Governo zera imposto de importação de armas

Bolsonaro já disse, em mais de uma ocasião, que o ‘armamento’ é uma das bandeiras imprescindíveis para os integrantes do seu governo.

Foto: Gabriela Biló/Estado de São Paulo

Jornal GGN – A Camex (Câmara de Comércio Exterior) zerou a alíquota do imposto de importação de revólveres e pistolas. Até então era de 20%. A mudança foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira. Jair Bolsonaro citou o feito em rede social.

“A CAMEX editou resolução zerando a Alíquota do Imposto de Importação de Armas (revólveres e pistolas). A medida entra em vigor no dia 1º de janeiro de 2021”, escreveu o presidente.

A medida entra em vigor em 1º de janeiro de 2021 e é assinada pelo presidente do Comitê-Executivo de Gestão Substituto e secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys.

Principal bandeira de Jair Bolsonaro, a flexibilização do porte de armas entra constantemente em debates ou falas do presidente. Bolsonaro já disse, em mais de uma ocasião, que o ‘armamento’ é uma das bandeiras imprescindíveis para os integrantes do seu governo.

E realmente é prioridade. Depois da reunião ministerial que frequentou as discussões e redes por vários dias, o governo editou portaria interministerial aumentando a quantidade máxima de munições permitidas para compra no país. Antes disso, na semana anterior, o Exército revogou três portarias que criaram regras para facilitar o rastreamento de armas e munições, a pedido de Bolsonaro.

O gasto em armas estrangeiras totalizava US$ 26,5 milhões até julho deste ano, 97% acima do registrado no período correspondente em 2019, segundo dados extraídos do Siscomex (Sistema Integrado de Comércio Exterior), do Ministério da Economia.

A tendência de alta, segundo especialistas, se iniciou no último ano do governo Michel Temer.

Com informações de O Globo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora