Revista GGN

Assine

Transexuais podem competir nas Olimpíadas sem necessidade de cirurgia

Da Agência Brasil

O Comitê Olímpico Internacional (COI) divulgou um relatório com diretrizes para participação de atletas transexuais em competições esportivas, válido para os Jogos Olímpicos Rio 2016. A divulgação ocorreu após a publicação, pela revista Outsports, das informações da "Reunião de consenso sobre mudança de sexo e hiperandrogenismo" do COI.
 
Segundo o Comitê, “é preciso garantir que os atletas trans não sejam excluídos da oportunidade de participar de competições esportivas" e que, desde 2003, o organismo reconhece a importância da autonomia da identidade de gênero na sociedade, com modificações na legislação em diversos países.
 
O comitê considera que as mudanças cirúrgicas de mudança de sexo (cirurgia de transgenitalização) não “são necessárias para garantir uma competição justa e podem ser inconsistentes com o desenvolvimento de leis e dos direitos humanos”.
 
Para o órgão, são necessárias restrições adequadas para garantir uma competição leal e justa entre atletas. Por isso, o COI estabeleceu regras que devem ser seguidas.
 
No caso de mudança de sexo biológico de masculino para o feminino, a atleta tem de ter declarada a identidade de gênero feminina e manter nível de testosterona, hormônio masculino, dentro do nível permitido para disputas: abaixo de 10 nmol/L durante os últimos 12 meses antes de sua primeira competição e manter este nível durante o período de competição.
 
Na mudança de sexo biológico for de feminino para o masculino não estão previstas restrições. O documento prevê ainda suspensão de 12 meses em caso de descumprimento dessas diretrizes.
Média: 3.7 (6 votos)

Recomendamos para você

2 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Marco A.
Marco A.

Obvio que uma hora ou outra o

Obvio que uma hora ou outra o tema acabaria indo ao encontro do esporte.

Fica uma dúvida no entanto. Pessoas que optam por mudança de sexo, precisam obrigatoriamente de hormonios que seus corpos não produzem na quantidade necessária, caso da testosterona para o genero masculino.

Como um atleta trans vai manter o nivel que é exigido de outros atletas se ele precisa de uma quantidade maior? E como se dará na questão do doping se ele precisa dessa ingestão de hormonios?

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Agora teremos Olim...piada!

Seu voto: Nenhum (9 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.