Somos poeira de estrelas! por Alexandre Sartori Barbosa

Tudo o que foi pensado foi sendo passado em uma grande brincadeira de telefone sem fio e os pensamentos de gerações continuam vivos nas nossas tomadas de decisões individuais.

Somos poeira de estrelas!

por Alexandre Sartori Barbosa

Salve terráqueos de 2020! Eu reconheço que prometi falar sobre os Kilopowers, mas como o contínuo espaço tempo é relativo não faz a menor diferença. Vocês provavelmente já o leram em um breve futuro, ou mesmo no passado de outras dimensões paralelas, em diversas versões.

O que ocorre é que viver confinado em uma base marciana me trazem períodos de reflexões existenciais. Comecei o dia refletindo sobre a origem e o destino dos pensamentos. Os pensamentos são seus mesmo ou vieram de inúmeros antepassados?

É muito louco pensar que, desde os homens das cavernas, pensamentos e idéias foram passados adiante, por gerações e gerações até chegarem a você. Dominamos o fogo, a roda, os instrumentos, as diversas etapas da evolução tecnológica até chegarmos nesta configuração atual como, por exemplo edifícios, saneamento, eletricidade, microondas , carros elétricos, aviões, satélites, drones autônomos e inteligência artificial.

Assim como nossos gadgets preferidos, recebemos de herança, através dos tempos, orientações comportamentais de cortesia, gentileza, educação, agressividade, passividade, ímpeto, medo, sabedoria, etc. Cada indivíduo se tornou reflexo da experiência de todos os seus antepassados. Nossa carga genética foi extremamente selecionada e somos sobreviventes de infinitas intempéries enfrentadas pelos nossos ancestrais.

Tudo o que foi pensado foi sendo passado em uma grande brincadeira de telefone sem fio e os pensamentos de gerações continuam vivos nas nossas tomadas de decisões individuais. Da mesma forma, cada átomo de nosso corpo provém de uma história de bilhões de anos. Os cálcios de seus ossos foram formados nos núcleos de diversas estrelas e espalhados pelo cosmos após explosões colossais.

Leia também:   O prego, ó meu rico prego, por João Roque Dias

O mesmo ocorre com os demais átomos como o sódio, potássio, magnésio, carbono, oxigênio, hidrogênio, iodo e muitos outros. Antes de se combinarem e nos pertencerem, todos esses átomos passaram por peripécias cósmicas inimagináveis, submetidos a colisões e explosões absurdas, espirrados por bilhões de anos até chegarem ao nosso humilde planeta.

Após esta jornada, ainda passaram por vários processos geológicos, possivelmente foram parte de vários tipos de organismos vivos, inclusive de outros humanos, até chegarem ao nosso corpo. Independente da nossa existência, a matéria e os pensamentos que nos constituem, e que foram herdados de nossos antepassados, continuarão fluindo por toda a eternidade.

 

*Dedicado (in memoriam) a Helena Russo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora