Revista GGN

Assine

Tempos embrutecidos e a falta de rumo político

Na Folha, o diretor do Datafolha Mauro Paulino explica a falta de fôlego da oposição pela ausência de ideias. As manifestações de junho deram o mote: a impaciência geral com o estado de coisas atual, com a falta de participação política, com os problemas da educação e da saúde. Em cima desse caleidoscópio, caberia aos formuladores sintetizar esses anseios em propostas claras e objetivas. Em vez disso, um discurso recorrente da oposição pautado pelo governo – no sentido de monitorar cada ato, frase ou espirro para ser do contra – ou de apelar para o moralismo mais exacerbado.

Do lado do governo, a subordinação sistemática às pesquisas de opinião e à produção diária de fatos e factoides capazes de garantir a popularidade imediata. Do lado da velha mídia hegemônica, à exacerbação da violência.

E aí entra-se nesse paradoxo da maioria dos entrevistados bradar por mudanças e continuar apostando na reeleição de Dilma – que também não está conseguindo apontar para as mudanças.

Ontem, no Estadão, o principal formulador da oposição – ex-presidente Fernando Henrique Cardoso – dá sua fórmula, a começar pelo título do artigo: “Sinais alarmantes”, onde o supostamente grande intelectual chega ao fim da linha produzindo um pastiche de Demétrio Magnolli. Poderia ser de Boris Fausto, de Sergio Buarque, de José Murilo de Carvalho. Mas é do Magnolli.

Onde está a revolução? Gesticulam como se fossem Lenines que receberam dinheiro sujo, mas o usaram para construir a "nova sociedade". Nada disso: apenas ajudaram a cimentar um bloco de forças que vive da mercantilização da política e do uso do Estado para se perpetuar no poder. De pouco serve a encenação farsesca, a não ser para confortar quem a faz e enganar seus seguidores mais crédulos”.

(Aliás, a preguiça de FHC em pensar qualquer tema novo ficou patente alguns anos atrás, em um seminário, do qual fui comentarista, com Felipe Gonzales e George Soros. Ambos deram aulas magnas de 15 minutos sobre o futuro da América Latina, identificando os pontos centrais e as estratégias objetivas. FHC limitou-se a reproduzir os argumentos de de Ilan Goldfjan – sem mencionar a fonte - que saíra aquele dia no Estadão, sobre relações de trocas entre países produtores de commodities e os centrais, que supostamente desmentia o que a Cepal pregava nos anos 50).

Uma obra de arte política

Sempre fui crítico de FHC, desde os tempos em que, nomeado Ministro da Fazenda de Itamar Franco, demonstrava total falta de aptidão para governar, mudar a realidade, ser minimamente proativo.

Mas fiz um elogio final ao seu governo, em um ponto específico: na arte de garantir a governabilidade. O artigo chamava-se “Uma obra de arte política” e comparava a situação do país com o caos político que balançava a Argentina.  Falava das dificuldades do presidencialismo de coalizão e de como FHC desenvolveu uma técnica, a de lotear parte do governo para garantir a base aliada, enquanto governava com a outra.

Vaidoso como era, FHC solicitou ao norte-americano autor de sua biografia – recém lançada no final de seu governo – a incluir o artigo na segunda edição.

O que ele fez foi elaborar o modelo político posteriormente adotado pelo PT para garantir a base parlamentar e a governabilidade. Loteou o governo, fez parcerias com ACM, Sarney, Jader Barbalho e o diabo – assim como o PT. Imoral? Certamente. Criticável? Sem dúvida. Mas é a única forma de garantir a governabilidade enquanto não vier uma reforma política adequada.

Por inevitável, FHC conseguiu praticar todos os vícios do modelo político e agregar, aí por característica de caráter, outro que é pecado mortal até entre os ímpios: a deslealdade partidária, quando apareceu em cartazes em São Paulo ao lado de Paulo Maluf, desprezando seu correligionário Mário Covas; e em Minas ao lado de Hélio Costa, desprezando Eduardo Azeredo.

O exercício da hipocrisia

Nada contra a hipocrisia: faz parte do jogo político. O mesmo PT, cujo governo agora é alvo reiterado de denúncias, recorria a essa parceria com a imprensa nos tempos em que nem era poder nem dispunha de discurso para se contrapor ao Real. E, na oposição, era crítico reiterado dos pactos políticos espúrios, dos quais, como governo, passou a se beneficiar.

O que causa espécie em FHC é que ele poderia, na qualidade de ex-presidente, tornar-se uma das vozes referenciais do país.

Tem-se um modelo institucional desmanchando-se, seja no presidencialismo de coalizão, no modelo jurídico, no desenho partidário, nos abusos da mídia. E, sob esse terremoto, emerge como um furacão o que, em outros tempos Ortega y Gasset classificou como “a rebelião das massas”.

São momentos em que há a inclusão de novos atores políticos – nos anos 1920, as massas na Europa recém urbanizada junto com a revolução do rádio; nos anos 2010 não apenas a inclusão social no país, mas a inclusão política através das grandes redes sociais – e o sistema institucional não dá conta dessas demandas.

As consequências são o estouro da boiada, a exacerbação da violência, a desmoralização ampla de qualquer princípio jurídico ou de qualquer forma de conhecimento “especialista”, a perda de rumo.

Para o bem ou para o mal quebram-se todas as hierarquias institucionais e de conhecimento que as sociedades democráticas se valem para manter a boiada sob controle. Sem rumo, pode ser a ante-sala do autoritarismo.

As discussões no post “Uma encrenca chamada Joaquim Barbosa” (http://bit.ly/187tK2R) são significativas. Tem-se aqui um ambiente relativamente moderado, na qual petistas (em maioria) e liberais travam discussões mais ou menos acerbas, mas se respeitando mutuamente. De repente, uma chamada no IG abre a porteira. E pudemos apreciar, ao vivo e em cores, o sentimento de manada em estado bruto.

Tudo isso é consequência da enorme falta de rumos e de figuras referenciais.

Nada contra o fato de FHC não conseguir produzir um discurso inovador e unificador das propostas da oposição. É questão de capacidade.

Com sua rudeza e falta de verniz, com a objetividade tosca de executivo sem sofisticação, Fernando Collor exprimiu de forma muito mais objetiva o início do desenho neoliberal. O intelectual FHC limitou-se a pegar o prato pronto e a repetir o discurso de Collor.

Depois, sem sequer ter completado o curso médio, Lula, o operário tosco e iletrado, abriu as portas do país à democracia social e à inclusão.

O intelectual, o suposto pensador sofisticado, o que se dizia seguidor da social-democracia, poderia ter produzido a síntese, a modernização sistêmica com responsabilidade social, mas não conseguiu sair do deslumbramento típico dos fúteis, falando em “novo renascimento”e coisas do gênero.

Agora, tem-se a rebelião das massas, sem rumo, presa a princípios rudimentares de vingança. A velha mídia pretendeu colocar José Serra no comando desses jacobinos sem proposta. Não deu certo. Agora eles encontram em Joaquim Barbosa sua mais perfeita tradução, a violência em estado bruto.

Definitivamente, FHC não possui o dom de vislumbrar o futuro e ajudar a apontar rumos. Mas esperava-se, como intelectual e ex-presidente, que ao menos não agisse de forma tão irresponsável e oportunista, colocando mais lenha na fogueira, como se fosse um mero cronista da violência criado nesses tempos de macarthismo virulento.

Nos momentos cruciais do país, todos os ex-presidentes - José Sarney, Fernando Collor e Itamar Franco - comportaram-se, fora do cargo, com muito mais dignidade e responsabilidade do que FHC.

Média: 4.5 (32 votos)
185 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Daniel Coder
Daniel Coder

Um deserto...

O fato de FHC possuir tamanho espaço para articular mesmo após quase 12 anos de sua saída da presidência, com o agravante de não possuir sequer uma nova idéia para o Brasil, demonstra o quanto estamos no fundo do poço no que diz respeito à troca de lideranças e surgimento de novas idéias e rumos para este país. A inércia do PT conta como principal aliada a total falta de projeto ou plano da oposição.

É um deserto de idéias da Lapa até a Penha. E mais quatro anos pela frente.

Seu voto: Nenhum
imagem de Calvin
Calvin

"Nos momentos cruciais do

"Nos momentos cruciais do país, todos os ex-presidentes - José Sarney, Fernando Collor e Itamar Franco - comportaram-se, fora do cargo, com muito mais dignidade e responsabilidade do que FHC."

Certo, perfeito. Mas, e Lula? Exige-se um desprendimento de FHC em relação ao PSDB, que não existe do porta voz oficial do PT.

O que aquele que dava bom dia a cavalo tem a dizer ao País???????

 

 

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Maria Rita
Maria Rita

FHC? Ah! Sei. Atendendo a um

FHC? Ah! Sei. Atendendo a um pedido do próprio, além de esquecer o que ele escreveu, esqueci....esqueci....do quê mesmo?

Seu voto: Nenhum
imagem de Pedro Oliveira
Pedro Oliveira

A esquizofrenia dos poderosos

Em geral, os políticos brasileiros têm apenas projetos de conquista e perpetuação no poder. Faltam-lhes a grandeza de projetos de governo e de Estado. Ao que parece, todos querem chegar ao poder apenas para encher as burras. Para tanto, a nossa sociedade foi deliberadamente mantida à margem do processo civilizatório e a sua politização, mesmo incipiente, sempre foi vista como uma ameaça pelos poderosos, ensejando os vários golpes de Estado que macularam a nossa história. Pensavam, e ainda pensam, que assim é fácil dominar a legião de marginalizados que predomina em nossa sociedade valendo-se apenas do velho modelo romano do pão e circo. Portanto, se nunca experimentamos uma verdadeira democracia, sempre fomos íntimos da demagogia. Assim, chegamos ao século XXI praticamente no mesmo estado que a sociedade francesa pré-revolucionária. De um lado, temos as elites corruptas e mesquinhas tentando desesperadamente manter seu status de acesso ilimitado aos cofres e benefícios estatais. Do outro, as massas pouco, ou nada, capazes de processar o bombardeio permanente de informações acerca de esquemas de corrupção que lhes subtraem os mais elementares direitos. Está faltando pouco, quase nada mesmo, para que esse paiol exploda. Afinal, já existem grupos que, desiludidos com a política tradicional e com possibilidade de se verem representados nela, saem às ruas para concretizar diretamente os seus anseios, desde os mais legítimos aos mais tolos e egocentricos. Permanecendo, ainda, uma grande parcela da população em suas casas, remoendo o seu ódio, tentando entender a sua penúria, buscando um bode expiatório e/ou um líder que realize a sua vindita. Essa é a minha explicação para o fenômeno político Joaquim Barbosa. Os políticos precisam ir ao encontro dessa realidade, antes que ela vá ao seu encontro.

Seu voto: Nenhum

Ninguém dá daquilo que não tem.

O problema do FHC, do ponto de filosófico não é complicado.

"Ninguem dá daquilo que não possui".

Seu voto: Nenhum (3 votos)

"Penso, logo existo"

imagem de Jorge Luiz
Jorge Luiz

Ministro Joaquim Barbosa

Nassif deixa o Ministro Joaquim Barbosa trabalhar em paz pois discordando dos métodos dele ou não a verdade

é que ele teve importante atuação na condenação dos criminosos do colarinho branco, os mensaleiros. E ele

pelo que me consta não é candidato a nenhum cargo eletivo embora possa fazê-lo pois como qualquer brasileiro

ele tem este direito. Deixa para criticar somento se a sua candidatura se realizar para desespero da

elite branca brasileira. Se ocorrer vou gargalhar do medo dos "branquelos".

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de LUCIANO GM
LUCIANO GM

FFHH, o Dissimulado

FFHH é uma pessoa ressentida. Vaidosa que é não entende ter menos sucesso que um torneiro mecânico.
Explico: FFHH deixou o Governo com 10% de aceitação, já Lula deixou com 10% de desaprovação. FFHH cometeu a insensatez de garantir o dólar com a cotação “baixinha” perante ao real pra se reeleger, após ter comprado uns parlamentares. Aí cometeu um erro grave, tal qual Collor quando confiscou a poupança. Mexeu com o eleitor dele, que havia acreditado na paridade dólar com o real, eleitor que se endividou em dólar pra compra um carrinho com ágio (lembra do ágio na compra de FIAT UNO?). Erro mortal. Caiu em desgraça. Ganhou a releição com o engodo mas não fez o sucessor. Nem vou falar dos engavetamentos seletivos do PGR pra não investigar a compra de votos da Emenda da Reeleição.
Para governar FFHH fez o mesmo que Lula, loteou cargos. Mas isso não é novo no Brasil. O partido do Executivo não tem maioria e o o eterno poder do “centrão” (PMDB, PSD, etc.) Congresso Nacional atua em adesão ao Governo, mas cobra esse preço, os cargos, as verbas de emendas parlamentares. Esse processo é comum nos municípios, nos Estados, e se replica na União. É a praxis política no Brasil, um costume arraigado de perpetuação do Poder nas mãos das elites. Essa mudança não ocorrerá e não depende do Executivo. É da vontade do Legislativo. Se depender deles, isso não mudará. E como seria possível mudar? Elegendo a maioria de Parlamentares dos Partido do Governo (impensável de acontecer no Brasil).
Lula dotou a Polícia Federal e a Corregedoria Geral da União de instrumentos e pessoas para combater os malfeitos. FFHH era leniente com os malfeitos, como seus pares tucanos. Eis uma diferença.
As outras foram os avanços econômicos e sociais decorrentes das políticas de inclusão na moradia, no consumo, melhoria do salário mínimo, emprego pleno, investimentos na área do petróleo, etc. Em suma, a vida melhorou com Lula e se mantem com Dilma.
Resumo da ópera: FFHH traiu a classe média – como Collor ao confiscar a poupança – pra se reeleger. Ganhou o repúdio de 90% população. Lula preencheu o vácuo tucano.
O resto é dor de cotovelo.

Seu voto: Nenhum
imagem de Jose Saguy Tenorio
Jose Saguy Tenorio

Aceite nossa democracia imperfeita como ela é, mas aceite

Marcos Chiapas, democracia com esse regime político do Brasil é assim, o partido que ganha as eleições junto com os partidos aliados, passa governar o país, isso desde o fim da ditadura militar.

O Partido dos Trabalhadores ganhou, então é o PT como partido principal mais os partidos que servem de apoio ao governo.

O Fernando Henrique ganhou duas eleições e governou... não conseguiu fazer o seu sucessor porque o povo achou que deveria mudar e mudou, aceite isso, democracia é isso.

Se o PSDB tivesse feito um bom governo a sociedade continuaria com o PSDB, simples assim.
Respeite a vontade do povo, até porque foi esse governo que fez o país sair da posição 13ª economia do mundo para 6ª.

Foi esse governo tornou o Brasil credor do FMI, depois de décadas e décadas de pires na mão implorando empréstimos
para saldar suas dívidas, numa condição humilhante e vergonhosa para uma nação como a nossa.

Foi esse governo que fez a taxa de desemprego cair a ponta de nos aproximarmos do pleno emprego.

Foi com esse governo que o Brasil ganhou respeito e projeção internacional.

Foi esse governo que segurou seus poucos patrimônios, pois muitas das nossas empresas construídas com o nosso trabalho e suor o FHC torrou, mas aí o povo notou e trocou o PSDB pelo PT, simples assim.

Isso sem contar que foi nesse governo que fori construido um enorme número de Escolas Técnicas e Faculdades.

Foi nesse governo que se investiu em tecnologia para a descoberta do pré-sal, além de assegurar a Petrobras para a sociedade brasileira, esse governo está formando técnicos profissionais na área de petróleo de excelente nível.
Uma empresa que nos enche de orgulho, eu escrevi Petrobras e não Petrobax, ok?

Bom, parte dessa fase que o Brasil está passando, e eu nem citei aqui dez por cento das melhorias que esse governo fez, foi fruto da escolha que a sociedade fez, entnao meu caro respeite essa vontade. Tente convencer o maior número possível de eleitores para votar na oposição de vocês ganharem sernao a governar o país, o processo é muito simples de se entender.

É só debater, tentar convencer, dialogar, mas sempre respeitando... o resto a gente decide na urna.

claro que que queremos mudanças no sistema político, no sistema tributário, enfim mil inovações, mas sempre obedecendo os princípios legais e que as leis determinam.
 

E viva nós, viva a democracia, viva o Brasil.

Seu voto: Nenhum
imagem de Marco Valverde
Marco Valverde

Contradições

Intelécto, estudo, informação não são suficientes para combater a cultura da malandragem, da vantagem, da ostentação.

É contraditório que um político intelectualizado, adote a política como profissão. 

É contraditório que um eleitor bem informado tenha como candidato de sua preferëncia um Paulo Maluf e aceite como doutrina o 'rouba mas faz'.

 É contraditório que o nosso sistema jurídico, formado quase que em sua totalidade por especialistas, seja um dos mais ineficientes do mundo.

Os intelectuais, isentos de seus interesses pessoais, deveriam cunhar novas ideias para o bem comum social, promover a educação e defender os mais oprimidos. Mas, ao contrário, exploram o povo ignorante e fazem de tudo para mantë-lo nesta posição.

Seu voto: Nenhum
imagem de Flavio Pepe Calabrez
Flavio Pepe Calabrez

Tempos embrutecidos

  Se repararmos bem nos comentários de petistas e simpatisantes vamos perceber que:

   Falam em não se rotular as pessoas,mas são os primeiros a dar rótukos tentando diminuir e humilhar o oponente,que veem como inimigo (provavelmente os que me lerem dirão que sou da" zelite",neoliberal,amigo de FHC e merecedor de ir ao paredão).

   Dizem que se deve aceitar que as pessoas são diferentes,mas não toleram ser contrariados.

   Afirmam que governam para todos,mas não aceitam que quem não compartilhe suas idéias fale,por ser visto preconceituosamente por eles como sendo contra os pobres e o pais.

    E, antes que eu me esqueça,acredito que todo governo,afirme ser de direita ou de esquerda,é um opressor em potencial do cidadão,em especial quando se auto denomina sabedor do que o povo quer,pois toda ditadura começa com o lider dizendo saber o que o povo quer e precisa.

Seu voto: Nenhum
imagem de JBS
JBS

A turma do choque digital,

A turma do choque digital, regiamente paga pelo PSDB e asseclas, despencou neste site.

Somente pode ser para inutilizar a qualidade das reportagens e afastar os bons comentários.

 

Seu voto: Nenhum
imagem de Jose Saguy Tenorio
Jose Saguy Tenorio

Marina Matoso, felizmente

Marina Matoso, felizmente você acertou errando. Entendeu? kkkkkkkkk

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Jose Saguy Tenorio
Jose Saguy Tenorio

Vai ficar ruim pra eles e pra todos.

Se a oposição está achando ruim o ano de 2013, esperem os próximos anos... serão avassaladores para os que estão se servindo dos poderes judiciários e midiáticos. Vai ficar ruim não só para a oposição, mas pra todos que se envolverem ou jea se envolverão em atos ilicítos. A Jiripoca vai piar.

Não terá imprensa amiga e nem judiciário conivente que os salvem... esperem e verão, pelo menos é isso que vem sendo ventilado por alguns internautas retraidos.

Rola uns papos que Fraklin Martins, Jorge Hage, o Advogado-Geral da União Luís Inácio Adams, estão elaborando medidas de auteridades amplas e serão divulgadas oportunamente. Dizem que essas medidas virão juntas com as reformas nos ministérios para o ano de 2014. Haverá mexidas em setores da comunicação, espero que troquem Paulo Bernardo, Helena Chagas e outros que nada ajudam o governo nesse setor. Fala-se que o governo vai cobrar dívidas e dívidas de quem dever para a União, tanto pessoas físicas quanto pessoas jurídicas, a receita vai atuar mais fortemente para reduzir o défit da previdência e outros setores deficitário do governo. O governo tá buscando se cercando de apoios legais. 

Há uma estratégia sendo elaborada pelos que querem moralizar minimamente este país, e vai começar por vários orgãos por parte do Partido dos Trabalhadores, nas três áreas de governos; municipais, estaduais e federal:

http://www.istoe.com.br/reportagens/337189_ESTOU+ATRAS+DOS+CORRUPTORES+?...

http://jornalggn.com.br/noticia/cade-deixa-para-ano-que-vem-processo-con...

Vamos esperar... tomara que isso aconteça logo.

Seu voto: Nenhum

Cliquei no botão errado

Gente, o que acontece com a pessoa aqui no Blog?

Fui responder um comentário deste tal Aliança e cliquei no botão errado, no de "denunciar", mas foi sem querer, juro. Sei que foi um ato falho meu, mas quero deixar registrado que ele não escreveu nada que merecesse denúncia.

Desculpe, Sr. "Aliança".

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Antonio Passos
Antonio Passos

O lastimável quadro político

O lastimável quadro político que vivemos, fruto de uma legislação que ninguém quer mudar, na realidade serve para enaltecer ainda mais as conquistas obtidas pelo PT nos últimos 10 anos. Acho injustas certas críticas que se faz ao governo Dilma, como por exemplo, a da falta de um projeto de mudança. A destinação dos recursos do pré-sal para saúde e educação tem tudo para ser a maior revolução nestes segmentos em toda a história do Brasil. Mas não é só isso, há obras neste país como nunca se viu, a transposição é uma delas, para citar apenas uma. Obras que causarão uma transformação profunda no quadro econômico e social de diversas regiões. 

Negar o salto gigantesco que nosso país deu nos últimos dez anos é querer tapar o sol com uma peneira. Cobrar que este salto já tivesse nos transformado numa Bélgica é má fé oposicionista. Quanto à FHC, simplesmente desprezível.

Seu voto: Nenhum
imagem de Fabio Pereira
Fabio Pereira

Tanto PSDB como PT tem seus

Tanto PSDB como PT tem seus méritos e pontos questionáveis, mas sua "análise" Nassif, me desculpe é tendenciosa. O problema da nossa política é o jogo de torcidas organizadas, o qual você e quase toda imprensa alimenta...É lamentável!

Seu voto: Nenhum (2 votos)

FHC e o bando que pensa

FHC e o bando que pensa liderar, o PSDB (já que não é um partido político pois nem capazes são a esta altura de definir quem os representará em 2014), só subsistem no Brasil pelo apoio descarado, mafioso e absolutamente danoso à democracia que lhe prestam o grande aparato midiático (Globo, O Globo, Folha, EStadão, Veja, CBN et caterva) e setores do MPF, MP/SP e alguns juízes do STF. FHC e  seu bando quebraram o país três vezes em oito anos e se submeteram ao FMI e suas cartilhas como cães vira-latas produzindo desemprego, miséria e a submissão do país até a degradação máxima. Este bando de hipócritas apoiados em uma mídia selvagem, mafiosa, criminosa e que instila o ódio todos os dias sem cessar acham que poderão retomar o poder no grito. É isso o que significa este lixo escrito por FHC. O mesmo grito que próceres deste bando tentaram usar para melar as investigações sobre os escândalos no metrô e nos trens em São Paulo. Coisa que beira o banditismo. O mesmo vale para os escândalos na Prefeitura de São Paulo cujo liame todos sabemos que está também no PSDB em consórcio com Kassab, apenas um laranjão de Serra. Podemos a respeito deste modus operandi do bando fernandista mencionar o escândalo dos 445kg de cocaina trafegando livremente entre São Paulo e Minas Gerais e que envolve seus parceiros políticos mineiros e que a mídiazona achou por bem colocar panos quentes, pois em tempos de internet e livre informação, sabemos onde este caso começa e onde termina, e não é no PT. Também sabemos disso por mensagens cifradas produzidas dentro deste balaio de gatos hipócritas que é o PSDB e publicadas na última campanha eleitoral, ou quem há de se esquecer do nostálgico artigo "Pó Pará Governador"?

Ora se há falta de rumos na política nacional, deve-se isso em grande parte à esta oposição consorciada a uma mídia pestilenta, mentirosa, bandida e que sabemos não aceitará nova derrota eleitoral. O governo é acossado noite e dia, dia e noite por esta mídia escravocrata e muito me admira que consiga governar diante de fogo cerrado, que aliás começou o ano com uma criminosa articulista da Folha de São Paulo propagando que um apagão era iminente. Ora, em outros países este tipo de ação poderia muito bem ser tratada como terrorismo...Como é que o governo não tem rumo. Tem rumo sim. E tem rumo sim pois se ancora numa figura política que é respeitada pela maioria da população e tem ademais amplo respeito e respaldo internacional, coisa muito diferente deste senhor que foi enganado pela Globo com uma falsa barriga de aluguel durante mais de 18 anos...

É preciso sem meios termos dizer o que este bando PSDB/DEM/PPS+ mídia bandida representam de funesto neste país. Líderes do PT são muito moderados no tratamento deste bando que deseja a todo custo, inclusive utilizando-se de golpes jurídicos se apossar do poder sem votos. E ademais, qual o significado da frase do Tartufo e bufão FHC quando diz que o PT representa uma ameaça à democracia?  Se isso não é golpismo é o que mesmo? Tratemos hipócritas como FHC como hipócritas. Co-autores de crimes, como co-autores, como é o caso da mídia paulista que desde há muito sabe desses roubos multimilionários no sistema de transporte de São Paulo e na Prefeitura e estão tentando melar a apuração desses fatos escabrosos. Ora chega de lero lero com este bando!

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

 

Combatendo a hipocrisia nacional que alimenta o fascismo.

imagem de Carlos A Cruz
Carlos A Cruz

Tempos embrutecidos, oposição e situação sem rumo.

Pq nos falta uma oposição com "o" maiusculo, a um governo que cada dia que passa mais se perde, no rumo na hipocrisia e retorica? Pq não "incendeia" o pais, com ideias e atos, exemplos de homens como Leonel Brizola, Tancredo Neves, Ulisses Guimaraes, etc? O pais está parado, no comando de um pertido miope e despreparado, perdendo oportunidades no mercado mundial, sem investimentos basicos na saude, educação, segurança, primordiais para um crescimento seguro e permanente?

Pq? Pq? Pq?

A resposta é simples: o desejo é a penas estar no poder e os benefícios que ele fornece. Não há vontade de mudar a realidade do pais, pois ele sempre foi a senzala da casa grande, e quem nela chega passa a ser mais um feitor com desejos inconfessáveis, e atos confessos.

O PT já perdeu a vergonha de fazer o mesmo que antes criticava. Seu desejo é apenas continuar no poder, seja da maneira que for, traino e sendo traido, agindo como antes se fazia e ele reprovava. Palavras são palavras.

PSDB, DEM, PDT, PT, PSB, etc,  são apenas siglas vazias, sem substancia, doutrina, vies político, apenas em busca do poder pelo poder.

Assim não possuimos oposição, mas apenas vontades e invela de quem lá está, dos beneficios e usos que o poder confere ao novo coronel, em um Estado ineficiente e incapaz de reagir, regido por leis fracas e mal feitas, cheias de brechas.

E invejas.

E a nave vai...

Seu voto: Nenhum

Desespero

Hoje estava falando justamente sobre isso com uma pessoa, sobre como estão falando e fazendo qualquer coisa. Essa fala de FHC não me assusta, porque esta é a linha de toda a direita. Como eles não tem projeto, não tem propostas, não tem dados para confrontar o governo deles com este, e as pesquisas, mais uma vez aponta a continuidade deste projeto, então o desespero está mais do que aflorado. Não há o menor pudor agora em falar qualquer coisa, "se colar, colou".  Por isso eles falam o que querem e tem visibilidade, por isso mentem e desmentem sobre os escandalos que cada vez mais vão aparecendo ( o desmentido aparece), por isso que a mídia cada vez mais ousada em se tratando de silêncio, fica mais agressiva em suas táticas para desmoralizar o PT e o governo. 

Fazer campanha antes do tempo, é ilegal. Mas o que fizeram nos últimos tempos, nada mais foi que campanha para Barbosa, não é à toa os 15% sem sequer ser candidato.

Então, tudo isso é colocado no "saco" do psicológico da população, inclusive essa matéria de FHC, o Hipócrita.

Irresponsabilidade de FHC? Sim, mas ele não está nem aí!

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Motta Araujo
Motta Araujo

Um post para devater rumos da

Um post para devater rumos da politica, 90% dos comentarios são sobre FHC, é uma fixação no blog.

Seu voto: Nenhum

FH vive num mundo paralelo, o

FH vive num mundo paralelo, o mundo pigueano. Neste mundo ele foi o maior Presidente da história do Brasil. No seu governo não houve compra de votos, aumento no desemprego, da dívida pública, venda de estatais a preço de banana, engavetamento de todos os processos de corrupção. Ele nunca colocou no stf nenhum juizinho vagabundo que sai dando HCs seguidos para banqueiros condenados, na calada da noite. 

Os bajuladores que o cercam não deixam ele ter contato com o mundo real. Ele é apenas mais um coxinha alienado pelo pig.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Motta Araujo
Motta Araujo

Voce já viu FHC dizer que foi

Voce já viu FHC dizer que foi o melhor Presidente da historia do Brasil? Aliás é raro ver FHC falar de seu governo, muito menos se auto elogiar, aliás isso é de extremo mau gosto, não fica bem a um intelectual.

Seu voto: Nenhum
imagem de hugo 1
hugo 1

Esse é o melhor fruto que a

Esse é o melhor fruto que a opsição tem colhido nos útimos anos. Seria cômico se não fosse trágico.


http://www.youtube.com/watch?v=l7rJPfweweI

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de laerte alberto junior
laerte alberto junior

A educação política

Durante toda a história da nossa República, o poder esteve nas mãos das elites, letradas e economicamente dominante, o não discreto poder da elite historica!. Entretanto um povo, um metalurgico e uma conjunção de partidos mudou a história deste país, um povo mudou seu caminho, sua historia. Lutou por uma política de inclusão (comparar o tempo de poder do Psdb e do Pt, nos da a medida de como este povo esta ativo e buscando ampliar suas conquistas), isto esta assustando as elites! Agora é triste ver que este senhor Fhc,chegou ao fundo do poço, de sua história neoliberal esta se tornando um senhor de direita. Sabe vivo o cotidiano de meu país, como professor público e estes jovens, querem mais, e tem este direito, a conjunçao articulada pelo Psdb seria não so a limitação das conquistas, mas uma política de retrocesso. A elite não concorda, mas o povo sabe escolher, e se errar, mudará.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Marcos Chiapas
Marcos Chiapas

Tudo igual

As críticas a atuação política de FHC são pertinentes, mas não podem limitar-se a ele e ignorar o contexto político eleitoral.

Do outro lado do fla-flu, Lula, também ex-presidente e portanto com as mesmas responsabilidades atribuídas ao seu antecessor, também em momento algum deixa de ser apenas um agente político e, na maioria das vezes se porta de maneira pior que FHC. Não perde uma única oportonidade, nem quando na presidência e nem depois dela de atacar, de comparar e de balizar o seu governo pelo anterior.

De maneira hipócrita e maldosa, jamais reconheceu que utilizou-se de todo o arcabouço de regras neo-liberais instituídos pelo governo anterior em seu próprio governo. Avançou, sim, mas utilizando-se da herança de FHC e não indo contra essa herança.

Dia desses tivemos uma triste sessão no congresso para marcar os 10 anos do BF, onde o discurso meramente político-eleitoral de Lula dá a dimensão de sua pequenez, de seu foco única e exclusivamente nas eleições e na manutanção do poder.

Um estadista teria que ter convidado seu antecessor, que foi quem deu o primeiro passo nas políticas neo-liberais de distribuição de renda. A lei do BF está aí, é inegável que o BF é uma consequência, uma continuação de outros programas que já existiam. Basta ler a lei. Basta ir aos arquivos do world bank, autor e engenheiro desses planos todos que a sequência está escancarada.

Durante o seu discurso, Lula em nenhum momento fala a verdade sobre as origens do BF. Omite a verdade. Mente descaradamente para recolher os dividendos eleitorais do BF. Do alto de sua posição de ex-presidente, deveria ou poderia ter a honestidade intelectual de dizer que o Banco Mundial e o mexicano Santiago Levy, que implantou o Oportunidades no México e tornou-se uma espécie de guru do Banco Mundial foram quem lhes convenceu a proceder a reunião de todos os programas anteriores e transformá-lo num único programa, que foram eles que sugeriram e criaram o sistema descentralizado de cadastro social, a ser implementtado pela prefeituras e não por um órgão federal criado para este fim. 

Nada. Lula, como reles político de olho nas próximas eleições, apenas discursou para angariar dividendos políticos do BF e mentiu, ocultou a verdade sobre ele.  Um programa que caiu no seu colo tornou-se, segundo ele, a ação mais importante de seu governo e que a repetiria se de novo estivesse assumindo o governo, sendo que durante seus 25 anos de caminhada até a presidência ele jamais havia proposto um programa nos moldes neo-liberais como o BF.

Desafio o mais fanático dos petistas a me apresentar onde, quando e como o PT ou Lula antes de chegar ao poder defenderam um programa igual ao BF.

Irão encontrar promessas de redução de jornada de trabalho, promessas de reforma nas leis trabalhistas, na aposentadoria, promessas de defesa dos interesses do trabalhador. Todas abandonadas a beira do caminho que, como por encanto, se pavimentou através da implementação do programa neo-liberal da pobreza aceitável que aqui, como na Turquia, onde foi implantado pelo WB na mesma época, garantem a manutenção no poder pelo voto já há 12 anos.

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de JBS
JBS

A turma do choque digital,

A turma do choque digital, regiamente paga pelo PSDB e asseclas, despencou neste site. Somente pode ser para inutilizar a qualidade das reportagens e afastar os bons comentários.

Seu voto: Nenhum

Você mente!

"Durante o seu discurso, Lula em nenhum momento fala a verdade sobre as origens do BF. Omite a verdade. Mente descaradamente para recolher os dividendos eleitorais do BF." - O Lula já cansou de falar a origem do BF, tem até gravado, ele nunca negou que reuniu os programas, a coleção de bolsas do governo FHC (escola, gás, etc) e fez o BF. Que culpa o Lula tem se foi mais competente que o FHC? Vocês precisam largar de ficar repetindo mentiras para ver se pega.Sejam mais honestos, se for possível.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Samanta Sousa
Samanta Sousa

Aham!

E, me diz, de que adianta ter colocado o BF pra frente se só serve para aumentar os impostos, elevar inflação e deixar essas criaturas mais preguiçosas em casa? Tem gente aqui no meu interior que ganha mais de um salário sem fazer nada, só recebendo BF. É muito comodo, ficar em casa de cara pra cima e saber que todo mês irá receber quase 700 reais. Isso serve para que mesmo? Ah, já sei... Para conseguir mais eleitores! Você sabe como anda a segurança no nosso país? A saúde? Está tudo uma m@#$%! E você acha que o governo melhorou muita coisa? Algumas sim, outras estão bem piores do que já estavam. A nossa justiça é lenta, os nossos políticos os mais corruptos do mundo! Como vocês podem defende-los? Defender gente que estava roubando  dinheiro público! Vejo muito jovem ingressar na faculdade sem saber escrever direito! Nossos jovens cada vez mais no caminho das drogas! Que grande governo é esse que não procura boas soluções para esses problemas, me diz?!

 

 

Sinceramente, não sou defensora de partido, mas não dá para continuar a viver desse jeito. A insegurança é crescente, o preço dos alimentos também. Se você quer uma educação de qualidade tem que procurar escolas particulares, pois as públicas não tem investimento adequado do governo. 

 

Você deveria procurar saber como as pessoas realmente vivem, se melhorou mesmo ou se é apenas ilusão.

Seu voto: Nenhum
imagem de Lina
Lina

Na verdade, FHC copiou de pequenas prefeituras petistas

Infelizmente não lembro e vou precisar pesquisar os nomes da cidades e dos prefeitos, mas toda a coleção de bolsas do psdb, ou da D. Ruth Cardoso, foram cópias de experiências diversas bem sucedidas em pequenas prefeituras administradas pelo PT.  

Vou pesquisar.  E se alguém lembra, peço, por favor, não deixe passar em branco.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

sobre heranças e fardos

A  herança deixada por fhc é ao mesmo tempo seu fardo. A herança : a total sintonia com o sistema finaceiro mundial. O fardo : a impossibilidade da desvinculação com o rentismo .


Bancos modernos e cartões de credito de ultima geração ao preço do desenvolvimento nacional ,é esta a herança de fhc, sustentada a unhas e dentes pelo pig. Um modelo forjado com engenhosidade por fhc e seus economistas, sob dogmas e premissas neoliberais que presidentes democraticos, como Lula e Dilma , podem apenas amenizar seus efeitos.  

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Marcos Chiapas
Marcos Chiapas

Putz

Primeiro, se há "total sintonia" com o sistema financeiro mundial, porque não sofremos as mesmas consequências que outras economias na crise de 2008 ?

Segundo, como se ameniza os efeitos do rentismo promovendo crescimento baseado em crédito pelo sistema financeiro ?

Terceiro, não entendi a citação presidentes democráticos em anteposição ao antecessor de Lula ? Poderia explicar ?

Seu voto: Nenhum (2 votos)

respostas

primeiro : já foi respondido no ultimo paragrafo. Não sofremos os mesmos efeitos porque a crise de 2008 foi amenizada pela politica anticiclica de Lula.

 

segundo : promovendo distribuição de renda.

 

terceiro:também não entendi sua dúvida . Mas quis dizer que governos democraticos, como Lula e Dilma, são obrigados a honrar contratos bizarros deixados por fhc. Como a doação da vale e a internacionalização dos sistemas de comunicação.

Seu voto: Nenhum

Lula não sai por aí falando

Lula não sai por aí falando essas barbaridades vociferantes de FHC. Quem o conhece sabe muito bem que é um sujeito que trabalha pela conciliação, pela valorização da política e pela distenção. Até por isso é duramente criticado à esquerda. Portanto o que você escreve já começa a partir de pressupostos falsos, aposto que figadais como FHC.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

 

Combatendo a hipocrisia nacional que alimenta o fascismo.

imagem de Marcos Chiapas
Marcos Chiapas

Sei

Prática política e distenção ( sic ) quando ele e seu partido estão no poder. Eu realmente não o conheço, quem conhece bem é o Ratinho, dono do programa onde ele vai praticar distenção ( sic ) de vez em quando.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Desculpe pela distensão. Mas

Desculpe pela distensão. Mas tirando seus SICs não respondeu substancialmente nada. FHC é um Tartufo, quer liderar um bando que se não fora o apoio de uma mídia que se comporta como partido político teria desaparecido há muito tempo e ainda foi enganado por uma barriga de aluguel de 18 anos pela Globo Overseas...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

 

Combatendo a hipocrisia nacional que alimenta o fascismo.

imagem de Marcos Chiapas
Marcos Chiapas

Manda bala

Vou concordar com tudo que você falar sobre FHC e seu bando, até alusões a fatos pessoais que nada tem a ver com política, embora quando usados contra o Lula, vide secretária paulistana, são motivos de indignação.

No entanto, a grande diferença é que não consigo distinguir o bando de FHC do bando em que se tornou o PT de Lula. 

Seu voto: Nenhum

Uma dúvida


Nassif,

Será que o Sr. Fernando Henrique merece ser chamado de intelectual, no melhor sentido da palavra?

Ou seria um "intelectual aparente"? Fala bem, consegue até escrever bem, mas suas falas e escritos não tem conteúdo.

Parece que alguém deveria investigar a sério a carreira acadêmica do Sr. Fernando Henrique. Há grande chance de ser mais uma enganação.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Marcos Chiapas
Marcos Chiapas

Fato

Essa é uma mentira contada muitas vezes. Qual a relevância dos trabalhos de FHC para definí-lo como um intelectual ?

Seu voto: Nenhum (7 votos)

Não é um intelectual, nem

Não é um intelectual, nem estadista e nem se comporta adequadamente, como conviria a um ex presidente que saiu com apoio de 20% da população. Espero que Lula nem se dê ao trabalho de responder a críticas golpistas e virulentas como essas.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

 

Combatendo a hipocrisia nacional que alimenta o fascismo.

imagem de EURICO R.
EURICO R.

ARTIGO DE LUIS NASSIF

TODOS OS COMENTARIOS TEM LÁ SUAS VERDADES.

GOVERNO, PT, FHC, LULA, QUEM FOI QUEM...!

CONTUDO,  NÃO VI O COMENTÁRIO MAIS IMPORTANTE DE TUDO.

QUEM DA OS RUMOS A ESSA BALBURDIA TODA REALMENTE NÃO É O PT, NEM A PRESIDENTA DILMA, NEM O SR.

LULA. 

QUEM DA OS RUMOS A DÉCADAS NA POLÍTICA BRASILEIRA, SEM DUVIDA É O "MDB"!

QUEM DISCORDA?

SEM O "MDB" OU CASO QUEIRAM "PMDB", NEM PT, NEM PSDB, NEM PSD CONSEGUEM GOVERNAR.

CERTO?

BOM? GOVERNAR  É O MODO DE DIZER? NÉ?

HÁ???? QUEM VIU. VIU. QUEM NÃO VIU, CREIO QUE VAI DEMORAR A VER NOVAMENTE A TAXA SELIC COM SÓ DÍGITO.

E TENHO DITO. 

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de morgana profana
morgana profana

Pergunta simples...

Para toda e qualquer discussão sobre governos, partidos, direita, esquerda é preciso responder antes:

Nosso projeto é anticapitalista ou deseja apenas gerenciar os aspectos mais sangrentos do capitalismo?

Se for apenas gerenciar o caos capitalista, o governo do PT está a anos luz de qualquer experiência que este país já teve, inclusive pela lógica da inclusão de milhões de pessoas que estavam a margem do sistema...Não há, em um horizonte de médio prazo, nenhum partido ou grupo que consiga manter as coisas dentro do rumo que estão, e que dentro da perspectiva global, é muiiiiiita coisa...

Como sabemos, o capitalismo é um sistema que mata porque precisa acumular e concentrar cada vez mais riqueza, empobrecendo sua força de trabalho, mas ao mesmo tempo precisa que esta força de trabalho consuma seus produtos...

Governos de orientação progressista tendem a tentar resolver em duas frentes: aumentar a renda do trabalho sobre a renda nacional, e como o capital grita, o governo, na outra frente, repassa gordas fatias dos orçamentos públicos para compensar esta redução nos lucros, investindo em logística, insumos, tornando-se sócia dos capitalistas através de seus bancos de fomento...

Dentro da cartilha capitalista, é como se fosse um cobertor curto: ora é o câmbio, ora são as contas correntes, ora é o déficit nominal, ora a deterioração das reservas, ora é a inflação, ora são os juros...

Claro que o ônus político é sempre dos governos...e dos partidos...

Titia não faz com estas assertivas chinfrins aí de cima, nenhuma crítica ao governo da dona Dilma, de quem titia é fã(nática), junto com o Lula...

Muito pelo contrário: titia morre de rir de alguns que ficam aqui a criticar o Mantega, ou a oscilação da equipe de Dilma, seu centralismo, ou o fato do Brasil não se ajoelhar perante ao cânones, como o FT...

Uma boa parte dos críticos neste sentido têm plena certeza de que nada diferente poderia ser feito...Outros são tolos (como titia) que não tem muito ideia do que falam...

Mas a pergunta é: o projeto é anticapitalista ou pró-capitalista...?

Se for pró-capitalista, é bom ficar satisfeito com o que está aí...Não vai haver muito mais espaço para expandir nossa posição global, a não ser, como já disse titia, que comecemos a montar nosso arsenal nuclear e a reforças as forças armadas para tomar na marra aquilo que achamos ser de nosso direito...

As hegemonias e posições capitalistas no mundo sempre foram construídas assim...com raríssimas exceções...

Então, senhoras e senhores, mãos à obra: os que pretendem uma alternativa anticapitalista, comecem a construir uma base social de apoio para um superação do modelo vigente(capitalista) e não vale ficar só espumando como grilos falantes...os que, por sua vez, desejam aperfeiçoar este modelo que tem nas crises sua razão de existir, tratem de votar em parlamentares que estejam comprometidos com uma agenda bélico-nuclear-nacionalista....

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Análise Avanço de Dilma

Presidente termina 2013 em alta graças à oposição ineficiente
Ambiente até esteve propício, mas ninguém conseguiu formular discurso adequado às demandas dos brasileiros
Folha de S.Paulo--edição impressa---domingo, 1 de dezembro de 2013
MAURO PAULINO/DIRETOR-GERAL DO DATAFOLHA---ALESSANDRO JANONI/DIRETOR DE PESQUISAS DO DATAFOLHA

Dilma fecha 2013 em alta. A pesquisa divulgada hoje pelo Datafolha confirma a tendência dos levantamentos anteriores, em agosto e outubro. Estes já apontavam crescimento da popularidade da presidente após a queda sofrida inicialmente em função da sensação de insegurança econômica e acentuada após os protestos de junho.
No último mês, tanto a aprovação à gestão petista quanto o apoio à sua reeleição cresceram, enquanto o índice de rejeição ao seu nome caiu no mesmo período.

Mas o cenário que explica o processo de retomada da popularidade da presidente não se limita apenas às respostas pontuais do governo à crise deflagrada pelas manifestações e tampouco na percepção dos brasileiros sobre a economia.
É marcado, acima de tudo, pela ineficiência da oposição na formulação de um discurso adequado às demandas dos brasileiros. Somados, os candidatos da oposição caíram nas intenções de voto na mesma proporção com que a presidente subiu.

E não faltou ambiente favorável à oposição este ano. Da pressão inflacionária no primeiro semestre evidenciada na pesquisa do início de junho, passando pelo debate multifacetado dos protestos até a repercussão das prisões dos condenados no processo do mensalão, o noticiário era rico em matéria-prima para a apresentação de alternativas.
Para completar, reações específicas do governo em cada um desses episódios também não convenceram. Com exceção do alcance do Mais Médicos, programa aprovado pela população, e da sensação de empregabilidade entre os brasileiros, a proposta polêmica de reforma política e a insegurança sobre a economia forneciam um arsenal ainda mais valioso para os adversários de Dilma.

Porém, o espaço encontrado pela oposição e a forma como tentou capitalizar tais temas não encontraram aderência especialmente junto aos estratos mais carentes da população.
Sobre 2014, o ambiente que se projeta na opinião pública não é dos melhores para o governo. Apesar do 13º salário injetar agora certo otimismo quanto ao poder de compra e à condição econômica dos entrevistados, há um maior pessimismo quanto ao desemprego e à inflação, em patamares próximos aos verificados no início de junho, antes dos protestos.

O desejo de mudança expresso pela maioria, próximo ao observado no fim do segundo mandato de FHC, em 2002, exige tanto do governo quanto da oposição ações mais eficientes e compreensíveis para ocupar esse espaço de insatisfação latente, que decidirá as eleições.

Ouvir, decifrar essas demandas e entregar programas adequados aos diferentes anseios e segmentos da população é a principal lição que 2013 impõe para os candidatos em 2014.

URL:
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/141591-presidente-termina-2013-em...

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

2014---distribuição de renda

fhc, um zumbi mal resolvido

fhc morreu politicamente em 2002, quando não conseguiu eleger seu sucessor e saiu execrado pela  maioria da população. O contraste com o governo Lula tornou clara a fragilidade de seu governo e ,em boa parte, é responsável pelas sucessivas derrotas da oposição até hoje.


A insistência da velha mídia em fornecer a fhc uma sobrevida totalmente artificial deveria ser motivo de comemorações efusivas pelo governo do PT. Cada vez que o principe dos sociologos surge no jornal, Lula, o apedeuta iletrado, se agiganta. 


Faltam renovação e paradigmas para a oposição, e a velha mídia é a principal responsável por este quadro, ao apostar sistematicamente em velhos zumbis sem chances politicas. Bom para Lula, que continuará a eleger seus postes. 


 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Uma oposição sem discurso e sem proposta alternativa de governo

Creio que se o PT tivesse metade do apoio da maior da grande mídia que tem a oposição PSDB, Lula teria vencido as eleições presidenciais de 1989 ou teria ganho em primeiro turno as eleições de 2006, e Dilma as eleições de 2010.

Sem o apoio da maior da grande mídia a oposição do PSB teria o mesmo destino do do PFL e do DEM, ou seja já teria trocado de nome e estaria a beira da extinção.

Apesar da resposta rápida do Governo da Presidente Dilma as manifestações de junho, ao viabilizar o cancelamento dos aumentos da tarifas de transporte urbano, propor o plebiscito da reforma política, e acelerar o programa Mais Médicos, havia grande espaço para o crescimento da oposição junto ao eleitorado, que não ocorreu por absoluta falta de ação e proposta da oposição PSDB as manifestações de junho.

Na verdade as manifestações de junho tinha como principais bandeiras propostas contrárias as propostas defendidas pela oposição PSDB, como passe livre, melhoria ampliação dos serviços públicos, e uma reforma política que permitisse maior participação da sociedade nas decisões do país.

Passado três anos das eleições de 2010, a oposição  PSDB está na mesma posição das eleições de 2006 e 2010, ou seja sem um discurso e  sem uma proposta alternativa de governo, e a espera de uma "Tempestade Perfeita" que leve o Brasil para o inferno da recessão e do desemprego.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

2014---distribuição de renda

Os problemas do PSDB já

Os problemas do PSDB já começam com a baixa identificação dos seus políticos com o povo que o partido pretende governar. É um partido de homens brancos, no geral, bem nascidos. Até a pouca militância do partido tem esse perfil. Dizer que isso não deveria importar, que o que deveria importar são as idéias (que também não existem, diga-se de passagem) é tolice: pro eleitor, que é quem decide na urna, conta cada vez mais. O eleitorado quer se ver representado nos políticos. Enquanto Lula estimula o surgimento de novas caras dentro do partido (seus "postes"), diversificando o perfil dos seus quadros (o PT faz tempo não é mais só um partido de sindicalistas), o PSDB não consegue se livrar do eu jeitão de partido aristocrático. Sempre as mesmas caras. E quando mudam as caras, é como se continuassem as mesmas.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Marcos Carvalho Campos
Marcos Carvalho Campos

Claro que são as mesmas

Claro que são as mesmas caras. Se repararmos, no campo dos conservadores, geralmente ocorre a passagem do bastão de pai para filho. Exemplo recente: os Perrellas. Passa-se os esquemas eleitorais, os currais e etc assim não há renovação, não há depuração , a trambicagem permanece. Assim o povo se cansa das mesmas famiglias mandando nos seus currais. Por isso o PT vence e eles perdem eleição atrás de eleição.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Financiamento de campanhas

Congresso não representativo da sociedade, representativo sim de uns poucos grupos bem organizados (evangélicos) ou muito ricos (bancos, agronegócio), qualque governo será refém dos conservadores. Talvez um financiamento público das campanhas possibilite eleições mais justas.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

&nbsp

Financiamento de campanhas

Congresso não representativo da sociedade, representativo sim de uns poucos grupos bem organizados (evangélicos) ou muito ricos (bancos, agronegócio), qualque governo será refém dos conservadores. Talvez um financiamento público das campanhas possibilite eleições mais justas.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

&nbsp

imagem de Severino Januário
Severino Januário

"a Dilma não está conseguindo

"a Dilma não está conseguindo apontar para mudanças", diz você, Nassif. Às vezes deixamos de perceber, mas  estamos em plena revolução e em plena mudança. A maior e mais sofisticada mudança na história da humanidade. Um país da classe pobre vai a ser um pais da classe rica. Um jovem jamais sonharia ou perceberia a profundidade do que está acontecendo no país. E assim são as revoluçôes que prosperam.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Motta Araujo
Motta Araujo

""Um pais de classe pobre vai

""Um pais de classe pobre vai se tornar um Pais de classe rica"", em que planeta ou será em Shangri-lá?

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.