda com um lucro líquido em menos de um ano de aquisição de 135 mil reais.
 
Reuni o material e disponibilizei para a imprensa livre (aqui a matéria do DCM). O promotor teve que admitir que comprou os apartamentos para ganhar dinheiro na especulação imobiliária, sem resquícios de culpa ou de valores morais em ter adquirido imóveis destinados a famílias com renda de até R$ 6.500,00 (Deltan chegou a ganhar mais de R$ 80.000,00 de salários – além do teto constitucional, de cerca de R$ 35.000,00; e mais de R$ 220.000,00 em suas suspeitosas palestras).
 
Bom, analisando os discursos de Dallagnol, notamos claramente a carga de preconceito que o fez construir uma “doutrina” de nome exótico, o “explanacionismo”, para obter a condenação de um acusado sem prova de crime.
 
Chega a usar de forma cosmética uma teoria de probabilidade – o bayesianismo – que ele nem sequer conhece ao defender a relativização do conceito de prova: vale seu auto-de-fé a qualquer materialidade de prova, corrompendo os princípios basilares do Direito.
 
Como meu aluno, ou candidato a uma banca de defesa, eu também o teria reprovado: apressado, superficial e sem argumentação lógica.
 
Resumindo: Dallagnol e Moro ainda vestem fraldas na ciência do Direito. São guiados por preconceitos e pela cegueira da política sobre o Jurídico.
 
Quando tornei-me professor titular aos 38 anos, eu o fiz baseado numa obra maturada em dezenas e dezenas de artigos, livros, capítulos, orientações de estudantes e coordenações de projetos de pesquisa.
 
Infelizmente, estes dois personagens de nossa República contemporânea seriam reprovados em qualquer universidade séria por apresentar teses tão esdrúxulas, pouco argumentativas e vazias de provas. Mas a “Justiça” brasileira está arquitetada sobre o princípio da incompetência, da vilania e do desprezo à Democracia.
 
Neste contexto, Moro e Dallagnol se consagram como “heróis” de papel que ficariam muito bem sob a custódia de um Mussolini ou de Roland Freisler, que era o presidente do Volksgerichtshof, o Tribunal Popular da Alemanha nazista. Estamos sob o domínio do medo e do neo-integralismo brasileiro.
 
*Marcos César Danhoni Neves é professor titular da Universidade Estadual de Maringá e autor do livro “Do Infinito, do Mínimo e da Inquisição em Giordano Bruno”, entre outras obras
 
 
 
Média: 4.4 (63 votos)
66 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Eliesio
Eliesio

REPUTAÇÃO

Tenho até procurando achar, mas ainda não vi ninguém respeitável falar bem dessas duas figuras do serviço público brasileiro.

Seu voto: Nenhum
imagem de Mario S. S. Gonçalves
Mario S. S. Gonçalves

Dr. Sérgio Moro

Fiquei calado até hoje, quando me deparei com este artigo.  Todavia, mediante o exposto, venho a público dizer que a sentença exarada pelo doutor moro tem defeitos de lógica e de gramática, que pasmem, passou por toda a equipe de aparvalhados, e recentemente foi exaltada por um desembargador de formação igualmente duvidosa.  Ficarei num exemplo: página três da sentença, item 6: "A presente ação penal tem por objeto uma fração dos crimes do esquema criminoso da Petrobras".  extraído de: http://veja.abril.com.br/politica/veja-a-integra-da-sentenca-de-moro-que-condenou-lula/

Declaro que se existe esquema criminoso em empresa, poderíamos afirmar isso em relação à JBS, e outras do mesmo jaez, patrocinadas pelo PT et caterva.  Desconheço a Petrobras como empresa que tenha esquema criminoso, entendo que deveria ter sido escrito: esquema criminos perpetrado contra a Petrobras, ou esquema criminoso instalado pelo PT na Petrobras.  Entretanto o nível de escrita e de leitura do povo foi reduzido ao nível mais baixo possível.   Sendo assim, nem o exmo. dr. moro, sua equipe, o desembargador que o exaltou, bem como os advogados de defesa estão em nível de intelectualidade similar.  Leem e infelizmente não entendem o que leem. Para o que é está mais do que bom.  A minha lamentação fica por conta da história que será escrita, pois não se trata apenas de uma sentença, pois ganha contornos de documento histórico.  Nesta terra, abundam mosquitos e analfabetos, infelizmente.

Seu voto: Nenhum
imagem de Jarbas Similevinsk
Jarbas Similevinsk

Outra do Acadêmico Moro.

Professor Marcos César:

"It is emphatically the province and duty of the judicial department to say what the law is."

Esta frase, do Chief Justice John Marshall, nos Estados Unidos de 1803, foi assim traduzida pelo acadêmico Sérgio Moro em sua tese de doutorado de 2002:

p { margin-bottom: 0.25cm; line-height: 120%; }

"É enfaticamente a província e o dever do ramo judiciário dizer o que é o Direito."

Alguém entendeu essa mistura de uma província (seria Rosario, na Argentina?) com uma obrigação? Nem eu. Parece que o acadêmico Moro (ou alguém que fez a tradução por ele) andou confiando demais na própria perspicácia, tomando "province" por "província"!...

O pior é que a banca examinadora deixou passar o erro mastodôntico, e ele vem sendo citado (sem o apontamento ou correção do erro, já que todos fingem haver entendido) por muita gente (inclusive juristas) deslumbrada com o então acadêmico e hoje juiz. Parece (e isto merece uma "vergonha alheia" adicional) que a banca examinadora da UFPR não examinou coisa alguma, fiando-se no  Q.I. (Quociente de Inteligência ou Quem Indica?) do doutorando.

A tradução correta, acessível a qualquer estudante de inglês, mas constante de uma outra tese (de um mestrando!), de 2005, no mesmo Estado da Federação, seria:

"Enfaticamente, é função e dever do departamento judicial dizer o que a Lei é."

Conclusão: de perto, todo mundo tem pereba (inclusive juizes e procuradores).

 

 

 

 

 

Seu voto: Nenhum
imagem de Jus Ad Rem
Jus Ad Rem

*

O fato é que o jovem tucano fez supletivo "carga rápida" para começar a aplicar suas teorias tendenciosas e partidárias em suas sentenças.

Condenou Lula sem provas, mas não se dignou a mandar investigar Temer sobre as propinas na Eletronuclear.

Se omitiu escandalosamente! Uma vez que a operação Lava Jato conseguiu farto material comprobatório para tanto.

Além disso negou as 20 perguntas de Cunha a Temer sob o argumento de que Cunha estava querendo "constranger o presidente".  Ridículo!

Trata-se de um reles operário do golpe jurídico-midiático-parlamentar que aplicaram na presidente eleita e consequentemente no povo.

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Regis Henrique Olivetti
Regis Henrique Olivetti

Professor diz

Sempre cabe o argumento da dúvida, inclusive em ciências exatas e no próprio conteúdo do texto. Penso que a academia deixou de ser honrosa faz muito tempo, com suas carteiradas de títulos, "decorebas", artigos e incompetência funcional. Coleção de figurinhas é mais honesto.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Paulo Henrique Netto de Alcântara
Paulo Henrique Netto de Alcântara

uma olhadinha nos agradecimentos...

Recomendo uma breve olhada nos 'agradecimentos' da tese de doutorado... até que 'explica' que começou a ser lavrada desde de 1996 quando passou na magistratura... ainda assim o curso de doutorado apresenta 15 disciplinas obrigatórias de 15 a 45 horas de carga fora as optativas... e há o próprio trabalho intelectual de escrever a tese... o curioso é na segunda página... quando se lê -  "É necessário também agradecer a Walter Pelegrini que auxiliou-me na revisão do testo." Imagino se IPSIS LITTERIS está desse jeito... mesmo como dizia Monteiro Lobato sobre os ERROS serem como sacis... que só surgem depois que o artigo vai para o prelo... é estranho... sobretudo com os mecanismos de correção que temos desde o século passado... só falta alguém dizer que a tese depositada na UFPR foi maquilada propositalmente por algum 'petralha'...

Seu voto: Nenhum
imagem de Claudio Azevedo
Claudio Azevedo

Doutorado da Dilma

Essa reportagem ridícula e tendenciosa me fez lembrar do "Doutorado" da Dilma...

Seu voto: Nenhum (12 votos)
imagem de Jus Ad Rem
Jus Ad Rem

*

O fato é que o joverm tucano fez supletivo "carga rápida" para começar a aplicar suas teorías seletivas, tendenciosas e partidárias nas suas sentenças.

Se ele acha que entregar o Brasil aos EUA é bom negócio, ele tem que explicar isso por A + B.

Alias, primeiro ele deve explicar por que não mandou investigar o envolvimento deTemer nas propinas da Eletronuclear, uma vez que a operação Lva Jato consegui farto material comprobatório para tanto. 

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Paulo Henrique Netto de Alcântara
Paulo Henrique Netto de Alcântara

Tendenciosa sim... ridícula???

É impressionante a lógica coxinha... ou já será fascista mesmo... que o autor obviamente suspeita da qualificação dos paladinos coxinhas está claro desde o início, mas não apenas expõe a sua experiência acadêmica, os critérios de análise de trabalhos de conclusão de curso e o escasso currículo dos 'concurseiros' - que violam princípios que qualquer LEIGO de boa fé reconhecem como universais no Direito, exceto, claro nos regimes totalitários à esquerda ou à direita... MAS... para o coxinha é simplesmente 'ridícula'... e ponto final... 

Dado que o 'nome' do comentarista encontra uma série de 'similares' mas não idênticos na Plataforma Lattes - onde se poderia checar a 'qualificação' do mesmo para um diagnóstico de 'terra arrasada' tão singular - eu penso que só deve ser baseado em pura 'CONVICÇÃO'... ..."substância imaterial" muito comum naqueles que soem frequentar as agremiações religiosas à quem pertencem os dois paladinos - onde o 'espírito santo' dá 'dicas' relevantes para enfrentarem o 'dragão da maldade' seja na forma do 'sapo molusco barbudo'... 

Seu voto: Nenhum
imagem de Cedric
Cedric

CONCURSEIROS TUCANOS

Eu vou ainda mais longe, me estranha muito a facilidade com que concurseiros tucanos estão conseguindo passar em concursos estratégicos no páis nos últimos anos. Mesmo a elite sendo predominantemente tucana, a quantidade está muito desproporcional! E aí é uma coisa a se perguntar, conhecendo o histórico de baixezas do psdb e dessa mesma elite, se esses concursos não estão sendo de alguma forma direcionados....

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de Cláudio Vigas
Cláudio Vigas

O PT - como alvo político - se interessa p/estas questões?

Esse trabalho de tamanha envergadura e natureza, não deveria já ter sido tocado pelo Instituto Lula (leia-se: PT)?... Ainda assim, qual seria a utilidade, se fosse descoberto que ele Moro, forjou (ou comprou) títulos ou "entrou pela janela" de algum tribunal com ajuda da CIA ou dos Maçons?... Outra questão: Será que o PT, está realmente preocupado em reagir neste flanco?... Quer o PT algum embate racional ou ideológico anti-Golpe ou prefere seguir fazendo, desde 1989, o Jogo da Direita?

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Eliesio
Eliesio

Que jogo o PT está jogando?

Acho que o PT joga o jogo que é possível jogar. Não dá para escolher adversário, não dá para escolher o congresso. É um pouco como o marinho: "O bom marinheiro não reclama mar", ou " mar calmo não faz bom marinheiro", ou ainda "quem vai ao mar se avia da terra". Os excluído não podem esperar bom tempo para os seus entrarem no jogo porque a exclusão oprime e mata os sonhos e a vida. Em um jogo de caneladas agente perde aqui e acola um beque, um atacante, mas põe outro no lugar e segue o jogo tentando empata e quem sabe, vez em quando, ganhar, mesmo o juiz protegendo o adversário e anulando nossos gols. Foi esse mar revolvo que formou o capitão de marinheiro Lula. Dilma reclamou do mar e olha o que deu! Não mocinho nesse jogo.

Seu voto: Nenhum
imagem de Aristides pinheiro
Aristides pinheiro

MORO.

Eu!De conhecimento e 38 anos de graduação em odontologia,22 de medicina, talves tenha visto mais professores, do que este professor titulado em advocacia. Sabe o real problema dos titulados MS e PHD no Brasil? Falta de vivência profissional! SERGIO MORO por ser juiz já vivenciou mais mazelas do que muitos Doutores. Quer saber o que eu penso? MENOS DOUTORES MS E PHD E MAIS PESSOAS ENBOLVIDAS NO BEM GERAL CERTO? DISSE O QUE PENSO!

Seu voto: Nenhum (18 votos)
imagem de Thia
Thia

Faça-se chegar ao autor

Quebrando seu argumento em poucas palavras. Se a "teoria do explanacionismo" é invalida, como justifica o réu, ter muitas vezes mais bens e valores, do que os declarados a receita federal. "Ele deve ter ganhado de presente" ... Poxa estou precisando de amigos assim! Três beijos prof!

Seu voto: Nenhum (21 votos)
imagem de bonobo de oliveira, severino
bonobo de oliveira, severino

A Seita.

Trata-se de um artigo falando das qualificações (ou falta de) Sergio Moro e Dallagnol e nos vem a presença de alguem da Seita a tentar pescar relações do texto com determinado caso, ou réu. É o sintoma da contaminação ZUMBI causada pelo vírus transmitido pela Globo/Mossack-Fonseca por meio das centenas de seus canais midiáticos. A característica desse vírus é que ele se aloja preferencialmente e adapta-se com grande facilidade em tecidos cerebrais desprovidos de informações e massa cinzenta.

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de vanusa
vanusa

Ahhh então você admite, ao

Ahhh então você admite, ao misturar Sergio Moro com PT, que o juíz não é um juiz qualquer do nosso judiciário, que por acaso está julgado o caso. Mas sim, um juíz encomendado que faz uma duplinha com o também encomendado Dallagnol para impedir que Lula seja candidato em 2018. Um juíz um promotor e uma advogada (Janaína Paschoal) procurados a dedo e pinçados de fora dos magistrados conhecido,pois teriam que serem inventadas as suas personalidades de heroi, as pessoas teriam que acordar já com os herois com suas fantasias reluzentes voando sobre a cidade, senão ninguém compraria a farsa. 

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Pedro Curioso
Pedro Curioso

Seria interessante também que

Seria interessante também que se fizesse similar análise do meretíssimo D. Tofolli, ex advogado daquele partido que destruiu nosso país... Enfim, deixa pra lá. Não convém né.

Seu voto: Nenhum (31 votos)
imagem de Jus Ad Rem
Jus Ad Rem

*

Caro Sr. Pedro Curioso, poderia por favor apontar SEQUER UMA sentença em que Dias Tofolli favoreceu esse partido do qual o Sr. se refere?

PAPO FURADO!!!  CONVERSA FIADA!!!

Se não tem o que dizer fique calado!

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de ErA
ErA

A verdade incomoda

Muito interessante constatar que toda vez que alguém faz uma análise coerente e mais aprofundada dos "heróis" da Lava Jato, aparece um fã dos dois para falar do PT! É uma incapacidade terrível que esses golpistas têm de assumir que são, literalmente, usados por bandidos antipatriotas!

Seu voto: Nenhum (31 votos)
imagem de jossimar
jossimar

"Mas a “Justiça” brasileira

"Mas a “Justiça” brasileira está arquitetada sobre o princípio da incompetência, da vilania e do desprezo à Democracia."

Nunca tinha lido uma definição tão certeira como esta sobre o nosso judiciário.

E isto ocorre principalmente porque o judiciário brasileiro virou uma casta familiar ou "dos nossos" em quase 100% do país.

Seu voto: Nenhum (10 votos)
imagem de jossimar
jossimar

Já escrevi alguns comentários

Já escrevi alguns comentários neste blog duvidando que este sujeito tenha passado no concurso da magistratura. Sempre achei que foi passado, fato muitissimo comum na magistratura.

Também já escrevi que o sujeito foi escolhido a dedo para ser o juiz da lava rato. E isto não foi feito porque ele é competente.

Pesquisem este cabra e ele não dura quinze minutos.

Se precisar de vaquinha para custear a reportagem podem contar comigo.

Seu voto: Nenhum (20 votos)
imagem de Marco Sousa
Marco Sousa

EXCELENTE! A "explanação /

EXCELENTE! A "explanação / denúncia" do professor Marcos César contra esse dois meliantes (Moro + Dallagnol), simplesmente, diz: LETRA por LETRA, sem esquecer os pontos nos (i)s QUEM ELES SÃO, o que FAZEM e PORQUE FAZEM!.

 

Parabéns, porfessor Marcos César!;

Parabéns GGN pela matéria!.

 

Seu voto: Nenhum (15 votos)
imagem de Claudio Corrêa
Claudio Corrêa

Xi fedeu, teria maracutaia na

Xi fedeu, teria maracutaia na formação acadêmica de Sérgio Moro?  Ou estamos diante de um gênio?  Uma reencarnação de Pontes de Miranda ou de um embusteiro que completou o Mestrado e o Doutorado em 3 anos, com o tempo mínimo legal (CAPES/MEC) é de 6 anos?  

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de Pyotr
Pyotr

Isso não é verdade. O tempo

Isso não é verdade. O tempo mínimo é de 12 meses para mestrado e de 24 meses para doutorado.

Esse artigo teve um falha grave em confundir tempo MÁXIMO como MÍNIMO.

Não precisa ser gênio para concluir o mestrado e doutorado no tempo mínimo. Basta ter já em mente o tema que se quer investigar.

Me assusta que um professor titular escreva uma besteira dessas. Parece que estamos respondendo o jornalismo de guerra com a mesma moeda.

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de Antonio C.
Antonio C.

Comentário.

Com base no apresentado, é bastante razoável pesquisar a vida profissional e educacional do juiz Sergio Moro.

Pessoalmente, acho que ele é um tipo de agente provocador, mas é minha opinião, pura e simplesmente.

Muito embora eu chegue a considerar as práticas jurídicas contra a esquerda aqui semelhantes às práticas adotadas contra a esquerda na Alemanha na década de 1970 (grampear prisões e perseguir inclusive advogados de defesa, uso da opinião pública e a prática processual como o próprio método de tortura, dentre outras coisas menos nobres).

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de Francisco de Assis Ribeiro
Francisco de Assis Ribeiro

Formação acadêmica e sentenças de juízes no Brasil.

A respeito desse assunto, que tal investigar a formação e algumas sentenças dos juízes do STF?

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Que tempos!

Sérgio Moro, Michel Temer, Kim Kataguiri, Geddel Vieira Lima, Aécio Neves da Cunha, Deltan Dallagnol...

Eduardo Cunha.

Quero meu país de volta!

Seu voto: Nenhum (9 votos)

Desculpe falar, mas Moro e

Desculpe falar, mas Moro e Cia tb são brasileiros...

Não estou compartilhando a idéia do Dallagnol de que o povo brasileiro teria o DNA ruim, mas temos que reconhecer que a maioria (de qualquer povo) é medíocre e seguidora de manada; uma nação só desponta se tiver uma boa elite.

Ou seja, o problema do Brasil não é a maioria ser medíocre como Moro et caterva, mas ter herdado por razões históricas uma péssima elite. Portanto, não deseje ter o Brasil de volta, ele é o que sempre foi.

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de Severina do Carmo Silva
Severina do Carmo Silva

educaçao de Moro e Brasil

Falar de DNA do povo brasileiro, diante do Artigo brilhante do Professor Marcos César D Neves, é desviar o pensamento do leitor do foco principal. Nao sse trata de culpabilizar o povo brasileiro pela insuficiente educaçao, mas de CONSTATAR E INVESTIGAR A Formaçao de um Juiz que esta escandalizando e perseguindo as raizes de nossa naçao! E nao por "herança de DNA".

O artigo é um alerta sério e bem estruturado, uma contribuiçao de pessoa e profissional sério e coerente! Vamos ler sem preconceitos e abrir os olhos.

Foi por falta de clareza e por incoerencia que a socieidade alemã elegeu Hittler, especialista em perseguiçao e destruiçao de inteligencias brilhantes, etnias e liberdades democraticas! 

Tudo indica que estamos sendo vilipendiados por uma corja que se preparou para um mandato criminoso.

Um pais se faz com respeito à Constituiçao, com Democracia, com respeito ao povo, com Educaçao de qualidade, com Direitos preservados. E isto é construçao de uma naçao, nao esta no D N A do povo.

Viva o Povo Brasileiro e seus pensantes como o professor Marcos César que nos alerta! Abrir os ouvidos e ouvir de verdade!

Quero meu pais livre, respeitado, rico e belo de volta!

Seu voto: Nenhum
imagem de Somebody
Somebody

E só agora que vocês

E só agora que vocês entenderam o óbvio? Sérgio Moro não é um juiz, ele é um criminoso comum.

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de WG
WG

Repetindo: Moro é um pé de

Repetindo: Moro é um pé de cabra que as  "elites"  estão usando para arrancar Lula e o PT do poder.  

Seu voto: Nenhum (11 votos)

Pé de cabra

KKKKKK,  que legal!

Gostei!

Seu voto: Nenhum (2 votos)

 

O amor é lindo!

imagem de Nelo de Carvalho
Nelo de Carvalho

Investiguem, por favor.

Olha, sinceramente, de uns tempos para cá, também tenho duvidado da formação do Juiz Sérgio Moro. Que Universidade é essa que deu diploma a esse sujeito?

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de Fátima Pacheco
Fátima Pacheco

Professor diz que formação de Moro deve ser investigada

Um artigo maravilhoso, claro preciso, certeiro. Uma delícia ler um texto com embasamento científico e extremo conhecimento. Lamento apenas que o professor não tenha se dedicado ao direito. Seria um jurista brilhante. Quanto ao conteúdo, também sinto que há algo errado na formação do juiz Sérgio Moro e espero que de alguma forma, seja investigado.

Seu voto: Nenhum (11 votos)
imagem de Ivan Franca Junior
Ivan Franca Junior

Tese Mori

Caros

A CAPES não define tempo mínimo. Isso depende de cada instituição. Não há mais menção a mestrado no Lattes. ???

De qualquer modo, segue o link da Tees para quem tiver saco...

http://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/43165

Ivan

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Fez a OAB 5 vezes e não passou???!!!

Ta correndo na  internet  que ele fez 5 vezes exame da OAB e não passou!Como assim?ai  ele pula de Bacharéu pra Juiz federal e lota  a cadeia de presos?????Se isso for verdade, que seja apurado com  rigor!No lugar  dele  poderia estar um culto e competente jUIZ QUE FOI  SOLAPADO  DO CONCURSO !!!!

Seu voto: Nenhum (9 votos)

"A corrupção à brasileira é como o solo de Roma: basta cavar um pouco e descobrimos ruínas." Mino Carta

Bacharel

Maria Dirce,

não sei quando o moro fez concurso, mas há pouco tempo (2009, acho)  não havia necessidade de habilitação na OAB para ser juiz federal.

Uma comprovação de 2 anos de estágio, que poderia ser curricular nos 2 últimos anos do curso, por exemplo, ou estágio remunerado ou não em escritórios.

Mestrado e doutorado serviam apenas para a contagem de pontos e não influiam na nomeação do candidato aprovado, apenas na colocação.

Se ele não conseguiu passar no exame de ordem naquela época, hoje menos ainda.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

 

O amor é lindo!

imagem de Paulo Henrique Netto de Alcântara
Paulo Henrique Netto de Alcântara

O CONCURSO - 1996

Olhando a tese de Moro, na apresentação ele menciona a magistratura em 1996 - antes do mestrado e doutorado... suspeito que os inúmeros créditos das disciplinas de mestrado foram feitos a base de seminários de 45 min (conforme explica o regulamento do curso...) pois é estranho fazer um curso de mestrado apenas em um ano se as disciplinas (a maioria de 3 créditos) correspondessem a 15 horas cada no curso

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Roxane
Roxane

E onde estão os históricos

E onde estão os históricos escolares? Lá constam obrigatoriamente  as disciplinas cursadas. . É bom alguém se apressar pois podem ''sumir''  das secretarias dos cursos.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Dizem que moro

Nunca passou na prova da OAB. Que tentou 4 vezes e foi reprovado. Passar em concurso para juiz não exige necessariamente aprovação na OAB?

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de jossimar
jossimar

Ele pode ter tentado passar e

Ele pode ter tentado passar e não passou. Então, foi "passado".

Isto é muito comum nas castas do judiciário, principalmente se já houver familiares ou "amigos" lá dentro(judiciário).

Aqui no ES a operação naufrágio deixou este fato muito às claras.

Tenho certeza absoluta que se repete no brasil todo.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Andre.Oliveira
Andre.Oliveira

Pra ser juiz, delegado,

Pra ser juiz, delegado, promotor, etc nao precisa ter OAB, pois OAB é so pra quem quer ser advogado. Pra ser juiz basta passar no concurso e ter certos pre-requisitos, que entre outros, ter atuação/esperiencia anterior de 3 anos. Mestrado e/ou doutorado serve como a atuação/esperiencia de 3 anos no lugar de atuar como advogado por 3 anos - Curiosamente, nesse artigo, Moro fez seus mestrado/doutorado em tempo record: 3 anos. Na USP a maiora dos mestrados nao se faz em 3 anos, quanto mais doutorado conjutamente... ai tem...

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de John J
John J

Professor diz que formação de Moro deve ser investigada

Eu vou mais longe. Com tantas notícias sobre venda e compra  de gabarito de concursos, seria interessante estender essa pesquisa que o Professor Maercos César sugere que alguém, em nível hieráquico acima desses Funcionários Públicos,  deveria fazer com urgência, antes que eles possam cometer muitas outras barbaridades jurídicas e ajudarem enterrar ainda mais fundo o já desqualificado Judiciário Nacional, ou pelo menos fazer com que eles não se sintam tão poderosos a ponto de deixar de lado a constiutição e usar suas próprias idéias e convicções como base de seus julgamentos.

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de twoprong
twoprong

Mesmo caso do alexandre

Mesmo caso do alexandre tucano amorais do stf.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

FEBEAPÁ

Moro ( entre outras barbaridades não sabe a diferença entre câmara e câmera ) e o especulador imobiliário Dallagnol são membros hors-concours do Festival de Besteiras que Assola o País . Ah, o velho Stanislaw. ...

 

Seu voto: Nenhum (14 votos)
imagem de PauloBR
PauloBR

Sabe, sim!

Moro sabe perfeitamente bem que as duas são iguais, câmara e câmera. Antigamente, podia-se dizer que o que uma e outra faz só se revelam o escuro. Hoje, tempos digitais, pode-se dizer que o que uma ou outra faz é manipulável ao extremo. Que elas têm alguns mecanismos importaria e de procedência duvidosa. E que se você quiser uma que lhe agrade, vai acabar pagando caro. Gêmeas!...

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de José Duarte
José Duarte

Periculum In Moro

Urge ao Conselho Superior da Magistratura e/ou CNJ, como também aos advogados com causas sob a égide dessas duas figuras direcioná-los para apreciação médica de sanidade mental porquanto é absolutamente incrível como suas posturas, decisões e arrazoados são literalmente congruentes com os conceitos de etiologia mental (mentes delirantes) na obra de Karl Jaspers "Psicopatologia Geral" §4.Consiência da Realidade e ideias  delirantes, páginas 115 a 132.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

E diante disto tudo

Temos a suspeitissima estadia nas terras americanas. De onde figuras saem com titulos que me fazem lembrar que  Bush tem um titulo de YALE.  Infelizmente não é só aqui que centros acadêmicos distribuem titulações. E não se precisa ir à academia, para legintimar o que Dagnoni escreveu, com muita propriedade. Eu diria que uma pessoa alfabetizada e de boa fé pode, ao  fazer uma leitura de todas as peças e autos jurídicos produzidos em Curitiba,  notar  que algo de profundamente errado está no ar. Mas em tempos de plim plim, não ficaria surpreso se  alguém o indicasse para a Academia Brasileira de Letras. Afinal lá está Merval.  E não se esqueçam também do título de jurista de nosso vice presidente  dado com o aval das arcadas, ou o cargo de professora de Janaína,  ou os titulos de nosso  novo , e pranteado ( pelos seus pares), ministro do STF. 

Me parece que de fato além de destruir as instituiçoes jurídicas e políticas deste país, a elite que aí está se esforça para  também destruir as acadêmicas.  E alguns acadêmicos como FHC e Gianotti, reforçam esta destruição. Diferentemente de Dagnoni, Gianotti, veio a publico afirmar que considera brilhante a peça de Moro.  Gianotti deveria  se envergonhar, mas vergonha não faz parte da etiqueta.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Gianotti > e = Moro

Não me estranha o fato de Gianotti defender a sentença de Moro. Penso que existe uma razão para essa identidade: ambos são autoritários, com arrogância típica dos fascistas. Ambos não resistem a um debate político fundamentado.

A diferença é que Gianotti tem extensa formação acadêmica, enquanto Moro revela-se um serviçal de interesses dos USA.

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

De acordo Marcos...

Gianotti tem formação acadêmica extensa mas  não aprendeu nada com isto. O francês tem um termo "idiot-savant"

quanto a Moro não consigo sequer encontrar o termo.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.