Os delírios de uma esquerda em convulsão febril, por Eugênio Aragão

Os delírios de uma esquerda em convulsão febril

por Eugênio Aragão

O golpe e o longo processo de deterioração da institucionalidade que o acompanha vem tocando a todos nós de forma intensa. Todos estamos em sofrimento. Quem tem consciência, discernimento e sobretudo conhecimento dos pormenores da sordidez das ações criminosas contra o país protagonizadas por um bando de oportunistas  ambiciosos e gananciosos sofre muito. Conhecer nos faz sangrar.

Cada um reage a seu modo. Alguns precisam espernear, outros se recolhem e choram sozinhos. Muitos estão perdidos e buscam o sentido das coisas pelo exemplo da conduta e da opinião de atores de esquerda com maior visibilidade. Outro tanto vê chifre em cabeça de cavalo: pretende ver urdiduras e conspirações por todo lado, acabando, não raro, por disparar, no auge da paranoia, fogo amigo nas próprias hostes.

É parte da missão do golpe deixar a esquerda em polvorosa, que nem barata tonta, perdida no tiroteio interno. Quando a esquerda briga, a direita faz a festa e, como se não bastasse o desgaste naturalmente sofrido pelas porradas midiáticas diuturnas, ainda se dá motivos para os golpistas festejarem a incapacidade das forças antigolpe de se aglutinarem e  mobilizarem.

Muito de nossa derrota na arena política se deve a isso: nossa incrível inépcia para distinguir entre a unidade essencial e a divergência por questões periféricas. Vimos em pleno golpe atores sedizentes de esquerda atacarem Lula e Dilma, como se seus inimigos não fossem a direita usurpadora do espaço democrático, mas, sim, a esquerda governista.

Leia também:  Chegando a extremos… é hora de “virar a chave”, por Antonio Carlos Quinto

Agora continuamos nisso: o Duplo-Expresso a promover ataques pessoais aos deputados Paulo Pimenta e Wadih Damous, como se fossem piores que Bolsonaro, Janot e o MBL! Pior: atacam outros blogs de esquerda, comprometendo a qualidade de nossa comunicação.

Passaram a distribuir sarrafos também em Fernando Haddad, numa fúria inexplicável. É legítimo indagar, por isso, se ainda estão no mesmo barco ou se o abandonaram por delírio ou por razões outras que não estão muito claras. O fogo tem que cessar já, sob pena de serem vistos, os protagonistas do Duplo-Expresso, não como jornalistas, mas como uma dupla de inconsequentes pistoleiros políticos a fazerem o jogo da direita fascista.

E não adianta quererem se escorar em meu depoimento, este não foi dado a seu programa para desqualificar o trabalho parlamentar fundamental de Wadih Damous e Paulo Pimenta.

Vou avisando: estou fora dessa briga de Romulus e Wellington e vejo com enorme tristeza os tiros contra companheiros neste momento crucial da vida nacional, quando nosso objetivo comum deveria ser derrubar o golpe e garantir a candidatura de Lula à presidência da república. Estamos desperdiçando energia e fazendo papel de idiotas perante os fascistas.

Há vida após o golpe e temos que nos preparar para vivê-la, com esforço redobrado de organizar futuras gerações para um embate que não acaba amanhã, mas perdurará por anos e anos a fio, mesmo que eventualmente consigamos manter Lula candidato e fazê-lo vencer as eleições.

Há trabalho por fazer. Vamos nos disciplinar. Paulo Pimenta e Wadih Damous são guerreiros indispensáveis à luta dos que querem um Brasil melhor. Somos poucos e precisamos de todos. Dispersar por conta de brigas de ego é prestar um desserviço ao país.

Leia também:  Anticapitalista no Século XXI, por Fernando Nogueira da Costa

Convenhamos: tanto faz qual documento trai as intenções da turba da Lava-Jato. Eles estão pouco se lixando. O golpe é escancarado e ninguém pode ter dúvidas sobre a má fé na metodologia adotada para a coleta de “elementos de convicção” contra Lula e o PT.

Eles não sairão abalados com isso. Somos nós que estamos a nos abalar. Não há bala de prata contra a Lava-Jato. Sua derrota dependerá de nossa capacidade de mobilizar e isso não se torna mais fácil com brigas intestinais.

Caiamos na real. Estamos perdendo e perdendo feio. Dissemos que o golpe não passaria e passou. Dissemos que a condenação de Lula não ocorreria e ocorreu. Dissemos que o TRF da 4ª Região não ousaria confrontar as massas coonestando a condenação partidária de Moro e ousou.

Pensávamos que o STJ daria um freio de arrumação e não deu. Estamos torcendo para que o STF cumpra seu papel e garanta a presunção de inocência de Lula e… E estamos brigando entre nós!!!!

Conclamo, por isso, os companheiros do Duplo-Expresso a baixarem as armas nessa arenga fratricida e a se concentrarem no que importa: resistir e mobilizar, pois de outro modo nada disso que fizemos desde 2016 terá valido para algo. Não joguemos fora nossa luta. Temos responsabilidade com o Brasil, com nossxs filhxs e nossxs netxs! Nunca um cachimbo da paz foi tão necessário!

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

39 comentários

  1. Acho que esse foi o

    Acho que esse foi o ponto final nesse debate. Que a turma do Duplo Expresso leia e compreenda o pedido do senhor Aragão.

  2. Problema é que as discussões

    Problema é que as discussões da esquerda sempre são públicas ..Já as conspirações da direita acontencem em palácios e gabinetes  ..ou até em garagens e foruns de justiça

    Agora  ..ficar torcendo pro STF fazer seu papel legal e constitucional  ..caramba, vc escreveu isso ? ..e ainda guarda esperanças de que o golpe é de curto prazo e LULA sairá livre ?

    Quanto ao dilema:

    Os rapazes apostaram em usar um doc contra Sergio Moro que não terá efeito neste momento no país  ..num aonde a vdd morreu e o GOLPE impera

    Já os jornalista que defendenram, como PORTA VOZES, os deputados, erraram ao querer desconstruir (e muito mal) atacando as pessoas e não os fatos  …la_men_tá_vel  ..golpe baixo

    quanto as deputados ..eles que se expliquem ORAS  ..afinal, caso eles tivessem apresentado o doc, sem duvida hj não faria diferença  ..mas pra história e pra ONU conta, ao menos as futuras gerações aprenderiam que aqui entre nós vive milhares de FDPs que só pensam em forçar as suas vontades, interesses e crenças em detrimento dos interesses mairores do país e da sua população mais explorada e esquecida

  3. Máfia maçonaria tucana dos inférno! Tomaram os 3 poderes e tudo+

    Aproveitando essas belas palavras do ingênuo, gostaríamos de desejar a todos os não golpistas comprometidos com a democracia em todos os seus espctros, muita saúde, força, paz e tudo de bom que existe no universo. Para os golpistas, tanto os civis como para os militares também justiça seja feita (não gostamos de injustiças), como saõ todos filhosdaputas comprometidos com cocaína, sub e superfaturamentos, assassinatos e participação em crimes de todos os tipos, desejamos que vão todossifudê.

                                                      

  4. os deliirios….

     A doce esperança na possibilidade do Poder faz com que o caráter das pessoas se revelem. Por que a surpresa? Vacarezza correu para onde? E Marta? E Marina Silva, vislumbrando ser dona da caneta? E Pallcocci, companheiro de 1.a linha? E Cristovam e Freire? Campos deixou sua Capitania Hereditária para quem? Rebentos Púberes já assumem seu Feudo. O copo transbordou. Não engana mais ninguém com esta estória. A ala à esquerda da Mansão Tupiniquim, antiga Casa Grande, foi nomeada “Darcy Ribeiro. Elite são os outros”. Não adianta ao lobo tentar se esconder sob a pele do cordeiro. O cordeiro está morto. E o cheiro revela o animal e seu vício. Agora é pega pra capar. É briga de foice no escuro. Pseudo Honestos, Democratas, Isentos de Interesses Pessoais. Gente que não via a Politica como Profissão irão ‘vender a mãe’ para alcançar o Poder. “Conheceis a Verdade. E a Verdade Vos Libertará”. O Brasil é de muito fácil explicação.  

    • Comentar com comeco, meio, e

      Comentar com comeco, meio, e fim.  A gente nao tolera psicotitco de terceira classe por mais que 8 palavras e voce trsnsbrodou seu limitinho, ok?

  5. Sejamos menos inocentes, como

    Sejamos menos inocentes, como bem indicou o post do Nassif sobre o currículo do Romullus. Por curiosidade entrei no site em questão e comecei observar os comentários a favor dos rapazes, uma babação bem esquisita, fake é a palavra. São fakes mesmo, pesquisei uns 5 comentadores, dos 5 só um  não era um bot. Quem paga por bots em sua própria página? Tirem suas conclusões….

    • Dos 20% que votam sempre na Esquerda, apenas 10% …

      Sao da esquerda instucional.

      PT, Psol, Cut, Une e afins, ou seja Status Quo da esquerda militante,  representam menos de 10 % do Eleitorado da Esquerda.  E menos de 5% do Eleitorado do Lula.

      O maior erro dos 10% é ignorar o fato que varios eleitores da Esquerda nunca cerraram fileiras ao lado deles, só comparecendo as urnas de 4 anos, por que simplesmente se pautam por outros valores e prioridades. 

      Nessa turma de esquerda Outsider, que passou a se informar pelos Blogs, e se inteirar mais da Politica, existem centenas de milhares de ressentidos com os erros que a Esquerda Instituicional veio cometendo ao longo desses anos. Do controle remoto, as Jornadas de Junho, a Pusilamidade na Satiagraha, as indicacoes ao Supremo, a falta de combatividade no Mensalao, e no Impichment, o “peedra sobre Pedra” na Lava a Jato, o Plano Levy, a sabotagem do PNBL, a capitulacao na luta dos Juros diante do tomates da ana maria braga.

      Quantas veses reclamamos quantas vezes os Blogs velhos de guerra apontaram a direcao e quantas vezes a cupula da Esquerda preferiu ir abaixar a cabeça pros Donos da Folha.

      Sou um os Supostos Fakes do Duplo Expresso, Petista de Coracao e cada vez mais Brizolista/Varguista por me identificar demais com a maneira do Fernando Brito do Tijolaco ver o mundo, e por cansar da miopia das liderancas do PT e demais partidos de Esquerda.

      Cada vez mais por tudo exposto acima, nao poderia achar menos salutar a furia do Romulus e Wc contra o bundamolismo Parlamentar do Deputados do PT. E nao me revoltar com a forma como foram crucificados por nao dizer amem as liderancas.

      A impressao que tenho é mesma que ha quase 20 anos me impede de finalmente assinar a ficha de filiacao ao meu amado Partido, e me manter como um Outsider, na Esquerda Instituicional nao espaco pra pensar por conta propria ou contestar os lideres, nao espaco pra nada alem de bajulacoes e politicagens de clubinho. 

      Por essas e por outras eles ficam tao alienados em seus umbigos que se assustam quando alguem de fora decidi dizer tudo que pensa e nunca falou antes por que sabia que jamais seriam ouvidos.

      Chamar de Fakes ou de Infiltrados os descontentes é ignorar que eles sempre existiram e negar a eles a palavra, os afastarao e farao procurar outro caminho, como o PCO, o PSTU e PSol fizeram no passado.

      • Você não entendeu o que eu

        Você não entendeu o que eu disse. Eu verifiquei alguns dos que comentavam efusivamente a favor dos donos no tal blog, 4 de 5 que verifiquei não são pessoas reais como você, são personagens criados por empresas especilizadas para influir em redes sociais. Os sistemas mais sofisticados usam pessoas reais que são pagam para interagir manipulando dezenas de personagens durante o dia interiro, fazem isso profissionalmente. No caso não havia esse nível de sofisticação, pq os comentadores que verifiquei nem tinham amigos no facebook, possivelmente são bots mais rudimentares. Em ambos os casos são uma forma de manipular a opinião em redes sociais, por isso repito a questão, porque um blog supostamente de esquerda tem entre seus comentários personagens fictícios que intteragem a favor de suas posições? Sorria, você está sendo manipulado….. 

  6. Falando em questoes

    Falando em questoes perifericas, os ESPIRITELICOS da Santissima Trindade de Jeovah podem me explicar como uma teoria de conspiracao de tao baixa QI que estava abaixo (!!!!) dos Testemunhas de Jeovah e teve que ser primeiramente publicizada no Brasil pelos genios de massa cinzenta do MBL se infiltrou Espiritismo adentro????

    Eh so abrir a porta e entrar, filhos da puta?

  7. até hoje não entendi como vcs foram cair nessa…

    ou levado tanto tempo para perceber……………………………….

    infiltração clássica: dê asas (informação) e depois desoriente o voo

    • mas torcemos para que tudo passe…

      e para que cada um tenha a liberdade de curtir a sua rebordosa na melhor posição possível, ainda à esquerda, porque a melhor forma de se combater uma operação como a lava jato não é a de ninguém, é do conjunto

    • não sei se foi antes ou depois da descoberta…

      mas quando falei do pluripartidarismo, no meu scope tinha também toda a esquerda e os blogues progressistas, como vcs chamam

      enfim, tinha todo o ambiente, não esta ou aquela pessoa, não este ou aquele blogue………………………………

      muita liberdade sem nenhum sentido, quando cada um se considera único dono do seu

  8. Muito sensato!

    Muito sensato o comentário do ministro EA. Ainda ministro, de jure. Um comentário compatível com a sua estatura e responsabilidade, um chamamento à unidade e à luta. Não se poderia esperar outra coisa do sábio ministro. Por sinal, artigo do editor do DE, vai nessa mesma direção e revela a disposição de todos lá para a pacificação e o foco na defesa de Lula. Então, quanto a isso, estaria tudo bem encaminhado. Agora, como leitor quase diário dos três blogs envolvidos (DE, GGN e Cafezinho), ao contrário de muitos aqui que revelaram não conhecer o DE. penso que é necessário esclarecer algumas coisas. O DE assume fazer um jornalismo engajado que objetiva transformar a realidade e não apenas retratá-la. Por isso, pressionam os políticos. O que, por sinal, é direito de todos. O episódio com o Haddad é fruto disso. Eu não tenho dúvidas de que este, de fato, tentou se colocar como uma alternativa ao Lula, no papel de “Macron Brasileiro” e até se reuniu por horas com o FHC, que está desesperado em busca de “um candidato confiável”. A reserva quanto ao ambiente “uspiano” está na cabeça de muitos, inclusive do Jessé Sousa. O mesmo raciocínio se aplica aos referidos deputados que, no meu modo de pensar, até devem ser bem intencionados, mas estão fazendo “corpo mole”. Pensemos bem, não é mesmo fácil bater de frente com um judiciário monolítico e apoiado/instigado/dirigido pelo oligopólio da grande mídia. E um deles é advogado, conseguirá trabalhar se deixar de ser deputado? Grande parte da atitude do RM, exagerada, foi uma reação de defesa a uma ofensiva do PP (lembremos da história da inteligência russa e o blog suíço mantido pela cia). Só mais uma coisa, posso estar enganado, mas percebi que a inteligência e a formação do Dr.RM incomodaram (talvez inconscientemente?) a muitos. Anti-intelectualismo (como na sociedade estadunidense) ou inveja? 

  9. Será ….

    Tudo bem, mas que tem gente da esquerda vacilando, há isso tem. 1 Dirceu, genuino, Dilma, Vacari…estao esperando o que, chegar a vez do Lula ou levar mais um 7×1 ?  Tem que deixar a rapaziada tentar, eles sao bons…

  10. Conflitos

    Caro Eugênio Aragão, já pensou que pode haver uma resistência até inconsciente, uma dificuldade e um conflito interno em muitos de nós, que fazemos oposição ao golpe, quando impomo-nos a obrigação de adotar o rótulo de “esquerda”?

    Primeiro que é de uma imprecisão enorme rotular a política de Lula, Dilma, Haddad como “esquerdista”. A social democracia talvez pareça esquerdismo em cenários sócio-nacionais de capitalismo selvagem, desregulado, descontrolado e até insustentável e delirante, como o que se instalou no golpe. Mas relativizar o significado de “esquerda” em função do cenário sócio-nacional talvez já seja, em si, fazer uma confusão.

    Além disso, quem disse que não pode haver gente realmente, profundamente democrata, que acredita que a solução esteja numa composição entre estado e capital privado e, ao mesmo tempo, que é contra o estupro da ordem constitucional que caracteriza o golpismo? Ou melhor, que é a favor de que a ordem adotada pelas instituições durante os governos do PT sejam restabelecidas.

    Quantos dos coxinhas e patos-da-fiesp rejeitam o PT muito mais pela pecha de “esquerda” do que pelas providências que realmente tomou enquanto esteve no poder institucional?

    Ok, o próprio PT usa o carimbo “esquerda” como argumento de venda. Apesar disso muita paulada que tem tomado é porque está se mantendo dentro das regras da ordem anterior ao golpe, que é uma ordem que admite relações de trabalho capitalistas. Talvez a moçada assustasse menos se, em lugar de comprar o produto pela embalagem, se desse ao trabalho de refletir sobre o que o PT realmente fez, principalmente na área social, de apoio aos que estavam excluídos pelo capitalismo.

    Sei que o capitalismo é um sistema, por sua natureza, excludente e concentrador. Mas vejo muita gente em todo lugar se vendo obrigado a encarar a si mesmo como se “esquerda” fosse apenas para resistir ao golpe, quando firmemente acredita em que empresas privadas não apenas não são um mal tão grande assim como até que são parte da solução (quando não, que são A solução). Isso pode acabar gerando, até inconscientemente, um bruta conflito interno. Que, é claro, acaba se expressando no externo, na relação com o outro.

    Digo isso porque conheço quem acredite firmemente no contrário ao que o PT fez – o meu desimportante ser pessoal, por exemplo -, que acredita que o máximo tamanho econômico que uma empresa privada pode ter é de uma pequena indústria (30, 40 trabalhadores, incluindo os donos)… mas de preferência, no máximo o tamanho de uma venda de bairro. E que não só essas empresas não podem, sob hipótese alguma, ter nenhuma tipo de poder sobre o estado (a não ser seus donos, como pessoas individuais e físicas, como votantes ou candidatos) como que o estado deve ser muito mas muito mais poderoso que a mais poderosa das empresas privadas. Mas mesmo assim, que está, ombro-a-ombro na luta com os – desculpe a imprecisão – “direitistas” social-democratas, pelo restabelecimento da ordem. Fazer o que, né? Quem sabe Marx estivesse certo quando disse que sem capitalismo não se chega ao socialismo. E chamar esse neoliberalismo delirante, invasor e estuprador de estados nacionais, de capitalismo é até desrespeito com o capitalismo.

    Enfim, talvez as coisas ficassem mais claras se, para além de nomes e rótulos, compreendêssemos que a oposição se dá entre golpistas e democratas. Esse negócio de “esquerda” assusta profudamente um monte de gente.

    • É sempre bom lembrar que

      É sempre bom lembrar que Eduardo Cunha, Aécio Neves, Aloysio “quero-ver-dilma-sangrar” Nunes, Michel Temer e outros dessa laia apenas agiram como… capitalistas privados. Ok, capitalistas privados com acesso aos cofres públicos e ao poder institucional, o maior perigo para qualquer estado nacional. Mas será que uma pessoa precisa dizer-se de “esquerda” para se opor ao golpe que o capitalismo deu no estado? E quem gosta do capitalismo mas também gosta de democracia, faz como?

    • ERRATA

      “E que não só essas empresas não podem, sob hipótese alguma, ter nenhuma tipo de poder sobre o estado (a não ser seus donos, tanto quanto os funcionários e todo e qualquer cidadão, como pessoas individuais e físicas, como votantes ou candidatos) como que o estado deve ser muito mas muito mais poderoso que a mais poderosa das empresas privadas.”

  11. https://disqus.com/home/discu

    https://disqus.com/home/discussion/duplo-expresso/infiltracao_agora_advogados_de_moro_nassif_e_cafezinho_detonam_lula_e_sua_defesa/

     

    Romulus: “Estava ignorando as suas provocações. Agora vc cometeu crime. Tenho seu email e seu IP. Vc será processado. Voce pode compartilhar mentira criminosa – calunia e difamaçao sao os tipos penais – em outros lugares. Nao aqui. Para alem de pessoas engajadas com os deputados e/ ou de ma-fe, Nassif morreu no domingo à noite. Pergunte a qualquer parlamentar. Seu crime ja esta registrado. Trara consequencias. Nao apagarei e nao adianta mais vc apagar. Na proxima, será banido. Nao seremos veiculo para crime.”

     

    Romulus: “No caso, o menino mora em Piracicaba e o Marcola em SP-capital. rs”

  12. Não teve os manifestoches da

    Não teve os manifestoches da Paulista e adjacências que levaram uns 6 meses para cair na real? Pois é, esses manifestoches da teoria da conspiração interna vão acordar só daqui a alguns meses. 

  13. Só está ficando com convulsão febril quem não entendeu o golpe.

    O que ocorre nos dias atuais é que quando cada dia se aproxima mais de um governo militar, com fechamento e sem projeto nacional, o pessoal começa a se dar conta e começam a bater cabeça, mas os que já prentando atenção no que se passavam viam que o golpe ia mesmo nesta direção, estão tão preocupados como já estavam antes, mas não estão batendo cabeça um com os outros.

  14. O primeiro sarrafo indevido foi no PSDB, anos atrás….

    Partidos irmãos, PT e PSDB poderiam ter reduzido a influência do PMDB e do coronelismo em geral na política se tivessem feito uma agenda comum. O PSDB era acusado de ser a direita-cão-chupando-manga, apesar de ser de centro-esquerda, enquanto o PT caia no colo do PMDB sem nenhuma dor na consciência. Deu no que deu…, e hoje parece estar claro que o que é direita na verdade foi fomentada pelo próprio PT no governo. Ia ser bom também o PT deixar de lado certas ideias que comprovadamente não dão certo em economia e administração pública, mas… desistam… é pedir demais. A esquerda brasileira está fadada ao suicídio.

  15. O EXEMPLO DE PORTUGUAL A SER

    O EXEMPLO DE PORTUGUAL A SER SEGUIDO 

    Deputado diz que Portugal mostra que é possível romper com ‘agressão neoliberal’

    São Paulo – Professor de economia na Universidade de Coimbra, José Manuel Pureza está em seu segundo mandato como deputado federal em Portugal. Filiado ao Bloco de Esquerda (BE), partido criado em 1999 e que atualmente é a terceira força política mais votada no país, com 19 deputados num universo de 230 parlamentares, Pureza é também vice-presidente da Assembleia da República.

    Em suas palavras, o parlamentar define o Bloco de Esquerda como uma legenda da “esquerda socialista, ecologista, feminista, internacionalista, cuja identidade radicaliza nas mobilizações alter-globalização”, conceito que explica o processo de construção de alternativas ao paradigma dominante da globalização econômica e financeira.

    Nessa entrevista para a RBA, Pureza aborda as transformações em curso em Portugal desde 2015, quando o Partido Socialista ganhou o governo e, desde então, comanda o país unido a outros partidos de esquerda, pondo em prática uma agenda econômica e social em franca oposição às políticas neoliberais que vinham sendo adotadas anteriormente, seguindo a cartilha da Troika – Comissão Europeia (CE), Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Central Europeu (BCE).

    Paulete Matos

    Foto: Segundo Pureza, políticas do atual governo levaram Portugal ao nível mais baixo de desemprego dos últimos 20 anos

     

    Em pouco tempo, os resultados já apareceram. PORTUGAL tem hoje um nível de desemprego de 9%, o mais baixo dos últimos 20 anos, e a economia do país tem crescido com taxas próximas aos 3% ao ano, algo que não acontecia desde o início dos anos 1990.

    “Ficou demonstrado que a aposta num modelo de coesão social e não de polarização econômica e social não é incompatível com contas públicas equilibradas.

    Ao contrário do que a TROIKA e o governo das direitas diziam, a subida do salário mínimo nacional ou das pensões mais baixas não fez aumentar o desemprego, e a devolução de direitos sociais que tinham sido cortados não conduziu, ao contrário do que apregoavam a Troika e o governo das direitas, a uma recessão econômica”, afirma Pureza.

    Para o deputado do Bloco de Esquerda, o atual momento político de Portugal demonstra que as soluções apresentadas pelos neoliberais não são inevitáveis e que existes, sim, alternativas políticas que podem ser aplicadas em benefício das sociedades. Todavia, o professor de economia da Universidade de Coimbra enfatiza que, para pôr em prática essas alternativas, é preciso haver um entendimento entre as diferentes forças políticas do campo da esquerda. Uma costura que em Portugal está sendo feita na base de muita negociação entre o Partido Socialista, o Bloco de Esquerda, o Partido Comunista Português e a legenda ecológica Os Verdes.

    Quadro: “Com os resultados das eleições de 2015, o PS teve que escolher entre, por um lado, firmar acordos à direita e manter o rumo das políticas da TROIKA e do governo das direitas ou, por outro lado, firmar acordos à esquerda e romper com essa política, sendo que as eleições determinaram uma maioria de apoio a essa ruptura.”

     

    “Cada força política mantém plenamente a sua autonomia em tudo o que não consta dos acordos concretos que foram assinados em 2015.

    Mantendo a autonomia crítica de cada um, verifica-se que as bases sociais de cada um destes partidos veem como positivo o esforço de articulação que tem permitido parar a agressão neoliberal e a abertura de perspectivas de alternativa social para o nosso povo”, explica.

    Mesmo do outro lado do oceano Atlântico, o deputado português também acompanha a realidade política do Brasil. Para ele, Michel TEMER é o rosto principal do “golpe institucional” que apeou do Palácio do Planalto a ex-presidenta DILMA Rousseff, mas a ruptura democrática brasileira não se encerra com a ascensão de TEMER à presidência.

    Pureza acredita que as elites do Brasil “apostarão tudo na descredibilização das instituições” para não perder mais poder e impedir que políticas progressistas sejam aprofundadas. Um cenário que exige uma nova articulação no campo da esquerda.

    “Creio que é necessário, no Brasil, uma esquerda renovada, ambiciosa, forjada nos movimentos sociais e totalmente descomprometida das práticas de corrupção que minam o sistema político do país”, avalia.

    [A ENTREVISTA:]

    1. Depois da crise de 2008, Portugal aderiu à cartilha econômica da Troika, que defendia um forte ajuste fiscal, com corte em investimentos e benefícios sociais. Desde o começo do atual governo, entretanto, essa visão mudou. Como ocorreu essa transformação?

    Essa mudança resultou dos resultados das eleições parlamentares de 2015, que deram uma maioria de votos aos partidos de esquerda. Foi possível encontrar um entendimento político entre esses partidos (Partido Socialista, Bloco de Esquerda, Partido Comunista Português e Partido Ecologista Os Verdes), que teve como núcleo essencial a rejeição do modelo de política seguido até então e uma recuperação dos rendimentos retirados dos trabalhadores e dos setores mais vulneráveis da sociedade portuguesa, através de uma tímida, mas efetiva reposição de salários e de pensões, e de alguns direitos sociais e econômicos fundamentais.

    2. Com um ano e meio de mandato, o atual governo já apresenta resultados positivos na macroeconomia, colocando em prática medidas que não são aquelas defendidas pela TROIKA. Como isso tem sido possível?

    A Troika e o governo das direitas agrediram o povo português com o pretexto de que as políticas de redistribuição dos rendimentos – seja diretamente (salários e pensões), seja indiretamente (direitos sociais e serviços públicos de educação, saúde, transportes etc.) – eram ‘luxos’ que nos faziam ‘viver acima das nossas possibilidades’. A política que impuseram foi de cortes sucessivos de rendimentos dos mais pobres e da classe média e de esvaziamento dos direitos sociais e econômicos, conduzindo a uma transferência inédita de rendimento do trabalho para o capital.

    Quadro: “Mas o que a atual situação em Portugal demonstra é que o caminho indicado pelos neoliberais não é inevitável e que há alternativas efetivas de política que não são utopias, mas que podem ser postas em prática em benefício das sociedades.”

     

    Ora, a reanimação do mercado interno, permitida pela recuperação de rendimentos adotada desde 2015 pelo governo apoiado pela esquerda, teve um efeito positivo direto e induziu uma confiança de investidores e de consumidores que potencializou esse efeito. No essencial, ficou demonstrado que a aposta num modelo de coesão social e não de polarização econômica e social não é incompatível com contas públicas equilibradas. Ao contrário do que a Troika e o governo das direitas diziam, a subida do salário mínimo nacional ou das pensões mais baixas não fez aumentar o desemprego, pelo contrário, Portugal tem hoje um nível de desemprego (9%) que é o mais baixo dos últimos 20 anos. E a devolução de direitos sociais que tinham sido cortados não conduziu, ao contrário do que apregoavam a Troika e o governo das direitas, a uma recessão econômica: Portugal tem hoje um crescimento econômico próximo dos 3%, algo que não acontecia desde o início dos anos noventa.

    3. Quais foram os principais desafios para essa mudança de rumo?

    [1] Um desafio social e econômico – a recuperação dos rendimentos cortados pelas políticas de direita da TROIKA e do governo das direitas – e [2] um desafio político: uma negociação permanente entre os partidos de esquerda para concretizar essas medidas. A direita chamou depreciativamente essa solução de “GERINGONÇA”. Mas o povo reapropriou-se desse termo para elogiar os resultados de uma solução política que não é uma aliança, não é uma coligação, não é sequer uma frente eleitoral. Trata-se de um governo do Partido Socialista com apoio parlamentar das esquerdas para as políticas que foram objeto de entendimento comum entre esses partidos, mantendo a autonomia de cada partido para tudo o mais, mas que tem produzido resultados econômicos e sociais indiscutivelmente positivos.

    4. Considerando a histórica divisão dos partidos de esquerda, como tem sido o trabalho para manter essa unidade?

    A solução de governança atualmente em vigor em Portugal não supõe, como já referi, nenhuma unidade programática entre os partidos que apoiam, no essencial, as políticas do governo do Partido Socialista. Cada força política mantém plenamente a sua autonomia em tudo o que não consta dos acordos concretos que foram assinados em 2015. Isto dito, todos os partidos envolvidos têm consciência de que só uma negociação permanente das principais decisões de política econômica e social permitirá concretizar os objetivos que levaram à assinatura desses acordos e ao desenvolvimento de novos objetivos comuns. O trabalho de negociação decisão a decisão, política a política, tem sido, por isso, o essencial do cimento que une os partidos de esquerda. É verdade que a tradição (também) em Portugal é a de divisão destes partidos. Mas, mantendo a autonomia crítica de cada um, verifica-se que as bases sociais de cada um destes partidos veem como positivo o esforço de articulação que tem permitido parar a agressão neoliberal e a abertura de perspectivas de alternativa social para o nosso povo.

    5. Qual o papel do Partido Socialista na base de apoio ao governo?

    O Partido Socialista (PS) tem uma trajetória histórica de compromisso entre uma linha de transformação progressista da sociedade portuguesa e uma linha de manutenção da estrutura econômica e social, sendo que esta última tem na integração europeia de Portugal o seu argumento principal. O PS não mudou a sua identidade no essencial: continua a ser um partido de compromisso entre políticas progressistas de esquerda e políticas europeístas tendencialmente liberais (ou mesmo conservadoras). O que mudou foi a relação de forças entre o PS e os partidos à sua esquerda. Com os resultados das eleições de 2015, o PS teve que escolher entre, por um lado, firmar acordos à direita e manter o rumo das políticas da Troika e do governo das direitas ou, por outro lado, firmar acordos à esquerda e romper com essa política, sendo que as eleições determinaram uma maioria de apoio a essa ruptura. A solução política atual se manterá na medida em que a relação de forças à esquerda o determinar. Quanto mais forte, social e eleitoralmente, forem os partidos à esquerda do PS, mais força terá a negociação para políticas progressistas para Portugal.

    Quadro: “Por isso, creio que é necessário, no Brasil, uma esquerda renovada, ambiciosa, forjada nos movimentos sociais e totalmente descomprometida das práticas de corrupção que minam o sistema político do país.”

     

    6. Como tem sido o apoio, em geral, da sociedade portuguesa ao atual governo?

    Há claramente uma opinião maioritariamente favorável à orientação que tem sido seguida depois de 2015. Isso concretiza-se em todas as sondagens de opinião e nos indicadores de confiança de vários tipos na economia portuguesa. Ainda assim, quero referir dois pontos críticos desta situação: em primeiro lugar, essa satisfação, em vez de conduzir a um reforço do movimento social em Portugal (sindicatos, movimentos de opinião, ativismos sociais diversos), tem convivido com uma situação geral de passividade social, a maioria das pessoas espera que o governo resolva os problemas existentes em vez de se organizar para radicalizar lutas e pressionar politicamente quem toma as decisões.

    Em segundo lugar, a simpatia com a orientação seguida, desde 2015, não faz ignorar os claros limites das políticas de recuperação de rendimentos e de direitos adotadas desde então. Na verdade, a dimensão e a intensidade dessa recuperação de rendimentos e de direitos são profundamente limitadas pelas regras impostas pela União Europeia, designadamente em matéria de déficit orçamental. Há uma contradição evidente entre o cumprimento obediente dessas regras europeias e a prossecução de um caminho de alargamento dos direitos e de maior justiça social. Essa contradição é inegável e o modo como lhe for dada resposta será o maior dos testes à permanência da atual articulação entre os partidos de esquerda.

    7. As ações do atual governo português podem servir de exemplo para outros países europeus ou latino-americanos que também vivem uma crise econômica e estão adotando as medidas neoliberais?

    Nenhum país pode ser modelo de outro país. As circunstâncias sociais, econômicas e culturais de cada povo são sempre singulares. Mas o que a atual situação em Portugal demonstra é que o caminho indicado pelos neoliberais não é inevitável e que há alternativas efetivas de política que não são utopias, mas que podem ser postas em prática em benefício das sociedades. E mostra também que pode haver entendimentos entre forças políticas com perspectivas diferentes para pôr em prática essas alternativas. Mostra, finalmente, que o que determina o conteúdo concreto dessas políticas alternativas é sempre a relação de forças e não a simples vontade de negociar.

    8. Como o senhor tem visto a crise brasileira, desde o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff?

    Acompanho com a maior preocupação a atual situação política no Brasil. O ataque a Dilma Rousseff consumou-se com um golpe inconstitucional, é essa claramente a minha leitura. Michel Temer é o rosto principal desse golpe, mas ele não terminou com a subida de Temer à presidência. As elites empresariais brasileiras viram-se forçadas, num primeiro momento, a aceitar políticas de redistribuição da riqueza (primeiro mandato de Lula) para evitar convulsões sociais incontroláveis que se virariam contra elas. Mas não estão dispostas a ceder mais e não hesitarão em fazer tudo o que puderem para impedir que políticas progressistas sejam aprofundadas e lhes retirem mais poder. Apostarão tudo na descredibilização das instituições para atingir esse objetivo. Por isso, creio que é necessário, no Brasil, uma esquerda renovada, ambiciosa, forjada nos movimentos sociais e totalmente descomprometida das práticas de corrupção que minam o sistema político do país.

    http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2017/08/deputado-diz-que-portugal-mostra-que-e-possivel-romper-com-agressao-neoliberal/

     

  16. Ninguem duvida da capacidade

    Ninguem duvida da capacidade do articulista, porém comete um erro semelhante ao que nos conclama a evitar: o pânico.

    Não é porque o golpe teve sucesso que a contra-ofensiva da direita e do capital será imparável. Dialeticamente as coisas produzem seu contrário. Os ultimo 9 meses mostraram o intocável Moro em franco descenso, Lula em ascenso e a percepção mais clara a cada dia da manipulação politica operada pela Lavajato. Tendo capturado as instituições os golpistas estão isolados na sociedade, à direita e à esquerda. O que não mudou é uma clivagem que existe há trinta anos ou mais na sociedade brasileira, com um polo progressista, um polo conservador e polo reacionário. O que mudou é que apeada do poder a direita viu sua fração radical organizar-se ideologicamente. Isso não era necessário quando seu direito ao poder era um fato inquestionável.

    Estamos longe da ruptura institucional total que assombra a muitos. A complexidade da sociedade não permitiria esse passo sem uma reação de igual monta.

  17. excelente

    excelente texto.

    infelizmente, claro, não será lá muito levado em consideração dentro daquilo a que se propõe.

    a história da esquerda é essa que o texto lamenta. quando mais se precisa de sua união, de sua inteligente ação coordenada, mais se bate cabeça. cabeça de esquerda governista e/ou parlamentar contra cabeça que se diz a verdadeira esquerda etc. esquerda contra esquerda, eis a história.

    e, enquanto isso, a caravana do golpe segue em frente, impiedosa. é como o autor do texto fala: a desfaçatez dessa turma é irrevogável. eles simplesmente passarão por cima de tudo. não se espere nada de diverso emanado do STF. esse aí já mostrou a serviço do quê está. STF é do golpe, terreno dominado pelas forças da reação. a única chance é que a esquerda acorde. coisa que, pelo visto, não ocorrerá.

  18. E eles continuam lá na mesma

    E eles continuam lá na mesma vibe. São os unicos que dão importância ao tal documento que segundo o Romulus prende o Moro e salva o Lula!!!

    Me lembra o livro “O Alienista” que como todos sabem é a história do médico que foi botando um por um, cidadãos do local no hospício. Acabando que o unico da cidade que não foi parar, é ele próprio. Quem era o louco afinal? Bom, o fato é que ele é que ficou no hospício.   

    Isso na melhor das hipóteses. Pode ser desequilíbrio, estando bem intencionado. Mas do jeito que o Romulus está surtado, falando sem parar a mesma coisa, se o Calazans ainda não deu um basta é porque podem sim estar “a serviços quinta coluna”. Tomara que não, gosto do Calazans, acho uma figuraça

  19. Eugênio e a eugenia (do debate).

    Bwana greg (gregório duvivier), o novo “guru” midiático das esquerdas, junto com karnal e jessé de souza, já disse: 

    Está insuportável.

    Agora nosso ministro Eugênio é um gênio sapeca: Todo esse ruído vai acabar acabando com a esquerda.

    Será?

    Ou será que Eugênio patrocina a eugenia do debate, para colocarmos um DNA nele de que Wadihs e Pimentas esteja imunes a qualquer dissenso?

    Não sei.

    Eu sei é  que em nenhum movimento revolucionário bem ou mal sucedido, seja a Revolução de 1917, o fracasso de Moncada ou a vitória da Sierra Maestra, houve céu de brigadeiro.

    A luta política é sim, por várias vezes, de natureza fratricida.

    E isso não é prerrogativa exclusiva da esquerda.

    Desde o München Putsch de 23 até a vitória em 1933, Hitler “passou o rodo” em muita gente que andava ao seu lado.

    Que o digam os SA de Röhm.

    As grandes e pequenas guerras são o exemplo que as placas tectônicas do capital se chocam e se agridem no caminhar da História, embora em tenha que reconhecer, é verdade, que quem se estrepa são os pobres soldados.

    Então por que pregar o pacifismo, quando o que precisamos justamente é conflito?

    Claro que não defendo aqui ataques pessoais ou violência física, nada disso.

    No entanto, não me agrada essa noção de “ordem política” difundida por Eugênio.

    Vício formalista de quem milita na pior pocilga das sociedades ao redor do planeta (o judiciário)?

    Não sei.

    Não, não, não, caro Eugênio, data venia.

    Não são as querelas individuais que trarão o sucesso ou o fracasso dos (nossos) movimentos políticos, mas a consciência coletiva de classe, a subordinação do indivíduo ao senso coletivo, ao invés desses salamaleques e protocolos tão caros às classes abastadas (a qual você pertence).

    Reduzir a isso é de um liberalismo vulgar.

    A carnificina existe e existirá.

    Uns preferem bons modos enquanto devoram os outros.

    Não foi a briga entre um e outro que fez o golpe vingar, ou Lula ser condenado.

    Foi o contrário.

    Lula está condenado porque acreditou que devia tratar o judiciário, juízes e promotores como gente civilizada, e pimba…acreditou que existe processo justo e legal.

    Você acredita em quê?

  20. Os delírios de uma esquerda em convulsão febril

    Brasil em Transe: o alzheimer político

    quando era menino, joguei muita pelada na ruas poeirentas de terra onde eu morava. como era então bastante comum na periferia, havia muitos valões de esgoto sanitário in natura à beira das ruas e da linha férrea. volta e meia a bola caía num deles. algum de nós tinha que entrar na merda até acima dos joelhos, para o jogo poder continuar. fiz isto muitas vezes.

    nesta sua conclamação, o atual Ministro da Justiça Constitucional não aborda os principais pontos de um episódio lamentável que jamais deveria ter sido amplificado. ou seja:

    1. primeiro descarregaram linha na pipa. assim que esta voou longe e alto, mas não exatamente do jeito suposto, dispararam contra ela todas as baterias anti-aéreas disponíveis. valendo-se inclusive de uma das mais sórdidas armas da Direita: o assassinato de reputação;

    2. este é o resultado da interdição do debate crítico em 13 anos de Lulismo, mas vem de antes. a crítica faz parte de qualquer processo de gestão, inclusive da vida de cada um de nós. qualquer processo só pode ser bem sucedido se fundamentado em sucessivos ciclos de planejamento/execução/avaliação. mas o Lulismo cristalizou a noção de qualquer crítica ser “fazer o jogo da Direita” contra o “nosso governo”;

    3. a pauperização do debate desceu a um nível do qual há excelente péssimos exemplos aqui mesmo nesta área de comentários. enquanto que: “O diálogo não é a conversa entre iguais, mas sim a conversa real e concreta entre diferenças que evoluem na busca do conhecimento e da ação que dele deriva. Diálogo é resistência.”;

    4. a própria utilização do termo Lulismo, conceito consagrado por André Singer em seu livro “Os Sentidos do Lulismo”, é vista como pejorativa, provocando em reação convulsões raivosas. o delírio chega ao ponto de se alucinar por trás de cada crítico um “espião secreto”, pronto a detonar com uma Esquerda que jamais precisou de nada e ninguém, além dela mesma, para se auto exterminar. e este episódio lamentável é disto uma grande prova;

    5. o ainda mais lamentável consiste na recusa em tentar compreender o motivo óbvio pelo qual se ganhou tanta visibilidade e se fez tanto sucesso em tão pouco tempo: simplesmente porque foi atendida uma demanda real! independente de se aprovar ou não estilo e métodos como isto se deu. existe uma enorme carência de canais que de fato expressem a gigantesca ânsia de luta contra o Golpe de 2016, bem como de agentes que vocalizem este desejo. desde a fatídica noite do vazamento do grampo em Dilma, o país acompanha perplexo e estarrecido a absoluta inapetência do Lulismo para enfrentar um golpe desde muito antes anunciado;

    6. por isto tudo, e ainda por muitas outras coisas mais, não são à tôa afirmações do tipo: “Dissemos que o golpe não passaria e passou. Dissemos que a condenação de Lula não ocorreria e ocorreu. Dissemos que o TRF da 4ª Região não ousaria confrontar as massas coonestando a condenação partidária de Moro e ousou. Pensávamos que o STJ daria um freio de arrumação e não deu.”;

    7. nós quem, cara-pálida? nós da tribo arkx estamos neste Blog do Nassif desde 2005 escrevendo, e nos repetindo e repetindo, a inevitabilidade de tudo o que até agora ocorreu, case se continuasse no rumo equivocado que viemos;

    8. assim como também já aqui postamos e tornamos a postar: Lula não pode ser preso! Lula precisa ser escoltado por uma força-tarefa para um asilo político numa Embaixada de um dos países dos (B)RIC(S), permanecendo no Brasil, mas à salvo de uma caçada implacável que o coloca inclusive sob risco de vida. o impacto político e diplomático deste fato vai ser um importante vetor para contrabalançar a correlação de forças;

    9. este artigo confirma novamente os motivos pelos quais Janot chegou a ser PGR. Eugênio Aragão surgiu como um brilho intenso quando tudo mergulhava nas trevas do caos, da covardia e da traição. lamentavelmente, acabou sendo não mais que fugaz relâmpago em meio à tempestade interminável;

    10. quando se supõe haver alguém em quem se possa confiar, mais uma insuportável decepção. triste. a vida é assim… dura! mas esta é a única vida que temos para viver.

    .

    • Ótimo texto.

      Acrescento.

      Lula, ele mesmo, alimentou as bestas-feras quando deixou as carcaças políticas de Zé Dirceu e Genoíno, só para citar os mais ilustres, para o banquete das hienas do nosso complexo mídia-judiciário-capital-psdb.

      Chega a me dar urticárias ver o glorioso quatrocentão Mino Carta berrando hoje aos quatro ventos, falando horrores da imbecilidade e apatia do eleitor, do apetite selvagem das nossas elites que ele chama de ignaras, enquanto não faz muito tempo celebrava as empresas golpistas em premiações (As Mais Admiradas).

      Por ironia, o eleitorado “esclarecido” de sua pátria querida (Itália) acaba de nos dar um outro atestado de cretinice, trazendo de volta o palhaço-mafioso Krusty deles, berlusconi.

      É muita contradição.

      Aqui, Eugênio nos chama a paz!

      Ora bolas.

      Onde estava o staff jurídico de Lula e Dilma para chutar a porta, virar a mesa dos gabinetes das cortes superiores do país, e gritar em alto e bom som: “Acabou, quem manda nessa porra somos nós”?

      Quem os ameaçou de contar ao país como é que se dão as relações das cortes com as bancas de advogados?

      Talvez se entre nós os ruídos fossem mais altos, Genoíno não pagaria o preço por ter enxergado, bem antes, que um projeto de modernização e diminuição de desigualdades não é possível sem aproximação e conquista das FFAA.

      Chavez na Venezuela entendeu isso, e apesar dos pesares, Maduro está lá, enquanto Dilma…

      Submarino nuclear? Para a cadeia o almirante que traiu a pátria (EUA, entenda-se).

      Odebrecht e sua divisão de alta tecnologia militar? Esquartejem pelos seus laços com a construção civil (que também já começava a incomodar, inclusive com obras no quintal do Tio Sam, acho que o aeroporto de Miami).

      Snowden nos avisa que o seu PRISM bisbilhotava a tudo e a todos, bem após o pré-sal? Deixa para lá, faço beicinho e digo que não vou mais nos EUA.

      Grampeamos quem? Quem conseguimos pressionar?

      Soft power? Piada, não!

      Se é soft, meus caros, não é power, sinto muito!

      Paulo Lacerda encurrala um dos principais conspiradores do país, o daniel dantas? Puna-se o Paulo Lacerda.

       

      Muitos dizem que Getúlio Vargas teria dito que o tiro no pé do corvo (lacerda) o atingiu pelas costas. Nem tenho certeza de que o tiro houve, e se houve, nem sei se foi da forma como contam.

      Mas tenho certeza, pelo que me contou Lira Netto na biografia do Gegê, que o governo Getúlio teve um marco mais dramático bem antes, quando Beijo deu um sonoro e estrondoso tapa nas fuças do Roberto Marinho, que jantava no restaurante do Hotel Quitandinha, em Petropólis.

      Para o bem ou para mal, Beijo fazia o que Getúlio não podia fazer, mas tinha que fazer.

      Essas “delegações” sempre dão certo? Não, claro que não.

      Porém, nenhum governo ou movimento político sobrevive sem quem coloque o “pau na mesa”.

      Como eu já disse aí embaixo, não foram as brigas e ziquiziras entre a esquerda que fez Lula ser condenado ou Dilma apeada do governo.

      Foi a crença de que valia a pena ser “republicano”, ter bons modos.

       

       

      • Os delírios de uma esquerda em convulsão febril

        -> “Dissemos que o golpe não passaria e passou. Dissemos que a condenação de Lula não ocorreria e ocorreu. Dissemos que o TRF da 4ª Região não ousaria confrontar as massas coonestando a condenação partidária de Moro e ousou. Pensávamos que o STJ daria um freio de arrumação e não deu.”

        Caro,

        e agora a este raciocínio destacado acima vai será acrescentado:

        – afirmávamos que Lula não seria preso. e ele foi;

        – julgávamos que a prisão de Lula seria apenas um show midiático, com ele sendo solto após alguns dias, ou poucas semanas. e está preso até hoje;

        – apostávamos tudo nas Eleições de 2018. e elas não aconteceram ou estão acontecendo como um arremedo, uma farsa.

        em 17/05/2015, aqui postei:

        “confesso: não tenho esperança. os cegos falam de uma saída. vejo. após os erros terem sido usados como última companhia, à nossa frente senta-se o Nada.”

        desesperador.

        p.s.:

        -> quando Beijo deu um sonoro e estrondoso tapa nas fuças do Roberto Marinho, que jantava no restaurante do Hotel Quitandinha, em Petropólis.

        não sabia disto. obrigado pela informação.

        .

  21. ESPERO QUE ISSO PELO MENOS CHEGUE AO SR. ARAGÃO!

    Afinal, vários posts são impedidos de serem publicados pelo GGN. O que é lamentável, porque, em vez de debatermos o assunto, acabamos jogando-o para baixo do tapete. Peço ao pessoal do GGN, que reflita, e não impeça tal debate, permitindo a publicação de nossos posts, que não são fakenews, nem fantasiosos. O PT errou feio, foi criticado, ignorou todas as críticas, e agora quer nos calar. Proteger e promover algo desse tipo, significa lutar para que nada mude. Assim, o Lula se elege, e comete seus erros tudo de novo. É isso que o GGN quer?

    VAMOS A SR. ARAGÃO:
     

     Aragão: “Outro tanto vê chifre em cabeça de cavalo: pretende ver urdiduras e conspirações”

    __Sr. Aragão, a CONSPIRAÇÃO é muito mais comum na política, do que se possa imaginar. O golpe de 64, assim como o de 2016 foram uma conspiração. Podemos colocar aí desde a revolução francesa, até o julgamento do Lula, junto com a venda da Petrobrás e da Embraer. Aliás, Cunha e Temer segurando o ajuste fiscal, também. Essas coisas são facilmente explicáveis, e não chegam a causar tanto espanto por aqui. Entretanto, como explicar o fato da Dilma não ter convocado a

    CADEIA NACIONAL DE TVS

    para denunciar tudo isso ao povo, deixando que 97% dos brasileiros, que não lêem na internet conteúdo político independente, como esse (nem tanto, hoje); permitindo que essa imensidão de pessoas soubesse apenas o que a globo contou.

    Agora o PT não pode ficar indignado, se o povo começar a achar que levou propina grossa, para sair do governo, e deixar que o Temer vendesse o Pré Sal. Ou o Sr. pode nos explicar o que aconteceu?

    Aliás, como é extremamente difícil um petista da cúpula descer do salto, e vir falar conosco, espero que pelo menos o GGN dê espaço para que os cabos eleitorais do PT possam defender o partido. Ou será que não existe defesa, e a tática é deletar postagens desse tipo mesmo? Que país construiremos desse jeito?

    Se o PT descesse do salto, e viesse até as bases para debater, nosso povo estaria mais politizado, e sairia aos milhões contra o impeachment. Não para defender Dilma ou o PT, mas sim os compromissos assumidos em 2014. Mesmo assim, não saiu, porque a Dilma apanhou calada. O que significa assumir a culpa de tudo. Porém, nada justifica isso; pois ela e o PT tinham a obrigação de impedir a posse dessa quadrilha, e denunciar seu programa de governo. Só que não tiveram a dignidade nem de informar aos brasileiros, que havíamos subido 10 posições no ranking mundial de IDH (padrão de vida). Alguém pode explicar o porquê?

    https://jornalggn.com.br/noticia/os-delirios-de-uma-esquerda-em-convulsao-febril-por-eugenio-aragao

    Aragão: “É parte da missão do golpe deixar a esquerda em polvorosa, que nem barata tonta, perdida no tiroteio interno. Quando a esquerda briga, a direita faz a festa e, como se não bastasse o desgaste naturalmente sofrido pelas porradas midiáticas diuturnas,”

    __Desculpe Sr. Aragão, mas isso é muito superficial! Não adianta apenas um sujeito chegar ao pedestal e dizer que é de esquerda, para que realmente seja. Lembrando que existem infinitos pontos entre a esquerda e a direita. Direita são aqueles que querem colocar o país para funcionar em função de suas empresas. Colonialistas, são os que querem colocar o país para funcionar em função das empresas de outros países. E de esquerda, os que querem fazer o país funcionar em função de seu povo.

    Assim, podemos dizer que países como Alemanha, França, Noruega, Islândia, Canadá, e até os Estados Unidos, são muito mais à esquerda do que nós. E também que:

    NÃO EXISTE ESQUERDA SEM DEMOCRACIA DIRETA!

    Isso por motivos óbvios, já que qualquer um que proponha governar um país em função de sua sociedade (socialismo), seria extremamente hipócrita e mentiroso, se não propusesse que essa mesma sociedade também pudesse se manifestar diretamente na política, reconhecendo o valor de seus ABAIXO ASSINADOS, para convocar PLEBISCITOS e REFERENDOS. Aliás, é o que fazem os países citados acima, dentre diversos outros, onde encontramos tanto sociedades mais à esquerda, quanto mais à direita.

    E O PT, É DE DIREITA OU DE ESQUERDA?

    Sr. Aragão, o PT não é nenhuma coisa, nem outra! No Brasil, o imperialismo internacional suborna nossas agremiações partidárias prostitutas. Algumas, para que sacaneiem o povo na cara dura; outras, para que apenas finjam nos defender. É o caso típico do PT, conforme fica devidamente provado abaixo:

    https://democraciadiretanobrasil.blogspot.com.br/2017/06/lindberg-farias-traiu-o-povo-brasileiro.html

    E essa é a posição oficial do PT, tanto que ninguém se indispôs contra o Lindberg Farias. Não houve protestos internos, e nenhum constrangimento contra esse sujeito, que deveria ter sido expulso do PT. Para quem quiser compreender a dimensão da ATROCIDADE DO LINDBERG FARIAS, confiram ao que ele se opôs, e o que retirou de nossa legislação:

    http://democraciadiretabrasileira.blogspot.com.br/2017/01/por-que-somos-subdesenvolvidos.html

    Ou seja,

    O PT É UM PARTIDO COLONIALISTA!

    Aliás, dos países que não chegaram a ser potências militares, somente os que aderiram à DEMOCRACIA DIRETA, usando a FORÇA DO POVO para enfrentar os poderosos (R$R$R$R$R$R$R$) interesses estrangeiros, conseguiram se desenvolver (Noruega, Suíça, Canadá, Bélgica, Holanda, Dinamarca, Nova Zelândia, etc). E, como vimos, o PT é radicalmente contra essa nossa emancipação. Parece que, para o PT, é muito mais vantajoso o leilão de votos no congresso, e principalmente a compra de silêncio, para que

    NÃO SE FAÇA GREVE

    NÃO SE EXIJA A DEMOCRACIA DIRETA NAS RUAS

    NÃO SE CONVOQUE A CADEIA NACIONAL DE TVS

    ETC…

    Entretanto, reconhecemos que existem exceções no partido. Só que são minorias, e acabam se tornando coniventes, pois deveriam deixar o partido. É o que a Dilma devia ter feito, quando o PT aparentemente decidiu vender o Pré Sal. Por que será que não fez? Será que estamos errados? Será que ainda existe esperança pro PT? Será que ainda existem políticos suficientes no partido, para torná-lo um defensor, inclusive nas ruas, da DEMOCRACIA DIRETA? Pois bem, o Temer aprovou o congelamento de verbas na saúde e educação, a reforma trabalhista, e deve aprovar a da previdência. Entretanto, ainda não vimos nenhum cartaz do PT, exigindo um REFERENDO sobre essas novas leis; e muito menos para que o povo tenha direito de convocá-lo.

    Aragão: “ainda se dá motivos para os golpistas festejarem a incapacidade das forças antigolpe de se aglutinarem e  mobilizarem.”

    __Caro Aragão, se quando o PT tinha o controle do governo, das Forças Armadas, e da CADEIA NACIONAL DE TVS, ele enfiou o rabo no meio das pernas. O que podemos esperar desses caras agora? A única coisa que resta é desmascará-los, para, quem sabe, lá na frente, o Brasil encontrar outras soluções. Ou você realmente acha que o Lula mudaria alguma coisa, se fosse eleito?

    Aragão: “Muito de nossa derrota na arena política se deve a isso: nossa incrível inépcia para distinguir entre a unidade essencial e a divergência por questões periféricas.”

    __Como demonstrei de forma incontestável, as divergências são sobre questões fundamentais.

    Aragão: “atacam outros blogs de esquerda, comprometendo a qualidade de nossa comunicação.”

    __Sr. Aragão, não existe mais comunicação nos blogs do PT. Estão bloqueando o conteúdo que postamos no GGN, 247, Viomundo, DCM, etc. Ou seja, nos blogs do PT só existe PROPAGANDA agora. O que é lamentável. Espero que o Sr. desça do salto, debata conosco, explique a situação do PT, e, principalmente, que traga novidades. Porque o PT que passou, ninguém quer mais…

    Aragão: “Passaram a distribuir sarrafos também em Fernando Haddad, numa fúria inexplicável.”

    __Sr. Aragão, desculpe, mas o Sr. não pode querer que os outros abram mão da CRÍTICA. É por causa disso que o PT parou no tempo. O PT criou o militante de fé, aquele que não critica, não pensa, não sabe porque apoia o Lula, e está ali apenas pela confiança e simpatia. Em vez de querer parar as críticas, não seria muito melhor debatê-las abertamente; e mudar de rumo, quando erros fossem constatados? Por falar em Haddad, nos países que citei, ele não seria eleito nem para síndico de prédio da periferia. Confira porque:

    http://democraciadiretabrasileira.blogspot.com.br/2017/01/a-cara-do-pt.html

    Aragão: ” ninguém pode ter dúvidas sobre a má fé na metodologia adotada para a coleta de “elementos de convicção” contra Lula e o PT.”

    __Podemos sim! Pois o PT vem apanhando a tanto tempo de nossos tribunais, que deve ter algum motivo oculto por trás disso, para que o partido não defenda nossa efetiva democratização. Atualmente o presidente do senado engaveta todos os pedidos de impeachment contra os juízes do STF. Ou seja, nossa sociedade não tem o direito de se insurgir contra seus abusos. O que seria diferente, se tivéssemos o direito de convocar o REFERENDO REVOCATÓRIO DE MANDATO desse senador. O Sr. pode explicar porque o PT não está exigindo nas ruas que o povo possa convocar tais REFERENDOS?

    Aragão: “Pensávamos que o STJ daria um freio de arrumação e não deu. Estamos torcendo para que o STF cumpra seu papel”

    __Parece não haver motivos para preocupação. Afinal, se o PT não fez esse acordo, que acabou livrando o Aécio Neves de ir pra cadeia, sua cúpula não teria um mínimo de inteligência. Observe que, nesse caso, o STF transformaria o Moro e demais tribunais em CABOS ELEITORAIS DO LULA. Confira:

    https://democraciadiretanobrasil.blogspot.com.br/2018/01/moro-globo-e-temer-cabos-eleitorais-do.html

    Nassif, por favor, deixe que publiquem essa matéria; dê oportunidade ao homem, para que se defenda! Pois, se não houver defesa, para onde estaríamos indo com o PT?

  22. Sem Solução Agendada: A Revolução & Os Ossos de Dana de Teffé

    Nessa fogueira das vaidades em que, aquecem as virtuais armas afiadas, anabolizam a coragem ex-pressa e calejam os ágeis dedos à mão, pelos pés, nossos revolucionários de feicibuquí, à espera que a revolução comece e seja televisionada, para participarem assistindo, analisando e comentando, não necessáriamente nessa ordem, só resta questionar se por acaso, entre um intervalo e outro, nas confabulações, hipóteses, desconfianças, estrátegias e análises definitivas, conseguirão alguma pista sobre onde, afinal, estão enterrados ‘os ossos de Dana de Teffé’.

    A desigualdade no Brasil, ‘sabemos’, precisa aguardar a ‘ruptura e a extrema revolução’, mas o caso “dos ossos de Dana de Teffé” não, e portanto, já deveria estar resolvido.  

    E segue o rebolado, com o Teatro Brasil pegando fogo.

     

    • Pau que dá em Chico, dá em Francisco?

      Uai, não me consta que Eugênio tenha escrito o manifesto dos ossos de Dana Teffé, ou conclamado a revolução no feicebquistão.

      Quem sabe Eugênio saiba onde se esconda o Santo Graal da esquerda, ele mesmo um “revolucionário de toga”, que o máximo que consegue fazer é dizer que seus pares e gilmares são feios, bobos e roubaram nosso pirulito?

      Ah, que bom, na foqueira das vaidades não ardem Chicos e Franciscos.

      Eles esperam para, ao final de tudo, sobre as cinzas de eugênios e vaidosos, ele nos diga: Bobagem, não há ossos! Eis que nem Elvis nem Dana morreram, tolos.

  23. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome