O Brasil não aguenta mais: Fora, Bolsonaro!, por José Guimarães

Os partidos de oposição, juntos com mais de duas centenas de entidades de peso da sociedade brasileira, movimentos populares e juristas, vão protocolar nesta quinta-feira (21), na Câmara dos Deputados, pedido de impeachment de Bolsonaro.

O Brasil não aguenta mais: Fora, Bolsonaro!

por José Guimarães

O Brasil está cansado da irresponsabilidade, incompetência e desumanidade de Jair Bolsonaro. Estamos num momento crítico da vida nacional, com a morte diária de mais de 1000 brasileiros atingidos pela Covid-19 e uma gigantesca crise econômica agravada pela pandemia, mas Bolsonaro não age para resolver nem uma coisa nem outra. Prefere passar o tempo fazendo piadinhas sádicas diante da abissal crise sanitária e econômica em nosso país.

É um irresponsável, com claros traços de anomalia mental e adorador da morte. A única saída para o bem da população brasileira é a união de todas as forças democráticas em torno do impeachment de Bolsonaro o mais rápido possível. O Brasil não aguenta mais Bolsonaro.

Os partidos de oposição, juntos com mais de duas centenas de entidades de peso da sociedade brasileira, movimentos populares e juristas, vão protocolar nesta quinta-feira (21), na Câmara dos Deputados, pedido de impeachment de Bolsonaro. Desde que assumiu o cargo, em 1º de janeiro de 2019, surgiram no mínimo 17 motivos para afastar o capitão-presidente do cargo por quebra de decoro.

Ofensa à Constituição- Os últimos casos foram as manobras de interferência na Polícia Federal e falsidade ideológica no caso do exame de Covid-19, além dos estímulos a uma escalada autoritária, ao participar de atos em prol do fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal, afrontando a Constituição.
Bolsonaro já cometeu diferentes e graves delitos ou má conduta no exercício de suas funções. Se fosse apenas por incompetência, já teria sido demitido a bem do serviço público.

Leia também:  Os 300 do Brasil: “o inverno está chegando”, por Albertino Ribeiro

O presidente da República comporta-se como um desmiolado diante do momento sombrio em que vivemos. Renega a ciência, defende soluções miraculosas para tratamento da Covid-19, zomba da dor de quem tem perdido entes queridos para o coronavírus. Mais grave é que tenta politizar a questão, manipulando redes sociais e a máquina de comunicação pública mantida pelos contribuintes para jogar a população contra governadores e prefeitos, os quais seguem rígidos padrões científicos da Organização Mundial de Saúde para controlar a expansão da doença.

Bolsonaro sequer dá importância ao Ministério da Saúde, órgão abandonado e aparelhado por fardados em plena pandemia. Quem tem sentimento humanitário e defende a vida está chocado.

Campanha Fora, Bolsonaro! – Nesse cenário cruel, é preciso incrementar a campanha “Fora, Bolsonaro!” . O Brasil tem um “governo” que não dá resposta à crise imensa que estamos vivendo e não tem condições e nem capacidade administrativa e humana de conduzir o País.

Afora os crimes de responsabilidade, entendemos também que Bolsonaro poderia ser afastado por decisão da Justiça Eleitoral, com a eventual cassação da chapa presidencial eleita em 2018. Essa posição consolida a posição das esquerdas e dos democratas brasileiros. O PT tem quatro ações na Justiça Eleitoral que pedem a cassação de chapa de Bolsonaro e Hamilton Mourão.
O general vice-presidente Mourão também não é solução para a grave crise que enfrentamos, embora seja inegavelmente mais bem preparado que o capitão. A chapa foi eleita num processo suspeito, que vai desde a atuação do então juiz Sérgio Moro à frente da Lava Jato até a manipulação de redes sociais e uso de instituições como a Polícia Federal para abafar escândalos envolvendo a família Bolsonaro com milicianos no Rio de Janeiro.

Leia também:  Generais do governo são contra indicação de militar para Ministério da Saúde

Novas eleições – A oposição defende a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 227/2016 , do ex-deputado Miro Teixeira (RJ), já comtramitação adiantada, ou a 37/2019, apresentada pelos deputados federais petistas Henrique Fontana (RS) e Paulo Teixeira (SP). As duas propostas preveem a realização de eleições presidenciais em caso de vacância do cargo, por qualquer motivo, até seis meses antes do fim do mandato. Não basta encerrar o governo Bolsonaro, é preciso substituí-lo por um governo eleito pelo povo, para salvar a vida da população, os empregos, a renda e a própria democracia.

A permanência do atual governo é uma ameaça ao futuro do Brasil. É um governo que desmonta políticas públicas conquistadas ao longo de décadas. Desmantela o serviço estatal de defesa do meio ambiente e estimula criminosos a agirem livremente na destruição da Amazônia. Impulsiona o genocídio de povos indígenas. Odeia os pobres. Quer acabar com todos os direitos trabalhistas e sociais. É um governo que no dia a dia desrespeita a soberania nacional, alinhando-se como satélite dos Estados Unidos.
O objetivo de Bolsonaro é agradar ao grande capital nacional e estrangeiro, mas o que consegue é turbulência e incertezas que acabam, em última análise, sendo um tiro de canhão contra os próprios interesses econômicos. O cenário atual é de terra arrasada. Diante disso, o PT também decidiu iniciar os debates para a construção de um projeto para a recuperação da economia do País após a crise do coronavírus e o desastre nacional legado pelos governos Temer e Bolsonaro.

Leia também:  Bolsonaro 500: um presidente enfraquecido e no ataque

Bolsonaro já ultrapassou todos os limites aceitáveis para um presidente É a hora de união de todas as forças democráticas em torno de uma campanha nacional Fora, Bolsonaro!, em defesa da vida e da democracia.

José Guimarães – Deputado federal (PT-CE) e líder da Minoria na Câmara dos Deputados

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome