Doria anuncia R$ 50 milhões para hospitais de campanha contra coronavírus

Segundo o secretário municipal Edson Aparecido, a ideia é que o hospital no Pacaembu fique pronto no começo de abril

Jornal GGN – O governo de São Paulo e a prefeitura realizam nesta sexta (27) uma coletiva de imprensa para apresentar detalhes sobre o hospital de campanha instalado no Pacaembu, com 200 leitos de retaguarda para tratar pacientes com coronavírus.

O governador João Doria anunciou repasse de R$ 50 milhões para a Prefeitura, liberados a partir da próxima segunda (30), para co-financiar os hospitais de campanha. O Anhembi e o estádio do Morumbi também receberão unidades.

Dos 200 leitos no Pacaembu, 18 são de “estabilização”, ou seja, possuirão equipamentos necessários para reagir em caso de emergência com o paciente que tiver uma piora agressiva em seu quadro clínico. Uma vez estabilizado, ele será encaminhado para um dos 18 hospitais paulistas que possuem leitos de UTI.

Segundo o secretário municipal Edson Aparecido, a ideia é que o hospital no Pacaembu, que começou a ser construído em 21 de março, fique pronto a primeira semana de abril. Mais de 500 profissionais trabalharão no espaço.

De acordo com o prefeito Bruno Covas, a capital ampliou o número de leitos de retaguarda em 2,1 mil, e os de UTI em mais de 700.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Pandemia do coronavírus também gerou explosão de mortes em casa

1 comentário

  1. “Segundo o secretário municipal Edson Aparecido, a ideia é que o hospital no Pacaembu, que começou a ser construído em 21 de março, fique pronto a primeira semana de abril. Mais de 500 profissionais trabalharão no espaço.”

    Sugestão de leigo bem intencionado.

    Moro próximo ao Autódromo de Interlagos e dentro dele tem uma unidade do SAMU, se é que ainda tá lá com as mudanças para “otimizar”o atendimento reduzindo unidades, que o prefeito fez. O Autódromo tem como vizinho a favela da Vila da Paz. e outra logo mais abaixo.
    O Autódromo tem boxes e prédios imensos que devem estar fechados para corridas, mas com todas as instalações, elétricas, hidráulicas e de ar condicionado instaladas. De fácil localização, poderia atender aos populosos bairros de Capela do Socorro e Grajaú que só dispõem de dois hospitais terceirizados, o Grajaú e o Pedreira, o Autódromo fica no meio do caminho entre os dois e a distancia não é pequena.
    Quantos outros equipamentos semelhantes municipais e privados existem na cidade? Penso no Parque da Água Branca com seus casarões, no Jockey Club, no Clube de turfe. Não seria mais economico?

    Se pensarmos estado e Brasil, onde houver quarentena e fechamento de shoppings, por que não fazer uso desse espaço que a exemplo do autódromo está quase tudo pronto. Se não do Shopping inteiro pelo menos da loja ancora que seria esvaziada pela rede.
    Em muitas cidades do país não tem hospital mas shopping não falta, lógica do capital.

    Outra sugestão é que as linha de ônibus que passam de 300 a 1.000 metros das unidades médicas, UBSs, UPAs, AMAs possam alterar seu intinerario para encostar mais nesses equipamentos.

    Aqui perto de onde moro tem uma única linha que passa próximo a UBS República, esse próximo é mais de 500 metros da unidade e vejo muitos velhinho descer e ir capengando até o posto.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome